[CINEMA] Era um vez em Hollywood

quinta-feira, 15 de agosto de 2019


Data de lançamento:  15 de agosto de 2019
Direção: Quentin Tarantino
Elenco: Leonardo DiCaprio, Brad Pitt, Margot Robbie

Sinopse: Los Angeles, 1969. Rick Dalton (Leonardo DiCaprio) é um ator de TV que, juntamente com seu dublê, está decidido a fazer o nome em Hollywood. Para tanto, ele conhece muitas pessoas influentes na indústria cinematográfica, o que os acaba levando aos assassinatos realizados por Charles Manson na época, entre eles o da atriz Sharon Tate (Margot Robbie), que na época estava grávida do diretor Roman Polanski (Rafal Zawierucha).

no geral o filme é excelente!


A crítica de hoje será um pouquinho diferente, contando com a colaboração da nossa colunista Rafaela Duarte e a opinião dessa blogueira que vos fala, Scheila Flores! hehehehe



Opinião da Rafa: Era uma vez em .... Hollywood

Filme bem aguardado por ser o 9° filme de Quentin Tarantino, juntamente com um grande elenco:  Leonardo Di Caprio (Rick Dalton), Brad Pitt (Cliff Booth), Al Pacino (Marvin Shwarz), Kurt Russell (Randy), Dakota Fanning (Lynette "Squeaky" Fromme) e o nosso eterno Dylan de barrados no baile (Luke Perry), a qual fez uma pequena participação no filme, assim como Mike Moh, interpretando nosso querido e eterno Bruce Lee, porém no filme Bruce aparece como um cara arrogante.

O desenrolar da história começa em 09/02/1969 onde o famoso Rick Dalton faz vários papeis, muitos deles de faroeste, mas é surpreendido por uma conversa do empresário Marvin Shwarz que o questiona de ele só fazer papéis de vilão, sendo saco de pancadas para protagonistas iniciantes e fazer pilotos onde ele não é o protagonista e oferece para o mesmo alguns papeis em filmes italianos. Porém, Rick não aceita e se apavora em saber que a carreira dele pode estar por um fio e relata o ocorrido para o seu amigo Cliff Booth, veterano de guerra e seu atual dublê. 

Com o passar do tempo Rick começou a fazer papéis secundários e Cliff permanecia como  seu motorista e “severino”, os meses foram passando e em 08/08/1969 Rick acabou aceitando a oferta de Marvin e viajou juntamente com Cliff para fazer o seu trabalho como ator em outro país e ao retornarem para casa, algumas coisas já haviam mudado em suas vidas....

Filme tem alguns momentos cômicos, além de ter ação e te prende na cadeira durante 02h41. Vale a pena conferir.

Tem uma cena extra e por isso fiquem sentados kkkkkk



Opinião da Scheila Flores: Quentin Tarantino, mais uma vez sendo Quentin Tarantino.
Era uma Vez em Hollywood é aquele tipo de filme que realmente dá outro sentido à expressão "baseado livremente em fatos reais" hehehehe.

Com uma trilha sonora, figurinos e fotografia magníficos, Tarantino nos brinda com todo o brilho e burburinho da Hollywood do final, onde os contrates entre a geração paz e amor andam em paralelo com as novas promessas do cinema e da TV.
Adorei como o diretor conseguiu nos trazer histórias de aspirações e sonhos brilhantes, mas também nos deu uma palhinha da militancia hippie, assim como um esboço do que poderia ter sido a comunidade que resultou na famosa e famigerada familia Manson e seus crimes.

Tarantino nos conta a história de um ícone do velho oeste em decadência e seu dublê (Di Caprio e Pitt), assim como em paralelo o que poderia ter sido os últimos dias da promessa do cinema e espesa de Roman Polaski, Sharon Tate.

De uma forma muito inusitada, com um humor completamente politicamente incorreto e regado a muita pancadaria e sangue, Era Uma Vez em Hollywood dos deixa o tempo todo com aquela dúvida: será que ralmente isso aconteceu?

Ao sair do cinema os expectadores tem a missão de pesquisar mais a fundo a história macabra de Chales Manson e seus seguidores a fim de tirar suas próprias conclusões quanto ao filme.

A final Era Uma Vez em Hollywood conta histórias que realmente poderiam ter acontecido naquela época...ou não!

