[RESENHA] Filha da Ilusão - Herdeiros da Magia Vol.1 - Teri Brown - @EdValentina

sexta-feira, 15 de maio de 2015

Filha da Ilusão
Herdeiros da Magia Vol.1
Teri Brown
I.S.B.N. 9788565859295
Cód. Barras 9788565859295
Número de Páginas 288
Idioma Português
Acabamento 1635
NÚMERO 1
ANO 2014



Sinopse: Anna Van Housen Tem Um Segredo.Ilusionista talentosa, Anna é assistente de sua mãe, a famosa médium Marguerite Van Housen, em seus shows e sessões espíritas, transitando livremente pelo mundo clandestino dos mágicos e mentalistas da Nova York dos anos 1920.
Como filha ilegítima de Harry Houdini – ou, pelo menos, é o que Marguerite alega –, os passes de mágica não representam um grande desafio para a garota de 16 anos: o truque mais difícil é esconder seus verdadeiros dons da mãe oportunista. Afinal, enquanto os poderes de Marguerite não passam de uma fraude, Anna consegue realmente se comunicar com os mortos, captar os sentimentos das pessoas e prever o futuro.
Porém, à medida que os poderes de Anna vão se intensificando, ela começa a experimentar visões apavorantes que a levam a explorar as habilidades por tanto tempo escondidas. E, quando um jovem enigmático chamado Cole se muda para o apartamento do andar de baixo, apresentando Anna a uma sociedade secreta que estuda pessoas com dons semelhantes aos seus, ela começa a se perguntar se há coisas mais importantes na vida do que guardar segredos. Mas em quem ela pode, de fato, confiar?
Teri Brown cria, neste fantástico romance histórico, um mundo onde pulsam a magia, a paixão e as tentações da Nova York da Era do Jazz – e as aventuras de uma jovem prestes a se tornar senhora do seu destino.
 

Um espetáculo em cada pagina! Filha da Ilusão desafia o leitor a desvendar a ilusão que é a vida e o passado de Ana e junto com ela nos encanta e cativa até que não haja como escapar do show que encontramos em suas páginas.

Ana é uma heroína inteligente, forte e marcante.

Filha de Marguerite Van Housen, uma atriz mambembe que ganha a vida se apresentando como médium pelos palcos do mundo.
Entre um trambique e outro, mãe e filha tentam sobreviver num mundo onde o show deve continuar e a esperteza e tino para o engodo, fazem a diferença para garantir a sobrevivência.

Teri Brown conseguiu me conquistar. Narrando Filha da Ilusão em primeira pessoa, vamos acompanhando Ana e a sua árdua tarefa de sobreviver no mundo dos espetáculos de ilusionismo, garantindo sua sobrevivência e de sua ambígua mãe.

A autora consegue nos encantar com um livro delicado e belíssimo, visto que nos deslumbra com a precisão da construção de uma Nova York melindrosa e boêmia dos anos 20.

Cenários, costumes, músicas, roupas...tudo realmente de uma vivacidade que literalmente somos transportados para a época.
Com personagens desafiadores, Teri nos encanta com Ana, uma garota que adoraria viver uma vida normal.

Suposta filha ilegítima do grandioso Harry Houdini, ela vive a sombra desta dúvida.
Dotada de muitos talentos, ela é uma ilusionista promissora e uma vigarista de primeira. Mas embora suas sessões com a mãe sejam uma fraude apenas para garantir tirar o dinheiro de inocentes curiosos, ela guarda muitos segredos e dons realmente verdadeiros.

Meu pai, um homem que só conheço de noticiários, filmes e recortes de jornal, é agora muito palpável para mim. E meu inimigo.
Filha da Ilusão - página 81
A busca pela verdade sobre o seu passado e principalmente sobre seus dons paranormais, nos lançam junto com ela à uma perigosa aventura onde muitos perigos espreitam.
Nem tudo é o que parece e assim como nos palcos, ninguém normalmente é quem parece ser também.

Com uma trama de narrativa fluída, intensa e viciante. Teri vai tecendo a teia entre Ana, seu passado, a difícil e ambígua relação entre ela e mãe sempre na corda bamba e um romance que vai surgindo e delineando aos poucos mais uma faceta na personalidade dela.

