RESENHA: CUCO - JULIA CROUCH

terça-feira, 5 de março de 2013



Editora: Novo Conceito
ISBN: 9788581630229
Ano: 2012
Páginas: 464
Tradutor: Tiago Novaes Lima

Sinopse: Polly é a mais antiga amiga de Rose. Então quando ela liga para dar a notícia que seu marido morreu, Rose não pensa duas vezes ao convidá-la para ficar em sua casa. Ela faria qualquer coisa pela amiga; sempre foi assim. Polly sempre foi singular — uma das qualidades que Rose mais admirava nela — e desde o momento em que ela e seus dois filhos chegaram na porta de Rose, fica óbvio que ela não é uma típica viúva. Mas quanto mais Polly fica na casa, mais Rose pensa o quanto a conhece. Ela não consegue parar de pensar, também, se sua presença tem algo a ver com o fato de Rose estar perdendo o controle de sua família e sua casa. Enquanto o mundo de Rose é meticulosamente destruído, uma coisa fica clara: tirar Polly da casa está cada vez mais difícil.

Resenha
O primeiro erro foi convidá-la para entrar...
Rose tem a vida perfeita, o marido perfeito, as filhas perfeitas, a casa perfeita em um lugar perfeito... mas isso tudo foi construído depois de uma infância triste, um passado sombrio e muitas mentiras. Rose estava decidida a não deixar que suas meninas cometessem o mesmo erro que ela, então mudou-se para o campo, reconstruiu um chalé com o marido, plantava os próprios legumes e cozinhava apenas comida de boa qualidade.

Sua vida era tudo o ela havia sonhado. E mesmo com todos os problemas que tiveram que passar para chegar ali, o que incluía uma gravidez inesperada e um marido artista, muitas vezes ausente absorto em suas criações. Ela sentia que estava onde sempre desejou estar, a mãe de família e a provedora.

Mas tudo mudou com a noticia que que Christos, amigo de longa data de Garrett e marido da melhor sua melhor amiga Polly, morreu em trágico acidente de carro.

Inconformada e ainda sem acreditar no que acontecera, ela resolve convidar a recém viuvá Polly e seus dois filhos para ficarem em sua casa até que se recuperem do choque.

“(...) Por mais afastadas que estivessem, elas sempre pareciam capazes de retomar de onde tinham parado. Rose e Polly eram intimamente ligadas(...)”

Como negar abrigo a sua amiga de infância, a única que permaneceu a seu lado nos momentos difíceis, a pessoa que guarda os seus mais profundos segredos, aqueles que ela mataria para manter em segredo, e longe dos ouvidos de seu amado marido.
Só o que ela não poderia imaginar, é que a chegada de Polly poderia desestabilizar todo o seu mundo erguido com tanto sacrifício, colocando em risco tudo o que Rose lutou para conseguir, pondo em jogo, não apenas o seu casamento, mas também a segurança de suas filhas.

“(...) Cuco é um pássaro que rouba outros ninhos(...)”

Sinceramente? Cuco é um livro cansativo, é muita nada para o meu gosto. Simplesmente mais da metade do livro gira em torno de como a vida de Rose é perfeitamente comum e entediante e de como ela é ridiculamente cega a tudo que esta acontecendo à volta dela.
Quase o livro inteiro eu tive vontade de estapear a Rose, tudo fica completamente claro logo de cara, os amigos dela olham para e dizem explicitamente: "Olha o que esta acontecendo, a sua amiga é uma vadia." Mas ela acha que a sua amizade é forte e que tudo é apenas coincidência.

“(...) Ali, com a caligrafia enérgica e clara de Kate, havia cinco palavras: "Mande-a embora da sua casa". (...)”

A ação começa mesmo nas ultimas 100 paginas que é quando a Rose cai na real, de que não é apenas ela quem corre perigo, mas as suas filhas, e que Polly esta tentado destruir a sua vida. É também nessas 100 paginas que acontece o desfecho épico, e não no bom sentido, o final é completamente revoltante. Sabe, depois desse livro eu entendi que existe três finais para livros: o primeiro é o clássico "e viveram felizes para sempre", o segundo é aquele estilo Jogos Vorazes e serie Wake, a vida segue e o personagem escolhe o caminho "menos pior" a seguir, e o terceiro é o final de Cuco, que basicamente é : se você não pode com o seu inimigo, junte-se a ele.

Eu gosto de dividir um livro em duas partes, uma é a historia, o enredo, a narrativa a criação de cada personagem e sua personalidade. A outra é a capa a diagramação, ilustrações e revisão, e cada uma dessas partes é de responsabilidade diferente, e a analise precisa ser feita separadamente.

Em questão enredo, a historia é bem desenvolvida, existem segredos que são revelados apenas no final, mas a narrativa é cansativa, é muito detalhe e pouca ação, mas já o livro em si, é perfeito, uma capa maravilhosa, que é exatamente uma ilustração do ponto que em que o enredo do livro começa. Sem erros de revisão aparente, o livro é perfeito visualmente. Novamente Novo conceito superou todas as expectativas.

Bom, eu não posso dizer que não recomendo o livro, pois eu recomendo sim, é um livro bom para ser ler sem expectativa, um suspense, mas com o desenrolar muito lento, mas envolvente de certo modo.

1 comentários

  1. Sou loca pra ler esse livro, é cada resenha massa ! *-* Quero ver se ele me surpreende'

    ResponderExcluir

Deixe seu Comentário!