RESENHA O VISCONDE QUE ME AMAVA (OS BRIDGERTONS #2) - JULIA QUINN

segunda-feira, 3 de fevereiro de 2014


Título Original: The Viscount Who Loved Me
Tradução: Ana Resende
Páginas: 304
Formato: 16 x 23 cm
Peso:  360 g
Acabamento:  brochura
Lançamento:  14/08/2013
ISBN: 9788580411973
EAN: 9788580411973
Preço: R$ 29,90
Preço E-Book:  R$ 19,90
Leia um trecho: clique aqui

Sinopse: A temporada de bailes e festas de 1814 acaba de começar em Londres. Como de costume, as mães ambiciosas já estão ávidas por encontrar um marido adequado para suas filhas. Ao que tudo indica, o solteiro mais cobiçado do ano será Anthony Bridgerton, um visconde charmoso, elegante e muito rico que, contrariando as probabilidades, resolve dar um basta na rotina de libertino e arranjar uma noiva.

Logo ele decide que Edwina Sheffield, a debutante mais linda da estação, é a candidata ideal. Mas, para levá-la ao altar, primeiro terá que convencer Kate, a irmã mais velha da jovem, de que merece se casar com ela.

Não será uma tarefa fácil, porque Kate não acredita que ex-libertinos possam se transformar em bons maridos e não deixará Edwina cair nas garras dele.

Enquanto faz de tudo para afastá-lo da irmã, Kate descobre que o visconde devasso é também um homem honesto e gentil. Ao mesmo tempo, Anthony começa a sonhar com ela, apesar de achá-la a criatura mais intrometida e irritante que já pisou nos salões de Londres. Aos poucos, os dois percebem que essa centelha de desejo pode ser mais do que uma simples atração.

Considerada a Jane Austen contemporânea, Julia Quinn mantém, neste segundo livro da série Os Bridgertons, o senso de humor e a capacidade de despertar emoções que lhe permitem construir personagens carismáticos e histórias inesquecíveis. 


“Maravilhoso.” – Nora Roberts 


A Editora Arqueiro no ano passado lançou três séries do gênero romance de época (Os Hathaways - Lisa Kleypas; Os Bridgertons - Julia Quinn; Os Rothwells - Madeline Hunter), e apesar de todas ter a mesma premissa, são famílias e cada livro focado em um membro dessa família, porém cada autora tem um estilo de escrever completamente diferente uma da outra.

E a autora do livro da resenha de hoje, Julia Quinn a escrita assemelha bastante com Jane Austen, tantos nas características dos personagens femininos com personalidade audaciosa, quanto os personagens masculinos, aqueles cavalheiros que no início não são os modelos de perfeição mas no decorrer da narrativa os leitores os veem com outros olhos, outra semelhança, são diálogos inteligentes e ousado e com muito comicidade, essa parte lembra outra grande autora de romances de época Georgette Heyer, que além de engraçado ser uma comédia de erros, ou seja, Julia Quinn é a junção de duas praticamente precursoras dos dois estilos.


E a série Bridgerton não podia ser diferente, cada livro você se surpreende, se apaixona pela narrativa, suspira pelos personagens, além de muita diversão. A família Bridgerton é composta por 8 irmãos, ou seja, oito livros (não fiquem apavoradas a Editora está cumprindo os prazos, e realmente a série está tendo um ritmo bom de lançamento), cada livro traz a história de um irmão, o primeiro livro, O Duque e Eu é focado em Daphne Bridgerton, quarta irmã da família, e em Visconde que me Amava, o segundo da série, e a resenha de hoje, traz a história de Anthony Bridgerton...


Anthony Bridgerton o primogênito da família, herdou o título de visconde após a morte inesperada do seu pai quando tinha 18 anos, e esse trauma acompanha Anthony até hoje, já que era muito ligado ao seu pai, pois Edmund criou os filhos de forma diferente dos outros nobres, enquanto os outros deixavam com empregadas e tutoras, porém Edmund e Violet estavam sempre em companhia dos filhos, e essa cumplicidade familiar e a morte de Edmund na idade avançada de 38 anos (no livro que está escrito, não é minha opinião pessoal) abalou toda a família mas principalmente Anthony...


