RESENHA DUPLA @blogdaguardia e @paros28 : PROCURA-SE UM MARIDO - CARINA RISSI

segunda-feira, 8 de abril de 2013



I.S.B.N.: 9788576861980
Cód. Barras: 9788576861980

Reduzido: 4257778

Altura: 23 cm.

Largura: 16 cm.

Profundidade: 1 cm.

Acabamento: Brochura

Edição: 1 / 2012

Idioma: Português

País de Origem: Brasil
Número de Paginas: 474


Sinopse: Alicia sabe curtir a vida. Já viajou o mundo, é inconsequente, adora uma balada e é louca pelo avô, um rico empresário, dono de um patrimônio incalculável e sua única família. Após a morte do avô, ela vê sua vida ruir com a abertura do testamento. Vô Narciso a excluiu da herança, alegando que a neta não tem maturidade suficiente para assumir seu império – a não ser, é claro, que esteja devidamente casada. 

Alicia se recusa a casar, está muito bem solteira e assim pretende permanecer. Então, decide burlar o testamento com um plano maluco e audacioso, colocando um anúncio no jornal em busca de um marido de aluguel. 

Diversos candidatos respondem ao anúncio, mas apenas um deles será capaz de fazer o coração de Alicia bater mais rápido, transformando sua vida de maneiras que ela jamais imaginou.
Resenha
Particularmente não sou admiradora do gênero chicklit, e quando a autora comunicou que iria lançar um livro desse gênero fiquei receosa, já que tinha me apaixonado com a narrativa de Perdida, que se tornou um dos meus livros preferidos, aquele de cabeceira que quando sente saudade de alguma passagem você dá uma relida, pois é... Perdida é assim...


Mas após a leitura do livro descobri que a questão do gênero de um livro escrito por Carina Rissi não é importante, já que a autora tem seu próprio estilo. Posso citar que quando lemos um livro da autora vimos um pedaço de várias autoras consagradas na literatura romântica, poderia dizer que tem um pouco de Nora Roberts, pois os personagens masculinos tem um perfil normal sem esquisitices que lemos por ai,  posso dizer que tem um pouco de Jane Austen porque as personagens femininas são decididas e apesar das adversidades elas se superam usando a inteligência, também posso dizer que ela tem um pouco de Mariah Keys quando usa de elementos bem humorados para apresentar determinadas situações com os personagens, ou que tem um pouco de Judith McNaught que descreve casais encantadores que cativam e te emocionam, ou um toque de Meg Cabot que dá um toque de suavidade a narrativa, ou diversas outras autoras poderiam ser citadas, só que a autora reuniu um pouco de cada e criou seu próprio estilo.

Carina Rissi não se encaixa em um gênero literário, se pudesse intitular algum seria o gênero “Carina Rissi”, pois ela reinventa histórias que já foram tantas vezes escritas por outras autoras, ela cria sua própria identidade, vimos influências de várias autoras no seu trabalho, mas ela brilhantemente desenvolveu um estilo único, em Procura-se um Marido ela comprova essa teoria.


Nesse livro ela nos apresenta Alicia Moraes de Bragança e Lima, mesmo tendo 24 anos ainda se comporta como uma adolescente faz o estilo “Patricinha de Beverly Hills”, herdeira de uma empresa de cosméticos, rica, só quer saber de baladas, bebedeiras, roupas de grife, carro importado, já foi presa algumas vezes, ou seja, não dá importância para nada, só quer curtir a vida.


Porém Alicia se importa muito com seu avô, depois da morte prematura dos pais foi ele que a criou, e pelo que apronta também a mimou demais, talvez seja o único lado sério de Alicia, mesmo fazendo diversas besteiras incomoda o avô, ela realmente o respeita, óbvio da maneira dela, mas ela verdadeiramente o ama.


O mundo de Alicia desaba com o falecimento do avô, além da parte sentimental que ela perdeu o que representava a sua família, Alicia descobre que o avô a deixou com o mínimo de bens possíveis e parcialmente pobre, já que ela está acostumada com alto padrão, e para piorar a obrigada a trabalhar na empresa de cosméticos no qual seu avô era proprietário e que ela herdaria futuramente, porém com uma condição, ela teria que CASAR...

Apesar das condições parecem ser uma punição para Alicia, mas na verdade o avô queria que ela tivesse senso de responsabilidade, apesar da  atitude radical que no decorrer do livro iremos descobrir que tem algumas tramas no meio.


