RESENHA MANHÃ DE NÚPCIAS (OS HATHAWAYS #4) - LISA KLEYPAS

quinta-feira, 12 de fevereiro de 2015


Título Original: Married by Morning
Tradução: Maria Clara de Biase
Páginas: 272
Formato: 16 x 23 cm
Peso: 320 g
Acabamento: brochura
ISBN: 9788580412895
EAN: 9788580412895
Leia um trecho: clique aqui 

Sinopse:
“O estilo natural de Lisa Kleypas cria mais um apimentado romance de época, instigante do início ao fim.” – Publishers Weekly

Quando herdou o título de lorde Ramsay, Leo Hathaway e sua família passavam por um dos momentos mais difíceis de sua vida. Mas agora as coisas vão bem. Três de suas quatro irmãs já estão casadas, uma preocupação que Leo nunca teve consigo mesmo. Solteiro inveterado, ele tem uma certeza na vida: nunca se casará.

Mas então a família recebe uma carta que pode pôr tudo isso em risco: se Leo não arrumar uma esposa e gerar um herdeiro dentro de um ano, ele perderá o título e a propriedade onde todos vivem.

Solteira e sem pretendentes, a governanta Catherine Marks talvez seja a única salvação da família que a acolheu com tanto carinho. O único problema é que Leo não compartilha do mesmo afeto que suas irmãs têm pela moça.

Para ele, Catherine é uma megerazinha cheia de opinião que fala demais. Apesar de irritá-lo e quase o levar à loucura, ela é a primeira – e única – mulher com quem ele considera se casar.

Catherine, por sua vez, tem uma opinião igualmente negativa a respeito do patrão. Além disso, ela esconde alguns segredos do passado e um deles pode destruir a vida que tão cuidadosamente construiu para si.

Agora Leo e Catherine precisam um do outro, mas para vencer as dificuldades e consertar as coisas eles terão que superar as turras e as diferenças, num romance intenso e sensual que só Lisa Kleypas poderia ter escrito. 

Finalmente o livro mais aguardado por mim da série, para dizer a verdade todos os livros são ansiosamente esperados. Mas Manhã de Núpcias,  quarto título da série Hathaways da autora Lisa Kleypas, é muito especial...  E o “culpado” disso é o protagonista, Leo Hathaway *suspira*


Lorde Ramsay (Leo Hathaway), o primogênito da família, sempre foi um personagem controverso... com características físicas atraente, e uma personalidade cínica e ao mesmo tempo irreverente, mas não foi essa primeira impressão que as leitoras tiveram no início da série em relação à Leo.


No primeiro livro da série, Leo estava atravessando um momento turbulento (quem leu os livros anteriores sabem os motivos). Bebendo e vivendo na jogatina e bordéis,  imaginava-se que seria um personagem complicado de simpatizar, mas algumas leitoras, inclusive eu, vimos aquele humor sarcástico, porém na maioria das vezes detestável.

Já no segundo livro, o personagem começou se transformar, e sobressaiu seu lado engraçado com colocações espirituosas, e mesmo com toda a acidez, em determinados momentos uma afabilidade em relação à família... Definitivamente Leo foi conquistando as leitoras.

E no terceiro livro, apesar de todos os defeitos e cinismo a parte, no fundo Leo é autêntico... Ele debocha de si mesmo, assume seus erros com humor, e não está nem um pouco preocupado com que os outros pensam ou seguir convenções.  Porém esse desdém todo pelos outros, Leo é oposto com a família.


Mas algumas vezes suas atitudes confundem com arrogância, talvez seja por isso que uma determinada governanta viu em Leo. E essa reprovação visível das atitudes dele só impulsou Leo a inferniza-la cada dia mais.


Catherine Marks, a nova governanta da família, foi contratada para ensinar as irmãs, Poppy e Beatrix, a se comportarem na sociedade. Já que os Hathaways não são nada convencionais. E talvez estenda a própria Cat.