Anthony agora com 30 anos, quer deixar a vida de libertinagem e solteirice  e quer se casar... já que ele tem certeza que não irá durar muito tempo, como aconteceu com seu pai, e aliado a isso, não quer saber de um compromisso afetivo, apenas uma mulher que lhe deixe um legado com filhos porém sem nenhum vínculo emocional, e por isso ele opta pela beldade da temporada...


Naquele época durante os bailes, as jovens casadouras estavam disponíveis a procura de um cavalheiro para casar, de preferência com título de nobreza, carruagem último ano, e uma significativa conta bancária (e a história se repete até hoje, porém com outros termos), e sempre tem uma jovem que se destaca, e a da temporada de 1814, a jovem é Edwina Sheffield, linda e loura de olhos azuis, então Anthony decide que será essa que irá cortejar...


Porém Anthony terá mesmo que cortejar, convencer e provar para Katherine Sheffield que é digno para Edwina...


Kate Sheffield perdeu a mãe com 3 anos de idade, e agora vive com sua madrasta e a sua irmã do segundo casamento do pai, que também faleceu, porém as três vivem em harmonia, Mary nunca foi uma madrasta estilo de contos de histórias infantis, pelo contrário, criou Kate como se fosse sua filha, e Kate desempenha o papel de irmã protetora de Edwina.


E o que Antonhy não sabe, é que Kate tem uma completa aversão a ele, devido sua fama de libertino e patife, que o próprio não esconde até tem uma certa admiração por ter. E Kate ao mesmo tempo não gosta, porém notamos que ela tem curiosidade em relação a vida de Anthony principalmente o que sai na coluna de Lady Whistledown.


Para quem ainda não leu nenhum livro da série Os Bridgertons, Lady Whistledown, é uma colunista de fofocas, suas colunas são famosas e disputadas pela sociedade, porém ninguém sabe a real identidade da colunista, a autora sempre coloca essa coluna no início de cada capítulo, tanto o texto pode ser direcionado o que irá acontecer no próximo capítulo, ou pode ser algum comentário sempre muito sarcástico e bem humorado do capítulo anterior.
Porém Anthony mesmo depois de cair numa armadilha prepara por Colin, e descobre a dura realidade, da personalidade nem um pouco dócil e meiga de Kate, e que terá que passar por ela primeiro antes de chegar a Edwina.


E isso gera muitos embates entre os dois, ambos são bem atrevidos, mordazes e sarcásticos, o que leva os leitores algumas deliciosas discussões, porém ambos sem querer começam a sentir atraídos pelo outro.


Anthony começa a ver em Kate uma mulher inteligente de personalidade, mesmo que isso faça ele querer estrangulá-la algumas vezes durante a narrativa, principalmente quando ele tem que cair em um lago pela segunda vez, já que em O Duque e Eu ele também teve esse probleminha, ou mesmo para tirá-la da cabeça, porque sem querer Kate invade seus sonhos...

Até a tentativa dele em seduzir uma cantora de ópera no seu escritório após do recital para tentar esquecer Kate, a moça aparece embaixo da mesa, e esse momento gerou outro incomodo para ele, já que se tornou mais impossível conseguir cortejar Edwina depois o que Kate presenciou, e mesmo sem querer, ele tenta seduzi-la o que piora ainda mais...


E Kate cada vez sente uma certa aversão por Anthony, mas depois de um final de semana na casa de campo dos Bridgertons, Kate começa a ver Anthony com outros olhos,  mesmo tendo disputado até um jogo de Pall Mall com uma expressão que definiria o jogo "sangue nos olhos"...


Mas a situação mudou principalmente depois que ele salvou Penelope Featherington de uma situação constrangedora, e talvez tudo mudou para Kate quando ela teve seus pesadelos...


