Resenha: NUNCA FUI A GAROTA PAPO-FIRME QUE O ROBERTO FALOU - Cristiane Lisboa

sexta-feira, 26 de agosto de 2011

Nunca Fui a Garota Papo Firme que o Roberto Falou
Cristiane Lisboa

Todo mundo sabe que chick-lit nunca foi a cara da Guardiã e seus asseclas não é? Mas também, embora o GMN não seja bonitinho, fofinho ou rosinha o que é bom, a gente reconhece! E mesmo não sendo a minha praia, tenho que falar uma coisa: Este singelo livro rosa é D+!!! Nunca Fui a Garota Papo Firme que o Roberto Falou me conquistou definitivamente.
Tudo neste livro é lindo, a começar pela escritora que é uma das pessoas mais legais e gente boa que eu já tive o prazer de conhecer através do GMN. Cris Lisboa, além de nossa mediadora no Clube do Livro da Saraiva aqui no RS, é uma escritora talentosíssima e agora de volta à terrinha traz aos leitores mais uma livro delicioso de se ler.

Escrito com palavras roubadas segundo a própria Cris, este livro é de conquistar até os mais áridos corações. Nunca fui a Garota Papo Firme que o Roberto Falou conta através de micro contos e poesias toda a latência desesperada da paixão, do amor desmedido, do desalinho de sentimentos, do querer mais do amor.

Com uma diagramação de muito bom gosto, prefácio de Fernanda Takai (Pato Fu) e as palavras avassaladoras de Cris Lisboa, Nunca Fui a Garota Papo Firme que o Roberto Falou é um livro que vale a pena ter em nossa coleção.

Vejam o que a Cris falou em seu blog na ocasião do lançamento do livro no blog Saturnália:
Livro novo, viste? Morro de medo de livro novo. Passei o dia dizendo “está tudo bem, bem” em voz semi-baixa. Ouvi mas não nestas horas, não assimilo. São 56 contos menores do que contos. Todos, sobre amor. Amor e desdobramentos, amor e portas que fecham, amor e camas que tremem, amor e espaços vazios, amor e quadros quebrados. Amores confessáveis. Amores dolorosos. Amores feitos pra acabar. Sabes como me encanta o amor, Juan. Sabes que o persigo, que insisto e que se finjo que já não quero, minto. E tenho que pedir desculpas despues. hahaha
Este título veio de um bilhete. Um homem achou que compraria meus olhos com flores caras. Respondi quase em verso. Que não sou prosa.
“flor? não, obrigada. prefiro nuvem, desenho, amanhecer, corte de cetim, pedaços de galhos, lata vazia, sonho de valsa, canudo com mulher pelada na ponta e chiclete de gengibre. é que nunca, nunca mesmo, fui a garota papo firme que o Roberto falou.”

2 comentários

  1. Gosto mto de contos, e esse livro parecer ser muuuito bom, ppis tem o amor como tema!! ai, super quero! =) A capa tbm é muito fofinha. Entrou na lista!
    Beijos :*

    ResponderExcluir
  2. Me interessei pelo livro.
    Bjos!!!
    Andréia
    Sentimento nos Livros

    ResponderExcluir

Deixe seu Comentário!