Resenha: #nerdfighter O TEOREMA KATHERINE - John Green - @intrinseca

sexta-feira, 27 de setembro de 2013

O TEOREMA

KATHERINE 

JOHN GREEN 
I.S.B.N.: 9788580573152
Sinopse: Se o assunto é relacionamento, o tipo de garota de Colin Singleton tem nome: Katherine. E em se tratando de Colin e Katherines, o desfecho é sempre o mesmo: ele leva o fora. Já aconteceu muito.
Dezenove vezes, para ser exato. Depois do mais recente e traumático término, ele resolve cair na estrada. Dirigindo o Rabecão de Satã, com seu caderninho de anotações no bolso e um melhor amigo bem fora de forma no banco do carona, o ex-garoto prodígio, viciado em anagramas e PhD em levar pés na bunda, descobre sua verdadeira missão: elaborar e comprovar o Teorema Fundamental da Previsibilidade das Katherines, que tornará possível antever, através da linguagem universal da matemática, o desfecho de qualquer relacionamento antes mesmo que as duas pessoas se conheçam. Uma descoberta que vai mudar para sempre a história amorosa do mundo, vai vingar séculos de injusta vantagem entre Terminantes e Terminados e, enfim, elevará Colin Singleton diretamente ao distinto posto de gênio da humanidade. Também, é claro, vai ajudá-lo a reconquistar sua garota. Ou, pelo menos, é isso o que ele espera.
 

“Bastante divertido, desafiadoramente complexo e extremamente interessante.”
- Kirkus Reviews

Colin Singleton é um menino prodígio. Uma criança muito inteligente, capaz de ser auto-didata, ler e escrever em diversos idiomas, resolver equações, compreender e armazenar milhares de informações, analisar cientificamente diversos fatos e fenômenos.
Um aspirante a gênio. Sufocado pelo peso das expectativas depositadas nele e machucado pela dor da rejeição.

Colin acabou de levar um novo pé na bunda. 19 KATHERINES por enquanto...
Não preciso nem dizer que John Green agora é o queridinho literário do momento né? Mas tenho a dizer que eu não fui exceção. Me apaixonei por A Culpa é das Estrelas, quase sequei de tanto chorar. Ri muito das trabalhadas de Tiny Cooper em Will e Will e como não poderia ser... amei ler O Teorema Katherine. E, corri para a Bienal do RJ e fui a 2ª da fila para garantir a minha presença no evento Nerdfighter da Intrínseca. Sim!! Acho que John acabou virando o meu queridinho também...hehehehe...e assim, sendo, Cidades de Papel já está na minha estante e será a próxima leitura do momento. So, vamos voltar à resenha...hehehehe

Para aqueles que assim como eu, secaram de tanto chorar lendo A Culpa é das Estrelas, tenho a dizer que O Teorema Katherine é completamente inversamente proporcional!! (deu pra entender?)

Ou seja, enquando eu chorava copiosamente com A Culpa é das Estrelas, em O Teorema Katherine eu tinha que ficar me cuidando para o povo no trem não ficar achando que eu era louca...de tanto que eu ria sozinha lendo as agruras de Coline e Hassan.

Dois amigos muito opostos. Colin, o pseudoprodígio que busca uma explicação para as suas constantes rejeições por Katherines e a falha de ainda não ter encontrado o seu momento "EUREKA" e Hassan, o muçulmano descansado e bonação que apimenta a vida de Colin e contrabalança seus momentos de agruras com muito bom humor.

John Green com sempre está fantástico. Com uma narrativa em 3ª pessoa ele consegue de forma muito leve nos cativar pela história destes dois meninos completamente singulares de maneiras diferentes, traçando um enredo onde estes yin e yang nos transportam de volta aos nossos bons tempos de colégio compartilhando seus sonhos, problemas e expectativas.

Acompanhamos o desenrolar dos acontecimentos sob 2 tempos diferentes. O presente, culminando na viagem de Colin e Hassan pelo país afim de aplacar da dor de Colin por ter levado seu mais recente pé na bunda da Katherine 19. E os flashbacks que remontam os relacionamentos de Colin com as demais 18 Katherines na busca por entender o que houve e a partir daí a buscando entender os fatores determinantes do término dos namoros.

