RESENHA: A ESTRELA - JAVI ARAGUZ E ISABEL HIERRO

quarta-feira, 8 de maio de 2013





Autor: Javi Araguz e Isabel Hierro
Editora: Rai Editora
ISBN: 9788581460345
Ano: 2012
Páginas: 240
Tradutor: Carolina Caires Coelho.

Sinopse:
Após uma catástrofe ter transformado o Linde em um ambiente hostil e instável, todos os habitantes do mundo precisam aprender a viver em clãs isolados, dentro dos Limites Seguros. As rupturas fazem com que o mundo mude de forma repentinamente e os que não estão preparados podem perder-se para sempre. Durante uma violenta ruptura, Lan, uma garota que vive no clã de Sálvia, não resiste e acorda sozinha e sem mantimentos no meio do deserto. Logo a garota é resgatada, porém, por seu pior inimigo. Destemida e determinada a encontrar sua família, Lan percebe que a única forma de reencontrá-la e talvez encontrar uma cura para o Linde depende unicamente da aliança com um povo nada confiável.

Resenha:
"Um jovem marcado por uma maldição.
Um povo que esconde o maior segredo já guardado.
Um perigoso e impossível amor.
E um mundo cuja superfície muda constantemente de forma... Onde perder-se pode ser o equivalente a morte."

Apos uma catástrofe ambiental, o mundo não é mais seguro, os habitantes vivem com medo, e se agrupam em pequenos clãs, para tentar sobreviver. Lan vive no clã de Sálvia, um pequeno grupo de pessoas que mora as margens de uma floresta. As pessoas vivem a espera que a Quietude se rompa novamente, e os pegue desprevenidos, já que existe apenas duas opções para quem ultrapassa os limites seguros ou entra em contato com as partículas: Perder a alma ou se perder para sempre no grande Linde.

Quando a Quietude se rompe, as placas se movem e tudo pode mudar, o mar pode virar deserto, a neve se tornar floresta... Tudo é possível, por isso os clãs são localizados nos "limites seguros", ou seja, ao centro dessas placas, longe das rachaduras. Mas as rupturas estão acontecendo mais frequentemente, e cada vez mais rápidas, sem dar tempo de habitantes procurarem um lugar seguro.

Lan mora com a mãe, seu pai a muito se perdeu no Linde, e ambas vivem com medo de que a próxima ruptura possa separa-las também. Lan assim como o pai, tem a necessidade de ajudar a todos que precisam, principalmente em um lugar onde não se sabe como será o amanhã, mas isso as vezes coloca a própria segurança em risco.

"(...)Neve. Noite. Dia. Tudo mudava com muita velocidade. Lan viu o mundo em que vivia se transformando mais uma vez, como se fosse um grande quebra-cabeça. De repente, tudo parou. A menina fechou os olhos, recuperou o controle e ficou apenas "escutando" o silencio: a Quietude.(...)"

Na ultima vez em que a Quietude se rompeu, um menino desavisado ficou próximo ao lago, brincando na mata, Lan tomada pelo seu instinto protetor, resolveu resgata-lo, mesmo em meio ao caos. Mas eis que ela presencia uma cena inusitada. Ao avistar o menino, ela observa que alguém o esta segurando fora dos limites seguro. Mas como isso é possível? Nenhuma pessoa é capaz disso sem se perder completamente. Será que as lendas dos sequestradores existem mesmo?

Ao se aproximar para tentar resgatar o menino, ela percebe que os olhos do sequestrador brilham como estrelas em meio a escuridão, e que ele possui um estrela tatuada na mão. Sem entender o risco que corre, Lan também atravessa os limites e como em um passe de magica, quando o sequestrador toca em seu braço, ela e o menino que tentava salvar estão de volta ao clã, sãs e salvos, mas Lan está completamente atordoada, o simples toque daquele sequestrador causou dor a ela. Mas como isso aconteceu!? Ela não consegue entender.

Eis que os visitantes mais esperados retornam a Sálvia. Os Errantes, nômades que caminham sobre o Linde e as únicas criaturas na superfície capaz de se localizar, mesmo com todas as rupturas; e que não podem ser tocados por nenhum ser vivo, são amaldiçoados, o toque de um Errante pode levar a morte. Mas eles estão de volta, trazendo noticias sobre a "grande ferida" e conselhos a todo o povoado. É sempre uma grande festa quando os Errantes aparecem, mas dessa vez, a noticia não é boa, o mundo esta morrendo aos poucos e ninguém pode fazer nada, e "grande ferida" esta a cada dia maior. Não existe salvação.

"(...)E então, criou-se um dilema: valia a pena advertir as pessoas de que o Linde estava morrendo ou seria mais nobre esconder isso, para que continuassem vivendo na ignorância, porém felizes, até o fim?(...)"

Mas é durante essa visita que Lan percebe que todos os Errantes possuem a mesma tatuagem que o sequestrador que encontrou no bosque. Será que era um deles? Mas é contra a lei um Errante tocar em alguém, mas é a dor que sentiu? Era explicável. Mas todas as suas duvidas somem, quando em meio ao grupo ela avista o mesmo garoto de olhos brilhantes do bosque. Será que esse povo considerado "Guias" para a população do Linde, são mesmo tão amigáveis, como eles conseguem se localizar? Magia? Ou algum segredo que eles escondem de todos? será que revelam toda a verdade?

É isso que Lan vai ter de descobrir, mas antes ela precisa entender qual era a intenção daquele sequestrador no bosque, por que; apesar de tudo, ela se sente atraída pelos misteriosos olhos negros do garoto.

