RESENHA SANGUE: VIDA, MORTE, DESTINO (TRILOGIA O VAMPIRO DE MÉRCIA #1) - K. J. WIGNALL

quarta-feira, 26 de novembro de 2014


Título Original: Blood
Tradutor: Marsely de Marco Martins Dantas
EAN: 9788528618655
Gênero: Suspense
Coleção: O Vampiro de Mércia
Páginas: 224
Formato: 16 X 23 cm
Editora: Bertrand Brasil

Sinopse: AUTOR VOLTA ÀS ORIGENS E APRESENTA VERSÃO MACABRA DE UM DOS PERSONAGENS MAIS ASSUSTADORES DOS ÚLTIMOS TEMPOS

1256. Will estava destinado a ser o Conde de Mércia, mas não viveu o bastante para herdar o título, já que foi acometido por uma estranha doença aos 16 anos de idade. Mesmo assim, apesar de sua morte – e de seu enterro –, ele não está nada morto. Ao longo das páginas, a condição de Will vai se revelando: ele existe entre a vida e a morte. Ocasionalmente hiberna, sempre esperando que a morte lhe chame e, toda vez que desperta, enterrado no solo, tem uma breve lembrança do primeiro pânico que sentiu em 1349.
Sangue apresenta como um de seus principais diferenciais o fato de ser mais macabro e sombrio do que as obras atuais do gênero. Para Wignall, o romantismo é importante, mas nunca deve se sobrepor ao enredo. Assim, ele elaborou cenas angustiantes, como as que o protagonista enfrenta sempre que desperta das hibernações, além de ambientes sinistros e escuros e personagens bem construídos, perversos e sem escrúpulos.

    Surpreendeu os fãs de fantasia ao criar um universo onde o vampiro distancia-se do perfil sentimental dos dias de hoje e se aproxima da versão mais famosa delas: o sombrio Conde Drácula.


Gentilmente a editora Bertrand através da parceria nos cedeu um exemplar do aguardado Sangue: Vida, Morte e Destino do autor K. J. Wignall. Uma capa belíssima com a letra Sangue em vermelho bem destacado nos dá a impressão de um livro de vampiro forte e até bastante sanguinário, pelo menos foram essas emoções que me passaram desde o momento que desejei ler o livro, mas...



Will é o Conde de Mércia, um vampiro de 750 anos, porém com aparência de um adolescente de 16 anos. Ele desperta de tempos e tempos, precisa de sangue humano para viver. Inicialmente conhecemos um pouco sobre Will, e uma das suas dúvidas era saber quem o transformou, já que habita sozinho no mundo, nunca conheceu outro semelhante durante esse período.

A introdução inicial da narrativa é fascinante, realmente prende o leitor e instiga a querer descobrir o que realmente a intenção do autor em relação a direção que ele dará a Will e o que ele terá que enfrentar, e novamente digo mas...

Uma das características da parceria com a Editora Bertrand é a liberdade que dá aos blogueiros nas suas resenhas, mesmo sendo uma crítica não muito positiva, e por isso tenho a liberdade de dizer que o livro me decepcionou um pouco...


Quando comecei a ler, esperava um Will mesmo nos autos dos seus 16 anos, um pouco mais sombrio, profundo... quase um Lestat da Anne Rice adolescente, porém no decorrer da narrativa Will se mostrou um adolescente e a trama declinou para um Y.A tendo tudo para ser um livro de terror.

Will acaba de despertar, porém ele sente que há algo diferente no ar. Ele sente uma presença diferente das suas últimas vezes, e talvez dessa vez ele encontre algumas respostas para suas dúvidas, e essas dúvidas é que prende o leitor ao livro, mesmo a narrativa não sendo satisfatoriamente assustadora, tem seus momentos de apreensão e mistério.


Existem algumas coisas que não foram bem trabalhadas, principalmente quando aparece Eloise, uma adolescente de 16 anos meio gótica, o autor tentou criar um clima de romance, mas ficou vago o motivo do encontro, e porque só com ela tem algo diferente, talvez tenha relação com a sua busca do seu verdadeiro criador, espero que no próximo livro dê uma dimensão melhor desse envolvimento.
“Uma pessoa caminhava pela estrada, andando lentamente, de costas para eles. Era uma mulher que vestia uma túnica escura com capuz.(...)- O que devemos fazer, Will? Você acha que ela é um dos espíritos que vimos?Ele observava a tal mulher, que parara de andar logo que o carro parou. Ninguém iria sair a pé numa noite como aquela. Ninguém iria ignorar um carro vindo atrás. Somente um espírito que estivesse determinado a atrapalhar a viagem deles. No entanto, Will entendia a dúvida de Eloise. Afinal, a mulher parecia real, ainda mais do que a que aparecera na câmara de Will.- Passe o carro por cima dela. É um espírito.Rachel olhou e perguntou, hesitante:- Tem certeza? Ela me parece bem real.Will olhou para Chris e disse:- Confie em mim. Pode atropelá-la.(...) A chuva não permitia que vissem a mulher nitidamente, mas, quanto mais se aproximava, mais real ela parecia. Não parecia um espírito: parecia uma mulher de verdade.Rachel gritou:- Pare, Chris!”

Certo momento da leitura parece que o autor tinha uma linha bastante sombria traçada, porém posso dizer desde que apareceu Eloise ele mudou de ideia e deixou cair um pouco para uma trama adolescente levemente assustadora.


Apesar de todos os “mas”, fiquei instigada para ler o próximo livro, mesmo que a narrativa em alguns momentos tenha sido frustrante, mas o autor conseguiu mexer com a minha curiosidade, como falei o livro é bom, não tive vontade de desistir em nenhum momento.
Ele havia esperado pacientemente por duzentos anos, mas as profecias finalmente estavam se cumprindo. O mal estava à solta no mundo e era sua obrigação procurá-lo e destruí-lo onde quer que fosse encontrado. As forças do bem tinham que triunfar, e, acima de tudo, ele não descansaria até que tivesse destruído, sozinho, o filho do demônio, aquela coisa que pertencia às trevas, a fonte de todo o mal, William de Mércia.
Mesmo sendo uma leitura digamos mediana, mas no final o autor conseguiu seu objetivo o que me leva a perguntar... Editora Bertrand quando sai o próximo livro????




5 comentários

  1. Olá meninas!

    Tbm adorei a capa e a sinopse passa a ideia de um livro mais aterrorizante... uma pena não ser tudo isso!
    Enfim, gostei da resenha, mas acho que não leria... Quem sabe melhore nos próximos volumes neh?

    Bjo bjo^^

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu tenho impressão que os dois últimos serão bem melhores...

      Excluir
  2. Nossa curto muito histórias com vampiros e amei saber que essa é mais no estilo do sombrio Conde Drácula, a trilogia parece ser ótima, quero muito ler!

    ResponderExcluir
  3. Gostei do primeiro Sangue, vou começar o segundo Alquimia. Estou procurando o terceiro.
    Gosto de livros que não tem o núcleo de cometa personagens grande.

    ResponderExcluir
  4. A Eloise vira vampira ou não?

    ResponderExcluir

Deixe seu Comentário!