RESENHA ESTUDOS SOBRE MAGIA - MARIA V. SNYDER

sábado, 22 de outubro de 2011



Estudos sobre Magia é um romance que impressiona ao mesclar fantasia, suspense e aventura, sendo o segundo livro da trilogia “As Lendas de Yelena Zaltana”
Junte-se a Yelena, nessa aventura impressionante, onde provar venenos é o menor dos problemas... agora ela está em Sitia, sua cidade natal, porém mais problemas ela terá que enfrentar... 


"As histórias fantásticas de Maria V. Snyder prendem o leitor (...) ao unir o estilo inteligente e político de George R.R. Martin (autor de Crônicas de Gelo e Fogo)com um toque sutil e poderoso de romance"
PublishersWeekly


adquira o livro
adquira o livro
hot site da trilogia
siga yelena zaltana
adicione no skoob
adicione no skoob
adicione no skoob
confira a resenha
confira a resenha

RESENHA


O Território de Sitia se dividia em 11 territórios, cada um pertencente aos 11 clãs, além da Cidadela, onde presidia o Conselho da Cidadela que consistia em quatro Mestres Feiticeiros juntamente com um representante de cada um dos 11 clãs, e todos governavam as terras do Sul. A magia era permitida, porém existia um Código de Ética para o controle da prática indevida, porém esse código não se estendia a espiões.



Yelena, depois de ter sido arrancada de sua família com apenas 6 anos de idade e enfrentar muitas adversidades em Ixia, finalmente ela está indo para casa, o clã dos Zaltana, mesmo que isso a levasse ficar longe do seu amante Valek, mas ao mesmo tempo ela estava entusiasmada e receosa para unir-se a sua familia, mas como a vida de Yelena nunca será fácil, no momento do reencontro ela é acusada de ser espiã pelo próprio irmão Leif, e para piorar ela se vê envolvida em uma situação de intrigas, crimes e magia poderosa.
No primeiro livro Estudos sobre Veneno, conhecemos o território de Ixia, com sua política, economia e culturas, porém no segundo livro, Estudos da Magia, conhecemos alguns detalhes da estrutura de Sitia, cidade ao sul de Ixia, e todo mundo tem o receio de que o segundo livro não seja a altura do primeiro, porém Maria V. Snyder manteve a narrativa que envolvente, o que leva ao leitor não desgrudar do livro até a ultima página.

Estrutura Política e Econômica


O que governa as terras de Sitia está localizado na Cidadela, onde na Fortaleza habitam os quatro Mestres Feiticeiros, além de um representante de cada dos 11 clãs, para tomar todas as decisões exigidas, seguem o Código de Ética, no qual consiste não usar magia indevida, como por exemplo, invadir as mentes das pessoas para obter informação, só há uma ressalva para espiões.
O interessante nesse ponto da narrativa, é que a autora nos mostra praticamente uma Democracia, ou seja, o oposto de Ixia que vive um comando ditatorial, porém temos nichos de pobreza diferente de Ixia, que cada uma das pessoas tinham empregos, e não havia nenhuma sinal de pobreza na população como mostrado em uma das passagens do livro quando Yelena chega em Sitia e se depara com mendigos na rua.

"- Já se colocou em perigo por causa de outros antes?
- Eu era a provadora de comida do Comandante.
(...)
- Uma posição perfeita para escutar os planos do Comandante. Ele a usou como escudo. Deveria querer ajudar a derrubá-lo. Por que é tão leal para com ele?
A frustração deixou sua voz mais áspera.
- Devido à minha posição, pude enxergar além de sua reputação. Testemunhei gentileza e uma profunda preocupação com seu povo. Ele não abusou do poder, e, apesar de longe de ser perfeito, sempre se manteve fiel ao que acreditava. Digno de confiança e sempre mantenedor de sua palavra, nunca precisei me preocupar com intenções ocultas ou suspeitei de duplicidade da parte dele."