"(...)A esperança é acreditar além do que podemos controlar. É um sentimento, como a alegria, o medo ou o ódio, ao qual você pode se apegar principalmente nos momentos mais difíceis, quando sabe que não consegue fazer nada sozinho. Inclusive quando tudo esta perdido, sempre resta a esperança. (...)"

Ok, ok, ok! Estou em choque! Este livro não estava na minha lista de leitura, e muito menos nos meus desejados, apesar de sempre ter achado a capa muito bonita. Mas eis que surgiu a possibilidade de resenha-lo. Eu não poderia imaginar o quanto ele me deixaria abalada. Não estou exagerando, o livro é muito bom, com uma estória muito bem desenvolvida e personagens marcantes.

Depois de ler HoN, eu peguei implicância com livros escritos por duas pessoas, normalmente tem a narrativa meio capenga, pois cada um tem um modo de escrever, mas esta ai a dupla perfeita : Javi Araguz e Isabel Hierro.

Novamente uma distopia, o estilo literário que esta tomando o mercado. Mas a cada dia eu me surpreendo mais com esse estilo, que muitas vezes, possa ser um alerta, não acham? Quando eles citam a "grande ferida", não deu para não lembrar o buraco na camada de ozônio, apesar de na história esta "ferida" ser no centro da terra, algo de dentro pra fora, e não ao contrario como na realidade. Grandes rupturas que mudam a superfície da terra; será que os nossos terremotos em escalas maiores? Serio, posso estar sendo totalmente filosófica e ambientalista, mas este livro poderia ser considerado como um alerta. Achei incrível essa abordagem de um tema atual e muito importante de uma forma mais fictícia.

Mas o final deste livro foi algo que me deixou abalada, completamente. Em livros "fantásticos", eu sempre espero o "e viveram felizes para sempre" no final. Eu fico completamente frustrada quando isso não acontece, principalmente quando é um livro único, como este! Não posso entregar o final, só posso confessar que eu chorei, (sim, sou frouxa, e dai? kkk)e até o presente momento estou inconformada, PRECISA ter uma continuação, Javi e Isabel não podem ser tão insensíveis assim. Salva o mundo mas não salva o amor?? COMO??? Ainda mais um romance tão bem construído.

Enfim, devaneios de uma leitora frustrada aparte, o livro é ótimo, com uma narrativa intensa, com personagens bem construídos, a trama totalmente coerente, apesar do tema distópico, é uma leitura leve, que flui muito bem, eu o li em dois dias. O livro é uma distopia muito diferente das atuais, nada de guerra ou de seres de outros planetas, a guerra é travada na Terra, contra a própria Terra, o que deixa a história instigante, mas ao mesmo tempo triste, principalmente porque pode ser uma realidade futura e também pelo romance desenvolvido paralelamente na trama, que é lindo e ingênuo, mas com um final totalmente inusitado. Acho que vocês devem ter notado que eu não mencionei em nenhum momento o nome do "sequestrador" da Lan, certo? Pois então, Errantes não possuem nome, eles não se acham dignos de ter nada, nem mesmo um nome,  mas no ultimo momento a Lan escolhe um nome pra ele, e foi ai que eu comecei a chorar. ='(

Bom pessoal fica a dica de leitura, um livro envolvente, capa perfeita, quase sem erros de revisão, com um final triste, mas uma historia que vale a pena conhecer.

10 comentários

  1. Ain...
    Toda resenha que leio desse livro é fodástica! E eu sou uma total amante de distópicos. Já o quero, pra ontem!!
    Muito boa a sua resenha! Me convenceu por completo a comprar o livro.

    bjus
    terradecarol.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Não conhecia esse livro,e adorei a dica e a resenha!!!

    Eu gosto muito de histórias tristes...e concordo com você,essa parece valer a leitura!!

    bjsss

    Bianca

    http://www.apaixonadasporlivros.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Não curto muito distopias, mas acho a capa desse livro tão linda que dá vontade de ler. Quem sabe em outro momento me entusiasme mais.
    Bjkas!
    Monique Martins
    @moniquemar

    ResponderExcluir
  4. Parabéns pela resenha! Estou ansiosa para ler A Estrela! Beijo!

    www.newsnessa.com

    ResponderExcluir
  5. Ola Géssica! Obrigada por tu reseña! Gracias :)

    ResponderExcluir
  6. Ola.;......Eu amei esse livro, super envolvente...........mais eu preciso de uma continuação.......Não pode ter terminado daquele jeito /=/

    ResponderExcluir
  7. Amei o livro e necessito tbm de uma continuação!:'( Qdo souber de alguma continuação posta aqui plzzz! Otima resenha, parabéns!
    http://paraisodasleitoras.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  8. Comprei o livro e todas as resenhas que leio sobre ele só me faz querer ler , mas tenho um sério problema para livros sem fim , estava esperando ter uma continuação para conseguir lê-lo .

    Mas sabe de uma coisa ? Vou ler ele mesmo sem continuação .

    Parabéns pela resenha .

    Beijos ,
    Gleyce Nascimento .

    Blog literário : ps-believeandlive1.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ois, você leu? Preciso muito de alguém pra comentar sobre minha decepção, já que minhas amigas não leem muito.

      Excluir
  9. Eu terminei de ler esse livro agora a pouco... Estou realmente MUITO triste com aquele final, rsrs. E não sei como agir, mas de uma coisa tenho certeza (quase absoluta), mas se falasse o que é seria meio que um spoiler então melhor guardar para mim mesma! Não sei como agir, e queria mandar uma mensagem para algum dos autores implorando que continuassem o livro, só que como você disse, com um final feliz!!!

    ResponderExcluir

Deixe seu Comentário!