RESENHA: APOSTA INDECENTE - MATILDA WRIGHT

segunda-feira, 30 de setembro de 2013


Editora: Leya Brasil
Categoria:
 Literatura Estrangeira / Romance
I.S.B.N.:
 9788580447941
Tamanho:
21 x 14 x 1 cm.
Edição: 1 / 2013
Idioma: 
Português
Número de Paginas:
 240
Skoob:
clique aqui 

Sinopse: Paris, 1854. Um dos homens mais ricos da França, o marquês de Villeclaire tem uma vida luxuosa e despreocupada, onde não falta nada que o dinheiro e a sua posição social possam pagar. Mulheres, jogo, festas, caçadas, palácios… Mas, uma aposta faz com que os destinos de Villeclaire e Catherine Duvernois, uma jovem e misteriosa viúva, se cruzem, numa fase em que uma nuvem negra assombra os dias do belo marquês, prestes a casar, contra a sua vontade, com Blanche de Belfort. A vida de Louis de Villaclaire desmorona-se… Quem é Catherine Duvernois? E Blanche de Belfort? Alguém está mentindo. Mas quem? Por quê? A resposta mudará para sempre o futuro destas três personagens. Um romance arrebatador, que se desenrola entre os sofisticados salões da aristocracia parisiense e as deslumbrantes paisagens do vale do Loire, levando os leitores em uma viagem inesquecível por cenários de sonho, durante o reinado do Imperador Napoleão III.


Romance histórico é dentre todos os gêneros o meu preferido, poderia passar lendo somente esse gênero incansavelmente, mas não me considero uma especialista no assunto, apesar da preferência me considero uma leitora inexperiente.

Além do que o mercado editorial nacional não investe muito nesse tipo de gênero, então várias leitoras tem que importar livros desse gênero de Portugal, por exemplo, nunca pude importar nenhum, ou seja, espero pacientemente que as editoras publiquem algo no Brasil.

Até que uma editora lançou ao mesmo tempo três livros do gênero, que por mais que as editoras brasileiras teimam em dizer que romance histórico não vende, essa editora mostrou ao contrário, e as publicações de seus livros são um sucesso e que atraiu mais leitores para esse gênero.
Nesse meio tempo, foi anunciada a vinda do Selo Quinta Essência para o Brasil através da Editora Leya, e todas as fãs de históricos surtaram, porque o catálogo de Portugal da Quinta Essência é repleto de excelentes autoras do gênero, como Eloisa James, Cheryl Holt, Jude Deveraux, Jess Michaels, Elizabeth Hoyt, Teresa Medeiros, Patricia Cabot, Laura Lee Guhrke, dentre outras. Na época fizemos até enquete para ver qual dessas seriam publicadas.

A editora começou a mandar e-mails para parceiras dando pistas para descobriram qual livro seria o primeiro do gênero publicado pelo Selo. Até que chegou o momento da revelação... Aposta Indecente da autora Matilda (ou Mathilda) Wright... ???????????????????????????

Inicialmente não poderia ser mais frustrante, com tantas autoras talentosas, o selo decidir lançar uma autora desconhecida, sendo que esse é o primeiro romance da autora também, aliado a isso uma avalanche de críticas das leitoras portuguesas sobre o livro.

Mas mesmo assim não me importei, estava realmente com vontade de ler o livro, e toda autora tem que começar, então porque não dar créditos a Matilda (Mathilda) Wright?

Porém mais uma frustração, não que a autora não escreve bem, pelo contrário, a narrativa dela tem um bom ritmo, é bem clara, porém cheia de clichês, e desenvolvimento de personagens, principalmente o envolvimento do casal principal ficou tão superficial que a expressão “amor miojo” nesse livro equivale a “união estável” kkkkkkk

A narrativa do livro Aposta Indecente da autora Matilda Wright é ambientado em Paris ano de 1854, onde Louis Villeclaire, o Marquês de Villeclaire, um libertino convicto, frequentador assíduos de bordéis, noitadas e muitas amantes.