Kate sofre de medo de temporais, ela fica tão apavorada que fica em estado catatônico, num desses temporais que após Anthony encontrá-la que a relação deles muda... e quanto Kate permite que Anthony corteja sua irmã, talvez seja tarde demais para ambos esquecerem o que sente um pelo outro.


E depois de serem pegos numa situação escandalosa, apesar que ambos não estavam fazendo nada demais,  que ambos são pegos, a vida deles irá mudar... serão obrigados a se casarem...


Apesar de todo o receito de Kate, ela acaba sendo convencida por Anthony que o casamento deles será ótimo, já que agora eles são amigos e entendem um ao outro, porém Anthony deixa bem claro que nunca dará amor.


Mesmo a relação tenha acalmado um pouco, porém durante o ato sexual da primeiro noite, eles conseguem discutirem e divergirem sobre vários assuntos...  ou seja, mais uma cena hilária e ao mesmo tempo sensual.


E no decorrer de um mês de casamento a sua vida conjugal está em completa harmonia, mas devido os traumas de Anthony o casamento começara a ficar abalado, pois Anthony começou a se apaixonar por Kate, e ele irá fazer de tudo para não querer se apaixonar...


Porém quando ele enxergar a verdade, poderá ser tarde demais, não devido aos sentimentos de Kate, porque ela realmente já se apaixonou por ele, mas devido outros fatores inesperados que irão surgir...


Concluindo...
Antes de fazer essa comparação, quero deixar bem claro que não sou muito fã do gênero chicklit, porém para quem ainda não teve oportunidade de ler nenhum livro de romances de época, e que curte um chickilit um simplesmente um romance contemporâneo, dou a sugestão de começar por Julia Quinn.

A autora leva sempre o bom humor em primeiro lugar, todas suas narrativas, tem esse ponto forte,  o humor, um romance delicado, e mesmo os problemas dos personagens são solucionados de uma maneira consistente, na grande maioria devido o envolvido profundo entre os personagens.

Além da série Bridgerton, realmente é um livro familiar, já que a autora sempre abre espaço para os outros irmãos ajudarem o irmão com problema, foi assim com o livro da Daphne e também foi assim no livro da Anthony, a sensação familiar de união é passada o livro constantemente.

Diferente do primeiro, esse foi um livro mais denso, tanto Anthony quanto Kate são personagens fortes e frágeis ao mesmo tempo, e devido essa dualidade escrita sensivelmente pela autora, e apesar de todas as cenas de comédia, a narrativa desse livro foi mais madura.


Que venha o próximo... Benedict Bennet e Sophie Beckett e sua história estilo Cinderela. 


Curiosidade 1
A autora Julia Quinn teve três livros lançados no Brasil pela Editora Nova Cultural, um desses livros é História de um Grande Amor (The Secrets Diaries of Miss Miranda Cheever) publicado em 2008 no Brasil, sendo o primeiro livro da série intitulada Bevelstoke, porém o resto da série não foi lançado no Brasil.

Curiosidade 2
O livro História de um Grande Amor foi nomeado o Melhor  Histórico Regencial  de 2008 no RITA Awards (premiação dada para Escritores de Romance da América  é o maior prêmio na ficção romance). 


Curiosidade 3
Outro livro publicado pela Editora Nova Cultural foi “Como Casar com um Marquês”  no ano de 2001, é o segundo livro de uma série intitulada Agentes da Coroa (AGENTS OF THE CROWN) uma série de apenas dois livros, e o primeiro não foi lançado no Brasil.

Curiosidade 4
A Lady Danbury, a anfitriã da primeira festa que aparece no livro, O Duque e Eu, que usa bengala e a “rainha da franqueza” ela é praticamente a protagonista do livro “Como Casar com um Marquês”, nesse livro ela é a tia do personagem masculino principal, e já temos uma prévia da personalidade da Lady Danbury, e em Visconde que me Amava ela aparece mais no final do livro.


