Resenha: Puros - Julianna Baggott - @intrinseca

segunda-feira, 18 de março de 2013

Puros

Julianna Baggott


I.S.B.N.: 9788580572322



Pressia pouco se lembra das Explosões ou de sua vida no Antes. Deitada no armário de dormir, nos fundos de uma antiga barbearia em ruínas onde se esconde com o avô, ela pensa em tudo o que foi perdido — como um mundo com parques incríveis, cinemas, festas de aniversário, pais e mães foi reduzido a somente cinzas e poeira, cicatrizes, queimaduras, corpos mutilados e fundidos. Agora, em uma época em que todos os jovens são obrigados a se entregar às milícias para, com sorte, serem treinados ou, se tiverem azar, abatidos, Pressia não pode mais fingir que ainda é uma criança. Sua única saída é fugir.

Houve, porém, quem escapasse ileso do Apocalipse. Esses são os Puros, mantidos a salvo das cinzas pelo Domo, que protege seus corpos saudáveis e superiores. Partridge é um desses privilegiados, mas não se sente assim. Filho de um dos homens mais influentes do Domo, ele, assim como Pressia, pensa nas perdas. Talvez porque sua própria família se desfez: o pai é emocionalmente distante, o irmão cometeu o suicídio e a mãe não conseguiu chegar ao abrigo do Domo. Ou talvez seja a claustrofobia, a sensação de que o Domo se transformou em uma prisão de regras extremamente rígidas. Quando uma frase dita sem querer dá a entender que sua mãe pode estar viva, ele arrisca tudo e sai à sua procura.

Dois universos opostos se chocam quando Pressia e Partridge se encontram. Porém, eles logo percebem que para alcançarem o que desejam — e continuar vivos — precisarão unir suas forças.


Após o apocalipse nuclear, alguns poucos abençoados são salvos pelo Domo e observam os desafortunados...os “miseráveis” como são chamados com benevolência, para que um dia eles possam sair para repovoar a terra após sua cura.

Nossa, acabei de ler Puros hoje e realmente foi um livro muito perturbador. Julianna conseguiu tecer uma trama tão arrebatadora que eu passei esta semana realmente respirando cinzas e tentando sobreviver juntamente com Pressia, Bradwell e Partridge.


Narrado em 3ª pessoa, Puros alterna os capítulos focando na ótica de Pressia, Partridge, El Capitan e Lyda. Nos deparamos com uma terra desolada, aniquilada pelas bombas nucleares, praticamente não há alimentos, os animais estão contaminados ou são híbridos de diversas coisas e todos os seres humanos que ficaram de fora do Domo, no hoje já não são mais somente seres humanos.

Muitos morreram e os que sobreviveram lutam diariamente contra os horrores causados pelas explosões. Pessoas foram mutilada, muitas foram fundidas com outras pessoas, com animais, mas a grande maioria, fora as suas queimaduras e cicatrizes está fundida com algum objeto.

As imagens criadas em nossa cabeça pela narrativa de Julianna são muito perturbadoras e realistas. Pessoas fundidas aos vidros de suas janelas, tesouras no lugar de suas mãos pois estavam cortando algo, crianças fundidas em seus brinquedos favoritos ou à animais, os “miseráveis” como os “puros” que estão dentro do Domo chamam estes sobreviventes.

Partridge é um Puro, vive no Domo e está sendo preparado para ingressar nas forças especiais, seu pai é o idealizador de todo o sistema de sobrevivência e renovação, além da tecnologia e administração de recursos lá dentro. Uma vida simples, mas que ao mesmo tempo não o satisfaz, ele não se encaixa no rebanho, sabe que é diferente.

Pressia é uma “miserável”, com uma das mãos fundida à cabeça de sua boneca, ela tenta sobreviver juntamente com seu avô neste mundo inóspito em que a terra se transformou, mas sua vida está prestes a mudar para sempre, pois ela fará 16 anos em breve. Com esta idade todos os jovens são recrutados sem nenhuma outra opção pela OBR  (o que começou como Operação Busca e Resgate) hoje é uma milícia organizada para tentar derrubar o Domo.

Partridge e Pressia acabam unidos pelo destino e juntamente com Bradwell formam um grupo com muitas diferenças e nem sempre um objetivo em comum, mas que terão que conviver e mais do que tudo, lutar para sobreviver.

