Resenha: Querida Sue - Jessica Brockmole - @editoraarqueiro

segunda-feira, 28 de julho de 2014

Querida Sue
Jessica Brockmole

I.S.B.N.: 9788580412635
Cód. Barras: 9788580412635
Reduzido: 7238638
Altura: 23 cm.
Largura: 16 cm.
Profundidade: 1,5 cm.
Acabamento : Brochura
Edição : 1 / 2014
Idioma : Português
Número de Paginas : 256
Sinopse: Março, 1912: A jovem poeta Elspeth Dunn nunca viu o mundo além de sua casa, localizada na remota ilha de Skye, noroeste da Escócia. Por isso, não é de espantar a sua surpresa quando recebe uma carta de um estudanteuniversitário chamado David Graham, que mora na distante América. O contato do fã dá início a um intercâmbio de cartas onde os dois revelam seus medos, segredos, esperanças e confidências, desencadeando uma amizade que rapidamente se transforma em amor. Porém, a Primeira Guerra Mundial força David a lutar pelo seu país, e Elspeth não pode fazer nada além de torcer pela sobrevivência de seu grande amor.Junho, 1940, começo da Segunda Guerra Mundial: Margaret, filha de Elspeth, está apaixonada por um piloto da Força Aérea Britânica. Sua mãe a alerta sobre os perigos de um amor em tempos de guerra, um conselho que Margaret não quer ouvir. No entanto, uma bomba atinge a casa de Elspeth e acerta em cheio a parede secreta onde estavam as cartas de amor de David. Com sua mãe desaparecida, Margaret tem como única pista do paradeiro de Elspeth uma carta que não foi destruída pelas bombas. Agora, a busca por sua mãe fará com que Margaret conheça segredos de família escondidos há décadas.
 Um livro lindo, singelamente romântico da primeira a última carta! Adorei!!

Querida Sue é aquele tipo de livro despretensioso, mas que vai cativando o leitor a cada nova página. Simplesmente lindo e doce, delicioso vai nos embalando em seu ritmo sereno como uma boa balada romântica.

Narrado em 1ª pessoa através de cartas, Jessica Brockmole mergulha os leitores em duas guerras que mudaram o destino de mãe e filha para sempre.

Elspeth Dunn é uma poetisa reclusa que mora na ilha de Skye na Escócia, nunca sonhou mais do que a sua ilha, nunca colocou os pés no Continente, apenas se contentava em olhar o horizonte e retratar em rimas a beleza de sua ilha. Até uma carta espirituosa de um fã americano, cujo seus versos havia encantado chega inesperadamente.

David Graham é um estudante universitário americano, intrépido e destemido e que através dos livros encontra nas respostas ácidas de Elspeth uma réplica exata do que lhe aflige a alma. E, mesmo com um oceano de distancia esta amizade é nutrida e desenvolvida através dos anos, mesmo que a vida tenha lhes colocado nos lados opostos do mundo em todos os sentidos.

Durante anos vamos acompanhando suas vidas tão distantes convergindo em uma história de amor fascinante e apaixonante.
(...) Mas agora você estragou tudo, com a sua última carta. Nunca mais poderá ser apenas meu "amigo interessante".O que eu deveria dizer? Deveria dizer que é uma terrível presunção da sua parte escrever para uma mulher casada e se dizer apaixonado por ela. Mas o que quero dizer? Quero dizer que acho que você não teria escrito isso se não tivesse alguma certeza do que eu sinto.No que eu estava pensando quando a fotografia foi tirada? Imaginei que você soubesse, Davey. Eu estava pensando em você.Sue
Jéssica vai alternando os capítulos da narrativa entre Elspeth e seu amado David, antes e durante a 1ª Guerra Mundial e a narrativa de suas cartas, expectativas, desencontros e finalmente lindos encontros furtivos e vida permeados de espera, paixão e expectativas quanto ao futuro. E, Margaret filha de Elspeth que durante a 2ª Guerra também encontra o amor, mas através de cartas não foca apenas em seu romance com Paul, mas sim tenta conhecer e desvendar o passado de sua mãe.

Entre a narrativa do romance ocorrido na Primeira Guerra e a investigação no estilo Sherlock Holmes conduzida por Margaret durante a Segunda, Querida Sue é um livro lindo e maravilhosamente simples, mas que nos desafia a cada página a mergulhar um pouco mais no amor entre Elspeth e David.

A personalidade radiante de David dá luz e cor às cartas, um personagem realmente sedutor com suas peripécias e espírito livre. Um aventureiro sedutor, afinal, todo americano não é realmente Cowboy ou Bandido? hehehe
Wilson não consegue sair de cima do muro e deixar que nós, americanos, entremos na guerra, por isso teremos que encontrar o nosso próprio meio de acesso.Imagine só! Conduzir um veículo na maior velocidade que eu puder, com as balas assobiando acima da minha cabeça, e vidas humanas efetivamente dependendo de eu dirigir da maneira mais inconsequente e destemida que puder. Pode imaginar algo mais perfeito para mim?(...)Davey
Mas o amor em tempos de Guerra nunca é fácil e entre um encontro e outro, ambos vão percebendo o quanto custa um sonho.
O quanto custa deixar tudo para trás em busca de novos horizontes, da liberdade, do amor.

David buscava quebrar as amarras impostas pela mão de ferro do pai. Elspeth queria mais da vida. Ver lugares, fazer poesia, ser inspirada por sua musa...ser a musa para alguém. Sua ilha tornou-se uma prisão pequena demais para ela depois de sentir o gosto do mundo.