Curiosidade 5
É interessante a leitura de “Como Casar com um Marquês”  por questão de curiosidade e conhecer um pouco mais Lady Danbury. Mas infelizmente a editora cortou muito da história do livro, para terem uma ideia o livro original tem 375 páginas, e no Brasil em formato de banca tem 239 páginas, mas ao mesmo tempo é uma leitura bastante divertida somente como Julia Quinn sabe escrever, ao mesmo tempo devido os cortes a narrativa do livro foi prejudicada.

Curiosidade 6
Um aspecto interessante é que “Como Casar com um Marquês” foi publicado em 1999, um ano antes de O Duque e Eu, que foi publicado em 2000. Porém a narrativa de Como Casar com um Marquês se passa em 1815 em quanto O Duque e Eu no ano de 1813, e O Visconde que me Amava no ano de 1814. Isso quer dizer que Lady Danbury não tinha aprontando ainda com seu sobrinho, o Marquês de Riverdale (o qual é citado por Simon no livro O Duque e Eu).

Curiosidade 7
A autora várias vezes se refere personagens de outras  de suas séries, e em O Visconde que me Amava não é diferente,  tanto que ela cita o recital dos Smythe-Smiths, essa é outra série da autora, na verdade são 4 livros, apenas lançados lá fora 3, e o último é aguardado para 2014.

Curiosidade 8

Nesse livro tem uma cena de um jogo intitulado Pall Mall, que a família Bridgerton leva muito a sério a disputa e sempre foi jogado entre os irmãos, nesse livro a personagem da Kate participa da disputa, mas o importante é que realmente o jogo existiu na Inglaterra nessa época, principalmente jogado pela realeza britânica, dizem alguns textos que ele foi o precursor do croquet e golfe, mais informações clique aqui

Curiosidade 9

A personagem da Kate tem um cachorrinho da raça Corgi, é originalmente do País de Gales, e é a raça preferida da rainha Elizabeth, é uma raça de pequeno porte, que inicialmente criada para trabalho de pastoreio, porém agora serve de cãe de companhia.

Curiosidade 10
Invadindo o site da Julia Quinn, descobri que a autora selecionou uma trilha sonora para cenas e personagens dos livros, no caso do livro O Visconde que me Amava, essa listada abaixo:
- "Cynical Girl" by Marshall Crenshaw
Cynical girls unite! Love love love this song! It's impossible to listen without grinning.
TRADUÇÃO:
"Cynical Girl" by Marshall Crenshaw
Meninas cínicas unidas! Amo amo amo esta canção! É impossível ouvir sem sorrir.

- "When Heroes Go Down" by Suzanne Vega
This song always feels Vega is narrating a fabulous battle of wills.

TRADUÇÃO:
"When Heroes Go Down" by Suzanne Vega
Esta canção sempre sinto que Vega está narrando uma batalha de vontades fabulosa.


- "The Mind of Love" by K.D. Lang
She doesn't spell Katharine right (she uses Kathryn) but I love how the song is about a Kathryn fighting falling in love.

TRADUÇÃO:
"The Mind of Love" by K.D. Lang
Ela não fala realmente Katharine (ela usa Kathryn), mas eu adoro a forma como a música é sobre a luta de Kathryn se apaixonar.


- "Nobody Does it Better" by Carly Simon
Oh, come on! How could I not?

TRADUÇÃO:
"Nobody Does it Better" by Carly Simon
Oh, vamos lá! Como eu não poderia?