A autora nos leva a fazer uma reflexão, em nenhum momento ela nos induz a um pensamento, pelo contrário ela expõe os dois governos, um as pessoas não tinha liberdade, tudo era controlado por várias regras, porém suas necessidades fundamentais (educação, saúde, empregos) eram plenamente atendidas, enquanto, em Sitia onde havia liberdade, mas os direitos básicos eram ignorados.
E também a diferença entre os códigos, enquanto o Código de Conduta do Comandante era rígido, inflexível, porém o Código de Ética era flexível a determinadas situações.
Além de outros pontos que apenas lendo o livro para tirar suas próprias conclusões, que citados na resenha poderá ficar tendencioso até uma certa influência por causa da minha maneira de visão.

Yelena
Apesar dos infortúnios em Ixia descritos em Estudos sobre Veneno, Yelena ao passar do tempo sentiu-se em casa, porém nada no mundo dela é tranqüilo, além dos descobrimento de sua magia o que é proibido em Ixia e entre outros motivos ela teve que partir para Sitia, sua terra natal.
- Há 14 anos que eu queria fazer isso – ela disse, abraçando-me com mais força. – Como os meus braços sentiram saudades da minha menininha.
As palavras fizeram voltar ao tempo, reduzindo-me a uma criança de 6 anos de idade. Envolvendo a mulher com os braços, chorei copiosamente.
O reencontro com seus pais foi uma união de receio por parte dela, e euforia por parte dos pais (Perl e Esau), porém o irmão não foi agradável, pois desconfia que Yelena é uma espiã de Ixia.
“- Leif, você sempre teve uma queda para a dramaticidade. – Irys censurou o jovem. – Yelena teve uma vida dura. Não julgue o que você não conhece.
Leif encolheu-se ante o olhar de Irys.
- Eu também devo feder a sangue, não é? – ela perguntou.
- Mas você é a Quarta Feiticeira – Leif argumentou.
- Sendo assim, você sabe o que eu já fiz e o motivo de tê-lo feito. Sugiro que descubra com o que a sua irmã teve de lidar em Ixia antes de acusá-la.”
Em relação aos pais de Yelena, além de viverem em árvores, como todo o clã dos Zaltana, a mãe de Yelena, Perl é uma perfumista enquanto o pai, Esau é um inventor, vemos de tudo, elevador, ventilador, mas tudo bastante rudimentares.

O irmão, Leif é o que poderíamos de chamar de estorvo na vida de Yelena, pois todas essas implicâncias e acusações são de fato para esconder a culpa que sente no rapto de Yelena quando era criança.

"Quase desmaiei quando Leif sorriu para mim ao nos aproximarmos, mas, quando ele me reconheceu, seu sorriso tornou-se uma careta. Perguntei-me o que eu teria de fazer para conseguir um genuíno sorriso de Leif. Deixei de lado o pensamento. Não queria ter que conquistar sua boa vontade, e com certeza não precisava dela. Agora, se fosse capaz de repetir o mesmo incessantemente na minha cabeça, talvez conseguisse passar a acreditar nisso."
Porém não poderá ficar com a família, já que está indo para Cidadela, onde irá aprender a controlar e aprender a usar sua magia com os quatro Mestres Feiticeiros, porém a heroína do livro sempre tem um contratempo, e é sequestrada pelo pretenso rei de Ixia, Cahill.



Cahill
É um personagem novo desse segundo livro, quem já leu o livro anterior, que teve uma transição forçada da monarquia para uma ditadura, e atualmente quem governa Ixia é o Comandante Ambrose, porém Cahill é sobrinho do rei que foi morto, porém ele quer voltar a reinar em Ixia.

E ele quer a ajuda de Yelena para passar informações, porém ele acaba gostando de Yelena, mas no final nós ficamos em dúvida se isso não era apenas um estratagema para conquistar a confiança de Yelena para ela revelar informações, e esse é um ponto interessante, porque ela sempre criticou ou até quis fugir de Ixia pois era contrária aos métodos do Comandante, agora ela o defende enquanto Cahill menospreza qualquer defesa que for para o Comandante, essas desavenças gera uma ruptura na amizade, entre outros motivos.
Cahill no decorrer da trama irá passar por algumas transformações, e se um personagem importante para o desenvolvimento do próximo livro, e também para o futuro de Yelena e Valek.

