[CINEMA] PROJETO GEMINI

quinta-feira, 10 de outubro de 2019


Data de lançamento: 10 de outubro de 2019 (1h 57min)
Direção: Ang Lee
Gênero: Ação, Ficção científica
Elenco:  Will Smith, Mary Elizabeth Winstead, Clive Owen
Sinopse: O melhor assassino do mundo está ficando velho e menos confiável. Por isso seus chefes decidem eliminá-lo criando um clone mais novo e mais forte com a tarefa de exterminá-lo.


A crítica de hoje é colaboração da nossa colunista Rafaela Duarte.

Um dos filmes mais esperado do mês de outubro finalmente chegou aos cinemas, com um grande elenco formado por: Will Smith (Henry Brogen), Mary Elizabeth (Danny Zakarweski), Benedict Wong (Baron), Linda Emond (Lassiter), Clive Owen (Clay Verris), Douglas Hodge (Jack Wills), Ralph Brown(Del Petterson) entre outros, trouxeram uma qualidade de imagem impressionante, pois foi filmado em 3D+, 4K e 120 FPS e ai você tenta imaginar a qualidade em tudo nesse filme!!

História começa com Henry um assassino profissional e sendo o melhor do ramo, tendo uma missão de executar uma pessoa dentro de um trem em movimento, porém após essa missão Henry começa a se questionar e vê que esta na hora de se aposentar, mas seu chefe Del acha muito precoce essa aposentadoria, afinal Henry é o melhor no ramo e tenta convence-lo sem sucesso. Nesse momento a organização DIA através de um dos grandes chefes Clay Verris vê em Henry uma grande ameaça, devido o grande amigo de Henry, Jack Wills ter contado ao mesmo sobre o relatório dessa missão, fazendo com que Henry suspeita-se que havia matado alguém inocente e nisso Lassiter da DIA encaminha um grupo para executa-lo, mas sem sucesso.

[CINEMA] O PINTASSILGO

terça-feira, 8 de outubro de 2019


Data de lançamento: 10 de outubro de 2019 (2h 30min)
Direção: John Crowley
Elenco: Ansel Elgort, Oakes Fegley, Nicole Kidman
Gênero: Drama
Nacionalidade: EUA
Sinopse: Um atentado terrorista no Metropolitan Museum of Art, em Nova York, modifica para sempre a vida do jovem Theodore Decker (Oakes Fegley). Além de sua mãe falecer no evento, ele é incentivado por um desconhecido a levar consigo um quadro lá exposto, O Pintassilgo, além de um anel com o brasão de sua família. Nos dias seguintes Theo recebe o abrigo da sra. Barbour (Nicole Kidman) e, ao pesquisar sobre o brasão, conhece Hobie (Jeffrey Wright), um vendedor de antiguidades que agora é o tutor de Pippa (Aimee Laurence), filha do homem desconhecido, que também estava no museu no momento do atentado. Tal encontro modifica para sempre a vida do garoto, seja por seu interesse no mercado de antiguidades ou mesmo pela paixão que nutre pela jovem.


A crítica de hoje é colaboração da nossa colunista Rafaela Duarte.

Esse filme dramático conta com um bom elenco formado por: Nicole Kidman (Mrs.Barbour), Luke Wilson (Larry Decker), Oakes Fegley(Theodore Decker fase juvenil),Ansel Elgort (Theodore Decker fase adulta), Sarah Paulson(Xandra), Finn Wolfhard (Boris na face juvenil), Aneurin Barnard (Boris fase adulta), Jeffrey Wright (Hobie), Ashkeigh Cummings (Pippa fase juvenil), Aimée Laurence(Pippa na fase adulta), Denis O´Hare (Lucius Reeve) e Robert Joy (Welty).

História começa em Nova York onde Theo estava com a mãe dentro do Museu Metropolitano, até chegar a hora de ir falar com o diretor na escola e aproveitaram para ver as exposições de belíssimos quadros, inclusive de um quadro que ela gostava muito: O Pintassílgo, Theo olhava o quadro e se deparou com Pippa e o tio dela sr Welty admirando o Pintassilgo, enquanto sua mãe foi para outra galeria, logo Theo foi encontrar com a mãe, mas naquele momento ocorreu uma grande explosão, causando a morte de diversas pessoas, inclusive de sua mãe, Theo ao longe avistou o sr Welty chamando pela Pippa e viu o quadro do Pintassílgo no meio dos escombros e pediu para Theo prometer em levar o quadro e entregar o anel que estava usando para o sr Hobart Blackwell, Theo sem entender nada, concordou e logo viu o sr Welty falecer.Sem a mãe e o pai Larry que havia abandonado eles a 6 meses, se viu órfão mas foi amparado pela família do seu amigo de escola Andy, Sra Samantha Barbour cuidou de Theo e num dia pela manhã, Theo foi atrás do endereço para entregar o anel que o sr Welty lhe mandou entregar e lá reencontrou Pippa, ainda machucada devido ao ocorrido no museu e fez grande amizade com o sr Hobie, ex sócio do sr Welty. 

