RESENHA: AMANTE MEU - LIVRO 8 IRMANDADE DA ADAGA NEGRA - J.R. WARD

quinta-feira, 26 de abril de 2012


SINOPSE

Título Original: Lover Mine
Tradução: Carolina Curassá Rosa
Revisão: Letícia Vendrame
Capa: Zuleika Iamashita
ISBN: 978-85-7930-291-6
Formato: 15,7 x 23,0 cm
Páginas: 512
Selo: Universo dos Livros
Categoria: Entretenimento

Série de vampiros best-seller no The New York Times
Mais de 3 milhões de exemplares vendidos em todo o mundo!

Nas sombras da noite em Caldwell, Nova York, desenrola-se uma furiosa guerra entre vampiros e seus assassinos. Há uma irmandade secreta, sem igual, formada por guerreiros vampiros defensores de sua raça.

John Matthew já percorreu um longo caminho desde que foi encontrado vivendo entre os humanos, quando sua natureza vampírica ainda era desconhecida. Recolhido pela Irmandade, ninguém poderia adivinhar qual a sua verdadeira história ou a sua real identidade: uma encarnação de Darius. E John terá de recorrer a essa personalidade em uma luta sem precedentes para saciar sua sede de vingança.
A bela Xhex tem lutado a todo custo contra a atração que sente por John, pois já viu a loucura consumir o amor uma vez, quando um macho se deparou com a escuridão de sua vida dupla. Mas o destino provará aos dois que o amor é inevitável para as almas gêmeas.
John Matthew, no coração de uma guerra, encontrará forças em sua verdadeira personalidade para resgatar sua amada.

Sobre a série
Guerreiros obstinados dispostos a arriscar a imortalidade para preservar sua raça
A série internacional de vampiros a Irmandade da Adaga Negra, de J.R. Ward já conta com dez volumes e é um dos principais sucessos do gênero. Cada volume conta a história de um dos vampiros da Irmandade e sua luta pela sobrevivência e suas paixões arrebatadoras. Certamente se você ainda não leu, irá se apaixonar pela série como milhares de fãs em todo o mundo. Livros da série:

Não tem resenha Não tem resenha clique aqui para conferir a resenha! Clique aqui e confira a resenha! Clique aqui e confira a resenha! Clique aqui e confira a resenha! clique aqui e confira a resenha! clique aqui para conferir a resenha! clique aqui para conferir a resenha! Clique aqui e confira a resenha!


RESENHA

O livro Amante Meu, foi que mais relutei para ler, não tinha grande expectativas até por causa do personagem principal John Matthew, mas não porque não gosto de John, pelo contrário, acho um personagem interessante, mas todo o sofrimento que ele passa desde o início que ele apareceu na série, ao mesmo tempo estava interessada e desejava que o personagem tivesse alguma felicidade na vida, que nunca foi fácil.


Depois de ser praticamente resgatado pela Mary e Bella no decorrer do livro Amante Eterno, e em partes encontrou sua verdadeira identidade, antes vivia sozinho depois que saiu do orfanato, e quando encontrou a irmandade conheceu Thor e Wellsie e praticamente conheceu a palavra família, e como sempre por infelicidade isso foi excluído pela morte de Wellsie e o desaparecimento de Thor.
Somando tudo isso, um interesse por uma mulher, Xhex, que durante todo o decorrer da série o tratou com indiferença.


John sempre teve uma maturidade e uma personalidade especial, acompanhamos a evolução de John, na sua fase de jovem perdido sem saber o que era, até a sua transição e transformação em um jovem guerreiro da raça, e como a Xhex definiu num trecho do livro Amante Consagrado, “(...) os olhos do garoto eram velhos demais para o seu rosto jovem (..)” transição, e quem já leu os livros anteriores sabem bem o motivo desse antagonismo, por essas diversas características, me deixou confusa na definição de um só modelo de personagem para John, por isso vocês irão ver, vários tipos de aparência para John.


John quando estar com o Thor, eu o vejo ainda como aquele garoto perdido e necessitando de carinho e afeto, quando John está com seus pensamentos, é o garoto e o homem em conflito, o que ainda precisa de compreensão e atenção e mesmo assim o homem que não se curva para as dificuldade, e nesse livro tem o homem John mesmo com todas as inseguranças de Xhex é o homem que é o porto seguro para ela, mesmo muitas vezes precisando de um para ele, é o homem sexy, decidido que sabe de si, por isso esses vários modelos de John nas montagens.


