Resenha: Orange is the new Black - Piper Kerman

domingo, 31 de agosto de 2014

Editora: Intrínseca
Autor: Piper Kerman
ISBN: 9788580575255
Ano: 2014
Páginas: 304
Tradutor: Lourdes Sette, Cláudio Figueiredo

Sinopse:
Quando era jovem, tudo o que Piper Kerman queria era viver novas experiências, conhecer pessoas diferentes e descobrir o que fazer com o diploma recém-adquirido da prestigiosa Smith College. Anos depois, com um bom emprego e prestes a se casar, ela recebe uma visita inesperada - a polícia. Piper estava sendo intimada para responder por envolvimento com o tráfico internacional de drogas. A acusação era verdadeira - recém-formada, Piper teve um caso com uma traficante glamorosa que a convenceu a levar uma maleta de dinheiro para a Europa. Sua aventura pelo submundo do crime voltou à tona no dia em que a polícia bateu à porta dela. Depois de uma dolorosa odisseia pelo sistema judiciário americano, Piper acabou condenada a quinze meses de detenção numa penitenciária feminina no meio do nada - longe dos amigos, da família e de tudo o que ela conhecia. Em 'Orange Is the New Black', Piper apresenta casos curiosos, perturbadores, comoventes e divertidos do dia a dia no presídio. Cercada de criminosas, logo percebe que aquelas mulheres são muito mais complexas do que ela imaginava. Ao mesmo tempo que aprende a conviver com regras arbitrárias e um rigoroso código de conduta, Piper revela as alegrias e angústias das presidiárias e analisa a crueldade com que o sistema carcerário as desumaniza e faz com que sejam invisíveis ao mundo exterior.


Orange Is the New Black é também uma série americana de comédia dramática criada por Jenji Kohan e estreou na Netflix no dia 11 de Julho de 2013. A série, produzida pela Tilted Productions em associação com Lionsgate Television, é baseada no livro de Piper Kerman, Orange Is the New Black, que aborda sua experiência na prisão. 
A segunda temporada foi lançada em 6 de junho de 2014 e tem sua terceira temporada confirmada.
A série se desenvolve ao redor da história de Piper Chapman (Taylor Schilling), que mora em Nova York e é sentenciada a cumprir 15 meses numa prisão feminina federal por ter participado do transporte de uma mala de dinheiro proveniente do tráfico de drogas em favor para sua ex-namorada, Alex Vause (Laura Prepon), que é peça importante num cartel internacional de drogas. O delito ocorreu dez anos antes do início da série e, no decorrer desse período, Piper seguiu sua vida tranquila entre a classe média-alta de New York, ficando noiva de Larry Bloom (Jason Biggs). Quando presa, Piper reencontra Alex (que menciona Piper em seu julgamento, causando sua prisão): elas reanalisam seu relacionamento e lidam com suas companheiras de prisão. Ao final da segunda temporada, resta a Piper o cumprimento de 8 meses de sua sentença.

Resenha:

Orange is the new black é um livro biografia, onde a própria autora revela o seu envolvimento com o trafico e lavagem de dinheiro, assim como foi cumprir a sua pena no presidio e suas experiencias dentro do sistema carcerário.

Sou obrigada a a confessar, o livro é enfadonho, cansativo e com uma narrativa arrastada. Demorei mais de  um mês para ler um livro de 300 paginas, que normalmente finalizaria em menos de uma semana.
 Para quem não sabe, o livro deu origem a serie de TV transmitida pelo netflix.E não, eu não assisti a serie antes, e nem pretendo, apesar de algumas pessoas falarem super bem, sendo assim não posso analisar as diferenças e as semelhanças entre, mas em suma, acredito que tenham mantido a essência da trama.

Quando iniciamos a leitura de OITNB, somos apresentados a Piper Kerman, uma garota simples, recém formada na faculdade de teatro e um tanto desencaminhada na vida e que acidentalmente esbarra com Nora, uma mulher instigante e bonita, que demonstra interesse em Piper, um pouco além da amizade. 
Logo as duas engatam um romance, e é também neste momento em que Piper descobre como Nora consegue manter todo o luxo a sua volta e o porque de suas constantes viajem. Nora é uma traficante de drogas, que viaja o mundo distribuindo e recrutando pessoas,que pela quantia certa topem transportar droga e dinheiro para a quadrilha.Quando Piper conhece a verdade sobre os negócios de sua namorada, fica deslumbrada com o mundo de dinheiro fácil, luxo e viagens constantes, e com o passar do tempo o seu envolvimento com o crime se torna maior e efetivo, ela mesma começa a transportar o dinheiro e as drogas. 
Depois de um incidente em um aeroporto, Piper decide por fim ao ser relacionamento com Nora e ao mundo do trafico.

