Resenha: O Julgamento de Gabriel - Sylvain Reynard - @editoraarqueiro

domingo, 6 de outubro de 2013

O Julgamento de Gabriel

Sylvain Reynard

Editora: Arqueiro
I.S.B.N.: 9788580411850
Sinopse: Eles estão vivendo uma paixão arrebatadora. Mas muitas pessoas são contra esse amor. Gabriel Emerson e Julia Mitchell se conheceram há muito tempo, quando ela ainda era adolescente, numa noite mágica e confusa. Mas, apesar de todo o sentimento que nasceu entre eles, no dia seguinte seus caminhos se separaram. Anos depois eles se reencontraram quando Julia começou o mestrado na Universidade de Toronto. Gabriel era um professor enigmático, sedutor e muito arrogante que a atormentava e perseguia. No entanto, o que mais fazia Julia sofrer era ele não se lembrar dela. Mas nem mesmo o insensível Gabriel é capaz de resistir à profunda conexão que existe entre eles e logo os dois embarcam numa tórrida paixão proibida. Com o fim do semestre e do curso ministrado por Gabriel, eles deixam de ser professor e aluna e enfim estão livres para viver seu amor. Ou pelo menos era o que pensavam. Após uma viagem romântica para a Itália, durante a qual Gabriel ensina a Julia todos os mistérios do prazer e, em troca, aprende com ela o significado do amor verdadeiro, os dois veem seus sonhos ameaçados. Duas denúncias junto ao Comitê Disciplinar da Universidade põem em risco o emprego de Gabriel e a carreira brilhante e promissora de Julia. Será que o professor vai ceder às ameaças ou irá lutar até o fim por sua amada? Será que essa paixão conseguirá resistir a um julgamento implacável? Na apaixonante sequência de “O inferno de Gabriel”, Sylvain Reynard constrói uma bela história de amor, da qual os leitores jamais se esquecerão.


Às vezes até o mais puro amor pode ter consequências devastadoras.

Gabriel e Julia finalmente assumem o seu relacionamento, pelo menos perante à suas famílias. 
Ela está descobrindo o sexo. Descobrindo como é se sentir bonita, poderosa. Está descobrindo uma nova segurança e uma nova Júlia que ela não achava que existisse.
Gabriel está descobrindo o amor verdadeiro. O cuidar, se importar, a paixão desmedida, mas também o amor desprendido. Sem barganhas. Apenas amar e ser amado.

Sylvain mais uma vez através de uma narrativa em 3ª pessoa, nos brinda com cenários belíssimos, onde o amor de Gabriel e Júlia floresce entre a história e a cultura italiana nos fazendo viajar sem sair das páginas deste romance.
Dante e Beatriz continuam sendo o simbolismo mais utilizado pelo autor ao descrever os amantes Gabriel e Júlia, assim como o desenvolvimento de sua relação e figurativamente para as lições e novas experiências vivenciadas por eles.


- Seu rosto, seus seios, suas costas lindas. Santo Tomás de Aquino seria obrigado a acrescentá-la como uma Sexta Via se tivesse sido afortunado o suficiente para vê-la. Você só pode ter sido criada, e não simplesmente feita.
O romantismo de Gabriel e a forma como ele passa a idolatrar Júlia são os pontos fortes em O Julgamento de Gabriel, aliado com a forte pesquisa sobre Dante, literatura e obras de arte renascentistas Italianas, além de seus muitos pontos pitorescos, enriquecem a leitura e encorpam a trama, que ao meu ver infelizmente em alguns momentos acabou se tornando um pouco previsível.

Gabriel continua um charme, o romantismo e cuidados para com Júlia acabam nos fazendo suspirar constantemente em cada página, porém o instinto super-protetor dele em alguns momentos acabou me dando nos nervos.
E, não que eu ache que as devoradoras de homens sejam algum modelo de conduta, mas da forma que Gabriel valoriza e idolatra a inocência de Julia, infelizmente mais uma vez retornamos ao modelo de relacionamento de séculos passados.

Júlia é muito fraca e irritante. Enquanto a trama se desenrola e literalmente a m** é jogada no ventilador. A mulher vive em constante ADP ao invés de segurar a peruca um pouco e deixar o nosso Gabe atuar e fazer o controle de danos necessário.

Os fantasmas do passado de Gabriel continuam presentes e seus excessos continuam pesando na balança.
Muitos inimigos querem ver Gabriel se dando mal e Júlia continuando soterrada embaixo de toda a sua insegurança, mas Sylvain vai aos poucos tecendo a construção de uma nova força de caráter tanto para Gabe, quanto para Julianne...e aos poucos vamos admirando as reviravoltas na trama e nos prendendo na leitura até o último capítulo.

O Julgamento de Gabriel é um livro sensual e não sexual. Todas as cenas quentes na verdade deixam muito para a imaginação, mas o carinho, paixão e sensualidade estão presentes em cada parágrafo e isso para mim foi o diferencial. Não foi necessário descrever a envergadura de Gabriel para podermos ter certeza de que o cara é bom e entende do riscado...hehehehe.

Agora a expectativa é para ver como se desenrola o "felizes para sempre" depois de toda a muvuca ocorrida no relacionamento deles até agora...mas na boa, acho que ficou poucas coisas soltas para A Redenção de Gabriel...e exatamente por isso que estou mais curiosa a respeito deste último livro para saber o que o autor nos reserva.


Adquira seu exemplar de O Julgamento de Gabriel na Saraiva.

                     

1 comentários

  1. Porque essas autoras criam personagens femininas tãoooooooooooooo chatas, o que passa na cabeça de uma autora????? E sinceramente estou dispensando livros com mulheres bitoladas, porque deixa a leitura tão irritante que você acaba desencantando pela leitura. Adorei a resenha

    ResponderExcluir

Deixe seu Comentário!