Resenha: Os Adoráveis - Sarra Manning - @Novo_Conceito

sexta-feira, 15 de novembro de 2013

Os Adoráveis
  Titulo original: Adorkable
 Editora: Novo Conceito
ISBN: 9788581631950

" Uma história cuidadosamente desenvolvida,com personagens e relacionamentos impulsionados  por um diálogo afinado,o que a torna realista e convincente."
 -School Library Journal


Jeane é blogueira. Seu blog, o Adorkable, é um blog de estilo de vida — na verdade, o estilo de vida dela — e já ganhou até prêmios na categoria “Melhor Blog sobre Estilo de Vida” pelo e Guardian e um Bloggie Award. Adora balas Haribo, moda (a que ela cria, comprando em brechós) e colorir (ou descolorir totalmente) os cabelos. Cheia de personalidade e meio volúvel, ainda assim Jeane é bacana — mesmo nos momentos em que se transforma numa insuportável. Mas, certamente, ela não olharia duas vezes para Michael. Porque Michael é o oposto de Jeane. Ele é o tipo de cara que namoraria a garota mais bonita da escola. E compra suas roupas na Hollister, na Jack Wills e na Abercrombie. Além disso, diferente de Jeane, que é autossuficiente, Michael é completamente dependente do pai, o Clínico Geral que condena açúcar, e ainda permite que sua mãe compre suas roupas! (Embora, para Jeane, o pior mesmo sobre Michael é que ele baixa música da internet e nunca paga por isso). Jeane e Michael têm pouco em comum, além de algumas aulas e uma maçante dupla de “ex” — Scarlett e Barney. Mas, apesar disso, eles não conseguem se desgrudar desde que ¬ ficaram pela primeira vez.












Nem sei bem o que falar sobre este livro, sabe aquele tipo de livro que você adora, do inicio ao fim? ou melhor, sabe aquele personagem que você se identifica logo nas primeiras paginas? Pois então, esse foi o caso de "Os adoráveis".

Primeiro de tudo, você sabe o que é um Dork? Eu não sabia; conhecia os geeks,os nerds, mas dos Dorks eu nunca tinha ouvido falar até ler este livro, e como o significado não é explicitamente explicado eu resolvi dar um procurada para saber a definição. 

Segundo o google:
" Os Dorks não tendem a criar novas relações sociais, por simplesmente não ter interesse, suas piadas geralmente são sobre temas técnicos, fictícios e do tipo tradicional, tendem a falar formalmente. Dorks geralmente são fanáticos em games e em sua estrutura e história, então tendem a formar comunidades entre seus companheiros, muitas vezes baseadas em uma estrutura fictícia, tipicamente com temas Medievais ou Sci-Fi. Sendo que nessas comunidades não existe inclusão dos "não Dorks". Dork  descreve alguém que é estranho, peculiar ou se veste muito estranhamente. "

Tendo essa definição em mente, você pode ter ideia de como Jeane Smith é, uma adolescente de 17 anos, peculiar, mandona, sarcástica e extremamente inteligente.

No mundo real, Jeane não tem amigos, apenas Barney, que é também seu namorado. Ela compra suas roupas em brechós e usa todas as cores possíveis (de preferencia todas elas juntas) e também adora pintar o cabelo de cores extravagantes. Ela também não possui calças jeans em seu guarda-roupa, e abomina todas as marcas de grife, e qualquer grande cadeia de lojas que segundo ela, "utilizem mão de obra escrava".

Ela é uma Dork assumida, e passa a maior parte de seu tempo conectada a internet, atualizando o "Adorkable", um blog sobre estilo de vida que Jeane criou para compartilhar o seu gosto peculiar. Só que o que era para ser apenas diversão e uma forma de desabafo, acabou por se tornar a fonte de renda de Jeane, que agora é uma blogueira conhecida, que já ganhou até prêmios por isso, e que frequentemente é convidada a ser palestrante em conferencias sobre o assunto. Ela também é viciada no twitter, possui mais de 1 milhão de seguidores e não consegue passar muito tempo sem tuitar.

"Mordi a minha lingua e não disse nada que fosse realmente duro. Geralmente eu falava primeiro, tuitava depois e pensava por ultimo."
Apesar da pouca idade, Jeane mora sozinha, e não tem um bom relacionamento com os pais, que são separados. Já sua irmã, com quem dividia o apartamento, conseguiu uma bolsa de estudos e foi obrigada a mudar de cidade. Mas isso não é um problema para Jeane, que praticamente sobrevive apenas a base de balas de goma e pizza.

Na escola, Jeane é totalmente antissocial, e não perde a oportunidade de uma boa discussão com os professores, ou de entrar em debate acalorado com seus colegas de classe, debates em que ela sempre consegue dar a ultima palavra e fazer valer o seu ponto de vista.

Mas as coisas fogem um pouco do seu controle quando ela começa a desconfiar de que seu melhor amigo/ namorado esta interessado em  Scarlett, uma patricinha sem cérebro que ele é monitor de matemática e que namora o garoto mais cobiçado da escola, Michael Lee.

