Especial A Seleção: Resenha - A Escolha - Kiera Cass

quarta-feira, 28 de maio de 2014

A ESCOLHA

I.S.B.N.: 9788565765374
Cód. Barras: 9788565765374
Reduzido: 7299138
Altura: 21 cm.
Largura: 14 cm.
Profundidade: 1,8 cm.
Acabamento : Brochura
Faixa Etária : Juvenil
Edição : 1 / 2014
Idioma : Português
País de Origem : Brasil
Número de Paginas : 352

Sinopse: America era a candidata mais improvável da Seleção: se inscreveu por insistência da mãe e aceitou participar da competição só para se afastar de Aspen, um garoto que partira seu coração. Ao conhecer melhor o príncipe, porém, surgiu uma amizade que logo se transformou em algo mais… No entanto, toda vez que Maxon parecia estar certo de que escolheria America, algum obstáculo fazia os dois se afastarem.Um desses obstáculos era Aspen, que passou a ocupar o posto de guarda no palácio e estava decidido a reconquistar a namorada. Em encontros proibidos, ele a reconfortava em meio àquele mundo de luxos e rivalidades. Com essas idas e vindas, America perdeu um pouco de espaço no coração do príncipe, lugar que foi prontamente ocupado por outra concorrente. Para completar, o rei odiava America e a considerava a pior opção para o filho. Assim, tentava sabotar a relação dos dois, inventando mentiras e colocando a garota em prova a todo instante.Agora, para conseguir o que deseja, America precisa cortar os laços com Aspen, conquistar o povo de Illéa e conseguir novos aliados políticos. Mas tudo pode sair do controle quando ela começa a questionar o sistema de castas e a estratégia usada para lidar com os ataques rebeldes.
E tem como não amar um livro destes???

Kiera Cass foi encantadora nas páginas de A Escolha, e eu AMEI cada capítulo!! Simplesmente P-E-R-F-E-I-T-O-!-!-!

A disputa está cada vez mais acirrada. Entre ataques rebeldes e o distanciamento de Maxon, América está cada vez mais insegura.

Está com medo do Rei e embora seu coração em muitos momentos esteja certo do que ela realmente quer, Aspen continua sendo o seu porto seguro. 
Quem será a sua Escolha? Maxon ou Aspen? Mas, o mais importante, após ela se decidir, será que o Príncipe ainda a escolherá?

O último capítulo de A Seleção foi escrito com muito amor e emoção por Kiera Cass e embora eu tenha achado o livro um pouco raso em diversos sentidos, ainda assim, ela fez tudo o que os fãs da série queriam (inclusive eu) então ao meu ver... O LIVRO FOI MARAVILHOSO!
Gostei muito da escrita de Kiera em A Escolha. Ela conseguiu tornar América mais decidida em relação a seus sentimentos por Maxon e esta parte dela deixando um pouco de lado a moleca para tentar se tornar a mulher sedutora que vai atrás do que quer acabou sendo muito divertida.
- Prenda a respiração senhorita.
Obedeci e mais uma vez fui espremida pelo vestido. Pensei em um soldado que se preparava para a guerra. A armadura era diferente, mas a ideia, a mesma.
Naquela noite, eu ia derrotar um homem.
O livro acabou se tornando leve e fluído, com uma narrativa tão rápida que quando vemos, já acabou e este ao meu ver é um ponto tanto positivo, quanto negativo, pois acabei achando que Kiera Cass poderia ter se aprofundado mais em tantos aspectos que o livro acabou muito rápido e eu estou até agora com aquele gosto de quero mais.

A autora acabou deixando de lado muitas questões políticas, passando por elas muito superficialmente. Claro que amamos o foco principal sendo no desfecho da história de Amor entre Maxon - América - Aspen, mas houve diversas situações em relação a guerrilha rebelde que ficaram muito no ar.
O desfecho da série acabou indo apenas por terrenos seguros. Nada de muito polêmico foi testado por Kiera e isso acabou me frustrando um pouco (claro que eu não queria que ela enlouquecesse como a Verônica Roth, mas mesmo assim, achei algumas coisas fáceis de mais em A Escolha).

Aspen acabou sendo a estrela do livro e principalmente depois de ler Os Contos da Seleção - O Guarda, com certeza meu coração que antes era 100% de Maxon, agora é pelo menos 10% de Aspen.
Sua coragem, força de vontade e caráter acabaram sendo o principal apoio tanto para América, quanto para Maxon em diversas situações e sua resiliência foi no mínimo admirável.

Queria ter visto mais das mudanças políticas e principalmente de todo o movimento rebelde. Esta pra mim foi a parte mais rasa de todas, onde Kiera foi tão superficial que infelizmente em alguns pontos a impressão que deu foi que diversos fatos acabaram ficando soltos.
Assim como a questão do luto, a autora poderia ter se arriscado mais e ter dado mais atenção a estes pontos.

Me surpreendi muito quando peguei o livro em mãos exatamente no dia do lançamento e vi o quanto ele era fininho e por isso acho que ela poderia ter escrito mais sobre diversos pontos.

