A Mão Esquerda de Deus - Paul Hoffman

domingo, 10 de outubro de 2010

Sinopse: É com esse alerta que o inglês Paul Hoffman começa A Mão Esquerda de Deus, um livro sombrio e cheio de mistério. Estréia do autor no romance aventura, a obra vem sendo divulgada no exterior como um "novo Harry Potter", muito embora o autor não recorra a elementos sobrenaturais nem raças não- humanas em sua narrativa.
O cenário da trama é desolador. Habitado por meninos que foram levados para lá muito novos e geralmente contra a sua vontade, o Santuário dos Redentores é uma mistura de prisão, monastério e campo de treinamento militar. Lá, esses milhares de garotos são submetidos a uma sádica preparação para lutar contra hereges que vivem nas redondezas. A intenção dos Lordes Opressores, os monges que protegem o lugar, é fortalecer os internos tanto física quanto emocionalmente, preparando-os para uma monstruosa guerra entre o bem e o mal.
Entre os jovens está Thomas Cale. Não se sabe ao certo se ele tem 14 ou 15 anos ou como foi parar ali. O que se sabe é que Thomas tem uma capacidade incomum de matar pessoas e organizar estratégias de combate. Essas poderosas habilidades serão colocadas à prova quando ele e dois amigos testemunham um brutal assassinato entre os corredores labirínticos da prisão. A visão do crime dá início a uma perseguição desesperadora e, finalmente fora dos muros do monastério, Cale irá compreender a extensão da crueldade dos lordes e a verdadeira origem de seu poder.

 Review da Guardiã: Sei que a maioria dos Blogs já publicaram resenhas sobre este livro a um bom tempo, mas eu só acabei de lê-lo esta semana...hehehehee...então aqui estamos nós! Cale é um acólito do Santuario dos Redentores (um grupo de Padres Guerreiros Fanáticos, com a missão de expurgar os hereges da face da terra...pelo menos é isso que eles falam), levando uma vida sofrendo de violências físicas monstruosas, ele, seus amigos Kleister e Harry Embromador...assim como mais ou menos ontros 5.000 meninos que vivem neste inferno sobre a Terra junto com eles...tentam com muita dificuldade sobreviver a cada novo dia. Os meninos são treinados brutalmente pelos Redentores para se tornarem exímes matadores a fim de ajudá-los a cumprir os propósitos divinos. O Autor detalha com riqueza as dificuldades enfrentadas pelos garotos na luta por sua sobrevivência, desde a alimentação a base de pé de defunto até aos ratos caçados para a complementação de sua dieta excassa (urghhh...eu sei...mas mais do que nojo eu sentia muita revolta ao ler todas as crueldades que os meninos eram submetidos pelos Redentores...que diga-se de passagem...de Santos não tem nada).
A fuga do Santuario se dá após os meninos terem descoberto a existência de mulheres em um canto secreto do monastério (até então eles se quer haviam visto uma mulher e segundo as crenças incutidas neles pelos Redentores as mulheres eram seres do Diabo, instrumentos para levar o homem ao inferno....o que não deixa de ser verdade...diga-se de passagem...pior que ex-marido...somente ex-mulher...e eu digo isto por experiência própria...hehehehehehehe). Cale se depara com um redentor dissecando o corpo de uma menina ainda viva e outra amarrada e amordaçada esperando pela sua vez de entrar na faca, num golpe que nem ele acreditou ele mata o Redentor e salva a garota (Ribba). Com as estratégias de Cale o grupo consegue escapar e brilhantemente enganar os Redentores e chegar até Menphis.
A partir daí a vida torna-se muito melhor aos meninos, mas Cale sempre se metendo em confusão por seu temperamento estranho e assassino...desafiando o Clã dos Matterazzi ele consegue a fama de assassino sanguinário...Cale é um menino sem medo, nada a perder em sua vida...e apenas uma motivação sobreviver...isto até conhecer Arbel Pescoço de Cisne...a linda filha do General Matterazzi e se apaixonar por ela.
Os Redentores utilizam os planos criados por Cale enquanto ainda vivia sob sua custódia no Santuário para invadir o império dos Matterazzi...e Arbel tem que escolher entre Cale ou a salvação de sua família e o império de seu pai (gente...também não acreditei nisso...sério...eu ingênuamente esperava um felizes para sempre já neste primeiro livro).

Acho que o trecho mais marcante deste livro para mim foi o recado de Cale para Arbel Pescoço de Cisne : "Estou ligado pelas amarras que nem mesmo Deus pode romper. Um dia, se ela sentir uma brisa suave no rosto, talvez seja o meu hálito. Uma noite, se o vento gelado brincar com seus cabelos, talvez seja a minha sombra passando."

O livro realmente é muito bom...e deixa os leitores apreensivos por sua continuação...loucos para saber o desenrolar e a conclusão da Saga de Thomas Cale, A Mão Esquerda de Deus.

2 comentários

  1. Tbm gostei mto do livro e estou doida pelo 2. Gostei da forma como foi escrito e por mais que mta gente ache, não vi esse sangue todo não. Ou será q ando lendo mtos policiais?rs

    ResponderExcluir
  2. Nossa,já havia visto comentários sobre o livro, mas agor fiquei com vontade de lê-lo. mais um pra lista...
    Valeu a dica amiga.
    Bjos!!!

    ResponderExcluir

Deixe seu Comentário!