Valek
"- Valek, após termos lidado com Alea você precisa me prometer que vai voltar para ixia.
Ele sorriu.          
- E por que eu faria isso? Estou começando a gostar do clima. Talvez construa uma casa de campo por aqui."
Valek aparece somente na metade para o fim do livro, ele vem disfarçado com a delegação ixiana  da embaixadora Signe, ele apenas aproveitou a missão diplomática ixiana para reencontrar Yelena, porém ele acaba se envolvendo nas confusões que Yelena está envolvida, correndo o risco de ser descoberto ou pior morto por Cahill.

A personalidade Valek continua irresistível, a autora conseguiu criar um personagem masculino que pode ser frio, sarcástico, com um humor afiado, mas ao mesmo tempo, apaixonante e apaixonado, é interessante como ela equilibra isso em Valek.


Romance
O relacionamento de Valek e Yelena é excitante, romântico e sensual. Já que não existe cenas de sexo descritivas, apenas cenas sensuais que instigam a imaginação do leitor.
Nesse teve até uma intenção de um triângulo amoroso, entre ela, Valek e Cahill, mas esse ultimo personagem deixou uma dúvida dos sentimentos serem verdadeiros ou era apenas interesse por informações.


Ao meio de tantos problemas e também pelo pouco em que aparecem juntos nesse livro, mas mesmo assim é cativante os momentos dos dois, como já foi dito ele tem um humor peculiar, igualmente como Yelena.
"- Sua mãe parece uma mulher formidável – Valek disse (...).
- Você não faz idéia – Leif retrucou, com um suspiro.
- Bem, se ela é parecida com Yelena, minhas sinceras condolências – Valek provocou."
Mas nesse livro, vemos uma ligação além de sentimentos, que envolve magia, mesmo Valek sendo imune a magia, que até agora não foi explicado,  vemos ambos se conectarem de uma maneira diferente. Ficou confuso né??? É que queria mesmo isso kkkk, irão entender melhor quando lerem o livro.


Problemas

"Deixava-a sentir a dor que ele infligia com aparente reverência. Após terminar a tortura, pegava um espinho e arranhava-lhe a pele.
A principio confusa com tal ato, Tula logo aprendeu a temer e ansiar pelo bálsamo que ele esfregava na ferida sangrando feita pelo espinho. Era a loção anestesiante que a paralisava, levando embora a dor e qualquer chance que ela pudesse ter de escapar.
- Esse odor... – Leif disse (...). – Não consegui dar uma boa cheirada. Todos os meus esforços foram voltados para mantê-la conectada a Tula.
- É horrível – Tula disse (...).
- E quanto aos símbolos? – perguntei para Leif. – Por acaso os reconheceu?
- Na verdade não. Embora haja clãs que usam símbolos para rituais."

A nossa heroína Yelena, nunca tem uma vida tranqüila, parece que a confusão a persegue, nesse livro não é diferente, ela se vê no meio de vários assassinatos com várias meninas, onde elas são violentadas e surradas, com a mesma intenção que o general fez com ela no primeiro livro, porém com objetivo diferente.

Há uma sobrevivente aos ataques, Tula, o que ajuda no perfil do assassino, apesar disso são apenas suposições, e realmente os crimes são solucionados paralelamente com as descobertas de Yelena sobre seu poder de magia, ela seria uma Descobridora de Alma, o que pode ser uma dádiva e uma maldição.

Além disso, tem Goel, um dos homens da guarda pessoal de Cahil, por Yelena ter o humilhado em um determinado momento também a persegue por vingança, e mais outra pessoa que possui ligação com o assassino, porém com outro objetivo para matar Yelena, uma vingança a uma pessoa que Yelena teve problemas no primeiro livro. Além da primeira feiticeira Roze que não simpatiza muito com Yelena.

Resumindo, Yelena está com grandes problemas nesse livro, e com ajuda de Valek ela tentará superá-los, porém irá ter algumas perdas no caminho.