Curiosidade 11
Tópicos Interessantes:
Baile: página 35
Cena Lago: página 61
Cena Escritório: página 88
Significado do nome Hyachiht: página 111
Pall Mall: página 127
Medo de Kate: página 154
Núpcias: página 215
Cena dos irmãos: 267
Epílogo: página 286

Curiosidade 12

A cena hilário do lago onde Anthony pela segunda vez cai em algum (O Duque e Eu ele também teve um probleminha de mergulho indevido), no caso do livro O Visconde que me Amava, a autora se refere ao famoso lago Serpentine que fica no Hyde Park (local de passeio da aristocracia da época), e esse lago em 2013 recebeu uma estátua gigantesca do Mr.Darcy, da adaptação de Orgulho e Preconceito de 1995 como protagonista o Colin Firth, o motivo era a comemoração do novo canal da UKTV, e também comemorar os 200 anos da publicação de Orgulho e Preconceito. E essa cena é um momento memorável dessa adaptação eleita a melhor adaptação de todos os tempos. Confira a o vídeo com a cena original (clique aqui) que não foi filme no nesse lado e sim em Lyme Park, em Cheshire.

Curta a fan page da autora no Brasil!!!! Participe do Grupo!!!! Siga a editora! Curta o Facebook da Editora Confira o site da editora Siga o Pinterest da Autora!!! Curta o Facebook da Autora! Confira o site da autora! Sem resenha! Sem resenha! Sem resenha! Sem resenha! Sem resenha! Sem resenha! Sem resenha! Por enquanto na versão em inglês!!! Por enquanto na versão em inglês!!! Por enquanto na versão em inglês!!! Por enquanto na versão em inglês!!! Por enquanto na versão em inglês!!! Adicione no skoob!!! Adicione no skoob! Clique aqui para conferir a resenha! Adicione no skoob!
CLIQUE NAS IMAGENS DOS LIVROS PARA CONFERIR A RESENHA, E NOS ÍCONES E NOMES PARA ACESSAR AS PÁGINAS

PRÓXIMO LANÇAMENTO

UM PERFEITO CAVALHEIRO (OS BRIDGERTONS #3)


CONFIRA MAIS INFORMAÇÕES CLICANDO AQUI

23 comentários

  1. Quero muito ler o Visconde que me amava! ainda não li nadda da autora, mas sua resenha me deixou curioso pra ler!
    adorei o post

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quando começar ler os livros da autora não irá mais parar, Julia Quinn é viciante, e seus personagens e suas narrativas inesquecíveis.

      Excluir
  2. Nossa que resenha perfeita , tão completa . Eu tenho esse livro , e particularmente amo demais , adoro os livros da Julia Quinn *----------* .. Chegou nas livrarias o livro 3 foi hj ? ! :))

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso Raquel hoje foi o lançamento do Um Perfeito Cavalheiro, o livro do Benedict Bridgerton meio estilo Cinderela.

      Excluir
  3. Oi Pá!
    Eu li esse livro na semana passada e adorei!
    É muito bom!
    bjks!

    ResponderExcluir
  4. Indo ler agora O Visconde que me Amava, a resenha me deu muita vontade de ler, ótima resenha ^^

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Alessandra ele é muitooooooo divertido e romântico. Anthony Bridgerton é viciante kkkk

      Excluir
  5. Esta resenha é mais que perfeita, completinha.
    Eu particulamente amo romances épicos e Julia é MARAVILHOSA. Seus livros, principalmente os desta saga, trazem romance e muitas cenas engraçadas. Nunca vou esquecer da primeira vez que eles se encontraram, ou da cena do lago, ou de quando eles foram flagrados, quando já estavam noivos e sozinhos, depois do casamento... são cenas memoráveis que ao meu ver fizeram este livro melhor do que o duque e eu- e olhe que esse também é muito bom.

    E parabéns pela resenha, sei que deve ter dado um trabalho danado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Dá trabalho sim, mas eu adoro esse trabalho kkkk é muito divertido!!!!

      Realmente fiquei com essa impressão que O Visconde que me Amava é melhor do que O Duque e Eu, mas também gostei muito de O Duque e Eu decisão difícil kkkkkkkkkkkk, estou na expectativa pelo livro do Colin que é o quarto livro da série.