De todos os distópicos que eu li, Puros foi o que mexeu mais comigo. Julianna construiu um futuro próximo realmente possível e as descrições de fatos, como as pessoas sofreram, suas perdas, suas mutilações e mutações nos brindam com um triste e ao mesmo tempo fantástico cenário que amarrado por esta trama tão bem escrita torna este livro impossível de largar até terminar de ler.

Em diversos momentos eu li com um nós entalado em minha garganta, tamanha a realidade das cenas que se formavam em minha cabeça. Não espere um livro bonitinho, muito menos com muito romance, ou que o mesmo ocorra logo de cara. Puros é fantástico justamente porque foge do clichê. Principalmente porque aqui não foram os opostos que se atraíram e isso sem falar na parte central da trama que realmente acabou me pegando de surpresa, o que foi muito bom, depois de tantos livros previsíveis que eu andei lendo ultimamente.

Os personagens de Puros são muito marcantes, cada um com sua bagagem de sofrimento, mas mais do que suas deformidades ou experiências traumáticas, são as personalidades brilhantes que nos fazem virar fã desta nova distopia e aguardarmos ansiosos por mais.  Bradwell e El Capitán são os nossos guerreiros e com toda a sua marra e intensidade, roubam a cena em diversos momentos.

Nossa a parte em que El Capitán percebe que seu irmão Helmud é muito mais esperto do que aparenta e estava preparado para matá-lo caso fosse preciso e isto o deixa orgulhoso, foi um dos pontos altos do livro.

O mundo está mudando novamente e uma nova onda está por vir. A revolução tem inicio. Mas, ela inicia dentro de cada um deles. E, uma vez liberada, ela não poderá mais ser contida.

Não trouxe muitas citações, pois todas elas são bem fortes e acho que somente lendo o livro é que vocês terão a oportunidade de desfrutar de toda a intensidade da obra. Mas, trouxe para você principalmente um parte que para mim foi muito penosa de ler, pois sendo mãe, acabei entrando muito na pele das personagens durante este trecho.

Nossa Boa Mãe agora fala apenas para Pressia.- Quando ocorreram as explosões, muitas de nós estávamos aqui, sozinhas, em nossas casas ou trancadas em nossos carros. Algumas foram atraídas para o quintal para ver o céu, ou, como eu, para as janelas. Agarramos nossos filhos junto ao peito. As crianças que pudemos reunir. E houve algumas que estavam presas, morrendo. Todas nós fomos deixadas para morrer. Fomos nós que cuidamos dos moribundos. Enterramos nosso filhos e, quando houve muitos para serem enterrados, construímos piras e queimamos o corpo de nossos próprios filhos. Mortes, eles causaram isso a todas nós. Antes os chamávamos de Pai ou Marido ou Senhor. Nós é que víamos os pecados mais obscuros deles. (...) – Eles nos deixaram para morrer e nós somos obrigadas a carregar nosso filhos, nossos filhos que nunca crescerão, e teremos que fazer isso para sempre. Nosso fardo é nosso amor.
Puros – página 246/247.

Julianna cria uma gama de criaturas estarrecedoras e fantásticas. O ritmo intenso da narrativa dá agilidade na leitura que torna-se fluída e rápida.

A 1 ª coisa que me chamou a atenção neste livro foi a capa, que eu amei pois é muito bonita, mas depois da leitura, eu tive certeza de que ele valeu cada centavo do meu investimento. Embora eu tenha encontrado alguns erros de revisão e em alguns momentos Frido (a cigarra de Pressia) passe a ser Fridle e depois volte à Frido, a estória é tão envolvente e nos deixa tão apreensivos que nem ligamos para estes pequenos deslizes.
Encontrei algumas fanartes de Pressia e Bradwell que achei que ficaram perfeitas.





E esta é a capa de Fuse, livro 2 da trilogia Puros. Ainda não temos data para lançamento aqui no Brasil, mas eu estou torcendo para a Intrínseca publicar logo a continuação.

A dor e a perda estão permeados a cada página de Puros, mas também a esperança é semeada a cada novo capítulo. O que irá acontecer a seguir? Vamos ter que aguardar Fuse.



Compre seu exemplar de Puros na Saraiva que o preço está ótimo!


1 comentários

  1. A capa também me chamou atenção,mas acabei deixando esse livro para depois e esqueci del.
    Sua resenha me chamou mais atenção que a capa e acho que vou amar esse livro.

    Mais uma para lista de leitura,indicação dos blogs amigos!!

    Adoro essa troca.

    Beijos

    Bianca


    http://www.apaixonadasporlivros.com.br/

    ResponderExcluir

Deixe seu Comentário!