Em uma dessas noitadas através de uma aposta ganhou todos os bens do perdedor, e algum tempo depois essa pessoa veio a falecer, Villeclaire decide ir atrás para resgatar seus bens devidos, porém além da casa em péssimo estado, encontra-se uma jovem viúva, Catherine Duvernois.


Inicialmente Louis se encanta com a aparência e personalidade de Catherine, além de se comover com o estado lastimável da moça, porém começa a desconfiar porque uma moça tão jovem quanto Catherine estaria casada com um velho (ele não conhece a Gabi, rsrsrs), e chega a conclusão que ela pode ser uma ex-prostituta, que Duvernois tenha conhecido ela em um bordel e ter decidido se casar, então Louis decide que Catherine tornará sua amante.

Mas Catherine é uma moça sofrida, e durante a viagem para uma propriedade afastada de Paris, ela conta sua história para Louis, inicialmente ele acredita e fica até sensibilizado pelas injustiças cometidas contra Catherine, mas ao mesmo tempo ele acha a história absurda e começa a desconfiar da veracidade da história, e a julga como oportunista, manipuladora e mentirosa.

Porém ele sente uma forte atração por ela, e após um beijo que o deixo perturbado ele parte de volta a Paris, enquanto Catherine fica nessa propriedade afastada da cidade.


E realmente Louis ficou um bom tempo em Paris, para ter noção desse tempo, ele ficou da página 63 até a página 169, enquanto isso Catherine estava em sua propriedade curtindo sua nova vida com bastante conforto ao lado de Marie de Thievenaz (antiga ama de Louis) que futuramente confirmará a veracidade da história de Catherine.


Villeclaicre volta ao seu mundo de perversão, inclusive arranja uma amante, Isabelle de Dufour, e durante esse tempo todo em Paris, ele se divide em um idílio amoroso com a amante, realmente a personagem de Catherine é uma daquelas mulheres práticas, apesar de casada ela tem alguns amantes, é interessante a definição que ela dá para o seu casamento que no início foi por amor, e depois tanto ela e o marido decidiram seguir as suas vidas respeitando a “individualidade” um do outro.


E Catherine tem um grande papel no desenrolar da armação que Louis é envolvido em Paris por uma “virginal” debutante vinda de Londres, Blance de Belfort, que tinha ficado encantada por ele desde o momento que o via, e tanto ela quanto sua mãe tinha planos de um casamento em breve.


Mas mesmo com amante, e toda a confusão, ele não tirava Catherine dos pensamentos, e para dizer a verdade a única coisa que unia os dois eram fantasiosos pensamentos, como citei anteriormente eles ficaram durante boa parte da narrativa distantes um do outro.


Mas a visita não ocorreu tão brevemente, depois da confusão com Blanche ele viajou com os amigos para um breve temporada de caça para fugir de Paris, nesse tempo todo, Catherine mesmo o odiando pelo modo como ele a tratou quando se conheceram começa a nutrir sentimentos confusos em relação a ele, além da atração principalmente depois do único beijo, e talvez com a longo tempo sem ver Louis os sentimentos foram transformados. (isso foi o que a autora tentou argumentar, eu acho...).


Para aumentar a revolução na vida de Louis, acontece um infortúnio com Catherine, e ela acaba entrando em coma, e também a beira da morte.


E finalmente Louis voltou a ver Catherine, porém ela permaneceu em coma durante o tempo todo que esteve ao seu lado, Louis vivia com sentimento de culpa por não acreditar nela, e com isso aumentou seu amor por Catherine, e talvez esse amor ajudou Catherine ter sinais de uma recuperação, mas antes mesmo de Catherine acordar ele teve que voltar a Paris para resolver totalmente seus problemas.