Desde o segundo livro da série, John vem com altos e baixos, bem mais baixos, a volta de Thor poderia tornar a vida de Jonh melhor, porém não tornou, piorou, em todo Amante Vingado, John passa em tormento, e para completar Xhex é sequestrado pelo novo líder dos redutores (o nome do líder nunca revelei nas resenhas e irei manter o segredo, porque quando descobri quem era, fiquei impressionada, então não irei estragar isso para as pessoas que ainda lerão os livros).


E o livro Amante Meu começa após quatro semanas do sequestro de Xhex, em quanto John está desesperado a sua procura, Xhex está passando por enormes dificuldades com o líder dos Renegados, no início o líder só queria tortura-la por vingança da morte de sua amante por Xhex, diferente dos demais Renegados, o líder não tem problema de impotência sexual, então deduzam todas as violências físicas e psicológicas que Xhex está passando...


Mas não se preocupem, não é nada descritivo e explicito, é bem do estilo Ward, nós deduzimos e conseguimos entender através de insinuações o que ocorre com Xhex, mas ao mesmo tempo esse cativeiro despertou em Xhex alguns sentimentos em relação ao John que irão influenciar na relação quando encontra-lo. E mesmo que John encontre onde está Xhex está presa, seria impossível vê-la... Como assim??? Só lendo o livro para entender o motivo.


A personagem de Xhex sempre desde o primeiro livro em que ela aparece, diferente de John, sempre teve uma personalidade única, forte, decidida, resolvia tudo sozinha, o trabalho dela era bem masculino, ela era a chefe da segurança da boate ZeroSum de Rehvenge (livro Amante Vingado), até certo ponto bastante masculinizada, mas nunca imaginei que ela seria frágil, pois ela é... bem mais que o John posso dizer, toda aquela dureza era somente casca e também pela vida de sofrimento que ela teve desde de que nasceu, ser de mãe vampira e pai sympatho nunca deu muitas chances na vida de Xhex, e por incrível que parece igualmente ao John ela tem carteirinha de sócio no “Clube dos Sobreviventes”.


Agora imagina um casal aparentemente tão diferente e ao mesmo tempo tão igual, são muitos choques, praticamente todo livro, ambos ao mesmo tempo precisam muito um do outro, mas ao mesmo tempo se repelem ou por não saber o que fazer com sentimentos ou por ter medo de senti-los.


Juntamente com o conflito sentimental, tem o conflito de personalidades e objetivos, quem já leu os livros e pode comprovar Xhex em ação, ela é bastante vingativa, e com certeza o lider dos redutores é um alvo em potencial, porém John como um "macho de valor" quer vingar o que aconteceu com Xhex, mas sendo que ela sempre lutou suas próprias batalhas não quer a interferência de John, ou seja, mais desentendimentos.


E com todas as brigas paralelamente há uma explosão sexual e bastante sensual, vou ser linchada com o que irei falar, mas apesar do Rehv com aquela ajuda "extra"(kkkk quem leu Amante Vingado sabe o que estou me referindo) John Matthews e Xhex ao meu ver, se superaram, cenas pra lá de quentes, a do banheiro e corredor, bom deixa pra lá... 


Mas até o final do livro, o casal vai alternar muito, entre cenas quentes, desentendimentos e mágoas, e principalmente Xhex terá grandes revelações e surpresas, nada que intervira no relacionamento com John, achei o relacionamento de ambos ainda aberto a grandes conflitos nos próximos livros, pelo jeito Ward é apaixonada por John.


Mas o livro igualmente como vem sendo desde de Amante Liberto, tem várias histórias paralelas, de personagens para os próximos livros, que irei comentar por tópicos abaixo:

Darius, John, Tohr e Xhex


Porque esses quatros num tópico, porque a magnifica Ward, nos mostrou que ambos tem relação um com o outro, a amizade paternal de Tohr e John tem um motivo especial para acontecer, e a relação da Xhex com John é praticamente um encontro de destino, a trama que a autora fez até chegar o livro Amante Meu, foi incrível.