Mas, como eu disse antes. Kiera Cass foi amorosa, intensa e emocionante com o desfecho de
A Escolha e eu como leitora e fã apaixonada não poderia ter pedido um final mais lindo e em que simplesmente todos os meus pedidos foram atendidos.

Ainda tenho esperanças de que após o lançamento do conto A Rainha, Kiera retorne com algum outro Prequel ou um Spin Off quem sabe, pois a DPL ainda não foi superada e com certeza vou ficar muito tempo sonhando com Maxon e amando esta série de uma Cinderella ruiva e impetuosa, que quase derrubou um Rei, mas que com certeza conquistou nossos corações.

E para deixar quem ainda não leu muito curios, vou deixar vocês com um quote que quase me matou quando li no contexto do livro.



Foram 3 livros lindos!! Uma série tão fofa quanto esta com certeza é para ficar marcada para sempre!
Com certeza me diverti horrores no decorrer destes 3 livros. Me apaixonei por Maxon à 1ª vista já nos jardins, e mais ainda depois que li o conto dele.
Sempre adorei a personalidade forte de América, sua doçura e compaixão. Assim como briguei muito por ela estar sempre em dúvida entre o Príncipe e o (xexelento) do Aspen...hehehehe...pobre Aspen...eu realmente nunca dei uma chance à ele. E, embora eu sempre o tenha achado muito egoísta desde o início quando ele forçou ela a participar da Seleção, também tenho que admitir que ele nunca foi de todo ruim.

Kiera conseguiu tecer uma trama muito romântica e divertida. Um novo conto de Cinderella que embora o maior público ainda seja entre as adolescentes eu o considero atemporal. Muito bem escrito, nos faz suspirar, sorrir, chorar, brigar, sonhar e nos apaixonar por ele em qualquer idade.

Mesmo não tendo conseguido ir à SP quando a Kiera veio ao Brasil eu consegui meus exemplares autografados (te adoro Juliana Teixeira que enfrentou 6hs de fila para conseguir pra mim!! Quem tem amigos tem tudo!!) e hoje estes livros são o um dos meus orgulhos na estante.

Com certeza lerei América novamente, quem sabe até junto com a minha filha mais nova daqui a alguns anos...mas o importante é que sempre há espaço para livros bons, bem escritos e que nos encantem!!



4 comentários

  1. aaiiinnn Eu amo essa trilogia!!! Tenho todos, amo todos eles e desde o início sou Team Maxon. Fiquei depressiva pq acabou..eu quero mais!! Quero lua de mel!! Quero noite de nupcias!! Quero filhos loiros e ruivos!! Quero início de reinado!! Eu fiquei na companhia deles por tanto tempo, dói saber q não saberei mais da vida deles :(

    ResponderExcluir
  2. Comprei os livros semana passada e assim que acabar o que estou lendo vou ler a trilogia..

    Mal posso esperar :)

    ResponderExcluir
  3. quero muito ler... agora foi pro topo da lista, kkkkkk

    ResponderExcluir
  4. Sabe que eu também não achei o final de A Escolha tão perfeito assim, como muita gente anda dizendo? Amei a coleção no geral: a pegada fashion, as festas, o romance, a distopia que era pano de fundo.... mas notei algumas lacunas na conclusão, que na minha opinião foi muuito corrida. Primeiro, a morte do pai de América e de personagens tão queridos no final da história - sem sentido e o pior, não teve o luto que mereciam. Depois, o fim de América e Aspen com a descoberta de que o antigo amor da protagonista já estava em outra - e eu juro que não esperava que fosse (SPOILER, SPOILER, SPOILER) Lucy, embora já tivesse cogitado. Achei que esse novo casal foi quase um improviso da autora, como se quisesse se livrar logo da responsabilidade de construir a história dos dois. Terceiro, o fato de (SPOILER) Kriss e o pai de América serem rebeldes foi tão pouco aproveitado.... achei que teria alguma relevância na história, mas ao fim não aconteceu nada. E por último, fiquei sem entender como Maxon pode perdoar América tão rapidamente (no mesmo dia que a pegou no flagra!) sobre as mentiras que ela disse! Assim, ele também não foi um santo (pegou todas as meninas em A Elite e no último livro, e mesmo assim continuou com a pinta de homem apaixonado), então à beira da morte, acho que ele relevou o que América fez, sabe? Pra mim essa foi a única explicação lógica, porque a autora deixou isso muito em aberto. Enfim, acho que se fizessem um filme decente desse livro e caprichassem no figurino e até no cenário, poderia até ganhar um Oscar e tal, mas é claro que não deveria ser um longa feito de qualquer jeito como os filmes de muitas sagas que vemos por aí.
    Agora, de ponto positivo para o livro é como a protagonista conseguiu ser autêntica! Realmente, América foi virando uma menina decente e decidida sobre o que ela queria. Já no meio da história, não consegui ver melhor rainha do que ela - em comparação com a sem sal da Kriss. Enlouqueci com a extrema doçura, dedicação e submissão de Kriss à Maxon, num amor tão louco e de donzela pura e virginal que até deu náuseas. Mas o que importa é que no final o príncipe terminou com quem deveria ficar :D

    ResponderExcluir

Deixe seu Comentário!