Então Alicia começa a trabalhar na empresa do avô, além de ser colocada em um cargo inferior, ela ainda ganha uma miséria e tem que aguentar a discriminação dos funcionários da empresa que conhece sua má reputação. Mas as cenas do escritório são as mais engraçadas, Alicia inventa desde apelido para os funcionários como também apronta algumas situações inusitadas, uma delas é a primeira vez com a copiadora, quando ela digitaliza uma parte do seu corpo, entre outros tipos de situações que ela se envolve.


Um dos funcionários que a esnoba é Max, um jovem executivo, com futuro promissor, tem um bom cargo e bem relacionada na empresa, inicialmente ele e Alicia não se toleram, mas por mais que tente odiá-lo ela sente uma atração por ele, e ele começa a observar melhor que Alicia não é tão desmiolada quando demonstra.


Mas isso era o de menos na vida de Alicia, ela teve que vender o carro, começar a andar de ônibus, estava sem dinheiro, e pior perdeu até a casa, já que Clóvis o advogado que ficou responsável pela sua herança até Alicia ser apta a adquiri-la, foi morar na casa e tentou colocar regras em Alicia, o que a levou sair de casa e ir para casa da amiga Mari, que tenta levantar a moral da amiga, porém a situação passou a se tornar insustentável e Alicia no desespero decidiu anunciar no Jornal que estava a procura de um marido.


E por feliz ou infeliz consciência um dos candidatos era Max que também tinha interesse em casamento de mentira, já que ele precisava casar para se tornar respeitável para concorrer um cargo maior na empresa. E a partir desse o momento o livro gira em torno do casal, da progressão de sentimentos entre eles além de descobrir que o avô de Alicia não foi tão radical assim e tem pessoas que estão se aproveitando da situação.


Não cheguei a perguntar para autora, mas Alicia lembrou muito da Emma de Jane Austen,  no inicio vimos uma pessoa fútil que não queria saber de nada, mas no decorrer da narrativa vamos conhecendo outras qualidades de Alicia, percebe que Alicia tem uma personalidade amável, se preocupa com os amigos, generosa, leal quando realmente gosta de alguém e juntamente com todas as turbulências ela também fica mais madura.


Também tem a boa influência de Max, um cara responsável que se dedica a família que não é bilionário, apenas trabalha e tem uma boa vida, um cara tipicamente normal, ele é adorável, principalmente algo que envolva Alicia, toda a cena da Alicia com medo de trovões é uma demonstração desse carinho em relação a ela, além de educado , romântico e bastante ciumento.


Temos bastante tensão sexual entre o casal, Alicia tentando seduzi-lo, Max achando que não tem a mínima chance com Alicia, já que ele é um funcionário e ela será futuramente a dona da empresa, mas os sentimentos sobressaem e eles vão construindo a relação.


As cenas do casal são românticas, com diálogos divertidos e um toque de sensualidade, a cena do hotel define bem esse momentos. Apesar da narrativa ser feita pela Alicia, a autora consegue passar através dos olhos da personagens os sentimentos que transcorrem na cena.


E quando Alicia estava começando a se entender com Max e o casamento de mentira se tornar de verdade, surge a possibilidade de que o que aconteceu com Alicia não era o real desejo do seu avô e que alguém manipulou a situação.


Alicia para poder ficar com Max tem que descobri a verdade, antes que a única solução seja ter deixar o Max.

Conclusão:
Apesar da autora tentar rotular o livro como chicklit, eu irei dar outro nome esse gênero é o Carina Rissi, a autora tem um texto tão fluido e ágil que quando você percebe já terminou o livro.


Outra particularidade é a variedade da narrativa, ela nos leva do riso as lágrimas, talvez a representação do avô me deixou bastante sensível, já que lembrei do meu avô, e fiquei imaginando como Carina iria nos demonstrar a importância do avô na vida de Alicia, já que ele faleceu bem no inicio do livro, mas Carina com uma abordagem diferenciada trouxe o avô de Alicia para narrativa, de uma maneira tão sensível e delicada.


Carina tem um talento para caracterização dos personagens, os personagens masculinos são personagens que em qualquer romance histórico chamaríamos de “Lorde”, enquanto as personagens femininas são mulheres que sabem o que querem, e mesmo com aparência enganosamente frágil, são mulheres fortes de personalidade e inteligência.


Outros personagens secundários fizeram parte ativa no livro, a melhor amiga da Mari que praticamente virou o anjo da guarda de Alicia, além do advogado Clóvis e para o presidente provisório da empresa Hector o principal suspeito de Alicia por essa tramoia que envolveu a sua herança. E tem a Vanessa a mulher que vive provocando Alicia tentando seduzir Max.