No primeiro livro da série, quando Darius morre, ele estava com o Tohr no ZeroSum, apesar de saber da grande amizade as vezes comentada por Tohr em relação a Darius, mas nesse livro através de passagens do diário, vemos o começo da amizade que praticamente era pai e filho, a história de Tohr nem desconfiava que fosse tão triste, e que as vezes se assemelha ao sentimento de abandono de John, Tohr realmente entende.


E depois de conhecer melhor o inicio de Tohr e Darius, entendi mais ainda o transtorno de Tohr por Wellsie, e logo no inicio dessa amizade um acontecimento é diretamente ligado a Xhex.
Acho que foi talvez o ponto alto do livro, realmente foi bem empolgante saber e conseguimos entender melhor os personagens.

Lassiter

Sempre tenho que abrir um tópico para ele, atualmente por causa dos dramas nos livros, ele que dá a suavidade e a diversão, ele apareceu pouco nesse livro, mas nos próximos livros, e principalmente o livro de Tohr ele irá ter uma participação essencial para ajudar Tohr.

“O ataque epiléptico veio tão de repente que John não teve tempo para tentar lutar contra a crise – em um momento estava sentado ouvindo Tohr; no outro, estava caído ao chão, movimentando o corpo em uma dança frenética.
(...) Tohr estava sobre ele, agachando-se.
- Como está? – o cara perguntou firme.
(...)
Sinto como se tivesse sido batido em um liquidificador.
O anjo caído assentiu gravemente:
- Sua aparência também diz isso.
Tohr lançou um olhar severo ao cara, em seguida, voltou-se para John.
- Não se preocupe, ele é cego.
- Não, não sou.
- Em um minuto e meio, você vai ser. – Tohr segurou John pelo braço e o arrastou de volta para a cama. – Quer beber alguma coisa?
- Ou talvez um cérebro novo? – Lassiter ofereceu.
Tohr se inclinou.
- Prestando um serviço público, vou deixa-lo mudo também, certo?
- Você é tão generoso.”

Blay & Qhuinn

Esse é um assunto delicado, principalmente para mim, foi expor minha opinião pessoal, não tenho preconceito sobre relações homossexuais, pelo contrário, admiro a pesar de todo o preconceito assume uma relação, e digo que tem um respeito entre eles maior que muitos relacionamentos heterossexuais, porém isso em um nível pessoal de convivência, agora realmente não se sinto nada confortável ter que ler uma relação homossexual no nível íntimo.


Leio IAN e sou apaixonada pela série, por ser de vampiros, por toda a história da raça, a cultura e as leis, Ward criou uma sociedade tão real que você tem certeza que irá um dia esbarrar com um irmão se for em Caldwell, como uma pessoa heterossexual realmente sou totalmente contra uma relação que futuramente podem ser bastante aberta entre Blay e Qhuinn, já que tenho informações que depois do Tohr terá um livro sobre os dois.
Outra coisa que não gosto da dupla, além de todo o desconforto na leitura, sinto que Ward não se sente a vontade de escrever as cenas, ou melhor, não sabe escreve-las, pois tem diálogos e pensamentos tanto de Blay ou Qhuinn que são demasiadamente piegas, como por exemplo, “(...) Blay percebeu que estava colocando os lábios na mesma borda em que Qhuinn bebia.”
Para não pensarem que sou contra relações homossexuais, sinceramente Blay e Saxton convenceram muito mais como casal, me agradou mais e não senti tão incomodada.
Enquanto Blay e Qhuinn talvez porque fazem parte de um imaginário feminino de homens perfeitos, talvez seja uma decepção puramente feminina para essa relação, ao mesmo tempo com a pieguice dos sentimentos descritos pela autora. 

Gregg & Holly

Estava lendo o livro quando apareceu Gregg, um apresentador de um programa que procura fantasmas em casa mal assombradas, claro é um charlatão que faz truques e engana o público.
Fique pensando, a Ward endoidou, não em diz vai ter fantasma agora na história, mas ela não ficou doida, tudo tem um motivo sempre.
Porém numa dessas casas Gregg realmente encontra um fantasma, que aparentemente está é muito vivo, depois da parceira de Gregg, Holly, jura que teve uma noite na cama com o "fantasminha" (na minha casa não tem um desses... que droga!).
Após a "interferência" dos fantasmas Holly e Gregg desenvolve uma relação, porém o fantasma na realidade é.... seguinte não sei se esse personagem aparecerá nos próximos, mas acho que daria um personagem interessante.

