Resenha: Liberta-me - Tahereh Mafi - @Novo_Conceito

segunda-feira, 23 de setembro de 2013

LIBERTA-ME
TAHEREH MAFI
I.S.B.N.: 9788581632353

Sinopse: Liberta-me é o segundo livro da trilogia de Tahereh Mafi. Se no primeiro, Estilhaça-me, importava garantir a sobrevivência e fugir das atrocidades do Restabelecimento, em Liberta-me é possível sentir toda a sensibilidade e tristeza que emanam do coração da heroína, Juliette.

Abandonada à própria sorte, impossibilitada de tocar qualquer ser humano, Juliette vai procurar entender os movimentos de seu coração, a maneira como seus sentimentos se confundem e até onde ela pode realmente ir para ter o controle de sua própria vida. Uma metáfora para a vida de jovens de todas as idades que também enfrentam uma espécie de distopia moderna, em que dúvidas e medos caminham lado a lado com a esperança, o desejo e o amor.

HÁ MOMENTOS EM QUE É PRECISO DECIDIR-SE.

Julliette está em um ambiente novo. 
Ela, Adam e Kenji agora são integrantes do Ponto Ômega, um esconderijo subterrâneo para acolher e desenvolver pessoas com "dons". Pessoas especiais, que assim como Juliette podem são muito especiais, capazes de coisas muito extraordinárias.

Lugar novo, vida nova, mas infelizmente medos antigos.

Os dias passam e Juliette não se adapta nem mesmo próximo à pessoas "especiais" como ela. Sua reputação a precede e seu único porto seguro é Adam.
Ela se sente envergonhada pelo passado.
Não se sente aceita. Quer ser aceita. Não Busca ser aceita.
Tem medo. O medo domina sua mente. Seus sentimentos. Sua dor. Seu desespero continuam muito intensos. Tão intensos. Praticamente à sufocando e nos sufocando diversas passagens.

Tenho a dizer que comecei a ler Liberta-me sem muitas expectativas, visto que embora eu tenha gostado muito de Estilhaça-me, acabei achando o final X-Men demais para o meu gosto. E, confesso que isto acabou esfriando um pouco a minha motivação para pegar sua continuação. Mas me arrependo de não ter lido Liberta-me antes!! #AMEI CADA PÁGINA!

Juliette ainda é uma confusão só e este caos de pensamentos e sentimentos, contradições e expectativas é tão intensa que além de afetar sua vida e adaptação, também afeta ao leitor visto que a escrita de Tahereh se torna tão densa e intensa que somos literalmente sugados e acabamos a deriva de seu caos mental.

Tudo com Juliette é muito intenso.
Sua força.
Seus medos.
Seus sentimentos contraditórios se chocando com suas convicções.
Seu amor.
Juliette contia estilhaçada e em muitos momentos ainda em pedaços.

E, Adam continua sendo seu porto seguro. Seu amado. Seu único amigo. A única pessoa a não temê-la. O único a amá-la mesmo ela sendo quem ela é. Podendo fazer o que ela faz. Podendo matar. 
Adam é sua esperança. O único sol capaz de aquecer sua pele, descongelar seus ossos e incendiar seu ser. 
A intensidade da paixão deles é algo tão abrasador que chegamos a realmente nos incendiar junto com eles. Com o seu desespero. Com a necessidade de estarem tão perto, mas infelizmente nunca perto o bastante, mesmo Adam teoricamente podendo tocá-la, isso não é o bastante...seu sonho. Ele nunca terá o bastante dela e nem Juliette de Adam...até que o sonho acaba.
Mas não é isso que eu quero... Você não está perguntando o que eu quero... - ele diz, seguindo-me conforme eu me esquivo de seus avanços. - Quero ficar com você e não ligo a mínima se for difícil. Não me importo se der um pouco mais de trabalho, porque é assim que um relacionamento é, Juliette. Dá trabalho. Dá trabalho todo santo dia. E, sim, é uma droga, uma droga muito, muito grande e vai ser difícil pra caramba, mas não me importo. Eu quero mesmo assim. Eu a quero mesmo assim.
Liberta-me - página 100
E vemos com muita apreensão e tristeza o relacionamento entre os dois desmoronando, mas o fogo...nunca se extinguindo.
E nosso coração está sempre tão estilhaçado como o de Juliette. 
Nossa, Tahereh realmente carregou a mão no drama e na intensidade das emoções derramadas nestas páginas. Nunca me senti mais vulnerável durante uma leitura.
Entrei tanto dentro do desespero e do caos constante dos sentimentos de Juliette que em alguns momentos me via também prendendo a respiração assim como ela, tentando me lembrar de respirar.

