RESENHA: PRIVATE (JACK MORGAN #1) - JAMES PATTERSON

sábado, 2 de março de 2013


Título Original: Private
Tradução: Débora Isidoro
Páginas: 224
Formato: 16 x 23 cm
Peso: 280 g
Acabamento: brochura
Lançamento: 02/05/2012
ISBN: 9788580410532
EAN: 9788580410532
Preço: R$ 24,90

Sinopse: Só há um lugar seguro para os segredos dos poderosos.
Jack Morgan é dono da Private, a melhor agência de investigações que existe, com escritórios em vários cantos do planeta. É a ele que os homens e as mulheres mais influentes do mundo recorrem quando precisam de total eficiência e máxima discrição. A agência é o único recurso quando a polícia não pode fazer mais nada.
Os criminosos estão à solta.
Enquanto Jack e sua equipe investigam o assassinato de 13 garotas, surgem dois outros casos, bem mais pessoais. Fred, tio de Jack, procura-o pedindo ajuda com um escândalo financeiro que pode destruir a liga profissional de futebol americano. E a esposa do melhor amigo de Jack, Andy Cushman, é encontrada morta.
Com a Private, nenhum caso fica sem solução.
Os três mistérios parecem insolúveis, mas Jack conta com os melhores investigadores e com o que há de mais avançado em tecnologia – recursos que, muitas vezes, não estão à disposição da polícia. Além disso, a agência não responde a instituições oficiais, portanto, nem sempre precisa jogar de acordo com as regras.
****
Conheça a Private, a maior agência de investigações do mundo.
Anos após seu pai ter abandonado o negócio, Jack Morgan assumiu a Private. Sob sua direção, a empresa de Los Angeles se expandiu, abrindo filiais em Nova York, Londres e Paris.
Além de Jack, a agência reúne um seleto time de investigadores: a psiquiatra Justine Smith, o impulsivo ex-fuzileiro naval Rick Del Rio, o charmoso Emilio Cruz e os gênios do laboratório Dr. Sci e Mo-bot.
A equipe – Justine em especial – está completamente dedicada a pegar um criminoso que há dois anos vem matando colegiais a intervalos regulares. Às voltas com esse caso intrigante, a agência também é contratada para investigar possíveis manipulações nos resultados dos jogos da NFL – a liga profissional de futebol americano – e para encontrar o assassino da esposa do melhor amigo de Jack.
Juntos, esses três casos quase levarão Jack ao limite de sua energia.
Com um ritmo alucinante, Private é um dos livros mais envolventes de James Patterson.

Resenha
O livro Private foi meu "amor à primeira leitura" pelo autor James Patterson... Me apaixonei pela escrita, pela agilidade que o escritor consegue dar a leitura, tanto que livros policiais não estão entre os meus gêneros de leitura, mas depois de ler Private, o gênero entrou definitivamente na minha lista e o autor James Patterson se tornou meus preferidos.


Apesar de algumas opiniões que o livro possui uma leitura rasa no quesito investigações, que é superficial na solução dos casos, mas em minha opinião eu caracterizo isso como objetividade. Não senti falta de informação para solução dos casos, pelo contrário, o livro prendeu minha atenção, e essa simplicidade nas informações, não minimizou o suspense e o mistério por traz dos casos. Porém não sou uma leitora assídua do gênero, e talvez não tenho experiência nesse tipo de contexto.

Voltando ao livro, James Patterson nos mostra três casos a serem solucionados, todos através da Agência gerenciada por Jack Morgan, um ex- combatente de guerra e com uma “ajudinha” não muito bem vinda do pai, reativou a agência e que em pouco tempo é umas das mais valorizadas pela qualidade e eficiência, devido a sua equipe de profissionais qualificados, formada por Justine, Del Rio, Emílio Cruz,  Dr. Sci e Mo-bot,  cada um especialista em uma área, tornando eficaz na solução dos casos investigados.

Além dos casos, nesse livro conhecemos um pouco de Jack Morgan, da sua infância problemática, do trauma da sua experiência na guerra e também a dificuldade de Jack nos seus relacionamentos amorosos.

