RESENHA: ROSA NEGRA (TRILOGIA DAS FLORES #2) - NORA ROBERTS

domingo, 10 de fevereiro de 2013



Título Original: Black Rose
I.S.B.N.: 9788528616170

Tamanho: 23 x 16 x 1 cm.
Acabamento: Brochura
Edição: 1 / 2012
Idioma: Português
Número de Paginas: 350
Volume: 2
Tradutor: Luís Santos


Sinopse: Após agradar o público com Dália Azul, chega ao Brasil "Rosa Negra, segundo volume da Trilogia das Flores", de Nora Roberts. Assim como todos os títulos da autora, vendeu centenas de milhares de cópias nos Estados Unidos e na Grã-Bretanha e figurou nas principais listas de mais vendidos.


Ao mesclar romantismo com uma dose de paranormalidade, a autora criou uma trama que agradará até aos seus mais exigentes fãs. A Trilogia das Flores é um exemplo perfeito da técnica narrativa de Nora Roberts que conquistou milhões de leitores ao redor do mundo.

Aos 47 anos, Rosalind Harper (Roz) é uma mulher capaz de passar pelas maiores provações sem esmorecer. Com três filhos, ela sobreviveu a dois casamentos e construiu um viveiro, de onde tira seu sustento. Ao longo dos anos, o viveiro deixou de ser apenas um ganha-pão e se tornou muito mais que isso: um símbolo da esperança e da independência dela, que divide o negócio com mais duas mulheres, Hayley e Stella, suas companheiras para todas as horas. As três são o futuro do viveiro. 

Contudo, esse futuro corre perigo, e Rosalind sabe que elas não podem lutar sozinhas contra o fantasma da Noiva Harper. Contratado para descobrir os ancestrais da família Harper, o Dr. Mitchell Carnegie se vê intrigado com a própria protagonista. E, conforme o mistério por trás da identidade da Noiva Harper começa a se desfazer, ela percebe com espanto que se vê atraída pelo genealogista. 

Três mulheres se encontram em momentos fundamentais em suas vidas — todas em busca de novas formas de crescer — e descobrem umas nas outras a coragem de arriscar e encarar o futuro. 



RESENHA: Rosa Negra

Rosa Negra é o segundo livro da Trilogia das Flores, da autora Nora Roberts, o primeiro livro Dália Azul já resenhado pelo blog. A trilogia trata a história de três mulheres, de idades completamente diferentes, e acho que essa é a maior qualidade desses livros, a exploração dos problemas, situações, amores e perdas que essas mulheres têm no decorrer de suas vidas e como elas irão enfrenta-lo em busca da sua felicidade.

No livro Rosa Negra a protagonista é Rosalind Harper, conhecida como Roz, proprietária da Harper House, uma propriedade antiga e passada de gerações  a gerações na sua família. Sempre os “Harper” foram conhecidos como grande empreendedores ´no  ramo comercial, e Rosalind não é diferente, dona da empresa de viveiros, No Jardim, foi através desse negócio que conseguiu manter sua família, pois após ter ficado viúva, teve que sustentar os três filhos ainda pequenos sozinha, e tudo isso numa época que a mulher ainda não tinha um espaço respeitado na sociedade.


Rosalind Harper é uma mulher forte, determinada, guerreira empreendedora e independente com uma vida financeiramente estável e bastante confortável, o que poderia atrair homens gananciosos e interesseiros. Seu primeiro casamento com o pai dos seus filhos, apesar de ter casado muito jovem, foi um a base de amor e respeito, quando os filhos cresceram e foram embora, ela decidiu dar uma chance para um novo relacionamento, conheceu Bryce Clerk, um cafajeste que apenas queria usufruir desse conforto financeiro.

Óbvio que pessoas gananciosas e interesseiras não sabem amar e muito menos saber respeitar, já que só visam o bem material em qualquer situação, e com Bryce não foi diferente, pois além dos gastos exorbitantes, existiam as traições, não demorou muito por Rosalind expulsá-lo de casa e de sua vida, porém ficaram as marcas de um casamento frustrado, porém nem tanto no coração e sim no orgulho de Roz.


Depois da decadência de seu segundo casamento, Roz decidiu viver sozinha, porém atualmente com a chegada de Stella e seus filhos para lhe fazer companhia (personagens de Dália Azul), também do seu praticamente filho adotivo David (um personagem hilário), e de Hayley  (personagem do terceiro livro), uma prima distante que chegou a sua casa pedindo ajuda por causa de uma gravidez não planejada, além de Harper, o único dos três que permaneceu em Harper House e responsável pela maior parte do cultivo das flores.



Mesmo a “família” ter aumentado, e com isso preenchendo o vazio de Roz, mas a Noiva Harper, um fantasma que vive na família há anos, com aparições principalmente à crianças, mas devido alguns acontecimentos na casa, já que a Noiva de Harper sempre foi um fantasma passivo, torna-se agressivo, e Roz decide saber sua verdadeira identidade, com isso procura um estudioso em ancestrais, o Dr. Mitchell Carnegie, ou apenas Mitch, que se interessa em ajudar, mas principalmente Roz.