Outros Personagens
Nesse temos novos personagens, além de Cahill, temos os Mestres Feiticeiros (Roze, Brain, Zitora somente Irys conhecemos no primeiro livro), e alguns colegas da escola de feiticeiros, não se preocupem que não é plágio de Harry Potter, é um escola diferente, apenas alguns alunos escolhidos pelos mestres são freqüentadores, onde ensinam a controlar a magia, existe graus de aprendizado, Yelena está como aprendiz e orientada por Irys, como Dax (outro aluno) que é orientado por Brain, e que se torna amigo de Yelena, é um personagem estilo o fofoqueiro da escola, é bem engraçado os diálogos dele.
"- Aqui não é o lugar dela – a jovem repetiu.
- Yelena é aluna da Quarta Feiticeira – Dax informou. – Ela foi instalada nesta ala.
- Mas não é justo – a garota queixou-se. – É preciso merecer o direito de morar aqui.
- E quem disse que ela não fez por merecer? – Dax retrucou. – Se acha que a Quarta Feiticeira está errada, sugiro que vá falar com ela.
Um silêncio constrangedor apossou-se do grupo, antes que as estudantes retornassem para o pátio. Dax permaneceu ao meu lado.
- Obrigada – eu disse.  (...) – Suponho que eu não tenha feito muitas amigas.
- Receio que tenha três coisas contra você, Primeira. – Dax estendeu o dedo comprido e magro. – Você é nova. Segunda. A Quarta Feiticeira é sua mentora. É garantido que qualquer aluno selecionado por um dos mestres será alvo de inveja. Se está procurando amigos, receio que Gelsi e eu sejamos suas únicas opções.
- E qual a terceira coisa?
Ele sorriu sardonicamente.
- Rumores e especulações."
Mas temos a volta da dupla hilária, Ari e Jango, que continuam protetores por Yelena e que a autora conseguiu colocar eles para ser um equilíbrio das cenas mais angustiantes. Temos ótimos momentos dos três.
"- Que vestido é esse?- Jango perguntou.
- Melhor do que esse uniforme amarrotado – retruquei. – E será que estou vendo fios brancos no seu cavanhaque?
Jango alisou o cavanhaque.
- Um presentinho do esbarrão que dei em uma espada. Ou será que devo dizer quando a espada esbarrou em mim? – Seus olhos se iluminaram. – Quer ver a cicatriz? É uma belezinha.
Ele começou a puxar a camisa para fora das calças.
- Janco – Ari alertou. – Não devemos confraternizar com os sitianos.
- Mas ela não é sitiana. Não é, Yelena? Você não se tornou uma sulista, tornou-se? – Janco forçou um tom de voz horrorizado: - Por que, se isso for verdade, não posso lhe dar o seu presente.
Peguei meu canivete, mostrando a inscrição para Janco.
- E quanto a “Sítios vencidos, batalhas lado a lado, amigos para sempre”? Será isso muda se eu me tornar uma sulista oficial?
Janco pensativamente coçou o queixo.
- Não – Ari respondeu. – Você poderia se transformar em uma cabra que isso ainda valeria.
- Só se ela fizesse um pouco de queijo de cabra para nós – Janco afirmou.
Ari revirou os olhos azuis."
Ainda tem Fisk, uma criança morador de rua, que ao mesmo tempo ajuda Yelena, e Yelena o ajuda indiretamente, é interessante a sutileza da autora para transmitir que muitas vezes podemos ajudar as pessoas, não fazendo algo e sim mostrando alternativas.
Algo interessante é como são atribuídos os nomes alguns personagens, como por exemplo, o Tecelão de Histórias, não sei ler em inglês, então não sei como é escrito no livro original, mas a maneira que foi traduzido foi belíssimo, um Tecelão são anciões do clã Sandseed que são responsáveis para escrever a história do clã.