Mas as coisas precisam mudar. Juliette precisa mudar. 
A guerra está anunciada e pode chegar à eles mais cedo do que esperavam e assim, ela precisa evoluir.
Precisa se conhecer. Conhecer e dominar sua força e todos os seus dons.
Juliette precisa parar de se afogar em auto-piedade, pois ela precisará enfrentar o Restabelecimento. Juliette terá que enfrentar Warner.
(...) Disse a ele que sempre me vi como um tipo de versão doentia de uma planta carnívora, e ele falou:- Ah, MEU DEUS. Sim. SIM. Você é exatamente assim. Caramba, sim.Bonita o bastante para atrair a presa, ele disse.Forte o bastante para apertar e destruir, ele disse.Venenosa o suficiente para digerir as vítimas quando a carne entra em contato.
Liberta-me - página 169
O treinamento é puxado, mas com a ajuda e a amizade de Kenji, Juliette aos poucos vai desenterrando sua cabeça da areia e assim, aos poucos, assumindo as rédeas de si mesma.
Kenji foi um dos personagens mais carismáticos que tive a oportunidade de topar em minhas leituras. Ele é aquele cara legal, de sorriso franco e aberto, com um senso de humor ácido, mas esperto o bastante para atuar em todas as crises e com certeza com muitos mistérios ainda escondidos em sua personalidade bonachona.
Ufa! Esta resenha está ficando gigantesca...mas o livro é tão maravilhoso que tenho medo de não conseguir fazer jus à ele...isso que ainda nem cheguei na parte boa...ou seja...nem cheguei em Warner ainda.
E é na loucura da batalha que os caminhos de Juliette e Warner se encontram novamente.
Warner é louco. Lindo.
Warner é frio. Calculista. Manipulador. Perdidamente apaixonado por Juliette.
E, ela não tem ideia de como lidar com ele, ou com os sentimentos conflituosos que a estão enlouquecendo.
- Mas eu sei que não o odeio mais. Eu tentei - eu conto -, tentei bastante. Porque você fez tantas coisas terríveis. À pessoas inocentes. À mim. Mas, agora, sei muito sobre você, vi muita coisa. Você é humano demais.O cabelo dele é dourado. Os olhos, muito verdes. Sua voz está sofrida quando ele fala:- Está dizendo - ele começa - que quer ser minha amiga?- E-eu não sei.
Liberta-me - página 299
E aí está!! Eu me apaixonei pelo vilão!!
Sério gente. Liberta-me foi todo de Warner!! Cada página que eu virei, cada suspiro que eu dei foram para ele.

Tahereh Mafi conseguiu escrever a melhor reviravolta de sentimentos, motivações e personagens que eu já vi!!

Embora o livro tenha todos os personagens muito bem desenvolvidos e com ótimas personalidades, Warner foi um show a parte. Indo do ódio ao amor com a mesma intensidade. Da violência à compaixão.
Da dor à felicidade.

Tudo nele foi mais! Tudo nele foi demais!! Cada gesto. Cada palavra.