Michael Lee é o tipo de garoto perfeito. Excelente aluno, esportista, faz parte de todos os tipo de clubes possíveis e faz todas as garotas da escola suspirarem por ele quando passa pelos corredores da escola com suas roupas de marca e seu cabelo moicano. Nem preciso dizer que Jeane o abomina e não somente pelo fato de ele sem um anti-dork "brega".

Quando o caso de Scarlett e Barney vem átona, com um empurrãozinho da própria Jeane, que a aconselha a buscar sua felicidade. Michael fica indignado com Jeane por ter se intrometido em sua vida, e induzido a garota a terminar o namoro, e em uma discussão acalorada, ele acidentalmente acaba a derrubando de sua bicicleta, e ela torce o tornozelo.
 E é depois desse incidente, e por mais improvável que possa parecer, que eles começam a passar algum tempo juntos. E o que era antipatia, se torna amassos e beijos escondidos durante os intervalos das aulas. Mas apenas escondido, pois ambos têm vergonha de assumir o envolvimento para os seus amigos.

"Você estourou seu tornozelo, e onde estavam todos os seus seguidores do twitter, então? Será que eles correram atrás de cachos de uvas e ibuoprofeno? E eles saem com você quando você esta na escola ou você tem que se esconder sozinha em um pequeno esconderijo onde possa fazer tricô e agir como uma solitária aberração esquisita?"
Gente, eu simplesmente amei este livro!! Ele é fantástico, a historia é envolvente e a narrativa super leve, com termos bem atuais, incluindo cultura pop. Mas o que realmente me fez gostar da historia é o fato de que eu super me identifiquei com a Jeane a sua Dorkiedade, me vi em meus tempos de ensino médio ,quando eu adorava garimpar minhas roupas em brechós, me vestia super estranha e quase não tinha amigos, a unica diferença é que naquela época eu ainda não era blogueira e minhas cores eram o preto e o branco mesmo. O mais incrível é que eu passei até mesmo pela situação que ela passa com o Michael, quando ele assume que sente vergonha dela. Mas devaneios de uma Dork recém descoberta aparte, este livro é uma leitura indispensável, pois  é repleto de diálogos inteligentes e bem humorados, apesar do humor negro da Jeane.

Jeane Smith é uma personagem super complexa, e com uma bagagem emocional imensa, coisa que a autora trabalhou de forma impecável, trazendo temas do cotidiano adolescente e os abordando com maestria.

Outro ponto fantástico deste livro é a forma como a autora desenvolveu a vida sexual dos personagens, sem tentar esconder ou ignorar este assunto, já que adolescente de 17,18 anos, hoje em dia, já tem sim uma vida sexual ativa. Ela introduziu este tema de forma simples, sem neuras, exatamente como ele deveria ser abordado por todos.

Os capítulos são narrados alternando o ponto de vista de Jeane e Michael, o que inicialmente é bem confuso, já que não é especificado e normalmente é uma outra visão da mesma cena.
Olha, sinceramente, eu achei a Jeane incrível, ela é engraçada, inteligente, sarcástica, animada, confiante... Nossa, ela é fantástica, fim. Já Michael, ele é o tipo de personagem que te faz ter vontade de entrar no livro, só para dar uns tapas na cara dele e mandar crescer. Eles formam o casal mais improvável e desajustado da historia da literatura, mas quando estão juntos, é impossível não torcer.

"- Eles bebem. Confundem sexo com intimidade. Definitivamente, não poderiam dizer as capitais de mais de cinco países. E realmente acreditam que Justin Bieber é o Segundo Messias.-Apenas 50 % da Geração Y possui mais de dois livros e, sim, eles ouvem música, mais baixam da internet porque o conteúdo é gratuito, claro. Querer, tomar, ter, esse é o seu grito de guerra.-Senhoras e senhores, esta é a minha geração, e a minha geração esta totalmente estragada.-Minha geração foi construída não por seus verdadeiros pais, mas por Sex and the City e por Big Brother."
Este é um livro que aborda temas do cotidiano da vida de um adolescente, provavelmente vai agradar mais aos leitores de 15 a 18 anos, mas eu tenho 22 e fiquei apaixonada, é uma leitura garantida para dar boas gargalhadas, já que os personagens são extremamente reais, principalmente em seus defeitos, e super bem construidos, e a trama não se desenvolve apenas em torno do casal de protagonistas, vários outros personagens são incluídos.

O trabalho da editora também foi fantástico e contribuiu para que este livro se tornasse a perfeição que é, a capa é super fofa, a diagramação é simples e com uma revisão impecável, a única coisa que eu não gostei foi a mudança no titulo, a editora poderia ter deixado o original, "Adorkable".

Enfim, nem preciso dizer que super recomendo o livro, para todos, seja adolescente, adulto, velhinho, nerd, dork ... o que for. Uma leitura prazerosa, rápida e leve. Sarra Manning encontrou a formula perfeita para prender o leitor.



0 comentários

Postar um comentário

Deixe seu Comentário!