Jack Morgan e seus “fantasmas”


Como dito anteriormente, Jack Morgan está à frente da agência Private de Los Angeles (tem em outros países, mas explicarei depois) onde ele obteve sucesso e prestígio, porém Jack esconde traumas profundos do passado, uma infância que o pai incitava disputas entre Jack e o irmão *, tornando praticamente inimigos atualmente.


Somado a isso, Jack é atormentado por telefonemas feitos todos os dias, sempre com a mesma pergunta por algum desconhecido, apesar de não ser um caso, o autor desses telefonemas será descoberto no decorrer do livro.

E devido a todos esses problemas no passado Jack tem dificuldade em manter relacionamentos amorosos, apesar de inicialmente aparentar um parceiro amoroso, ele não consegue se entregar a uma relação e se martiriza por causa dessa inaptidão em amar alguém.


O atual relacionamentos de Jack é Collen Molloy,  e através desse relacionamento que vimos as perturbações de Jack em se envolver...  Jack também teve outros relacionamentos um dele com Justine, e outro com a vítima de um dos casos a serem solucionados pela agência nesse livro.


CASO: SHELBY CUSHMAN

Esse caso é pessoal para Jack, a vítima era Shelby sua amiga e ex-amante, e o marido atual de Shelby, Andy também é seu amigo, tanto que foi Jack que apresentou o casal.


Ela foi assassinada em casa, e o único suspeito é o marido, mas Andy estava tão transtornado quando chamou Jack para ajudar a descobrir o assassino, que é impossível que ele esteja relacionado ao crime.]

Porém durante a investigação, e para surpresa de Jack, ele acaba descobrindo algumas informações sobre Shelby que ele desconhecia. A personalidade de Shelby não era compatível com as atividades dela descobertas na investigação, o que deu um novo rumo e muitos prováveis motivos para o assassinato, e mesmo depois do casamento ela continuou envolvida.


CASO: GAROTAS ASSASSINADAS


A agência tem uma equipe qualificada sendo que alguns casos Jack não faz parte diretamente das investigações, apesar de toda equipe trabalhar junta em todos os casos, mas as vezes algum dos detetives ficam responsável diretamente por uma determinada investigação, em relação o assassinato de adolescentes, a detetive encarregada é Justine, uma mulher de fibra também ex-amante de Jack (pega todas)que está atrás desse assassino algum tempo.


Depois de um tempo sem adolescentes assassinadas, o possível assassino voltou a agir. Justine é informada por Bobby Petino, o procurador do distrito de Loa Angeles e atual namorado, que recentemente uma adolescente foi assassinada, e talvez esse assassinato não tenha ligação com os outros de diversas adolescentes.


Mas no decorrer da investigação Justine descobre que há ligação, e também que talvez não seja um assassino e sim vários, motivados por um jogo de computador, juntamente com Sci, um criminalista, especializado na área legista, e também com a ajuda de Mo-bot, um gênio na informática, irão tentar desvendar o caso, que envolve uma tecnologia sofisticada.

E com as informações coletadas, eles enfrentaram outro problema, conseguir serem mais rápidos que os assassinos, e evitar outra adolescente assassinada.


CASO: FUTEBOL AMERICANO


Nesse caso Jack se envolve novamente pelo lado pessoal, seu tio Fred Kreutzer, que praticamente foi um pai para ele, é um dirigente do futebol americano, o procura para investigar um caso de trapaças nas apostas da liga de futebol.


Incluindo juízes, jogadores e entre outras pessoas envolvidas no esquema.

Além do tio Fred, a conexão de Jack com esse caso tem outras ligações pessoais.

Conclusão:

É um livro alucinante, todos os casos são resolvidos no decorrer do livro deixando um suspense até a solução final.

Todos os casos o leitor têm a visão dos investigadores, e de Jack, o que torna a leitura interessante, pois iremos descobrindo junto com a equipe os avanços das investigações. E somente uns dos casos têm a visão do assassino.

Em minha opinião a investigação sobre o assassinato das adolescentes e o da Shelby foram os mais empolgantes, e a solução do assassinato da Shelby caracterizo como surpreendente, porém o caso do futebol americano devido a nossa falta de cultura com o esporte ficou um pouco vago algumas informações para situar melhor o leitor, então ele deixou um pouco a desejar, talvez se tivéssemos um conhecimento maior entenderíamos melhor a importância do caso.

