Resenha: Jogador Nro 1 - Ernest Cline - @EditoraLeya

segunda-feira, 1 de outubro de 2012

JOGADOR Nº 1
Ernest Cline
I.S.B.N.: 9788580442687

Sinopse: O ano é 2044 e, como o resto da humanidade, Wade Watts prefere mil vezes o jogo do OASIS do que o mundo real. Ele garante que esconde as peças de um puzzle diabólico cuja resolução leva à riqueza incalculável. A chave para o quebra-cabeça são baseadas na cultura do final do século XX e, por anos, milhões de seres humanos têm tentado encontrá-los, sem sucesso. De repente, Wade consegue resolver o quebra-cabeça e ganha o prêmio, e, posteriormente, deve competir contra milhares de jogadores para conseguir o troféu. A única maneira de sobreviver é ganhar, mas para isso terá que abandonar sua existência virtual e lidar com a vida e o amor no mundo real, que sempre tentou fugir.



RESENHA
Pra quem acha que a cultura nerd/geek é sinônimo de exclusão social e baixa popularidade, pode se espantar ao descobrir que está completamente errado. Em dias em que ser nerd é algo legal, a nova moda, e os verdadeiros nerds são poucos e se encontram perdidos em meio a tantas pessoas se denominando assim, o livro Jogador nº 1 chega como um verdadeiro “separador”, testando seus conhecimentos da cultura nerd em geral, mais especificamente a que marcou os anos 80.




Mas não pensem que apenas os nerds e geeks podem apreciar a boa leitura do Jogador nº 1, apesar de ser voltado para esse público específico, ao qual o próprio autor faz parte, o livro se torna bem acessível para o público em geral, e o autor faz questão de fazer com que cada referência se explique no livro. E não são poucas as referências existentes nos livros, e se você for um nerd como o que vos escreve (hehehe), vai se deliciar muito ao ver a cultura que você tanto gosta ser homenageada em um livro tão interessante. No entanto, nessa parte de referências é onde o livro peca também por uma questão de tradução, possuindo alguns termos em que a tradução se fez desnecessária, e outros em que a tradução era necessária, mas não existiu, entretanto, repito, nada que vá mudar drasticamente sua leitura.



  A história do livro nos apresenta um futuro não muito distante, 2045, e o mundo sofre dos problemas que já começam a nos preocupar hoje, como a falta de energia, a fome, a má distribuição de renda, etc. Nesse contexto, uma grande empresa de jogos de vídeo game, a Gregarious Simulation Systems, criada por James Halliday e seu amigo Ogden Morrow, projetou uma plataforma multijogador online chamada OASIS, ou seja, um mundo virtual de imersão total onde as pessoas poderiam ser tudo o que imaginassem.
  
 James Halliday, o criador do OASIS, ao saber que estava prestes a morrer e sem possuir um herdeiro, cria um concurso dentro do seu jogo, e o ganhador dessa competição, chamada Ovo de Páscoa de Halliday (tradução de Halliday’s Easter Egg, um termo americano usado para descrever uma espécie de conteúdo escondido dentro de outro conteúdo) herdaria toda a fortuna bilhonária de Halliday, assim como os direitos sobre seu mundo virtual.

 Wade Watts, conhecido dentro do OASIS pelo nome Parzival, é o protagonista da aventura. Sendo o primeiro a conseguir uma pontuação no placar do concurso de Halliday, Wade se torna o caça-ovo (como são chamados os participantes do concurso) mais famoso do OASIS. Logo outros personagens importantes da trama passam a aparecer no placar, como Art3mis, Aech e os irmãos Daito e Shoto.
                Porém, não será tão simples para Wade conseguir ganhar o concurso e realizar seu sonho de se tornar o legado de Halliday, pois a IOI (Innovative Online Industries), corporação internacional que controla quase todos os recursos tecnológicos do mundo, está de olho no premio do concurso, para poder finalmente controlar o OASIS e possuir o monopólio da indústria da computação. Assim são apresentados os personagens conhecidos como os Seis, os antagonistas da história, que são caça-ovos que trabalham pra IOI a fim de conquistarem o grande prêmio para a impresa.

 Dentro desse universo virtual cheio de emoções e contrapondo a corrida pelo prêmio de Halliday, existe espaço também para o romance, onde vemos Parzival e Art3mis tendo que enfrentar o conflito de serem concorrentes no concurso, mas possuíram um grande sentimento um pelo outro, pondo em questionamento o velho preconceito de que não se pode existir amor através do computador.

 Em minhas considerações finais, achei uma leitura muito agradável mesmo, e fiquei arrepiado e extremamente contente encontrando referências a bandas, filmes, seriados e livros que tanto amo. Apesar do pequeno problema de tradução, o livro vai melhorando gradativamente, dando a impressão de que o autor adquiriu certa maturidade literária com o decorrer da escrita de sua obra. Certamente os nerds e geeks vão se apaixonar, os leitores em geral vão se deliciar com a leitura, e os que se identificarem com a história como eu, vão ficar com aquela sensação de quero mais!

PS.: Os direitos do filme já foram comprador pela Warner! Podemos esperar uma adaptação em breve!