Embora o filme tenha um início um pouco lento, do meio para o fim ele pega um rítmo totalmente alucinante com um quê de todos os outros filmes do diretor! Rendendo ótimos momentos de ação e gargalhadas!
Com um elenco estelar, o destaque está para as atuações de Leonardo Di Caprio e Brad Pitt. Gente...vocês não tem noção do divertimento que é ver Leo ir de bobalhão chorão à homão da P*rra em segundos! E Pitt além de estar em excelente forma para a idade, ainda consegue desbancar até o rei das artes marciais!! hehehehehe **um dos momentos mais hilários do filme!***

Se você é fã de filmes diferentes e pouco convencionais, Era Uma Vez em Hollywood estréia hoje e é uma ótima pedida para o final de semana!




[RESENHA] ARTEMIS - Andy Weir - @editoraarqueiro

domingo, 11 de agosto de 2019

ARTEMIS
Autor: Andy Weir
Editora: Arqueiro
Páginas: 304


ANDY WEIR, AUTOR DO BEST-SELLER PERDIDO EM MARTE, RETORNA COM UM THRILLER IRRESISTÍVEL - UMA HISTÓRIA DE ASSALTO NA LUA!
Artemis foi vencedor do Goodreads Choice Awards 2017 de Ficção Científica.
“Um suspense tecnológico de primeira, cheio de ação. Um transporte perfeito para os humanos que desejam escapar da gravidade da Terra, nem que seja por um momento. As páginas voam.” – USA Today
“Weir conseguiu fazer o impossível: superou Perdido em Marte com um thriller noir que se passa na lua. O que mais você pode querer da vida? Vá ler agora mesmo!” – Blake Crouch, autor de Matéria escura
Jazz Bashara nunca desejou ser uma heroína. na verdade, ela é uma criminosa, uma pequena contrabandista.
A vida em Artemis, a primeira e única cidade na lua, é difícil se você não for um turista ou um empresário rico, ainda mais se está com dívidas e seu trabalho mal cobre o aluguel.
Por isso, quando surge a oportunidade de ganhar uma enorme quantia cometendo o crime perfeito, Jazz não consegue recusar. A questão é que esse delito é apenas o começo de seus problemas, pois a fará cair no meio de uma conspiração pelo controle de Artemis.
Impulsionada pela narrativa sarcástica da protagonista, ambientada em uma cidade imaginária, mas extremamente familiar, Artemis é outra mistura irresistível de ciência, suspense e humor de Andy Weir, o autor de Perdido em Marte.




A Resenha de hoje e contribuição do nosso colaborador Marcelo Rodrigues.

Quem nunca escutou aquela velha e célebre fraseÉ um pequeno passo para o homem e um salto gigante para a humanidade “, pois foi com essa frase que a corrida espacial durante a Guerra Fria ficou eternizada lá em 1969. De lá para cá, os países já estão começando a oferecer uma viagem turística para contornar a lua, basta apenas você desembolsar alguns milhões de dólares. Ou seja, pensando nessa maneira, a ideia proposta e o cenário construído pelo autor Andy Weir em Artemis, não soa como impossível. 

[RESENHA] UMA LOUCURA E NADA MAIS (CLUBE DOS SOBREVIVENTES #3) - MARY BALOGH



TÍTULO ORIGINAL: The Escape 

TRADUÇÃO: Lúcia Brito 

FORMATO: 16 X 23 CM 
NÚMERO DE PÁGINAS: 272 
PESO: 0.34 KG 
ACABAMENTO: brochura
ISBN: 9788580419733 
EAN: 9788580419733 

LEIA UM TRECHO: https://bit.ly/2w01hNZ



SINOPSE: TERCEIRO VOLUME DA SÉRIE CLUBE DOS SOBREVIVENTES.

Mary Balogh já vendeu mais de 100 mil exemplares pela Arqueiro e é presença constante na lista de mais vendidos do The New York Times. 

“Uma heroína que nunca se sentiu valorizada e um herói em busca de um novo propósito aprendem a viver cada momento ao máximo. Este romance terno, perspicaz e lindamente construído reluz de esperança e amor.” – Library Journal

“Uma história de duas almas feridas que, juntas, descobrem o poder do amor. Uma loucura e nada mais mostra que o amor fortalece, cura e redime.” – RT Book Reviews

Depois de sobreviver às guerras napoleônicas, Sir Benedict Harper está lutando para seguir em frente e retomar as rédeas de sua vida. O que ele nunca imaginou era que essa esperança viesse na forma de uma bela mulher, que também já teve sua parcela de sofrimento.

Após a morte do marido, Samantha McKay está à mercê dos sogros opressores, até que planeja uma fuga para o distante País de Gales para reivindicar uma casa que herdou. Como o cavalheiro que é, Ben insiste em acompanhá-la em sua jornada.