Payne

A personagem do próximo livro e também para mim o livro que tenho uma grande expectativa para ler, desde que ela apareceu em Amante Vingado, gostei da personalidade, e também vai dar a mexida que tanto esperei em V. em Amante Liberto.
Realmente é um livro que estou ansiosa por Amante Libertada. Confira a sinopse e a capa do lançamento de maio da Universo dos Livros.

Sinopse: Payne, irmã gêmea do guerreiro Vishous, é finalmente libertada de sua mãe (a Virgem Escriba) e se revelará uma lutadora por natureza, descobrindo sua verdadeira essência. Ao sofrer uma lesão que a paralisa, o cirurgião Manny Manello é chamado para curá-la. Embora nunca tenha acreditado em vampiros, ele será logo sugado para o secreto e perigoso mundo da Irmandade dos vampiros-assassinos e seduzido por esta misteriosa mulher que precisa salvar. À medida que Payne e Manny descobrem que têm mais do que uma ligação erótica, eles precisam enfrentar o choque entre os mundos e uma dívida de séculos atrás que será cobrada de Payne e colocará tanto seu amor como sua vida em perigo. Uma paixão arrebatadora que promete ser quente... Essa ligação erótica entre os dois universos poderá se concretizar? 



Essa resenha não terá uma conclusão, até porque Amante Meu, deixou muitos tópicos em aberto, foi praticamente um prólogo de 607 páginas para os próximos livros.


MARCADOR DE LIVRO

15 comentários

  1. Oi, Pati!

    Não sou a pessoa mais indicada para comentar uma resenha de livro de literatura fantástica rsrs Ainda mais o 8º de uma série. Então, comento sobre o que gosto: as suas fantásticas montagens. Mesmo que tenha usado a Nova nelas rsrs O texto sempre analítico, detalhista e preciso. Adoro!

    Beijo grande!

    ResponderExcluir
  2. Caraca Paty!! Quem é este JM que você arrumou??? ME ABANA!!! Só não gostei da Morena como X-Hex, não adianta eu só vejo ela como Ana...a impressão que dá é que ela vai abrir a boca e soltar aquela linguona de lagarto pra fora e lamber o John inteirinho...kkkkkkkkkkkk...opa...eu é quem deveria fazer isso! kkkkkkkkkk

    Adorei a resenha (embora eu tenha pulado boa parte porque vou começar a ler o livro esta semana para o IAN DAY).

    NÃO VEJO A HORA DE CHEGAR O LIVRO DO MEU HELLREN THOR!!!!!

    ResponderExcluir
  3. Parabéns pela resenha Patricia! Amante Meu foi um dos livros que achei mais fracos em Irmandade da Adaga Negra. Na minha opinião faltou um pouco mais de sex-appeal em John e o "rola não rola" meloso do Quhinn e do Blay ficou bem enjoativo. Estou ansiosa para ler Amante Libertada também! Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. De todos os Brothers eu também acho o JM o mais colado...sei lá, não tenho paciência pra tanto MIMI...ainda mais de um homenzarrão daquele...fala sério...até parece que o frutinha é ele e não o Blay (NÃO O BLAY TB É SUPER SENSÍVEL DEMAIS PRO MEU GOSTO! MAS ELE A GENTE ENTENDE NÉ? (JÁ QUE A ALMA DELE É COMO A NOSSA! KKKKKKKKKK).

      Excluir
  4. UAU, amei a resenha, quer dizer essa MEGA resenha rsrs, ainda não consegui ler, mas tenho quase todos, srrsrs. Estou ansiosa para ler, mas os livros de parceria estão em uma fila enorme, mas eu amo tudo isso rsrrs.

    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Minha nossa senhora!

    Onde você arruma essas imagens?

    Preciso fazer um curso com você urgente!! Menina, que calor!

    hahahah

    Adorei a resenha e principalmente, as ilustrações!

    Bjs!

