[EVENTOS] Cobertura: Sessão de autógrafos Eu fico loko e Diário de um adolescente apaixonado, Porto Alegre!

quarta-feira, 18 de março de 2015


Cobertura:
Sessão de autógrafos Eu fico loko e Diário de um adolescente apaixonado, Porto Alegre!
Por Ellen Machado

02 de março rolou a sessão de autógrafos dos livros Eu fico loko e Diário de um adolescente apaixonado, do Christian Figueiredo e do Rafael Moreira, respectivamente. E eu, como boa leitora que sou, quebrando uma promessa de: “nunca mais vou numa sessão de autógrafos estilo Kiera Cass” (vide Bienal do Livro, SP, 2014), me joguei no evento. Lokões, lokonas, apaixonados e apaixonadas de toda Porto Alegre (e região metropolitana, e interior, serra e litoral!) lotaram a Saraiva, com mais de 1.000 pessoas! Vale ressaltar que eu me senti uma velha, pois só tinha gente bem jovem - fãs - e gente bem mais velha - pais/avós. Tipo peixe fora d’água, haha.

Pois bem. Cheguei no Barra Shopping Sul às 13h15, certa de que a Saraiva estaria vazia e de que eu havia chegado cedo. Aaah, menina inocente! A fila da senha já estava do lado de fora da Saraiva, quase na loja de games que tem ali. Me posicionei no meu lugar e 2 minutos depois, sim, DOIS MINUTOS, a fila já estava na rua, saindo pela porta do Shopping. As primeiras meninas chegaram às 10h, na abertura do shopping. A distribuição de senhas estava marcada para as 15h, seriam distribuídas 400 fichas, e a sessão começaria às 17h. Só para adiantar, eu saí de lá as 20h30, perdi o primeiro dia de faculdade do semestre, fiquei super cansada e vi os autores por, sei lá, 1 minuto. Quase 8h para 1 minuto. OKAY.

As confusões começaram antes mesmo do dia do evento. A sessão estava marcada para acontecer em um shopping e dois dias antes o shopping foi mudado e, diga-se de passagem, foi transferido para o outro lado do mundo. Por causa disso, muita gente foi para o shopping antigo, chegou lá, viu que não era, se dirigiu ao shopping certo e não conseguiu senha.

Foto: tentativa de organizar uma fila! Que obviamente não dava certo.

 Do tempo de espera, desde a hora que eu cheguei, até as 15h, eu fiquei em pé, pois quem não estava dentro da livraria não poderia sentar no chão, nem se abaixar. Os seguranças do shopping estavam sendo estúpidos com todos que estavam na fila de fora, gritando que não podia nem se abaixar para mexer na mochila, nem sair da fila, nem respirar. Acho que eles não esperavam tanta gente assim e acabaram sem saber o que fazer... Imaginem, a fila que estava fora do shopping era imensa, e as pessoas estavam no sol e no calor de 30º.

Quando começou a distribuição de senhas, eu demorei 1h para conseguir pegar a minha, número 238, e felizmente eu seria atendida pelos meninos! Quando acabaram as 400 senhas, muitas, mas muitas meninas mesmo estavam soluçando e chorando, maquiagens borradas e gritos histéricos por não conseguirem senha. Vendo o caos do lugar, foram liberadas mais senhas, que dariam direito a somente foto com os autores (melhor que nada né?).
As 17h quando eles chegaram... TODO MUNDO gritava enlouquecidamente para os meninos! Eu estava do outro lado do shopping, descansando um pouco, e ouvia a gritaria. Umas 17h30 me dirigi para a livraria. Tinha um mar de fãs desesperados por mais senhas e por um pequeno dislumbre da visão dos guris. Todo mundo berrava e o shopping tremia com o barulho. Cada vez que um deles aparecia no mezanino, eu ficava surda e os seguranças enlouqueciam. Parecia um fim de mundo. A livraria estava bloqueada e o povo tentava entrar a todo custo.

Foto: quantidade de gente na porta da livraria, por volta das 17h.