Dr. Mitchell Carnegie, conhecido como Mitch,  é um homem divorciado, seu casamento se desfez devido sua dependência por bebidas, porém depois de um tratamento conseguiu retomar principalmente sua ligação com o seu filho, Josh, com qual mantém uma grande amizade, porém tem uma vida solitária com suas pesquisas e estudos, até aparecer Roz, com seu temperamento forte, porém uma aparência delicada, e que conquista completamente Mitch, com suas diferenças já que enquanto Roz cultiva flores, Mitch tem a tendência de mata-las, rsrsrsrs... Mas acima de tudo, ambos querem uma relação à base do respeito e amor, e acima de tudo serem felizes.

- É um prazer conhece-lo finalmente, Josh. Seu pai só fala em você.
- O mesmo em relação a você. Vamos precisar encontrar um cantinho sossegado e comparar as notas.
- Eu adoraria.
(...) Meu pai me disse que a senhora trabalha com plantas, sra. Harper.
- Roz, e sim, trabalho.
- Ele as mata, sabe? – acrescentou enquanto atravessavam a sala.
- Já vi que sim.
- A maior parte das vezes, quando o veem, limitam-se a se suicidar e acabam logo com o assunto.
- Cale-se Josh.
- Só não quero que você a engane. – Dirigiu ao pai um breve sorriso. – Shelby diz que vive naquela casa fantástica pela qual passamos a caminho daqui.
- Sim, está na minha família há muito tempo.
- É enorme e parece maravilhosa. – Inclinou a cabeça o suficiente para lançar ao pai um olhar irônico, rápido e pouco discreto. – Meu pai tem passado lá muito tempo.
- Trabalhando. – Anos de prática fizeram Mitch dar ao filho uma discreta cotovelada.
- Espero que em breve Josh também vá até lá passar alguns dias.


A autora Nora Roberts  em Rosa Negra traz uma protagonista diferente do padrão, não nas características de personalidade, mas sim na questão de idade, Rosalind Harper tem 47 anos, devem estar se perguntando e daí o que tem isso??? Quem está acostumada a ler esse tipo de romance contemporâneo estilo Nora Roberts, quase sempre todas as protagonistas são mulheres aparentemente jovens, dificilmente encontrar uma acima dos 40 anos, existem é claro, mas por incrível que parece mulheres na idade de Roz não são bem vistas como protagonistas.


O que citei acima não tem ligação com o meu modo de pensar, li o segundo livro, e sabia que seria de Roz, sem preconceito nenhum, e afirmo que o segundo é melhor que o primeiro, a qualidade narrativa, e como Nora Roberts aborda de uma maneira ao mesmo tempo tão delicada e sem preconceitos uma relação com um casal mais maduro, e diferentemente do  que poderia acontecer de colocar um homem mais jovem, já que Roz é uma mulher que tem um cuidado com seu corpo, tanto que não aparenta a sua idade, mas Nora decidiu sabiamente optar por Mitch um homem com quase 50 anos.


O desenvolvimento da relação dos personagens é natural, apesar das marcas do passado, tanto na vida do Mitch quanto na de Roz, eles conseguem superar os seus receios dando chance ao relacionamento, é isso é para mim tornou o livro excelente, não temos aqueles grandes tormentos e confusões que envolve a relação baseada em casais mais jovens.


Óbvio que Roz não sente confortável no inicio de uma nova relação, diferente de Mitch, Roz foi a magoada, enquanto Mitch foi quem magoou no relacionamento anterior, e apesar das perspectivas serem diferentes,  mas no final ambos querem provar praticamente a mesma coisa, Mitch quer mostrar que sabe amar alguém e fazer uma relação dar certa, enquanto Roz quer provar que pode ainda amar alguém e ter uma relação com um homem que gosta dela e não do seu dinheiro.

Outro ponto e no qual é o grande preconceito com leitoras de livros de romances, que envolve casais mais maduros, e a relação sexual, em Rosa Negra a autora aborda igualmente a qualquer livro desse gênero, temos momentos sensuais entre os personagens, mas o que deve ser ressaltado e a qualidade nos diálogos são com várias intenções sensuais nas entrelinhas, a autora conseguiu equilibrar a maturidade do casal com a jovialidade no relacionamento.


Porém o livro não vive só de romances, os problemas surgem de várias formas principalmente em relação a Roz, primeiro o segundo marido surge novamente tentando denigrir a imagem de Roz na cidade, já que ele precisa de dinheiro e também por estar com o orgulho ferido de ter sido humilhantemente expulso por Roz, ele volta para vingar e tentar extorquir mais dinheiro,  tornando a vida de Roz um pequeno inferno.


E outro assunto que faz parte dos três livros e nesse têm um destaque maior, até em relação a Roz, é a Noiva de Harper, já em Dália Azul ela sem mostrou bastante violenta principalmente em relação as mulheres da casa quando iniciavam algum relação amorosa, e com Roz não foi diferente, ela se tornou bastante perigosa no ambiente familiar, e principalmente com Roz.