[CINEMA] CORINGA

quinta-feira, 3 de outubro de 2019


Data de lançamento: 3 de outubro de 2019 (2h 02min)
Direção: Todd Phillips
Elenco: Joaquin Phoenix, Robert De Niro, Zazie Beetz
Gênero: Drama
Sinopse: Coringa, do diretor Todd Phillips, é uma história original e fictícia sobre o icônico vilão nunca antes vista no cinema. A versão de Phillips sobre Arthur Fleck, interpretado de maneira memorável por Joaquin Phoenix, mostra um homem lutando para se integrar à sociedade despedaçada de Gotham. Trabalhando como palhaço durante o dia, ele tenta a sorte como comediante de stand-up à noite... mas descobre que a piada é sempre ele mesmo. Preso em uma existência cíclica, oscilando entre a realidade e a loucura, Arthur toma uma decisão equivocada que causa uma reação em cadeia, com consequências cada vez mais graves e letais, nesta exploração ousada do personagem.


Oi pessoas!!! Hoje venho aqui contar para vocês o que achei de Coringa que estréia hoje nos cinemas de todo o Brasil!
Mais uma vez a convite da Espaço Z, Warner BR e UCI Cinemas, tivemos a oportunidade de conferir mais uma pré-estréia incrível e agora compartilhar com vocês a experiência para que possam se programar para o final de semana.

Esqueça completamente tudo o que você já vivenciou assistindo aos filmes da DC! Coringa simplesmente estabelece outro patamar!

Cheguei ao cinema esperando mais um filme de Super Heróis ou de nascimento de um vilão...mas fui completamente desarmada e desmontada por esse drama peculiar, humano e visceral que nos apresenta uma crítica social que é um atemporal atemporal tapa na cara, assim como um personagem único que poderia ser encontrado em qualquer subúrbio miserável ou que poderia ter sido acometido pelas mesmas intempéries e situações que culminariam neste tipo de desfecho para um ser humano.

[CINEMA] ENCONTROS

quarta-feira, 2 de outubro de 2019


Data de lançamento: 3 de outubro de 2019 (1h 50min)
Direção: Cédric Klapisch
Elenco: François Civil, Ana Girardot, Eye Haïdara
Gêneros: Drama, Comédia
Sinopse: Rémy e Melánie são vizinhos, mas não se conhecem. Na faixa de seus 30 anos, ambos tentam vencer a solidão da cidade grande no mundo moderno. Enquanto ele não tem ânimo para conhecer novas pessoas, ela multiplica seus encontros nos aplicativos de relacionamento. Dois indivíduos, dois destinos. Sem saber, seus caminhos os levam na mesma direção… seria essa uma história de amor?





A crítica de hoje é colaboração da nossa colunista Rafaela Duarte.

Filme francês com uma boa história e um bom elenco: François Civil ( Rémy Pelletier), Ana Girardot (Meláine), Camile Cottin (irmã de Meláine), Simon Abkarian( Dono do mercado onde os protagonistas compram), François Berléand (dr J.B. Meyer), Marie Bunel (mãe de Rémy) entre outros.

A história começa em Paris onde Rémy e Meláine são vizinhos, porém nunca se viram e vivem seus dilemas, pois Rémy é uma pessoa que trabalha numa grande empresa que pretende implantar robôs para fazer o trabalho, Rémy é uma pessoa que não consegue dormir e esta sempre apático. Já Meláine trabalha num laboratório, sofre com excesso de sono e esta sozinha a um ano, após terminar de forma traumática o relacionamento com Guillaime.