Eu só consegui acesso à livraria as 18h30. Quando nos organizam em fila por ordem da senha. Bom... lá eu fiquei, e fiquei, e fiquei: surda e com dor nas pernas. A fila não andava. Cada fã ficava cerca de 5 minutos conversando lá no mezanino (onde foi a sessão!). E foi aí que a organização do evento falhou de novo. Gente, entendam: dá abraço no cara, pega autógrafo, diz que ama, tira foto e vai embora. 1 minuto para cada um seria suficiente! Mas nããão. Os primeiros da fila ficaram muito tempo enrolando e depois tiveram que correr com a fila.

As 20h, eu ainda estava lá e tinham 7 pessoas na minha frente, quando a fila trancou e houve um “pronunciamento”. A questão era a seguinte: não daria tempo de atender todo mundo com senha + o pessoal com as fotos, pois ainda tinham cerca de 1.000 pessoas esperando. Foi um auê danado, deu briga e confusão. Porq eles queriam dar só a foto (em grupo!) para todo mundo (inclusive quem tinha umas das 400 fichas, ou seja, sem autógrafos). Dado uns 15 minutos de confusão, a conclusão foi a seguinte: quem tinha pulseira até 400 ganharia autógrafo não nominal + foto em grupo, sem direito a selfie e conversa. O restante ganharia foto em grupo, se desse tempo. Repito: porq não fizeram isso desde o começo?!

A fila recomeçou a andar e o povo começou a tentar furar. Sim. Brasil. Chegou minha vez, finalmente! Eu tava um trapo, sério, que vergonha! Haha
Foto: vista do mezanino e a fila interminável.

Conversei um pouco mais com o Rafa, sobre o livro dele, e peguei meu autógrafo nominal (sim, eu consegui!). Tive mais tempo com ele porq a grande maioria dos fãs presentes no evento eram do Chris, então, ele era mais requisitado para conversas.

Quanto ao Chris, ele estava visivelmente cansado, mas não deixava de sorrir! Ele me disse que eu pareço muito com uma protagonista de uma série (Chris, se tu ler isso, favor me informar a série, que não me lembro o nome! Obrigada!), conversou um pouco comigo sobre o livro e me deu autógrafo nominal.

Consegui as duas fotos individuais :D e os dois autógrafos nominais.

Os dois foram uns fofos e não paravam de beijar/abraçar os fãs. Sim, foram muitos abraços e beijinhos, acho que isso aconteceu porq as fãs em geral eram bem mais novas e pediam muito isso. Haha.
Foto: mesa dos presentes recebidos das fãs (foto tremeu, snif).

Eu fiquei triste pelas pessoas que não conseguirem foto nem autógrafo. Inclusive, na saída, eu conversei com gente que desistiu de esperar. O lamento das fãs era enorme. A maioria chorava muito, algumas por terem conhecido eles e outras por nem enxergarem eles.

Os dois autores são vloggers e tem muitas fãs. Os organizadores do evento deveriam ter controlado o tempo de cada fã com os meninos, assim mais pessoas sairiam de lá mais felizes. E as pessoas também tem culpa, pois muita gente chegou tarde e furou fila. Não deixem pessoas furarem fila! Não é justo com quem chegou cedo.

Resumo da ópera, opa, sessão: 8h de espera, 1 minuto com os dois, uma noite de aula perdida. Fora toda gritaria, chororô, mal entendido e confusão, foi bem divertido! Conheci bastante fã bacana, coletei várias informações a cerca dos autores que eu desconhecia e vi muita coisa inusitada! Ah, sim! Senti falta dos brindes! Não tinham brindes sendo distribuídos, nem marcadores de livros :( mas isso passa, dessa vez!

Eu sempre falo que não vou nunca mais numa sessão de autógrafos, mas na próxima, me aguardem! Estarei lá, cobrindo o evento para vocês!
Foto: em grupo! Christian, um menino que tava na minha frente, Rafael e eu!

Foto: e foto individual com o Christian! (que aliás, faz caras e bocas!).

Foto: autógrafos, finalmente <3 o:p="">

0 comentários

Postar um comentário

Deixe seu Comentário!