RESENHA: AS SETE VIDAS DO AMOR - CARLA D'ALESSIO

terça-feira, 8 de outubro de 2013


Título Original:  Le sette vite dell’amore
Autor: Carla D'Alessio
Editora: Bertrand Brasil
I.S.B.N.: 9788528617764
Tamanho: 23 x 16 x 1 cm.
Acabamento: Brochura
Edição: 1 / 2013
Idioma: Português
Número de Paginas: 378
Tradutor: Mario Fondelli
Skoob: clique aqui 

Sinopse: Uma comédia noir de tirar o fôlego.
Em seu romance de estreia no Brasil, As sete de vidas do amor, Carla D Alessio, prova, por meio de uma escrita ágil e várias citações literárias, que o amor é grande demais para caber em uma vida apenas, e que nem sempre gatos pretos são sinal de azar. Quando lançado na Itália tornou-se rapidamente leitura obrigatória, desde os jovens até os mais velhos.
Faltam sete dias para o Natal e, enquanto confessa seus pecados e insatisfações ao padre, Ada depara com o olhar ambíguo de um persa preto aos pés do sacerdote. Sem que ela saiba o real motivo, nota-se roubando o felino e levando-o para casa. Assim, Bemot, o gato surrupiado na sacristia, está fadado a assistir ao desenrolar das tramas da história, enquanto as protagonistas passam por situações difíceis e se veem forçadas a enfrentar um novo começo. 
É o que acontece com Ada, que tenta gostar de si mesma, abandonando os anos de descuido e indiferença que até então marcaram sua vida. Ou Gilda, constantemente em busca de alguém que compense sua maternidade fracassada; de Nina, que tem o corpo forte de uma atleta, mas os medos de uma adolescente; de Mara, advogada agressiva que, no entanto, tropeça no amor; com a fútil Bea e, finalmente, de Zoja, que se mudou da Ucrânia para a Itália tentando melhorar de vida.
Tendo como pano de fundo uma Nápoles alheia aos lugares-comuns, Carla D Alessio constrói uma comédia de tirar o fôlego, cheia de coincidências, amarga e, mesmo assim, divertida, tipicamente italiana. Uma história comovente e requintada, pois o amor – mesmo quando parece ter perdido qualquer empolgação, quando não faz senão arranhar – tem muito mais que uma só vida. Tem sete vidas.

“Um livro agradável, de leitura rápida e prazerosa, que deixa, mesmo muito tempo depois de terminada, uma sensação de descoberta e serenidade.” (SoloLibri)

“Personagens que parecem reais numa história que convence pela linguagem simples e direta de um enredo que pretende, acima de tudo, desnudar a alma de cada um.” (Le Stanze di Alba).

Sobre a autora:
Carla D’Alessio nasceu em Caserta, na Itália, em 1978. Com seu primeiro conto, “Formine”, foi considerada uma revelação e incluída na antologia Ragazze che dovresti conoscere, dedicada a jovens autores italianos. Carla trabalha temas como a diferença entre gerações e a posição da mulher na sociedade. As sete vidas do amor é sua estreia no Brasil.


Algumas vezes sinto vontade conhecer gêneros ou estilos literários diferentes do que costumo ler habitualmente, como por exemplo, desde que descobri os romances policiais através de Lee Child ou James Patterson entre outros, porém nem sempre novos gêneros ou estilos conseguem me conquistar, foi o que aconteceu com As Sete Vidas do Amor, da autora italiana Carla D’Alessio, uma comédia estilo noir.

A narrativa se desenvolve uma semana antes do Natal, que suponho que tenha haver com o número do título, e o gato? Bom... Ada uma senhora que estava saturada do seu casamento monótono, resolve modificar algumas coisas para alertar o marido, Giulio que segue uma vida rotineira, pacata e sem grandes novidades, e o primeiro passo de Ada é roubar o gato persa preto da sacristia da Igreja que ela frequenta, e isso desperta uma libertação o seu ócio.


No meio do caminho encontra Mara, amiga de Nina, sua filha que desde que foi embora não aparece mais em casa para visitar os pais. Ao convite de Mara e sem avisar a Giulio em vez de voltar para casa vai ao apartamento de Mara, onde moram Bea, uma modelo fútil que sonha em trabalhar na televisão, e Zoja, uma ucraniana que veio trabalhar na Itália para ganhar melhor  e  mandar dinheiro ao filho e ao marido que deixou no país de origem.


Zoja recentemente foi demitida da casa por Gilda Macri que desconfiada que o marido, Nando Macri esteja traindo com Zoja. Nando Macri, proprietário de uma emissora que não é muito fiel a mulher, mas ainda está casado porque o dinheiro da família dela os sustenta. Mas no decorrer do livro Gilda irá arranjar um amante, as cenas de sexo dela e do amante são bastante cruas, já que Rocco dorme com mulheres mais velhas pelo dinheiro.


Enquanto isso, Giulio está achando que a mulher é louca que não voltou para casa, acaba incomodando a filha Nina, e essa decide fazer a tal esperada visita aos pais. Nina ainda é ou acha que é apaixonada pelo seu ex-namorado Sérgio,  que a deixou porque tem medo de relacionamento, porém atualmente ela namora Javier que transparece ser um relacionamento descartável, mas no decorrer do livro esses sentimentos irão mudar.

Sérgio está sozinho, ainda tem sentimentos por Nina, mas tem medo de assumir, porém na sequência do livro, ele tem um relacionamento passageiro com Zoja.


Bea a companheira de apartamento de Mara e Zoja consegue um papel na TV, na emissora de Nando, e conhece Gianni que está com problemas de falta de pagamento da emissora, que o apresenta a Mara, que é advogada, para resolver junto ao Nando esse problema. Porém, Mara começa a gostar de Gianni, mas depois descobre algo que talvez impeça o relacionamento.


São tantos acontecimentos, a autora começa intercalar personagem com outros personagens, e isso é todo o livro, tem momentos que tem tanto personagem numa cena que realmente você fica confusa naquela infinidade de diálogos.

Porém o livro passa várias mensagens interessantes sobre o nosso cotidiano, nas nossas relações pessoais e familiares e como isso pode interferir na vida que a leva a encontrar pessoas, viver situações que você nunca imaginou vivenciar.


Resumindo, é uma novela com vários núcleos que a autora  interligar esses personagens, mas ao mesmo tempo podemos dizer que parece àqueles almoços italianos que vimos em filme, todo mundo falando e ninguém se entende.

2 comentários

  1. Oi Pá!
    Esse é um livro que não me atraiu o.O
    Não vai para a listinha kkkkk
    Bjs!

    ResponderExcluir
  2. A capa é bonita... Mas lendo a sinopse não leria... Com a sua resenha tenho mais certeza ainda... Não é meu estilo... Parece algo sem profundidade mesmo...

    ResponderExcluir

Deixe seu Comentário!