Cat tem alguns segredos (uma parte revelada no terceiro livro), um passado desconhecido, e atitudes misteriosas, uma delas é pintar sempre o cabelo de uma tonalidade escura para esconder seus cabelos loiros. Cat normalmente é introspectiva, sempre calma e calada, mas quando Leo está por perto...


Desde que se encontraram, Cat demonstrou uma antipatia por Leo. Algumas vezes parece que ele a assusta, mas em alguns momentos ela reage a ele com altivez às provocações e insinuações dele.  E quando descobrimos um pouco mais do passado de Cat, começamos a entender porque as reações dela são tão adversas com ele.




E implicar com Cat se tornou quase um hábito divertido para Leo. Em Manhã de Núpcias os embates entre os dois estão cada vez mais tensos, principalmente uma tensão sexual.


E depois de passar por um infortúnio, a relação dos dois fica mais estreita,  mais sensual, deixando Cat receosa, e Leo cada vez mais confuso com seus sentimentos em relação a ela. 



Paralelo a isso ocorre um problema em relação à propriedade... Descobriram uma cláusula imposta pelo antecessor de Leo, que caso o próximo Lorde Ramsay não casasse ou tivesse herdeiros em 5 anos, automaticamente a propriedade passava a pertencer a viúva e a filha, no caso, Condessa Rawsay e a sua filha Vanessa Darvin.


Mas se Leo se casasse (cof.. cof.. cof...)... Mas a palavra casamento e Leo dificilmente estariam contidos na mesma frase, “E há coisas que preferiria fazer a me casar. (...) - Ah, cortar minha língua e me juntar aos monges trapistas... rolar nu sobre melaço e cochilar em um formigueiro... Devo continuar?”.


E no meio dessa confusão, o passado de Cat no qual tanto fugiu, volta para atormentá-la, e terá que tomar uma decisão. Ou vai embora, e deixa a família Hathaway, o único lugar que encontrou um verdadeiro lar, ou fica e enfrenta as consequências.


Leo usando de muita persuasão para convencer Cat que podiam usufruir de momentos prazerosos sem preocupações com problemas externos. Nem as cenas sensuais escapam do humor ardiloso de Leo, deixando as cenas leves, românticas e encantadoras.


Mas a situação inverte, Leo passa não ter tanta aversão do casamento, quando a relação começa evoluir, porém Cat está cada vez mais apreensiva com o relacionamento, e talvez quando Cat tomar uma decisão poderá ser tarde demais... já que o passado pode realmente interferir...


Conclusão:
Todo leitor conhece o sentimento de expectativa por algum livro, às vezes resulta em frustração, em outras vezes em satisfação total, foi assim para mim Manhã de Núpcias.


Foi uma leitura deliciosa, mas realmente é o livro de um personagem,  Leo Hathaway é um dos protagonistas mais marcantes do gênero romance de época , e nesse livro ele chegou seu ápice em colocações sarcásticas e bem humoradas.


Ele pode ser cínico em alguns momentos, ácido em outros, extremamente sedutor em vários, mas pasme, Leo é um romântico inveterado.


Sim... apesar de alguns momentos contraditórios, como declarações de amor em bordéis, pedidos de casamento em situações inapropriadas, mas se não fosse assim não seria Leo Hathaway...


Mas se acham que Leo é o membro da família menos convencional, não conhecem a caçula, Beatrix Hathaway.. Protetora de animais atuante, sem distinção de espécies, desde elefante até um porco espinho podem fazer parte do seu zoo particular.

Em Paixão ao Entardecer, iremos conhecer quem será o bípede que conquistará o coração de Bea. Infelizmente é o último livro da série Hathaways.


Sinopse: “Personagens incríveis, cheios de nuances, espirituosos e com uma química incontrolável.” – Booklist

Mesmo sendo uma família nada tradicional, quase todos os irmãos Hathaways se casaram, até mesmo Leo, que era o mais avesso a essa ideia. Mas para a caçula Beatrix, parece não haver mais esperança.