Mais uma vez, saliento que a simplicidade da narrativa é o seu ponto mais forte. A trama muito bem construída e intrincada vai desenhando lindamente um mosaico sobre amor, perspectivas, corações partidos e esperança.
Um livro lindo, desde a capa, com diagramação e revisão perfeitos e que complementam este exemplar de uma graciosidade ímpar que cativa aos fãs de um bom romance e que como eu ficarão com os olhos marejados em diversos momentos durante a leitura.

Mas quem é Sue?
Com certeza é uma mulher muito mais forte e ousada do que a que iniciou a escrita destas cartas à um americano intrépido e bom vivã com um casaco xadrez ridículo e um saco de esquilos.
"Ter lembranças é muito bom, porém é a promessa de ter coisas novas que me ajuda a seguir em frente."
Ficou curioso? Digo à vocês que a emoção e expectativa vai acompanhar a sua leitura até a última página. #AMEI



Abaixo confira algumas capas de Letters from Skye pelo mundo:

"Um livro é um jardim carregado no bolso."   Querida Sue

16 comentários

  1. Amo romance de época e esse parece ser maravilhoso, estou doida pra ler!

    ResponderExcluir
  2. Eu gostei da premissa do livro, mas não senti aquela vontade sabe? rsrsrsrrs
    Adorei a resenha, os quotes e as imagens, mas ainda assim não sei se leria.... minha curiosidade maior é saber como é esta narrativa já que é escrita em cartas.... quem sabe um dia!

    bjo bjo^^

    ResponderExcluir
  3. Eu ganhei esse livro em um sorteio e não vejo a hora de ter uma folguinha para ler. Ainda mais lendo as resenhas positivas, como a sua :), fiquei mais ansiosa ainda. Será que dá pra chorar lendo esse livro?? hmmm

    ResponderExcluir
  4. Adorei a resenha, mais pra mim o livro seria de uma leitura bem pesada
    Adorei as outras capas

    ResponderExcluir
  5. amei a resenha , e nao leio mt romances de epoca , mais esse me interesso bastante ! pretendo ler !

    ResponderExcluir
  6. Querida Sue parece ser um ótimo romance. Só a sua narrativa já me deixou bem curiosa. Adoro quando ela é alternada e acho que as cartas entre Elspeth e seu David devem ser bem românticas e esperançosas.
    Achei a capa lindíssima e espero poder ler esse livro e desvendar o mistério junto com Margaret sobre o passado de sua mãe e saber quem é Sue.

    ResponderExcluir
  7. Adorei a resenha mas eu simplesmente não leria pois não gosto muito deste tipo de livro e achei-o meio cansativo. Mas a capa é linda!

    ResponderExcluir
  8. Quero muito ler esse livro, parece ser um romance super fofo, e essa capa é muito linda...

    ResponderExcluir
  9. Nossa esse livro parece ser melhor do que eu pensava, adorei a resenha a historia realmente parece ser linda, acho que o fato de que se passa entre a primeira e a segunda Guerra Mundial super bacana, e ele ser em cartas também é um ponto forte na minha opinião...Ele já esta na lista de desejados!!
    Beijo!!

    ResponderExcluir
  10. Oiee
    Amo livros que envolvem cartas e os personagens já me cativaram.
    Romances são meu ponto forte e nesse quesito o livro tem tudo a ser perfeito.
    Quero muito ler e saber mais sobre a história de Elspeth,Davi e Margaret.
    beijos

    ResponderExcluir
  11. Também gosto muto de romances de época, e esse livro quero muito ler há tempos. Parece ser um livro bem simples de ler.

    ResponderExcluir
  12. O livro promete muito, parece ser daqueles que você começa a ler sem muita opinião exterior e quando vê acabou o livro num piscar de olhos.
    Além do fato de ser um romance e época, a troca de cartas e a investigação alá sherlok dão um quê a mais no livro.

    ResponderExcluir
  13. Não sou muito acostumado a ler esses romances de época, vejo muita gente falando bem dos livros, os poucos que eu li poucos mesmo, eu gostei, mas tinha um tema diferente, bem diferente desse livro e de varios outros que tenho visto ultimamente.

    ResponderExcluir
  14. Não gosto muito de romance histórico mas por alguma razão me interessei bastante por este livro. Acho que a historia é bonita e ambientada na segunda guerra mundia dar um ar de tragedia, fiquei interessada por este livro e gostei muito da capa também. Beijos

    ResponderExcluir
  15. Amo historia que acontece em guerra mundial , pois sao historias lindas e muito perfeitas esta e um exemplo disto ... Imagine fica so em casa e nao pode conhece o mundo mas adoraria recebe cartas menos q seja de alguem desconhecido .

    ResponderExcluir
  16. Sou apaixonada por livros que tenham como cenário a 1ª e a 2ª Guerra Mundial, desde quando comecei a ler nas aulas de história sobre isso, mas o assunto tornou-se mais interessantes quando eu descobri os romances de época que se passavam neste cenário. Sério, não tem romance que me agrade mais do que envolvendo um guerra! (Isso não é muito legal de se admitir, mas né, acontece hahaha)
    O que mais me chamou atenção foi que justamente por causa da capa, não dei atenção ao livro. Nem olhei duas vezes pra ele!!! Sério, realmente não se deve julgar um livro pela capa, pois esta não me agradou nem um pouquinho comparada com as capas estrangeiras (principalmente a terceira e a última).
    E então eu lembrei que tem um romance da Patricia Cabot que se passa na Ilha de Skye e eu fiquei mais animada ainda para "viajar" de volta para aquele lugar. Mais um livro para a minha lista de desejados! hahaha

    Beijocas,
    Samy Aquino

    ResponderExcluir

Deixe seu Comentário!