Resenha: Mentirosos - E. Lockhart - @editoraseguinte

sexta-feira, 14 de novembro de 2014

MENTIROSOS
E. Lockhart
I.S.B.N.: 9788565765480

Sinopse: Os Sinclair são uma família rica e renomada, que se recusa a admitir que está em decadência e se agarra a todo custo às tradições. Assim, todo ano eles passam as férias de verão numa ilha particular. Cadence — neta primogênita e principal herdeira —, seus primos Johnny e Mirren e o amigo Gat são inseparáveis desde pequenos, e juntos formam um grupo chamado Mentirosos. Cadence admira Gat por suas convicções políticas e, conforme os anos passam, a amizade com aquele garoto intenso evolui para algo mais.Mas tudo desmorona durante o verão de seus quinze anos, quando Cadence sofre um estranho acidente. Ela passa os próximos dois anos em um período conturbado, com amnésia, depressão, fortes dores de cabeça e muitos analgésicos. Toda a família a trata com extremo cuidado e se recusa a dar mais detalhes sobre o ocorrido… até que Cadence finalmente volta à ilha para juntar as lembranças do que realmente aconteceu.
'Mentirosos' é um suspense moderno e sofisticado, impossível de largar até que todos seus mistérios sejam desvendados. Ao mesmo tempo, a prosa lírica e o estilo seco e denso o fará mergulhar de cabeça no mundo dos Sinclair e nas crescentes angústias de Cadence — para então vir à tona completamente impactado.


Somos Sinclair.
Ninguém é carente.
Ninguém erra.
Vivemos, pelo menos durante o verão, em uma ilha particular.
Talvez isso seja tudo o que você precisa saber a nosso respeito.
Com uma narrativa densa e pulsante, Mentirosos cativa através de seus versos. Uma trama antiga, uma trama nova, um amor, uma dor...um desatino, um desalento, seu coração simplesmente será arrebatado por eles.
Comecei a ler Mentirosos com muita curiosidade dados os comentários que ouvimos das meninas da Seguinte sobre o livro na Bienal, mas nada poderia ter me preparado para ele.

Mentirosos já começa desafiando o leitor com esta narrativa em prosa cadenciada. Verso após verso, vamos conhecendo Cadence, a primogênita.
O orgulho e alegria da nova e brilhante geração dos Sinclair, mas algo em algum momento deu errado.

Após um grave e obscuro acidente, Cadence não sabe mais quem é. Sua vida está resumida a fragmentos de dor e de memórias do verão dos 15 (quando ela e os demais mentirosos tinham 15 anos).
Não tem mais amigos a não ser os tarja preta que parecem não funcionar tão bem como deveria.
Nestes 2 anos entre o verão dos 15 quando ocorreu o acidente e agora, ela apenas tenta aliviar a dor e juntar seus cacos. Completamente isolada de tudo e de todos, faz dois verões que ela não retorna à Ilha de Beechwood onde tudo aconteceu e onde os Mentirosos continuam a se encontrar para o idílio de verão. 
Mas agora está na hora de reunir o bando novamente e quem sabe juntar as lembranças de Cady.

Em um divino quebra cabeças prosaico, vamos alternando entre flashbacks do verão dos 15 com Cadence onde tudo era ensolarado e lindo. Os Mentirosos eram unidos e felizes como somente jovens brilhantes poderiam ser.
Revivemos sua amizade e cumplicidade. Nos apaixonamos por ela e seu encantamento por Gat.
Gat sorriu. Radiante. Acanhado. Ele ajoelhou, derrubando as pilhas de livros coloridos no processo. Estendeu o braço e acariciou meu cabelo.- Eu te amo, Cady. Estou falando sério.Eu me aproximei e o beijei.Ele tocou meu rosto. Desceu a mão pelo meu pescoço e pela minha clavícula. A luz da janela do sotão batia em nós.Nosso beijo foi elétrico e suave,hesitante e perfeitoassustador e completamente certo.
Mas agora nada é mais radiante como antes.
Os Mentirosos não brilham mais e Cadence é a única que ainda se apega ao passado em looping sem conseguir enchergar o futuro.

E. Lockhart através desta narrativa primorosa inspirada em Rei Lear de Shakespeare, vamos desbravando as entranhas da família Sinclair.
A podridão ocultada pelas aparências. A manipulação do patriarcado para manter puras as raízes e a tradição da família.
A avareza sobrepujando o sangue e o amor em família.
O preconceito dos privilegiados e o ter sendo mais importante do que o ser.

Mas também somos brindados com o frescor do amor juvenil, seu idealismo e doçura.
Mentirosos traz um bom quinhão de amizade verdadeira e resgate de valores familiares, assim como um ótimo suspense que vai sendo construído e tomando forma até simplesmente nos ser tarde de mais e estarmos completamente consumidos por ele.
A narrativa em formato de prosa é limpa e brilhante, fazendo a leitura fluir maravilhosamente bem e dando o peso e o impacto certo durante todo o texto.

Todos os personagens foram muito bem escritos e embora não houvesse nenhum aprofundamento maior na personalidade da maioria, ainda assim o autor conseguiu deixá-los marcantes de alguma forma e assim, funcionando muito bem durante o livro.

Me senti muito apreensiva em diversos momentos enquanto juntava o quebra-cabeça com Cadence. Sorri quando ela sorriu e fiquei muito tocada por sua angústia e dor quando ela sofria.
E embora eu tenha desvendado o X da questão um pouco cedo de mais para o meu gosto, o desfecho foi tão bem escrito e amarrado que não teve como ser menos impactante.

A capa, revisão e diagramação embora sejam simples, são ótimos e funcionam muito bem para a proposta da obra.
Gostei muito da leitura e com certeza este livro entrou para a lista dos meus favoritos.
Então, convido vocês para passar um verão em Beechwood e se surpreender com esta maravilhosa releitura de uma das obras primas de Shakespeare.

















4 comentários

  1. Olá
    Muito legal sua resenha e me deixou incrivelmente ansiosa para ler e espero gostar bastante, a Seguinte sempre publica livros maravilhosos e imagino que esse não seria diferente.
    Ótima dica e resenha

    Beijão
    http://realityofbooks.blogspot.com.br/2014/11/resenha-soul-love-lynda-waterhouse.html

    ResponderExcluir
  2. Geeente amei a sua resenha!
    Eu não tinha muita curiosidade pra ler o livro (na real, eu nem tinha lido a sinopse), mas o texto me despertou bastante o interesse! Principalmente por ver que se trata de uma narrativa tão diferente do comum; inspirado em Rei Lear? AI SIM, RAPÁ AJKFNASGAUGASBUOASB
    Espero conseguir ler em breve, adorei a dica!

    Beijos,
    Denise Flaibam.
    http://blogsomaisum.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Olá meninas!

    Eu só li um livro até hoje com esse tipo de narrativa e gostei... Não conhecia este livro mas fiquei curiosa com sua resenha, adoro um bom suspense!

    Bjo bjo^^

    ResponderExcluir
  4. Nossa estou doida pra ler esse livro, só vejo resenhas super positivas dele, e cada nova resenha que leio me deixa ainda mais ansiosa pra conferi isso tudo.

    ResponderExcluir

Deixe seu Comentário!