Em relação a Jack Morgan, ele realmente é um personagem interessante, temos uma boa parte da narrativa em relação a ele e seus problemas do passado, como os marcas de uma infância conturbada, os traumas da guerra, nesse principalmente iremos descobrir o que realmente ocorreu nesse período para ele ficar tão perturbado.

Outro problema que Jack enfrenta é na sua vida pessoal, até brinquei na resenha que ele “pega todas”, mas na verdade ele é instável emocionalmente, e não consegue amar alguém, o que torna a relação superficial, apesar dele se dedicar como vimos nessa relação com Collen.

O livro é viciante, a leitura flui facilmente, James Patterson é bem objetivo, sem deixar de criar um clima de expectativa e suspense e as soluções realmente descobrimos no final do livro. Além de um pouco de romance com uma pitada de sensualidade.

Espero que a resenha tenha sido razoável, como disse anteriormente não tenho experiência em resenhar esse gênero, mas irei com toda melhorar nas próximas, já que pretendo resenhar os outros livros do autor.

Resumindo... Me apaixonei por Jack Morgan e amei James Patterson.

Participe da comunidade da editora! Siga a editora! Curta a editora Confira o site da editora Sem livro no skoob Adicione na sua estante! Adicione na sua estante! Adicione na sua estante! Sem resenha! Sem resenha! Sem resenha! Sem resenha! Clique aqui e confira a resenha!

8 comentários

  1. Eu me apaixonei pela sua resenha Patty!!!!

    Preciso ler urgentemente!!!

    Parece ser maravilhoso,e esses quotes que você separa!!!!

    é só para instigar mais ainda.

    bjsss

    Bianca

    http://www.apaixonadasporlivros.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Você me ganhou quando colocou o Richard Armitade para fazer o protagonista. Gosto demais quando o James Patterson escreve seus romances policiais. Apesar de curtido a sua fase romântica a la Sparks. Gosto de tramas assim, que fluem bem e que não deixam a gente imaginando coisas. Vou ler com certeza...

    ResponderExcluir
  3. Você acredita que ainda não li nada dele? Ouço falar tão bem... Tenho que tomar vergonha e comprar algum para conferir e apreciar... Adorei sua resenha, e mais ainda a deliciosa escolha do protagonista... Bjus
    Lia Christo
    www.docesletras.com.br

    ResponderExcluir
  4. Oi Pá!
    Eu li este livro, mas não gostei dele totalmente...acredito que por ser o primeiro, fiquei com a sensação que faltou algo...
    Particularmente, gostei mais do segundo publicado aqui no Brasil, Private Missão Jogos Olímpicos. Depois, vou querer ler sua resenha sobre o livr kkkkk
    Bjs!

    ResponderExcluir
  5. Paty,

    Já li muito livro policial, adoro o tipo de raciocínio que uma história dessas nos induz a ter, a gente até tenta descobrir se o autor não se perdeu ou nos enganou, por exemplo kkkk. Ainda não li nada do Patterson, mas sempre tive curiosidade em ler. Já percebi então que é coisa boa!
    A resenha está nota 10, como sempre. E as montagens um show à parte! Deve ser entediante receber elogios sempre, né? kkkkk

    Beijão, queridona!

    ResponderExcluir
  6. Gostei da resenha Pati! Os livros do James Patterson são ótimos! Tanto Private quanto Lua de Mel já estão na minha lista. Beijo!

    ResponderExcluir
  7. Adorei a resenha! Ainda não li esta série dele. Mas gosto muitoooooooo dos livros de Patterson! Agora imagina um protagonista igual Armitage? Ai, ai... Acho que terei de ler mais essa série de Patterson!

    ResponderExcluir
  8. Hum, apesar de gostar muito dos livros do Patterson ainda não tenho esse. Até porque li algumas resenhas citando ele como mais 'fraco' quando comparado aos outros do autor.
    Agora, já que a Dona Patrícia usou esse modelo lindo-gostoso-tudibom nas suas montagens, não tenho como perder o livro. Vai já para a lista de próximas compras! kkkkkkkkk
    Bjkas!
    Monique

    ResponderExcluir

Deixe seu Comentário!