E Carina, aproveitando de uma parte da dedicatória que você escrever no meu exemplar: “Não importa quantos livros eu escreva, nem se você vai querer lê-los ou não. Vai sempre receber um como uma foram de carinho e gratidão.” E eu te digo: “Não importa quantos estilos de livros você escreva, vou sempre querer lê-los e tenho certeza que não terá como não gostar”. E não podia terminar a resenha sem mostrar essa cena, principalmente como a frase final kkkkk.








Alicia é uma patricinha bon-vivan no pior sentido da palavra. Rica e mimada ao extremo por vô Narciso, dirige um Porsche e já viajou o mundo todo, ela vive de todos os excessos que o dinheiro pode pagar e em todas as confusões de onde ele a pode tirar...hehehe

Alicia é uma menina muito mimada no corpo de uma mulher. Trabalhando em uma loja de antiguidades apenas por esporte e para contentar seu avô, ela não tem a mínima noção do que é a vida e do quão difícil pode ser o mundo real. Assim, ela viu sua vida perfeita e irresponsável ruir com o falecimento do avô e a perda de sua herança.

Fora a dor da perda de vô Narciso que desde que ela se lembra tem sido sua única família, ela ainda leva o choque de perder todo o seu dinheiro conforme uma cláusula testamental.
Como último recurso para tentar colocar juízo na cabeça de vento de sua amada neta, vô Narciso determina que ela apenas terá direito à sua parte na fortuna, caso ela encontre um marido e permaneça casada por no mínimo 1 ano.

E o pior de tudo, para se manter até que recupere seu dinheiro, ela terá que TRABALHAR. E, não é mais um emprego de fachada não. Ela ganhou um emprego vitalício na holding do Sr. Narciso, mas como bem disse seu querido avô em testamento. Ela terá que começar por baixo, para aprender o ofício, aprender humildade e moldar um caráter vencedor.



Sei que talvez você esteja com raiva, mas acredite: só estou pensando no seu bem. Quero que vá para casa agora, respire fundo e volte amanhã. Há uma lutadora em você. Nestes últimos anos ela sempre apareceu nas horas mais inadequadas, mas não posso acreditar que tenha desistido agora. Volte amanhã e me deixe orgulhoso.
Vô Narciso

E é aí que a confusão toda começa...hehehehe

Carina como sempre nos surpreende com mais um livro simplesmente D.E.L.I.C.I.O.S.O!! E olha que eu nem sou muito fã de chicklit, mas como bem sabe, sou fã de carteirinha da minha amiga Carina Rissi e simplesmente não há como não gostar de um livro assim.

Procura-se um Marido é leve, dinâmico e muito, mas muito bem humorado. Mais uma marca registrada da escrita criativa e fresca de Carina.

Simplesmente me diverti horrores com a leitura de Procura-se um Marido. Alicia foi muito bem construída e desenvolvida, com uma personalidade irritante e marcante, ela foi capaz de já me fazer odiá-la já nos primeiros parágrafos, já que não tenho muita paciência pra gente sem noção da realidade...hehehehe...mas como esta sempre foi a ideia, tenho a dizer que mais uma vez Carina conseguiu nos cativar com uma mocinha forte, com personalidade dura na queda e sobre tudo que dá uma guinada na vida e na trama muito bem construída e convincente.

As brigas com a copiadora e a baixa da guarda dela para os demais colegas de trabalho, aos poucos foram revelando também o verdadeiro caráter de Alicia. Assim como o brio em sua alma que se dispunha a vencer os desafios impostos por seu avô e lhe provar que realmente ela era digna do orgulho e amor dele.

As agruras de Alicia se acostumando a ser pobre foram muito legais. Assim como as doses nada homeopáticas de realidade que ela teve que ingerir assim de supetão.



Entre o inconformismo com o trabalho e a perda de seu estilo de vida. Alicia teve uma santa ideia: "iria contratar um marido por temporada" e assim resolver seus problemas.

A procura do marido ideal para a empreitada nos apresenta vários tipos muito estranhos e engraçados...hehehehe...e junto com Alícia vamos ficando também meio desacorçoadas com a safra de homens que se apresentaram.

Até que ela dá de cara com Max. O belo (em todos os sentidos da palavra) e irritante Maximus que acabou se tornando seu pesadelo diário no trabalho. Ele acabou respondendo ao anuncio, mas qual será seu verdadeiro interesse?

