Resenha: O Filho de Netuno - Rick Riordan - @intrinseca

quinta-feira, 11 de outubro de 2012

O FILHO DE NETUNO
RICK RIORDAN
I.S.B.N.: 9788580571806


Sinopse: A vida de Percy Jackson é assim mesmo: uma grande bagunça de deuses e monstros que, na maioria das vezes, acaba em problemas. Filho de Poseidon, o deus do mar, um belo dia Percy desperta sem memória e acaba em um acampamento de heróis que não reconhece. Agarrado à lembrança de uma garota, só tem uma certeza: os dias de jornadas e batalhas não terminaram. Percy e seus novos colegas semideuses vão enfrentar os misteriosos desígnios da Profecia dos Sete. Se falharem, as consequências, é claro, serão desastrosas. Com início no “outro” acampamento meio-sangue e se estendendo para além das terras dos deuses, esta sequência da série "Os heróis do Olimpo" apresenta novos semideuses e criaturas incríveis, além de trazer de volta alguns monstros bastante conhecidos.


RESENHA

Os fãs de mitologia grega já conhecem o fenômeno que é a série Percy Jackson e os Olimpianos, e a continuação que o autor Rick Riordan concedeu aos seus semideuses em Os Heróis do Olimpo já se mostrou no mesmo caminho do sucesso com O Herói Perdido, primeiro livro da nova série. E como é tendência nos livros de Riordan, a série engrandece cada vez mais, e agora aborda toda a mitologia greco-romana!

                O Filho de Netuno, segundo livro de Os Heróis do Olimpo, nos apresenta agora a visão romana dos deuses, com todo um caráter mais bélico, seguindo a linha de uma grande potência, como era o Império Romano. Vemos um novo acampamento, mas com uma organização totalmente diferente, com o seu lema SPQR (Senatus Populusque Romanus), divisão por esquadrões, chamados Coortes, e muitas outras características próprias que nos fazem acreditar ter um pedacinho de Roma nos Estados Unidos.



                E pra quem sentiu falta do nosso querido Percy, que estava desaparecido em O Herói Perdido, agora vê o nosso herói renovado, com uma maturação na escrita de Rick Riordan, perdendo aquela visão mais infantil que era bem marcada em Percy Jackson e os Olimpianos. Percy agora terá que viver entre os campistas romanos, trocando de lugar com Jason Grace, (apresentado no livro anterior da série) para servir de ponte entre os dois acampamentos, que possuem certa rixa. O bom humor do escritor continua, e os novos personagens apresentados, Hazel e Frank, são muito cativantes e possuem uma história tão interessante que te deixa ansioso do início ao fim. Os personagens secundários, como a harpia Ella, a pretora Reyna e o augúrio Octavian, também são muito divertidos e tornam a leitura bem mais dinâmica.

                Com uma história cheia de novidades, mas sem perder a essência dos livros do Tio Rick (como é chamado o escritor pelos fãs), o livro tem um enredo cheio de ação e de objetivos, com o novo trio tentando terminar a missão que receberam antes que seja tarde demais, como já é comum nos livros da série. O Filho de Netuno deixa com aquele gostinho de “quero mais” no final, fazendo com que os fãs de Percy Jackson, como eu, mal possam esperar pelo A Marca de Atena



0 comentários

Postar um comentário

Deixe seu Comentário!