Ben deseja Samantha tanto quanto ela o deseja, mas tenta ser prudente. Afinal, o que uma alma ferida pode oferecer a uma mulher? Já Samantha está disposta a ir aonde o destino a levar, a deixar para trás o convívio com a alta sociedade e até mesmo a propriedade que é sua por direito, por esse belo e honrado soldado.

Mas será que, além de seu corpo, ela terá coragem de oferecer também seu coração ferido a ele? As respostas a todas as perguntas talvez estejam em um lugar improvável: nos braços um do outro.


Mary Balogh com toda certeza é uma das melhores autora de romances de época atuais. Com uma escrita cadenciada e ao mesmo tempo ágil, ela traz o leitor para dentro das páginas do livro, praticamente tornando uma personagem na sua narrativa. Além de conseguir em uma maneira leve transmitir emoção, humor e um romantismo arrebatador. E em Uma Loucura e nada mais não foi diferente... talvez nesse em especial ela reuniu drama, diversão e muito romance.

[CINEMA] RAINHAS DO CRIME

quinta-feira, 8 de agosto de 2019


Data de lançamento: 8 de agosto de 2019
Direção: Andrea Berloff
Elenco: Melissa McCarthy, Tiffany Haddish, Elisabeth Moss
Gêneros: Suspense, Ação
Nacionalidade: EUA

Sinopse: The Kitchen é estrelado pela indicada ao Oscar Melissa McCarthy (“Poderia Me Perdoar?”, “Missão Madrinha de Casamento”), Tiffany Haddish (“Viagem das Garotas”) e Elisabeth Moss (da série de TV “The Handmaid’s Tale”), que interpretam três donas de casa do bairro de Hell’s Kitchen, Nova York, em 1978, cujos maridos mafiosos são mandados para a prisão pelo FBI.  Deixadas quase sem nada, elas assumem as rédeas da máfia da irlandesa – provando, inesperadamente, estarem prontas para tudo, desde gerenciar os negócios ilegais até eliminar a concorrência... literalmente.



Hoje chega aos cinemas de todo o pais Rainhas do Crime. 
Um filme de ação recheado de situações onde a direção e o roteiro demonstram um outro lado de personalidades femininas que nos anos 70 tiveram a coragem de peitar os líderes das gangues Irlandezas e assumir seus destinos com muita coragem, violência, mas sobre tudo, inteligencia.

Acompanhamos a história de três mulheres muito diferentes entre si, mas interligadas devido a prisão de seus companheiros.
Uma dona de casa.
Uma negra em meio a uma comunidade de imigrantes brancos e racistas.
Uma vítima de violência doméstica.

[RESENHA] FEELING: Uma História de Amor e Sangue (TRILOGIA PREDADORES DA NOITE #1) - WIDJANE ALBURQUERQUE

domingo, 28 de julho de 2019


EDITORA: 3DEA EDITORA
PÁGINAS: 274
GÊNERO: SOBRENATURAL/ADULTO
DIMENSÃO: 16 X 23
ISBN: 978-85-93964-52-7

SINOPSE: D’ynamos de Olímpia, esse é o nome que lhe foi dado. Uma força sobrenatural que habita na Terra há milhares de anos. Sedento por vingança e sangue, ele tornou a destruição da humanidade, o seu objetivo de vida… ou eternidade. Dom Olimpiakus, como é conhecido, de tempos em tempos surgia com guerras e tragédias, manipulando os crédulos com sua beleza irresistível e predatória.

Anne Richards jamais sonhou que seu antigo namorado iria preparar-lhe uma armadilha mortal. Capturada, ela sabe que não tem chance de fugir. Porém, algo inesperado se revelou diante de si, e seus anseios, talvez, pudessem ser realizados… caso ela sobrevivesse.

Quando os séculos de uma existência solitária e fria pesaram sobre as costas de Dom Olimpiakus, o impensável aconteceu. A mulher destinada a ser sua, era da raça que ele mais odiava. Essa é a história de um homem frio e implacável cujo único anseio é receber de volta tudo aquilo que lhe foi roubado. E de uma mulher marcada pela eternidade.




Estava com saudades de livros do gênero sobrenatural adulto, até que me deparo com Feeling – Uma História de Amor e Sangue da autora nacional Widjane Albuquerque no IG da Editora 3DEA. Sem perder tempo pedi Scheila Flores (administradora deste blog) que solicitasse o livro para resenhar, e não me arrependi na minha escolha.