Dona de um espírito livre, apaixonada por animais e pela natureza, Beatrix se sente muito mais à vontade ao ar livre do que em salões de baile. E, embora já tenha frequentado as temporadas londrinas e até feito algum sucesso entre os rapazes, nunca foi seriamente cortejada, tampouco se encantou por nenhum deles.

Mas tudo isso pode mudar quando ela se oferece para ajudar uma amiga.
A superficial Prudence recebe uma carta de seu pretendente, o capitão Christopher Phelan, que está na frente de batalha. Mas parece que a guerra teve um forte efeito sobre ele, e seu espírito, antes muito vivaz, se tornou bastante denso e sombrio.

Prudence não tem a menor intenção de responder, mas Beatrix acha que ele merece uma palavra de apoio – mesmo depois de tê-la chamado de estranha e dito que a jovem é mais adequada aos estábulos do que aos salões. Então começa a escrever para ele e assina com o nome da amiga. Beatrix só não imaginava o poder que as palavras trocadas teriam sobre eles.

De volta como um aclamado herói de guerra, Phelan está determinado a se casar com a mulher que ama. Mas antes disso vai ter que descobrir quem ela é. 



Leo Hathaway é o personagens das colocações espirituosas e engraçadas, algumas grandes conselhos, outras grandes cretinices, mas todas encantadoras. Nesse livro eu separei, pasme, 25 desses momentos dele, porém só irei colocar alguns...












Clique aqui e confira o site da editora Curta a página!!!! Participe do grupo!!!! Clique aqui e confira a resenha! Clique aqui e confira a resenha! Clique aqui e confira a resenha! Clique aqui e confira a resenha!

5 comentários

  1. Uau, que resenha incrível, amei as citações e os protagonistas que você escolheu para ilustrá-los. Deus para ver que vc é fã do IAN, entendo você, rsrrs
    Bjs




    ResponderExcluir
  2. PARA TUDO!
    eu simplesmente amo essa série, mas li só até o 3º por enquanto ($$ haha)
    mas gente, esse Léo de IAN SOMERHALDER, QUER ME MATAR?
    Fiquei louca para ler e imaginar ele ~~ <3

    ResponderExcluir
  3. Curto bastante suas resenha, as imagens, os trexos... enfim, a sua dedicação e carinho por cada resenha, parabéns pelos trabalhos perfeitos, deve ser um trabalhão, né, mas dá pra ver que é feito com amor e dedicação.
    Ian tem a cara do Leo, esse volume é o meu preferido dá série, Leo me encantou desde o começo.
    Bjos!

    ResponderExcluir
  4. Passei a virada do ano lendo ele, não queria largar. Eu não gostei muito do Leo no primeiro, dava vontade de esganar ele, mas apartir do segundo ele começou a mudar e se tornou o meu personagem preferido da série. Gostei muito do bom humor dele e do cinismo. Apesar dele e da Catherine serem muito diferentes, o casal ficou super fofo, por que um completa o outro. Pra mim esse livro se tornou o meu segundo preferido da série, o que eu mais gostei foi o segundo, da Win e do Kev. De uma escala de 5 dou 4,8, por achar que o final poderia ser mais elaboado, mas amei o epílogo.

    ResponderExcluir
  5. Passei a virada do ano lendo ele, não queria largar. Eu não gostei muito do Leo no primeiro, dava vontade de esganar ele, mas apartir do segundo ele começou a mudar e se tornou o meu personagem preferido da série. Gostei muito do bom humor dele e do cinismo. Apesar dele e da Catherine serem muito diferentes, o casal ficou super fofo, por que um completa o outro. Pra mim esse livro se tornou o meu segundo preferido da série, o que eu mais gostei foi o segundo, da Win e do Kev. De uma escala de 5 dou 4,8, por achar que o final poderia ser mais elaboado, mas amei o epílogo.

    ResponderExcluir

Deixe seu Comentário!