      Excluir
  6. Ai Paty,
    Só tu mesmo para fazer uma resenha tão completa <3
    Esse livro é lindo e gosto muito da escrita da Julia Quinn, ainda mais por ela trazer o humor para seus livros.
    Outra coisa é que não tem como não ficarmos apaixonadas por esses homens da família Bridgerton.
    Adorei ler as curiosidades, apesar de poucos livros lançados pela falecida Nova Cultural, tenho interesse em ler. Espero que as Editoras do Brasil nos tragam mais Julia Quinn, pois ela é uma diva.
    Beijos.
    Katielle

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. História de um Grande Amor é maravilhosooooooooo Katilda!!!!

      Excluir
  7. Simplesmente Completa! Sem mais!
    Tenho uma imensa vontade de ler essa série, o que me falta mesmo é dinheiro! rsrsrsrsrsr

    Adorei as imagens com quotes! Lindas!

    bjo bjo^^

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ana você encontra nesses lojas virtuais em torno de 18 a 20 reais em promoção os livros dessa série.

      Excluir
    2. Opa! Obrigado! Vou pesquisar e ver se encontro! ;)

      bjo bjo^^

      Excluir
  8. Todos falando super bem dessa série, sem lê-la já me apaixonei pelos livros e pude perceber que a escrita de Julia Quinn é envolvente, tendo locais e cenários perfeitos para as histórias. P R E CI S O desses livros.
    Beijocas ^^

    ResponderExcluir
  9. Essa serie parece ser muito boa, sempre que vejo uma resenha de um dos livros já lançados aqui são positivas e só fazem eu querer mais lê-la, adoro romances desse tipo e com certeza vou gostar deste *---*

    Meu Mundo, Meu Estilo
    Participe do TOP Comentarista de Fevereiro

    ResponderExcluir
  10. Quero muito ler os livros desta autora. Gosto de romances históricos e ser comparada a Jane é um senhor elogio, então espero não me decepcionar quando ler seus livros.
    Mas até hoje só ouço elogios, então a narrativa da autora deve ser mesmo muito boa.

    ResponderExcluir
  11. Não sou lá muito fã de romances históricos , mas esse me parece interessante, quando a minha lista de leitura diminuir , eu compro u.u
    E-mail: juliamariamoraes2013@gmail.com
    Nome de seguidor: Julia Moraes

    ResponderExcluir
  12. O livro parece ser muito bom , super curti a resenha e adorei as curiosidades . Nunca li nenhum livro desta autora mas já vi muitas resenhas boas sobre os livros dela e esta obviamente é mais uma ^_^.
    Nome de Seguidor: Lays snaps
    Email: lays_snaps@hotmail.com

    ResponderExcluir
  13. Olá
    Ainda não tive a oportunidade de ler
    este livro. Os livros da Julia Quin são
    realmente ótimos!!!
    Lembro-me que quando li Como casar
    com um Marquês fique decepcionada,
    porque o livro é bem leve... (não sei se
    tiraram as partes picantes ou
    realmente não tem)
    Quero comprar esta série...!!!

    ResponderExcluir
  14. Esses personagens são maravilhosos! Fiquei tão envolvida com as discussões e esses trechos foram escolhidos a dedo só pra aumentar mais ainda a nossa vontade de ler o livro. Eu já aproveitei e marquei como desejado lá no skoob para tentar trocar, mas vou procurar nos sites de livrarias também, pois estou decididíssima a conhecer a narrativa da Julia Quinn.
    Este Anthony parece ser um Libertino interessantíssimo! Sério, romances históricos são tão lindos. <3 hahah

    Beijocas,
    Samy Aquino

    ResponderExcluir
  15. Adoro a Julia! Pra mim é a melhor escritora de romance de época e a série dos Bridgertons então... minha favorita! Eu gostei mais desse do que do primeiro, me cativou um pouco mais a história de amor de Anthony e Kate, além das cenas hilárias que me fizeram rir demais. Gostei da resenha :)

    Dá uma passadinha no meu blog:

    http://manualinvertido.com/

    Beijos

    ResponderExcluir

Deixe seu Comentário!