Este projeto, cujo propósito é disseminar o conhecimento sobre distopia, em conjunto com diversos Distritos (Blogs), foi idealizado por Ana Death Duarte, do Distrito 5, saiba mais sobre o projeto acessando o hotsite e também visitando os tributos sobreviventes, mencionados abaixo.
Abaixo, os Distritos que ainda sobrevivem e que estão na ação (cronograma):

18 comentários

  1. Oi guardiã tudo bem? É o Felipe da contax. Sheila voce vai fazer o evento de amanhecer part 2?

    ResponderExcluir
  2. Resenha muito curiosa, gostei de saber que tem romance isso me deixou mais curiosa ainda para ler *-*. Acho que posso me conciderar uma nerd/geek então acho que vou adorar esse livro *-*

    ResponderExcluir
  3. O livro parece ser realmente interessante, do tipo que a gente sempre diz que vai parar na próxima página e, quando vê, já está na metade!

    ResponderExcluir
  4. Esse livro parece ser mto legal! Eu curto bastante a cultura geek, não sou pq nem dou conta ($) de ser rs, mas sou antenada na medida do possível. Tô bem curiosa em ler o livro.
    Boa Resenha =]

    Miquilis: Bruna Costenaro

    ResponderExcluir
  5. Esse livro colocando os jogos, parece um pouco com tron, avatar e harry potter, deve ser muito bom... e estou louco por esse livro..

    ResponderExcluir
  6. Um livro interessante, mas já que sou uma "Nerdidosa" kkkk, teria que ter um dicionário Geek para tentar decifrar alguns termos, mas é um ótimo livro para indicar para os meus jovens amigos nerds.

    Parabéns pela resenha!!!!

    ResponderExcluir
  7. Adorei a capa desse livro, o gênero dele também é ótimo. Sempre tive a curiosidade de ler um livro que aborda-se um tema Greek ou gênero, mas nunca consegui encontrar , os que eu achei era muito superficial. Contenteza vou adorar esse livro!

    ResponderExcluir
  8. Já vi esse livro e faz tempo que venho querendo ler. Gostei, adoro esse gênero e parece ser um livro bom. Pena é que vi poucas resenhas dele, queria conhecer mais...

    ResponderExcluir
  9. Que legal que o livro vai virar filme!! Adoro tudo que fala dos anos 80, e fiquei encantada com a descrição no quote de pac man!! =)

    Que solução mais inusitada o cara arrumou pra encontrar um herdeiro, hein? rs

    Só tenho visto elogios a esse livro e estou super curiosa pra ler.

    Juliana Xavier

    ResponderExcluir
  10. Adorei a resenha, ainda mais quando falou que pode ser para os nerds e talhh, e eu me considero umm , com muito orgulhooo kkk, achei mt legal o livro e fiquei super curioso para ler ele ...

    ResponderExcluir
  11. Taí um livro que pode me tirar do mundo de Jogos Vorazes, apesar da semelhança acho que esse tem um toque especial, tem diversão, gostei pouco da capa, achei muito simples, mas a história em si parece boa. ^^

    ResponderExcluir
  12. Desde o lançamento já havia ficado curioso com esse livro, me agrada essas referências em jogos, filmes, games. Não gosto do termo nerd pois atualmente isto é modinha, mas adoro revisitar a infância. Este é um livro para minha prateleira.

    ResponderExcluir
  13. Adoro historias distópicas, a visão de onde o mundo pode chegar me deixa um pouco apavorada. Lendo Jogos Vorazes, Admirável mundo novo, v de vingança, nos deixa curiosos.lendo o livro 1984 por exemplo e o sucesso de um programa chamado "Big Brother" a ideia é um tanto quanto abominável. O jogador n 1 parece levar a esses questionamentos, o atual envolvimento das pessoas com o mundo virtual, a total imersão deste nesse mundo tão atraente. Estou ansiosa por esse livro.

    ResponderExcluir
  14. Adorei a história do livro, achei original e surpreendente.

    Sou meio chata com livros que tenham problemas de tradução, mas acredito que a história fascinante, as referências a coisas interessantes vão me fazer superar a "birra" e me deixar animada para ler.

    ResponderExcluir
  15. Achei a história diferente das outras... Gostei.
    Quero muito ler (: Beijos.

    ResponderExcluir
  16. amei!!!
    história original e cativante, estou muito curiosa para ler.

    ResponderExcluir
  17. Faz um tempo que quero ler esse livro, todos recomendam e nunca li um livro assim. Achei super criativo o mundo criado por ele, da vontade de participar de um jogo assim. Fico feliz que tenha uma pitada de romance e nao somente aventura, adoro quando tem *-*
    Espero ler muito em breve, ele e um super desejado!

    ResponderExcluir
  18. Tenho ouvido falar muito nesse livro. Até agora tenho lido somente resenhas positivas. Confesso que no inicio não havia me interessado, afinal essa capa não me chamou a atenção, nem sabia que era uma distopia. Mas agora de tanto ouvir falar, estou louca para conhecer melhor a historia. Bjksss

    ResponderExcluir

Deixe seu Comentário!