E é normalmente nestes flashbacks que ocorrem as situações mais inusitadas e engraçadas...responsáveis pelas melhores passagens do livro ao meu ver:
- Quer ser meu namorado? - Katherine perguntou.(...)- Sim, sim, quero.Ela virou-se para ele, o rosto arredondado, as bochechas fofas e sardentas, e se inclinou para a frente, os lábios num biquinho, e beijou-o na bochecha. Esse foi o primeiro beijo de Colin, e os lábios dela lembravam o inverno - frios, secos e rachados -, então ocorreu a Colin que a sensação despertada pelo beijo não fora nem de perto tão boa quanto o som da voz dela perguntando se ele queria ser seu namorado.
O Teorema Katherine - página 65
A corrida maluca pelo país acaba em Gutshot, quando Colin insiste que eles parem para visitar a corpo do "arquiduqui" e em meio aos muitos caipiras desta cidade de 1ª (porque de carro se você engatar a 2ª marcha acaba passando da cidade) e que começam as reais mudanças em Colin. As quebras de antigos paradigmas e Colin encontra o seu momento "EUREKA".

E Colin tem seu Teorema. Uma fórmula matemática capaz de prever o término de todo o relacionamento. A final, ele já conhece muito bem as duas variáveis principais desta equação. O Terminado (sendo ele mesmo um deles convicto) e O Terminando (todas as 19 Katherines de sua vida).
É possível amar muito alguém, ele pensou. Mas o tamanho do seu amor por uma pessoa nunca vai ser páreo para o tamanho da saudade que você vai sentir dela.
O Teorema Katherine - página 141
Sem Katherine, sem Teorema e sem esperança de se tornar importante, muito pouco lhe sobrava. Mas Colin podia contar com os livros. Os livros são o melhor o melhor exemplo de Terminado: deixe-os de lado e eles o esperarão para sempre; dê-lhes atenção e sempre retribuirão seu amor.
O Teorema Katherine - página 148
Aos poucos vamos vivenciando o despertar de Colin. 
Em Gutshot, esta cidadezinha no meio do nada, ele e seu melhor amigo vivenciam as melhores experiências que um verão pode proporcionar.
Novas pessoas, novos amigos, novos valores, novos conhecimentos, mas sobre tudo...uma nova perspectiva.

Lindsay é a popstar de Gutshot. Querida, bonita e filha da dona da única fábrica da cidade, ela passa a se tornar o 3º mosqueteiro nas agruras de Colin e Hassan.

Muitas variáveis fazem parte de seu Teorema, mas é Lindsay quem juntamente com Hassan quem ajuda Colin a se situar no mundo e realmente descobrir o X da grande questão que habita em seu coração e em sua mente.

O Teorema Katherine nos recorda o valor das amizades, que somado à nos permitirmos uma diversão descompromissada, acabamos gerando um produto de valor inestimável chamado alegria.
Prazer em viver.
Prazer em ler.
Colin....prazer em ler você se conhecer.


"E a moral da história é que não é a gente que lembra do que aconteceu. É o que a gente lembra que se transforma no que aconteceu. E a segunda moral da história, se é que uma história pode ter várias morais é que os Terminantes não são intrinsecamente piores que os Terminados. O término do namoro não é algo que acontece à você; é algo que acontece com você."
O Teorema Katherine - página 277

As notas de rodapé são um show à parte. A capa, revisão e diagramação da Intrínseca como sempre, estão de parabéns!!
E para saber como este Teorema se resolve, somente lendo e se divertindo muito com ele.


E preparando já a próxima resenha...Cidade de papel...aqui vamos nós!!
P.S.:  O A Culpa é das Estrelas não aparece na foto porque a Carol levou ele para ler na casa do pai...mas ainda é o meu preferido. Okay?

2 comentários

  1. Resenha linda... dá muita vontade de ler o livro Scheila !!!

    Eu quero muito ler esse livro e vou enlouquecer com a espera,porque a fila está enorme!!!

    bjsss

    Bianca

    ApaixonadasporLivros

    ResponderExcluir
  2. Ótimo texto de resenha. Meus parabéns! Amei a maneira que vc usou para se expressar, me fez se interessar pelo livro....mas vc já leu o livro reverso... se trata de um livro arrebatador...ele coloca em cheque os maiores dogmas religiosos de todos os tempos.....e ainda inverte de forma brutal as teorias cientificas usando dilemas fantásticos; Além de revelar verdades sobre Jesus jamais mencionados na história.....acesse o link da livraria cultura...a capa do livro é linda ela traz o universo como tema.
    http://www.livrariacultura.com.br/scripts/resenha/resenha.asp?nitem=78725243

    ResponderExcluir

Deixe seu Comentário!