Tudo parecia “normal” mas Rémy foi demitido e Meláine chamada para apresentar o trabalho que desenvolvem para um dos grandes patrocinadores, Rémy devido ao estresse sofre no trem um ataque de ansiedade e o médico recomenda o psicólogo o dr Meyer, enquanto por auxilio das amigas Miláine também foi consultar uma psicóloga e expõe tudo o que ocorreu no passado em família e do relacionamento com Guillaime e que até hoje ela não consegue se relacionar com outros homens, incentivada pela Dra. e pelas amigas Miláine começa a usar o app Tinder e ai começa a viver diversos casos consecutivos mas sem ficar com ninguém a sério, apenas por um dia.

Já Rémy com dificuldades de se relacionar com as pessoas cria um facebook e lá reencontra um ex colega de escola, mas ao saírem Rémy não se recorda de nada e na consulta com o dr Meyer ele conta que conseguiu um novo emprego (call center) e fez uma nova amizade com a 2039, e ganhou um gato (Nugget) de uma vizinha e sempre passava no mercado para comprar ração para o gato e era o companheiro de todas as horas, enquanto Meláine se relacionava bem com as pessoas, tinha a irmã dela que sempre a procurava assim como as amigas.

[CINEMA] ABOMINÁVEL

sexta-feira, 27 de setembro de 2019


Com distribuição da Universal Pictures e produzido pela DreamWorks Animation, “Abominável” conta a aventura vivida por Yi, dublada em português pela atriz e cantora Mharessa, depois que ela encontra uma criatura mágica – um Yeti – no telhado de seu prédio. Juntos, eles vão atravessar cenários deslumbrantes e superar grandes desafios até chegar ao Evereste.

O filme é dirigido por Jill Culton (“O Bicho vai Pegar”) e produzido por Suzanne Buirgy (“Como Treinar o Seu Dragão” e “Kung Fu Panda 2”). A produção executiva é de Tim Johnson.


A crítica de hoje é colaboração da nossa colunista Rafaela Duarte.


Abominável...Pensem numa animação muito legal, pois bem...e que de abominável só tem o nome kkkkk, pois o Yeti é muito fofo!!!!

A história se passa em Xangai onde a adolescente Yi mora com a sua mãe e a avó Nai Nai num apartamento num bairro simples mas movimentado, Yi é uma adolescente muito sozinha e triste pela morte de seu pai e ocupa seu tempo nas férias para ganhar dinheiro sem sua família saber, porém acaba gerando muita preocupação em sua avó, enquanto a mãe pensa que isso é coisa da idade, porém Yi não para em casa e quase nem come.

Peng e Jin são primos e moradores do mesmo edifício e são amigos de Yi, mas depois da perda do pai prefere andar sozinha e juntar dinheiro para poder fazer a viagem que ela e seu pai fariam e que até hoje ela guarda os cartões postais dele.
Yi se isola no terraço do prédio, onde montou uma cabana, guarda lá o dinheiro que ganha e toca violino que era do seu pai, para aliviar a tristeza.

[RESENHA] O Labirinto do Fauno - Guilhermo Del Toro e Cornelia Funke - @intrinseca

sexta-feira, 20 de setembro de 2019

O Labirinto do Fauno
Autor: Guilhermo Del Toro & Cornelia Funke
Editora: Intríseca
I.S.B.N.: 8551005197
Páginas: 320

Um dos filmes mais aclamados dos últimos tempos, O Labirinto do Fauno transborda das telas do cinema em obra que expande o universo de fantasia e horror da obra-prima de Del Toro.
Quando estreou nos cinemas, O Labirinto do Fauno encantou público e crítica com sua história que mesclava sonho e realidade, trazendo para o universo da fantasia o cruel cotidiano da Espanha fascista de Franco. Mais de dez anos depois, a produção permanece conquistando fãs e mostrando que boas histórias são atemporais.
Nesta edição mais do que especial, o escritor, diretor e roteirista mexicano Guillermo del Toro — a mente por trás do filme e um dos artistas mais inventivos dos últimos tempos — se une a Cornelia Funke, premiada escritora de contos de fadas modernos e autora da trilogia Mundo de Tinta, para narrar a jornada de uma menina pelo Reino dos Homens e pelo Reino Subterrâneo.
No ano de 1944, Ofélia e a mãe cruzam uma estrada de terra que corta uma floresta longínqua ao norte da Espanha, um lugar que guarda histórias já esquecidas pelos homens. O novo lar é um moinho de vento tomado pela escuridão e pela crueldade do capitão Vidal e seus soldados, dispostos a tudo para exterminar os rebeldes que se escondem na mata.
Mas o que eles não sabem é que a floresta que tanto odeiam também abriga criaturas mágicas e poderosas, habitantes de um reino subterrâneo repleto de encantos e horrores, súditos em busca de sua princesa há muito perdida. Uma princesa que, segundo os sussurros das árvores, finalmente retornou ao lar.
No livro, a narrativa de Ofélia é intercalada com ilustrações e contos de fadas inéditos, baseados em elementos-chave de O Labirinto do Fauno. A obra é uma impactante ode ao poder das histórias, seja em imagens ou palavras, e a sua capacidade de transformar a realidade a nossa volta.