    ResponderExcluir
  6. O apanhado que vc fez no final dos personagens para os próximos livros foi magnífico. Tb não me sinto confortável em ler uma relação homo e não por preconceito... Mas acho que isso não combina com IAN. Com relação a John sempre achei ele frágil e como ainda não li Amante Meu sei que será difícil para mim encarar a masculinidade de John, porque na minha cabeça ele ainda é um menino. Minha maior expectativa está por conta do livro do Thor. Thor não é o meu preferido... Mas sei que a partir deste livro terei de dividir meu coração entre o Rei e Thor! Mesmo porque Thor sempre fez bem mais o meu estilo de homem que o Rei. Mas amo o Rei por questões de que ele é muito homem, sei lá... hahahaha IAN para mim é e sempre será uma série de cabeceira! Excelente resenha como todas que vc faz Patthy. Mas para falar com vc sobre IAN um comentário é pouco... Precisariamos de uma tarde no café de uma livraria! hahahahaha

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gurias, na boa, antes os Blay e o Qhuinn do que o V e o Butch...mas acho que a jogada da Ward justamente é esta: NOS TIRAR DA ZONA DE CONFORTO!

      E na boa, estou até torcendo pra estes 2 ficarem juntos duma vez e pararem com este chove não molha que todo mundo sabe onde vai dar...mas tenho que confessar que fico com um certo "medo" de ler as cenas Hots do livro deles se ela escrever um exclusivo só pra eles (o que realmente eu acho que não valeria a pena).

      Excluir
    2. Nisso eu até concordo... Já que tia Ward adora contrariar... Antes Blay e Qhuinn do que V e Butch! Mas ainda acho que cenas homo não combinam com IAN. Ward já fez algumas merdas na série... Espero que pare por ai...

      Excluir
  7. Ainnnn!! Tava esperando essa resenha!! Amo, amo, amo JM!! Desde que apareceu em Amante Eterno que tenho uma quedinha pelo garoto rsrs. Amei o livro! A resenha é fantastica, Paty. O garoto das montagens tbm (embora meu JM tenha a cara do Tom Welling rs). Tô como a Scheila, esperando meu Torh chegar. E ainda mais ansiosa pra ler Blay&Quinn (uhuuuuuu!! Finalmente!!). Sou a favor do amor, não importa como ele aconteça. =)
    Beijão

    ResponderExcluir
  8. Oi Paty!
    Eu estou lendo esse livro e confesso que no começo da série não fui muito chegada a John por ele parecer um garoto na frente dos irmãos, mas depois que ele passou pela transformação eu passei a vê-lo com outros olhos, estou adorando seu desenvolvimento como personagem e no livro amante vingado gostei mais do casal do que Rehv e Elena. Estou lendo o livro e adorando! Agora me diz qual o nome desse cara tão gato que vc colocou como John? As fanfics ficaram otimas, até a Xhex ficou parecida.

    Beijokas
    Adorei a resenha!
    Amanda
    leiturahot.blogspot.com

    ResponderExcluir
  9. É complicado falar desse livro... Tenho uma implicância crônica com o casal John e Xhex #prontofalei. Não gosto deles nem um pouco.

    Mesmo assim suportei o livro pelo contexto e as histórias paralelas que expôs. Gostei de algumas passagens, mas concordo com você quanto a relação do Blay e Qhuinn... não convence. Pelo menos não a mim! Preferia que a Ward investisse no casal Blay e Saxton, muito mais tempero com os dois.

    Estou ansiosa pelo livro da Payne e espero que traga um bom contexto e um final plausível, fico sempre preocupada com essa relação entre dois mundos...
    Bjkas,

    Monique Martins
    MoniqueMar
    @MoniqueMar

    ResponderExcluir
  10. Ai, me desculpa, mas nunca leio nada sobre IAN, tenho 4 livros da serie , mas ainda não li, então quero ficar na surpresa. Mas surpresa mesmo fiquei quando vi essa mulher na capa do ultimo livro. Ainda bem que é somente um pedacinho do rosto e tem aquele costão lindo em primeiro plano,heheheh. Bora iniciar logo a leitura, né? Bjksss

    ResponderExcluir
  11. Resenha Perfeita. Achei muito legal essa relação homo deles, quero ler este livro muito em breve, abraçosss

    ResponderExcluir
  12. AMO O JOHN E A XHEX!!!
    E sou obrigada a dizer , que eu chorei litros lendo esse livro! Sou apaixonada pelo John desde Amante Eterno, e quando li Amante Meu, eu quase morri! ��
    E quanto ao casal BlayXQuinn, bom.... vamos ver no que vai dar... Começo hoje a ler Amante Libertada, e to com uma grande expectativa!
    E pra finalizar, as tuas resenhas são ótimas! está de parabéns, viu!?
    Abração!!

    ResponderExcluir

Deixe seu Comentário!