A história romântica que é claro se desenrola após este arranjo matrimonial nos encanta. Como já disse antes, Carina aborda tudo com muito bom humor e a personalidade forte, ainda mimada, mas polivalente de Alicia aliada com o carisma e beleza de Max, tornam Procura-se um Marido simplesmente irresistível!



A Verus que muito gentilmente nos cedeu este livro para resenha também está de PARABÉNS! A capa ficou maravilhosa, assim como a Noiva de All Star que já se tornou a marca registrada de Carina hehehehe. A diagramação e revisão estão impecáveis completando assim com chave de ouro mais este magnífico trabalho de Carina Rissi.

Convido vocês para vivenciar toda a aventura, o romance e claro...dar muitas risadas lendo Procura-se um Marido e descobrir se mesmo depois de tanta confusão ela consegue receber ou não o que deveria ser seu de direito.
Sei que sou suspeita para falar, mas realmente o livro é muito bom e mesmo que ainda como eu é cética em relação ao gênero Chicklit, garanto que não irá se decepcionar.

Deixo vocês com uma das citações mais fofas do livro e também mais uma vez reafirmando que Max é simplesmente o MÁXIMO! hehehehehe




11 comentários

  1. Eita que resenhas maravilhosas! Como nunca li nada da Carina até hoje eu não sei... Adorei as resenhas, me identifico bastante com esse tipo de leitura! O livro anterior dela eu já queria ler... Agora tenho dois na lista... Vou providenciar!

    ResponderExcluir
  2. Oi Paty!
    Faz tempo que quero ler esse livro, só li um chick lit e gostei bastante, adoro narrativas bem humoradas, e ainda saber que a autora coloca vários estilos de autoras famosas...adorei.
    Vou ler com certeza!
    Beijos
    Amanda
    leiturahot.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Duas resenhas maravilhosas. Fiquei com muita vontade de ler os livros da Carina, já que vergonhosamente ainda não li nenhum. Espero reparar isto em breve. Anotado na listinha de desejados, aquela listinha interminável que tenho... kkkk
    Lia Christo
    www.docesletras.com.br

    ResponderExcluir
  4. Uau, resenha dupla que é pra gente não ter dúvidas quanto à qualidade do livro (não que eu tivesse...kkkk).
    Adorei meninas, o único problema é a mega vontade que fiquei de lê-lo e ainda nem consegui começar a ler Perdida...ai essa vida de universitária/trabalhadora...kkk

    Beijoooos

    http://kastmaker.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  5. Olás!
    Ah! Eu devorei esse livro, simplesmente ahahah
    Quando eu recebi pelos correios, segurei um pouco a leitura, pois sabia que se iniciasse, não iria parar \o/
    A história é maravilhosa!
    bjs!

    ResponderExcluir
  6. Pati e Scheila,
    Um arraso, dupla dinâmica kkk
    Resenhas show de bola e montagens muito criativas!
    Sorriso merecido da Carina Rissi :D

    Beijão para as três!

    ResponderExcluir
  7. As duas resenhas estão maravilhosas,dá vontade de sair correndo e pegar o livro para devorar na mesma hora,eu amo a narrativa da carina Rissa que me conquistou com Perdida,estou doida para ler esse mas as obrigações estão me afastando um pouco dele,mas em breve eu chego lá...

    resenhas lindas que conquistam e instigam de forma desleal com as amigas meninas....

    bjsss

    Bianca

    http://www.apaixonadasporlivros.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Sou louca para ler esse livro!!
    Mais até agora não consegui comprar!!
    Parabéns pelas resenhas!!

    ResponderExcluir
  9. Meninas, confesso que só vou dar uma chance a esse livro por causa da resenha de vocês. Comecei a ler Perdida e não consegui passar da página 30. Acho que eu não estava num bom momento para ele, e acabei achando tudo muito chato. A escrita da Carina tem recebido muitos elogios, o que demonstra que a qualidade de sua obra está mais do que garantida. Mas, como gosto é algo complicado, vou tentar ler quando estiver num bom momento psicológico... rsrsrsrsrs

    ResponderExcluir
  10. Paty e Sheila, suas lindas!!!!

    Eu estava a tempos esperando por essa resenha dupla e a espera valeu muito a pena! Muito obrigada pelo carinho e pelas palavras, meninas ( especialmente você, Paty, que sei que odeia chick lit e mesmo assim encarou Procura-se de frente). Amei demais as resenhas e fico sem palavras para agradecê-las. Adoro vcs!

    Beijooooos!

    Carina

    ResponderExcluir

Deixe seu Comentário!