Quase dez anos após esse deslize em sua vida, Piper tem uma vida estável, um bom emprego e esta noiva de um rapaz que é sua alma gêmea.Só que certo dia o passado bate a sua porta, literalmente. Nora e sua quadrilha foram capturadas, e em troca de benefícios a antiga namorada de Piper começa a revelar os nomes dos envolvidos nos negócios obscuros.Sendo assim, Piper é intimada a depor, e após se declara culpada , é condenada a quinze meses de prisão em um presídio feminino de segurança mínima, onde é obrigada a conviver com mulheres de todos os tipos e etnias.
 (...)Todos que gostavam de mim desejavam que eu fosse inocente — que tivesse sido enganada, ludibriada, iludida. Mas, é claro, esse não era o caso. Há muitos anos quis viver uma aventura, uma experiência extraordinária, e o fato de ser ilegal tornava-a ainda mais emocionante. Nora pode ter me usado naquele passado distante, mas eu tinha me mostrado mais do que disposta a aceitar o que ela me oferecia.(...)
 Este livro é narrado em primeira pessoa, e como eu falei lá em cima, é uma biografia da autora narrando como foi a experiência e passar quinze meses trancafiada em uma penitenciaria. Todo o enredo é desenvolvido como se o livro fosse um diário, onde a protagonista (e autora) revela todas as dificuldades e suas experiências. Esta forma de narrativa proporciona uma intimidade entre leitor e autor, inclusive sobre as experiências homossexuais da autora e de alguns personagens envolvidos com a protagonista.

Orange is the new Black é uma obra interessante, primeiramente por quebrar tabus e falar abertamente sobre diversos temas polêmicos,como drogas e homossexualidade, e apesar de a narrativa ser arrastada, não se pode esquecer de que se trata de uma historia verídica, onde fatos não podem ser mudados para acrescentar ação a trama e instigar o leitor. Este é um livro para quem curte o estilo biografia, que gosta de embarcar no mundo real de alguém de carne e ossos que se propõe a dividir suas experiências com o leitor. O livro também é super real , e descreve diversos problemas sobre o sistema carcerário nos Estados Unidos, inclusive as super lotações dos alojamentos e a forma como as presas lidam como o encarceramento e a falta de perspetiva quando saírem ao mundo novamente.

Enfim, como eu falei lá em cima, demorei bastante para conseguir ler, e só cheguei ao fim da leitura por persistência e por ter intercalado com outras leituras, então, para quem não é muito fã do gênero, como eu, aconselho a ler de forma despretensiosa, um ou dois capítulos ao dia, só assim a leitura vai se tornar agradável, e não maçante. Mas já você que curte o gênero (auto)biográfico, não perca tempo, esse é o livro perfeito, mistura humor, drama e  romance , é uma leitura indispensável.
Sobre o trabalho da editora, não tenho nem o que comentar, é simplesmente perfeito, a capa é um dos poster da serie, com uma diagramação simples, mas de qualidade, uma revisão impecável e uma fonte agradável.Como sempre a Intrinseca mandando super bem nas publicações.

Sobre a autora:

 Estudou teatro no Smith College e gradou-se durante a recessão de 1992 e passou anos atoa em Northampton até se envolver com Nora Jansen, com quem subitamente adquiriu muito dinheiro; antes que percebesse estava viajando pelo mundo com sua namorada traficante e até lavando dinheiro de drogas de Chicago a Bruxelas. Deixando para trás Nora ela mudou-se para São Francisco, onde conheceu Larry Smith, eles se mudaram para Nova York. Em 1998 ela foi condenada por lavagem de dinheiro e tráfico de drogas. Ela declarou-se culpada conseguindo uma pena mínima. Com 34 anos passou 15 meses entre 2004 e 2005 em FCI Dandubry, uma prisão de segurança mínima localizada em Connecticut. Atualmente ela é frequentemente convidada para falar para estudantes de direito, criminologia, sociologia e muitos outros, e também para grupos que inclui a Associação Correcional Americana, agentes federais de condicional e defensores públicos e muitos outro. Atualmente ela trabalha na Associação de Prisões Femininas. Ela vive no Brooklyn com seu marido, Larry Smith e trabalha simultaneamente em diversas organizações sem fim lucrativos de ajuda a diversas áreas e pessoas.

