Resenha: Como Quase Namorei Robert Pattinson - @carolsabar

sábado, 27 de outubro de 2012

Como Quase Namorei Robert Pattinson
Carol Sabar

Sinopse: Aos 19 anos, Duda é literalmente viciada na saga Crepúsculo. Já perdeu a conta de quantas vezes leu os livros da série e assistiu aos filmes. Através de um perfil secreto na internet, ela se comunica com outras fãs do Crepúsculo que, assim como ela, estão totalmente convencidas de que não há garoto no mundo que valha um dente canino do vampiro Edward Cullen. Sua obsessão ganha fôlego com uma temporada de estudos em Nova York, onde ela faz planos mirabolantes para conhecer pessoalmente Robert Pattinson, o ator que interpreta o vampiro nos cinemas. Mas, após um incidente com seus únicos (e insubstituíveis!) livros da saga, Duda entra em verdadeiro surto de desespero. Percebe, então, que uma mudança radical em seu comportamento “crepuscólico” é mais do que urgente.





Quando o fã vira dono da história!


Sabem um livro super despretensioso e que no fim nos surpreende e cativa? Isso aconteceu comigo ao ler “Como Quase Namore Robert Pattinson” da Carol Sabar.

Duda é uma estudante de jornalismo da PUC – RJ que é simplesmente viciada na Saga Crepúsculo. Mesmo no auge de seus 19 anos, ela ainda vive presa às páginas da série romântica vampiresca e simplesmente não consegue viver sua vida real, visto que tudo e todos são comparados a Edward Cullen e sua perfeição fictícia.

Nem Roberto Cavalcante o gostosão da Geografia conseguiu tirar Edward Robert Pattinson Cullen de sua mente. E como sempre a realidade é muito mais estranha do que a ficção, Duda e suas amigas Susana (irmã), Liza (prima) e Margô (amiga CDF com déficit de atenção) embarcam para 6 meses de intercâmbio em Nova York, onde todos os seus sonhos ou contos de fadas estão prestes a se tornarem reais, mesmo que às custas de muita loucura.


Muita confusão, encontros e desencontros e é claro, muita fantasia com a Saga Crepúsculo (já que Duda embarcou com os 4 livros embaixo do braço para NY), são o que tornam  “Como Quase Namorei Robert Pattinson” um livro muito bom e gostoso de ler na minha opinião.
Carol conseguiu a liga perfeita para contar uma boa história baseada na histeria das fãs pelo Vampirão Conservador, Boa Pinta e Purpurinado Edward Cullen, assim como a loucura que estas fãs nutrem pelo ator que o interpreta nas telonas.

Embora eu tenha me irritado com as tosquices da Crepuscólica (alter-ego on line de Eduarda Maria Carraro, vulgo Duda) quem de nós já não fantasiou ou comparou a realidade com os livros? E é nessa personalidade irritantemente infantil de Duda que está a grande sacada do livro...principalmente no humor que esta personalidade infantil confere ao livro.



Carol conseguiu contar uma ótima estória, onde nós, fãs fervorosas de Crepúsculo pudemos colocar a mão na consciência e juntas com Duda superar um pouco da DPL (depressão pós livro) que nos assolou após terminarmos a Saga.

Os personagens foram muito bem elaborados e foi muito legal acompanhar o amadurecimento de Duda. Gostei bastante da convergência de culturas e referencias culturais tanto brasileiras, quanto americanas que a autora utilizou para amarrar a trama em diversos momentos, enriquecendo muito a leitura.

Nos sentimos realmente em NY, caminhando na neve, passeando pela Times Square ou tentando fazer 2.000 inscrições para o Late Show com David Latterman...hehehehe
Embora Duda viva um triângulo amoroso muito parecido com o que Bela vivenciou em Crepúsculo, com certeza eu prefiro o Miguel do que o mocorongo do Edward...hehehehe... realmente é muito frustrante para as leitoras ver sempre tantos gatos fofos chovendo na horta das mais desajeitadas e destrambelhadas assim em todos os livros...na minha horta não cai ninguém...juro que o Pablo seria o meu número...hehehehe...ultimamente estou sempre torcendo para o Time B...hehehe.

Entre o melhor amigo e o amor de sua vida (que convenhamos, mesmo ele sendo a cara de alguém por quem a Duda morreria, na minha imaginação ele era muito mais bonito), ela deve se desapegar do egoísmo e da imaturidade para realmente conseguir começar a viver uma grande história.

A escrita de Carol Sabar é leve, fluída e divertida. Um show a parte foi a playlist que embala este delicioso romance crepuscular. De U2, Bon Jovi e Life House entre outros...somos embalados deliciosamente em suas páginas, rindo muito das agruras insanas da Crepuscólica e suas ideias malucas. A capa feita pela nossa amiga Carolina Mylius também é um show, contribuindo para tornar o livro realmente uma ótima aquisição para qualquer estante.

10 comentários

  1. Parece ser um livro bem divertido e cheio de surpresas, quem sabe não leio ^^

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  3. Nossa sempre quis ler, mais nunca comprei!
    Mto legal sua resenha!!
    Parabéns!
    Bju

    ResponderExcluir
  4. Parece ser um livro bem legal e divertido.
    Apesar de eu não ser fã de crepúsculo, quero muito ler esse livro.. *u*
    ótima resenha...

    ResponderExcluir
  5. Nossa não sabia que era nacional.
    Quase comprei uma vez mas como eu ainda não tinha lido nenhuma resenha não sabia se era bom, mas adorei a resenha e estou pensando em comprar

    ResponderExcluir
  6. Cara, sempre to lendo a resenha desse livro nos outros blogs e sempre imagino a história na minha cabeça quando leio as resenhas, eu rio, mas rio tanto KKKKKKK
    Eu quero ler esse livro ^^

    ResponderExcluir
  7. Eu li esse livro e adorei é muito divertido!!!

    ResponderExcluir
  8. Sinceramente, não tenho vontade nenhuma de ler esse livro... Não me chamou atenção em nada, posso estar enganado e o livro seja bom, mas me parece uma história daquelas de fãs que usam faixa na testa e choram quando vê o artista... isso é rídiculo... kkkkkk como eu disse eu posso estar enganado e a história nao ser nada disso, mas pelo nome e pela capa me parece isso... :S

    ResponderExcluir
  9. Eu ainda não li mas tenho muita vontade de ter esse livro. Achei que foi bem interessante a ideia da autora em falar sobre uma fã de Crepúsculo e creio que a história caiu muito bem. Quando você fala que é divertido o texto, já me anima mais ainda. A capa é bem bacana, eu gosto muito. Se dá pra se sentir nos locais que a Carol cita, significa que dá pra ter uma empatia bacana com o livro.

    ResponderExcluir
  10. to louca nesse livro uhsausahsahs deve ser mega legal!!!!

    ResponderExcluir

Deixe seu Comentário!