A Resenha de hoje e contribuição do nosso colaborador Marcelo Rodrigues.


Olha eu aqui novamente, meus amores, e hoje a gente vai falar sobre uma história que encantou as plateias do mundo todo em 2006 e que agora chega para encantar velhos e novos leitores.

Vocês acreditam em magia? Vocês acreditam em Contos de Fadas? Sim? Pois a pequena Ofélia, também acredita e se não fosse assim, ela jamais saberia sua verdadeira identidade: Moana, de Motu Nui (Opa, Moana errada), agora sim, Moanna, princesa do Mundo Subterrâneo. E jamais teria forças para enfrentar uma terra opressora e perigosa: A Terra dos Adultos.
O Labirinto do Fauno é uma adaptação literária do filme homônimo que foi produzido, escrito e dirigido por Guillermo del Toro (A Forma da Água) e acabou conquistando três Oscars. Eis que em Julho desse ano, a obra foi lançada em formato de livro pela Intrínseca.

[CINEMA] A MÚSICA DA MINHA VIDA

quinta-feira, 19 de setembro de 2019


Data de lançamento: 19 de setembro de 2019 (1h 57min)
Direção: Gurinder Chadha
Elenco: Hayley Atwell, Nell Williams, David Hayman
Gêneros: Biografia, Drama, Comédia
Nacionalidade: Reino Unido
Sinopse: A Música da Minha Vida conta a história de Javed (Viveik Kalra), um adolescente britânico filho de paquistaneses, crescendo na cidade de Luton, Inglaterra, em 1987. Em meio às turbulências econômicas e raciais da época, ele escreve poesia como uma forma de escapar da intolerância de sua cidade natal e da inflexibilidade de seu pai tradicional. Porém, quando um de seus colegas lhe apresenta a música do “Chefe”, Javed vê paralelos entre sua vida simples e as letras marcantes de Springsteen. À medida que Javed descobre um escape catártico para seus próprios sonhos reprimidos, ele também começa a encontrar coragem para se expressar com sua própria voz.
Baseado no aclamado livro de memórias de Sarfraz Manzoor Greetings from Bury Park, A Música da Minha Vida é uma história contagiante sobre coragem, amor, esperança, família e a capacidade única que a música tem de elevar o espírito humano.


A crítica de hoje é colaboração da nossa colunista Rafaela Duarte.

Nesse filme baseado em fatos reais da vida de Javed, pois não se trata de uma biografia de Bruce Springsteen, traz um bom elenco: Viveik Kalra (Javed), Nell Williams (Eliza), Aaron Phagura (Roops), Kulvinder Ghir (Malik pai de Javed),Meera Ganatra (Noor), Dean-Charles Chapman(Matt), Rob Brydon (pai de Matt),Nikita Mehta (Shazia), Tara Divina (Yasmeen), Hayley Atwell( professora Clay) e David Hayman (sr Evans vizinho de Javed), além de uma bonita abertura do filme, fotografia, figurinos e uma boa música.

Tudo começa na pacata cidade de Luton em setembro de 1980, quando Javed e Matt ainda pequenos andam de bicicleta e são melhores amigos. Após 7 anos em 1987 os amigos já grandes, vivem numa Luton onde o desemprego é grande e a perspectiva de arranjar um emprego é nula.
Javed vem de uma família paquistanesa onde seu pai procura manter os costumes de sua cultura, onde muitos londrinos ainda não aceitam paquistaneses lá, Javed se vê oprimido por morar em um lugar sem vida, humilhado por outros ingleses, onde tem que seguir as ordens de seu pai e não poder sequer ir na casa de Matt quando ele faz festas que fica no mesmo local onde residem, pois o pai acha inadequado os costumes. Matt é seu grande amigo e o incentiva a escrever boas letras para que possa gravar com sua banda, porem Javed só escreve poemas melancólicos, dramas familiares e a vontade de ir embora da cidade.