12 comentários

  1. Parece ser um livro policial, deve ser bom, eu queria lê-lo. Hoje em dia, pelo menos eu acho, esta bem dificil achar autores que consegue criar um livro atraves de sua propia história de vida, e autores quem tem cara pra assumir o que fez e ainda criar algo sobre , muito bom o livro ta na minha lista!!!

    ResponderExcluir
  2. É.. Acho que o livro não é pra mim, não curto auto-biografias :(
    Já havia ouvido falar da série, e não sabia que tinha um livro, mas também nunca me deu vontade de assisti-lá..
    Uau, a vida dessa autora deve ter sido bem tensa né? :o
    E olha só, hoje ela trabalha numa Associação de Prisões Femininas, que ironia haha
    Bjs
    Anny

    ResponderExcluir
  3. ,OI , Nao curto Biografias mais confesso que sua resenha me despertou um pouco de interesse sobre o livro , ja tinha ouvido falar da série e pretendo ler sim , por mais que vs falou q achou o livro enfadonho e cansativo quero tentar !

    ResponderExcluir
  4. Gosto muito da série de TV, o livro parece ser ótimo, curto muito biografia, já esta na minha lista de leitura.

    ResponderExcluir
  5. Parece ser uma serie muito boa, mas vc disse que o livro é cansativo, acho que acharam uma boa obra para ir direto para Tv, gostei do post e também da bioglafia da autora...

    Abçs :)

    ResponderExcluir
  6. Eu adoro essa serie, eu tô acompanhado pela net
    esses personagens são umas figuras em?
    eu ganhei o livro de meu colega que ganhou dois kits da Intrínseca, só que ainda não foi lido..
    bjz
    Passa lá?
    http://ospapa-livros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Tbm não curto livros assim, biografia. Em relação a série, só me chamou por estar sempre vendo todo mundo falando bem e tal, mas não chegou a me convencer a assistir. Depois de saber do enredo em si, desanimei ainda mais. hehe
    Mas é isso ae, estilos para todos os gostos!

    ResponderExcluir
  8. Eu não me senti instigado com a série, não sei bem, não dei chance ainda de assisti-la. Mas lendo a resenha do livro fiquei muito curioso, quero muito ler. Obrigado pela dica.

    ResponderExcluir
  9. Oi, tudo bom?
    Eu já ouvi falar desse livro, mas confesso que não sinto interesse em ler ele, porém pretendo ver a série, pois essa me parece ser melhor e mais divertida, mas quem sabe eu dê uma chance ao livro.
    Beijos *-*

    ResponderExcluir
  10. Oh! Todos falam muito bem da serie, mas infelizmente ainda não tive a oportunidade de ver pois não sou assinante da Netflix. Já tinha ouvido falar do livro e ele me deixou muito interessada porque a historia e real tipo realmente aconteceu é um autobiografia por assim dizer rsrsrsrs... Não tenho um histórico muito com sobre biografias pois comecei duas e as abandonei. Gostei bastante do livro também por abordar assuntos polêmicos como a homossexualidade e o trafico de drogas. A capa esta legal apesar de não gostar por ser capa da serie. Beijos <3

    ResponderExcluir
  11. Oi Geeh!

    Bem, não acompanho a série e nem penso em ler o livro... Não que eu não tenha gostado, mas não é mesmo meu tipo preferido de leitura... Enfim, quem sabe um dia neh? rsrsrsrrs

    bjo bjo^^

    ResponderExcluir
  12. Oi tudo bem??
    Acheii um livro bastante interessante ele e bem diferente de livro que costumo ler resenha em blogs literarios , achei autora meio parecida com a modelo da capa !
    http://b-maluco.tk/

    ResponderExcluir

Deixe seu Comentário!