[CINEMA] Ted Bundy - A Irresistível Face do Mal

quinta-feira, 25 de julho de 2019


Diretor: Joe Berlinger
Roteirista: Elizabeth Kendall, Michael Werwie
Elenco: Zac Efron, Lily Collins, John Malkovich, Angela Sarafyan, Kaya Scodelario, Jeffrey Donovan, James Hetfield, Grace Victoria Cox, Jim Parsons, Haley Joel Osment, Joe Berlinger, Tim Young
Duração: 109 minutos
Classificação indicativa: 16 anos
Gênero: Thriller Drama

Sinopse – Ted Bundy - A Irresistível Face do Mal
 Ted Bundy foi um dos serial killers mais perigosos dos anos 1970, e, além de ser um assassino, era sequestrador, estuprador, ladrão e necrófilo. Sua namorada, Elizabeth Kloepfer, tornou-se uma de suas defensoras mais leais, recusando-se a acreditar na verdade sobre Ted. A história de seus numerosos e terríveis crimes é contada pelos olhos de Elizabeth.


A crítica de hoje é colaboração da nossa colunista Rafaela Duarte.

Filme super aguardado por ser baseado numa historia real de Theodore Robert Bundy, conhecido na década de 1970 por Ted Bundy e bem interpretado por Issac  Efron, que fez um ótimo papel vivendo esse serial killer e mudando seu estilo que todos conhecem por fazer comédia, romances teen entre outros  e dividiu as cenas com Lily Collins (Elizabeth Kloepfer, namorada)  e  Kaya Scodelario (Carole Ann Boone, esposa).

Ted conhece Liz (Elizabeth) em 1969 em Seattle e desde então começam a namorar, Ted mesmo sabendo que Liz tinha uma filha pequena para criar, aceitou em morar com a mesma, pois era completamente apaixonado por ela. 

Mas as dificuldades começam quando Ted é parado por um policial em Utah em 1975 por ter passado sinal vermelho e tem seu rosto comparado a de um retrato falado de um suspeito que matou 2 jovens em 1974 e desde 
então foi preso, fugiu e começou a saga judicial de diversas acusações, porem o mesmo alegava ser inocente, enquanto a mídia e a população dividia opiniões. 

[CINEMA] AS TRAPACEIRAS

quarta-feira, 24 de julho de 2019


ANNE HATHAWAY E REBEL WILSON NÃO VÃO DEIXAR
BARATO EM “AS TRAPACEIRAS”. ASSISTA AO TRAILER!
Filme é adaptação da comédia “Os Safados”, de 1988,
e tem previsão de chegar aos cinemas brasileiros em 25 de julho

As atrizes Anne Hathaway e Rebel Wilson estrelam, em parceria inédita, a comédia “As Trapaceiras” (The Hustle) – adaptação do clássico “Os Safados”, de 1988, que trazia Steve Martin e Michael Caine como protagonistas. 

A produção, dirigida por Chris Addison, apresenta a história de duas golpistas com estilos extremamente diferentes, mas com um objetivo em comum: se apropriar da fortuna de um jovem bilionário. Com o passar do tempo, as duas passam a perceber que possuem mais pontos em comum do que tinham imaginado.
O roteiro é assinado por Stanley Shapiro e Paul Henning, mesmos roteiristas de “Os Safados”. A estreia nos cinemas brasileiros está prevista para julho.


A crítica de hoje é colaboração da nossa colunista Rafaela Duarte.

Para quem pensa que mês de julho é só desenho nos cinemas, irão curtir essa comédia, a historia é bem simples, porem algo que prende a atenção e nos leva a alguns momentos de riso. 

Essa comédia traz as personagens Josephine (Anne Hathaway) a trapaceira mais chique e Penny (Rebel Wilson) como a trapaceira mais “povão” kkkkkk.... muito bem interpretada por ambas. 

Tudo começa quando se conhecem por acaso no trem e Josephine descobre que Penny é uma trapaceira um pouco atrapalhada. Mas Penny quer se tornar uma trapaceira mais refinada como Josephine, porém elas começam a divergir e fazem uma aposta para ver quem ira conseguir “arrancar” 500 mil dólares de Thomas Westerburg (Alex Sharp), um prodígio da tecnologia e ficar fazendo trapaças na cidade enquanto a que perder terá que ir embora. Mas para essa conquista ambas terão que competir e usar das suas maiores habilidades para tal. 

O filme surpreende no final e nos rende mais alguns risos, esperava por um roteiro bem mais engraçado, mas mesmo assim ele vale a pena ser assistido. Aguardem até o final após as letras, pois tem uma cena extra!!