Nesse momento Louis estava completamente apaixonado por Catherine, mas restava uma dúvida se os sentimentos dela seriam recíprocos, e depois de todo esse tempo longe do outro, o reencontro dela, porém estava em coma, e antes desse estado como ele a tinha tratado, Louis estava em dúvida dos sentimentos de Catherine, não só o Louis e próprio leitor do livro, e talvez a frase que explique como estavam confusos os sentimentos:


Pois é... Essa “grande tempo” foi da página 169 à 217 aproximadamente, já que ocorreu durante esse período todo o desenrolar da trama que envolvia Louis, e praticamente Isabelle se destacou nesse período tentando safar o amigo e amante dessa armadilha. E alguns momentos de Louis com Catherine ainda em coma.

E ao retorno junto a Catherine, que começou na página 226 até o final do livro, a autora forçou podemos dizer... já que todo o sentimento desenrolou num estado de coma, a paixão arrebatadora, só para constar o livro tem 238 páginas. Sendo que na maioria do tempo era narrado e com poucos diálogos de interação entre o casal, um pouco de correria para demonstrar algo que não foi cultivado durante toda a narrativa.


Podem até pensar, mas quem sabe a autora não quis dar uma prioridade maior a trama, do que ao romance, não concordo, porque o importante era o romance até para própria autora, que de todas as maneiras tentou induzir ao leitor a acreditar nos sentimentos de um casal que passou mais tempo separado do que junto.

Não tenho nada contra em  atrações repentinas e amores rápidos, mas que no decorrer do livro esse relacionamento seja evoluído pela convivência do casal, e não como ocorreu.

Um ponto positivo, que irão concordar comigo ao ler as citações dispostas na resenha, que a autora escreve muito bem, apesar de algumas vezes torna-se piegas ou até exagerar um pouco nos clichês, mas talvez o maior problemas foi não ter encontrado um equilíbrio entre a trama, os personagens em destaque, gerando pouco espaço para o desenvolvimento do relacionamento do casal tendo que correr nas últimas páginas para tentar convencer o leitor do romance.

Concluindo...
É o primeiro livro da autora, até onde sei... E tentei o máximo ser justa com a autora, tanto que exemplifiquei cada parte da narrativa do livro, não quero dizer que o livro é ruim, e que não indico a leitura, em minha opinião realmente gostei do livro no geral, prefiro deixar a critério de quem ler a resenha, acho que deixei claros os pontos favoráveis e os desfavoráveis.

Por outro lado tenho que elogiar a Editora, já que a capa é linda, de um maravilhoso bom gosto.

Mas realmente o que me indignou foi a editora Quinta Essência, que tem tantas autoras consagradas, como a Laura Lee Gurkhe, Jess Michells, Elizabeth Hoyt, Eloisa James entre outras lançar como o primeiro histórico da editora no Brasil um livro e uma autora iniciante, realmente foi uma Aposta Indecente da Editora.

Reclamo porque no Brasil, não é popular esse gênero do mercado editorial, muitas vezes é carregado de preconceito, por serem comparados aos livros de bancas, que são erroneamente atribuídos a narrativas rasas e superficiais, e talvez esse tipo de livro num mercado como o nosso possa comprometer os romances históricos para possíveis leitores.

Ouso a suspeitar que a editora não está muito preocupada na qualidade de seu catálogo no Brasil, pelo contrário, está menosprezando a nossa qualidade de leitoras, aguardo ansiosamente os próximos romances desse gênero sejam de autoras consagradas e colaborem conosco a difundir e popularizar esse maravilhoso gênero no Brasil.




10 comentários

  1. Pois é Patrícia,assim como você eu sempre ouvi as amigas fãs do gênero falando das autoras lançadas pela Essência,acho que a minha reação foi igual a sua... Nunca comprei livros de Portugal e fico na espera interminável para ver as autoras que todo mundo fala aqui no Brasil,todo mundo achou que com a vinda da editora para cá pela Leya nós,fãs do Romance Histórico iríamos ficar igual pinto no lixo,estávamos enganadas... espero que depois desse erro inicial a editora saiba escolher melhor os livros que irá lançar por aqui.