E, enquanto Juliette teve diversos momentos de irritar aos leitores, Warner só teve momentos de brilhantismo em cada capítulo.
Há um calor desesperado na boca do meu estômago que queria poder ignorar. Há borboletas em meu peito que eu queria poder explicar e resolver. Há uma dor no centro do meu ser que não estou disposta a nomear.Lindo.Ele é tão lindo.Devo estar louca.
Liberta-me - página 314
E esta tatuagem na virilha dele...ahhhh assim como Juliette eu quase morri quando vi!
o i n f e r n o e s t á v a z i o .
e t o d o s o s d e m ô n i o s e s t ã o a q u i .
Ele está olhando com tanta intensidade para os meus olhos, que fico surpresa de não ter me curvado sob ele, e percebo então, bem neste momento, percebo que tudo nele é intenso. Nada nele é administrável ou fácil ou compartimentado. Ele é muito. Tudo nele é muito. Suas emoções, suas ações, sua raiva, sua agressividade.Seu amor.
Liberta-me - página 328
E ele abre-se para ela. Derrama sua alma e seu amor.
Ele decorou Juliette. Cada palavra. Ele a decorou. Cada pensamento ele leu e é capaz de recitar. Cada letra da alma dela ele conhece.

E aqui Tahereh nos brinda com a melhor declaração de amor que eu já li em muito tempo. E assim, não tive dúvida. SOU TEAM WARNER!! ALWAYS!!
E tenho a dizer que li e reli a partir da página 380, muitas vezes. Simplesmente eu não conseguia ter o bastante dele!
- Quero ser o amigo que você se apaixona perdidamente. O que você aceita nos seus braços e na sua cama e no mundo privado que mantém preso em sua cabeça. Quero ser esse tipo de amigo - ele afirma. - O que vai memorizar o que você fala e também o formato dos seus lábios quando você fala. Quero conhecer cada curva, cada sarda, cada pedaço do seu corpo, Juliette...- Não - eu ofego. - Não d-diga isso...Não sei o que farei se ele continuar falando não sei o que farei e não confio em mim mesma.- Quero saber onde a tocar - ele continua. - Quero saber como tocá-la. Quero saber como convencê-la a esboçar um sorriso apenas para mim.Sinto seu peito subir, descer, para cima e para baixo e para cima e para baixo e...- Sim - ele fala. - Quero mesmo ser seu amigo.Ele diz:- Quero ser seu melhor amigo no mundo todo.
Liberta-me - página 380
Juliette está divida.
Entre o amor de Adam e o desejo de Warner.
Entre ser boa e aceitar quem ela é.
Entre a guerra e seus princípios.
Entre o poder.
Entre o dever.
Entre a redenção e a perdição.

Muito sangue ainda vai rolar. E a luta contro o Restabelecimento toma proporções maiores e mais cruéis quando o Comandante Supremo entra em cena.
Tahereh conseguiu me enlouquecer com o final e Liberta-me e a expectativa pelo próximo livro simplesmente está insuportável.
Mas, infelizmente agora só nos resta esperar. Aguardar ansiosamente o que está por vir, visto que agora a terra vai tremer e nada mais será como antes...

JULIETTE CORTOU SUAS AMARRAS!
 

5 comentários

  1. Depois dessa resenha achei a tal de Juliette uma mala sem alça, sem rodinha e com fecho estragado kkkkkkkkkk, Mas o tal de Warner pelo visto é o "canal" kkkkkkkkkkkkkkk. Gostei da resenha, e ela não tá grande não, está ótima.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mas Paty o Warner dominou o livro...ele e o Kenji foram as verdadeiras estrelas e a Tahereh judiou de nós leitores com tudo o que ela aprontou nas páginas de Liberta-me...estou em enlouquecida aqui esperando a continuação.

      Excluir
  2. Depois de ler sua resenha, percebi que precisooooooo ler este livro. Eu gostei muito do primeiro, mas ainda não consegui pegar este pra ler. Menina, este Warner é o amigo que toda mulher gostaria de ter... kkkk
    Adorei a resenha Sheila, e assim que possível vou ler para conferir se o livro vai me afetar assim também. Bjus
    Lia Christo
    www.docesletras.com.br

    ResponderExcluir
  3. Amei a resenha.... li o livro e amei demais. Concordo total TEAM WARNER, estou louca pela continução...tendo um heart attack já!

    ResponderExcluir
  4. Também sou apaixonada pelo Warner então tira os olhos rsrsrs, amo a serie e estou louca pra ler o ultimo

    bjos

    ResponderExcluir

Deixe seu Comentário!