Nesse descobrimos a sua identidade, e temos algumas pistas de quem poderia ter sido ela, com ajuda de Mitch e de um parente distante de Roz, terão algumas revelações, e o que é interessante, que o leitor sabe a identidade da noiva, mas os personagens estão tentando descobrir, só que mesmo assim, nem tudo é revelado, deixando para o ultimo e terceiro livro mostrar as reais ligações, mas pelas situações no final desse livro, demonstram que a Noiva de Harper irá incomodar muito no terceiro livro.


Conclusão
Apesar de ser uma pessoa suspeita em falar de Nora Roberts, já que está entre minhas autoras favoritas, mas vou tentar ser imparcial, “tentar”...

Gostei muito mais do segundo livro do que do primeiro, não que Dália Azul seja ruim, pelo contrário é um bom livro, mas esse segundo por ser diferente no aspecto da maturidade do casal, deixou a autora mais confortável em explorar a relação.


Nesse livro não temos um casal que vive discutindo a relação, muitas vezes decepcionando um ao outro com certas atitudes, como vemos em livros com casais mais jovens, que foi o caso de Dália Azul. Acho que a palavras chaves da relação Mitch e Roz foram “compreensão” e “respeito”, por serem maduros conseguiram conduzir com sensatez alguns momentos de indecisão com tranquilidade, sendo sabeis e cedendo em alguns momentos ou dando espaço um para o outro, acima de tudo respeitar o tempo de cada um.


Um lindo romance maduro, com  excelente personagens,  e essencialmente valorizando a mulher de diferentes idades, essa é o grande fator da Trilogia das Flores.
Agora vamos aguardar o terceiro livro, Lírio Vermelho, sem previsão de lançamentos, que traz o casal Harley e Harper (filho de Roz), que desde do primeiro livro Harper vem desenvolvendo sentimentos por Harley, mas nesse segundo livro temos indícios que Harley sinta algo por ele também, principalmente com o nascimento de Lily, eles se aproximaram um do outro. Ansiosa por Lírio Vermelho.

Siga a editora! Curta o facebook! Confira o site da editora Confira o site da autora Adicione na estante! Adicione na estante! Adicione na estante! Sem Resenha Clique aqui para conferir a resenha Clique aqui para conferir a resenha




8 comentários

  1. Adorei a resenha! Como vc sou suspeita para falar de NR... E sabe o que gostei nesse livro? O casal ser mais maduro! hihihihi E essa trilogia eu quero ler, assim que lançar o terceiro livro, porque amo coisas relacionadas a flores.

    ResponderExcluir
  2. Oi Pá!
    Comprei o livro e ainda não li o.O
    Fiquei tão empolgada com outras leituras que acabei deixando ele de lado #quehorror
    Acho que vou esperar o terceiro para ler os dois de uma vez kkkkk
    Bjs!

    ResponderExcluir
  3. Eu amo os livros da Nora Roberts e suas resenhas são maravilhosas!!!!!

    a gente fica apaixonada pelo livro,pelos personagens e pela resenha,tudo ao mesmo tempo,suspirando sem parar!!!!

    Ainda não li esse livro,mas clarooooo que vou amar!!!!

    bjsss

    Bianca

    http://www.apaixonadasporlivros.com.br

    ResponderExcluir
  4. Estou em choque... Eu amei a sua resenha. Os quotes foram perfeitos, e colocar a Jude como protagonista foi perfeito. Ela era a minha Eve favorita, mas a idade chegou e não dá mais (infelizmente). Ainda não tive "tempo" para comprar os dois primeiros livros dessa trilogia, que pode se tornar a minha favorita. Já estou cansada de ler sobre protagonistas adolescentes. Uma personagem de 47 anos vai agradar muito a mulherada mais afoita. Me marca nas suas resenhas Paty, para eu poder comentar... ;)
    Beijos!
    Elimar

    ResponderExcluir
  5. Oi Paty, resenha linda e impecável como sempre. Adoro os quotes que você coloca. Faz com que a gente tenha mais noção dos personagens e de sua personalidades. Eu já ouvi falar muito bem desta trilogia e sou doida pra comprar. Vou esperar o terceiro livro, e comprar ela completa. Eu gostei muito de saber que a protagonista é mais madura, praticamente a minha idade, isso fez toda a diferença para despertar meu interesse. Bjus
    Lia Christo
    www.docesletras.com.br

    ResponderExcluir
  6. Que resenha linda Pati! Estou namorando essa trilogia da Nora Roberts há um bom tempo. Gostei de saber que se trata de um romance maduro, bem centrado, e que possui diálogos de qualidade. Beijo!

    ResponderExcluir
  7. Ai, mais uma resenha sensacional!!!
    Pra variar eu não conhecia o livro, mas adorei!
    Lindas as montagens...bela escolha de 'personagens'!!!

    Mais um título pra minha lista!!!

    Beijooos

    http://kastmaker.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  8. Já li o livro e gostei muito. Acho que o romance de Ros e Mitch enriqueceu a história e mostrou como é possível sim amar depois de certa idade, rs. Me senti recompensada!

    Monique Martins
    @moniquemar

    ResponderExcluir

Deixe seu Comentário!