    Ok o livro nem é tão ruim,mas a gente já espera a tanto tempo que ficamos decepcionadas sim.

    Resenha maravilhosa como sempre...Mas acho que passo esse lançamento por enquanto...

    bjsss

    Bianca

    ApaixonadasporLivros

    ResponderExcluir
  2. Excelente resenha! Eu parei o livro no meio! Espero concluir a leitura um dia... Mas até onde li concordo com tudo que foi citado Patthy!

    ResponderExcluir
  3. Gostei bastante da resenha, e acho que pesando todos os pontos favoráveis e desfavoráveis do livro, pra uma leitora não muito fã de históricos como eu, vou deixar essa leitura passar e esperar por uma que possa me encantar verdadeiramente.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Te indico os romances de época da Editora Arqueiro
      http://www.guardiadameianoite.com.br/2013/08/resenha-o-duque-e-eu-os-bridgertons-1.html

      http://www.guardiadameianoite.com.br/2013/09/resenha-as-regras-da-seducao-os_12.html

      http://www.guardiadameianoite.com.br/2013/07/resenha-desejo-meia-noite-os-hathaways.html

      E também Sedução da Nicole Jordan - http://www.guardiadameianoite.com.br/2013/06/resenha-seducao-notorious-1-nicole.html

      Excluir
  4. Oi Patrícia, te entendo perfeitamente. Eu sou fã de romances históricos e de várias autoras que escrevem este gênero. Inclusive os romances históricos, são os meus queridinhos. Sendo assim, quando soube que iam trazer os livros da Quinta Essência para o Brasil, só faltei dar pulos de alegria. E qual não foi a minha decepção ao ver que o primeiro lançamento, não seria de nenhuma das autoras que gosto tanto e que há tantos anos quero ver publicada por aqui...
    Infelizmente, acho que a editora como você disse, fez uma aposta indecente e indevida ao fazer esta escolha. Eu ainda não li o livro, e não estou desmerecendo a autora, mas que fiquei decepcionada com a escolha fiquei.
    Lia Christo
    www.docesletras.com.br

    ResponderExcluir
  5. Oi Pá!
    Ainda estou tentando descobrir onde está o romance da história O.O
    Confesso que ainda não sei como conseguir ler o livro inteiro, rs.
    Bjs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Carlinha naquela parte que a mulher pergunta se a Catherine está apaixonada por ele também, e ele responde que não faz ideia kkkkk tive um ataque de riso kkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

      Excluir
  6. Oieee sua linda, menina, depois de ver tua " carinha" em alguns blogs amigo, resolvi vim te visitar e seguindo claro! rsrs
    aaaaaah, eu lendo aqui e rindo, poxa a editora faz suspense e quando lança, puff algo frustante! rsrs
    Eu confesso, que gosto do gênero histórico e amo um hot! rsrs
    Que pena que esse livro não encaixou e que ficou a desejar, nem sei se o quero ler, depois daqui.
    Beliscões carinhosos da Máh-
    Cantinho da Máh
    @Maaria_Silvana

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Máh!!!! Obrigada pela visita!!!! Pois é a editora fez um suspense todo, achamos que seria um livro daqueles, para mandar esse... não que seja tão ruim, mas é bem frustrante devido um catálogo de grandes autoras que tem a editora

      Excluir
  7. O título dá a impressão de ser meio "Hot" mas pela sua resenha não é nada disso kkk Melhor assim, na minha opinião. A trama me pareceu ser bem interessante! Pretendo ler hoje mesmo: http://portugues.free-ebooks.net/ebook/Aposta-Indecente

    boas leituras!!

    ResponderExcluir

Deixe seu Comentário!