Conclusão
Esses dois livros me conquistaram completamente, a autora conseguiu mostrar nos primeiro a situação de um território comandado por governo ditatorial, e nesse segundo livro um governo democrático além dos pós e contras de uma monarquia, ou seja, ela consegue unir política, magia, aventura, suspense, mistério, humor, amor, com uma perfeição única.
Além de todos os livros terem uma narração intimista, ou seja, vemos tudo isso pelos olhos de Yelena, e mesmo assim a leitura não fica cansativa nem entediante, as narrações do livro, além de informar nos instigam a querer descobrir mais, e são escritas em momentos certos, mantendo o ritmo do livro.
Os personagens são bem definidos e cativantes, nesse segundo livro temos mais que no primeiro, porém todos estão sempre em contato com a história.
Maria V. Snyder criou uma narrativa original, mesmo tendo alguns elementos vistos em outros livros, porém abordados de uma maneira diferente, As Lendas de Yelena Zaltana é um diferencial para uma literatura YA atualmente repetitiva, além de muitas vezes ser direcionadas para o público feminino, porém essa trilogia é para todos os públicos.
E se perguntarem qual o melhor, realmente é impossível, pois a autora conseguiu manter o mesmo nível em ambos. Sinceramente quem ainda não leu nenhum estão perdendo em mergulha uma aventura de magia.

"- Quando entalhei isto, você estava nos meus pensamentos, amor. Sua vida é como as espirais de uma cobra. Não importa quantas voltas você dê, sempre terminará de volta onde é o seu lugar. Comigo."
Ansiosa para o terceiro livro Fire Study (no meu inglês de maternal kkkk, deve ser Estudos sobre o Fogo, ou algo assim) que está previsto para sair em 2012.

Marcador de Livro

Links Interessantes

confira o 1º capítulo
adquira o seu
confira os booktrailers
curta o facebook da editora
participe da comunidade harlequin
siga a harlequin
acesse a página da autora
acesse o site da editora

5 comentários

  1. Paty como sempre arrasando ... adorei sua resenha me convenceu a dar uma chance a esses livros, já que a capa não me agrada muito.

    ResponderExcluir
  2. Adorei a resenha Paty... Sabe, sou encantada por Valek e pela sua descrição não acho que haveria escolha melhor do que Ian para ilustrar o personagem! Essa série é muito interessante pela construção de cidades, personagens... Gostei muito desde a sua primeira resenha, por isso comprei os dois livros, mas ainda não li... A pilha tá grande por aqui... hehehehe E eu lesa, lesa...

    ResponderExcluir
  3. Mais uma resenha muito boa da minha querida maninha. Eu já havia dito isso antes na resenha do primeiro livro e volto a afirmar que essa é uma das obras que tem um potencial bem interessante de prender o leitor por conta da complexidade de temas e abordagem de cada um deles presente na narrativa.

    Nesse segundo principalmente considerei que foi bem interessante a autora mostrar o contraste entre os dois territórios em que se passam as narrativas dos livros. E com essa oposição entre eles as coisas ficam mais legais ainda de serem analisadas e pesadas com seus pontos positivos e negativos.

    Gostei bastante da resenha conseguiu demonstrar de forma bem clara alguns dos aspectos presentes no livro que não estragam as supresas, e na verdada atiçam mais a curiosidade. Parabéns maninha!!!

    ResponderExcluir
  4. AI, Jesus! Que tragédia!! Eu já amo o Valek e ainda nem li o primeiro livro! rsrs
    Desde que li a resenha da Paty de Estudos sobre venenos fiquei louca pelo livro. Comprei mas ainda não consegui ler. A sequancia parece ser ainda melhor (assassino solto por ai? Um quase triangulo amoroso... TDB)
    Vou começar a ler ainda essa semana pra poder comprar o estudos sobre Magia.
    Lindas montagens e as citaçoes só dão mais vontade de ler!
    Beijooooooooos

    ResponderExcluir
  5. Politica, magia, aventura, suspense, mistério, humor, amor tudo junto e reunido???
    E você ainda diz que está unido com uma perfeição única????
    Olha eu morrendo por essa trilogia.... =)

    Adoro livros onde nada é o que realmente parece, e pela sua resenha da para sentir que nem tudo é tão fácil ou tão dificil de se resolver. Adorei a resenha!!!!

    Paty sempre aumentando minha lista de leituras =) Adoro!!!!! hahahaha

    ResponderExcluir

Deixe seu Comentário!