Durante muito tempo me vi muito perdida assim como a nossa protagonista. A mãe dela é capaz de despertar tanto rancor em Ana, quanto em nós enquanto lemos. Uma mulher de caráter muito duvidoso e motivos mais duvidosos ainda.
Não é a toa que os instintos de Ana tenham que estar sempre a flor da pele para garantir suas vidas.

Não é difícil de convencer pessoas que sofreram uma perda recente da possibilidade de se comunicar com seus entes amados. Para mim, os pobres crentes sofredores, na ansiosa busca de alívio para a dor que se segue à morte de em ente querido, são sacrificados pelos carniceiros que ganham dinheiro à sua custa.
Harry Houdini - Filha da Ilusão - página 103

Neste primeiro livro, a clarividência de Ana começa as e desenvolver e assim como seus outros dons, a ficar mais forte. Prever desastres já é algo difícil de lidar, agora pior ainda quando o futuro revela angústia, dor e perigos para seus entes queridos.

Lutando para entender suas visões, Ana busca por respostas para as coisas que pode fazer, mas a motivação principal dela é sempre manter sua mãe a salvo.
Seus truques de mágica e ilusões nos entretêm tanto quanto se estivéssemos no teatro junto a seus expectadores, mais uma prova da qualidade da escrita de Teri Brown.
Ainda assim, o leitor passa a maior parte do livro muito intrigado com o relacionamento entre Ana e sua Mãe, principalmente quanto a sua rivalidade no palco.

Marguerite é fria e distante a maior parte do tempo e assim como Ana, nós aprendemos a nunca confiar nela o suficiente.
Mas aí é que está o grande atrativo deste livro.
Sinto lágrimas brotando, mas trato de secá-las, furiosa. Por que estou tão surpresa? Tive medo disso a vida inteira. É o meu pior medo se concretizando. Não. Respiro fundo. Meu pior medo era que minha mãe me abandonasse no quarto de algum hotel barato. Pelo menos, ela não fez isso.
Filha da Ilusão - pág. 190
Além de um cenário muito bem escrito, mesmo em pouquíssimas paginas, Teri consegue costurar uma trama ótima. Muito bem escrita e que vai nos envolvendo do inicio ao fim.
Seus personagens são fortes e muito bem desenvolvidos, dando peso e veracidade à historia.

Com uma capa linda, a Valentina caprichou muito com a diagramação e revisão. Suas páginas amareladas e letra agradável completam este belo exemplar.

Adorei tanto a leitura que o livro acabou sem eu nem mesmo sentir e agora não vejo a hora de saber a continuação, visto que assim como Ana, ainda precisamos de muitas respostas para diversas perguntas levantadas até agora.
E ainda tem Cole (**suspira**) que não vemos a hora de ver de novo.

Filha da Ilusão é um livro para todas as idades, para todos os momentos e para todos os gêneros.


Postagem válida para o Top Comentarista maio.

10 comentários

  1. Olá Scheila!
    Eu tinha assustado com a capa, achei estranha. Mas por outro lado eu adorei a resenha!
    Me deu vontade de saber da história toda, amei a dica.!
    Essas coisas sobrenaturais é mais meu estilo de leitura, e tem um pouco de mistério, romance...acho que vou gostar.
    bjus

    ResponderExcluir
  2. Olá!
    Nunca tinha visto esse livro,achei bastante interessante a história.. Mexer com o sobrenatural sempre é assustador e nos deixa com aquele vontade de sempre saber mais!!Adorei a resenha..
    Bjos *--*

    ResponderExcluir
  3. Oiee!
    Não sei se esse livro é pra mim, isso de ilusionismo e afins me incomodam bastante e é um fator que está pesando mais pra o não do que pra o sim, mas sua resenha foi tão positiva que deu uma equilibrada na balança rsrs.
    Agora não sei mais rsrs
    Bjokas!

    ResponderExcluir
  4. O que dizer sobre esse livro que acabo de conhecer, mas já considero muito?!
    Eu sou suspeita para falar, pois amo o gênero fictício que envolve magia, por que sim, são leituras envolventes e esse livro não fica atrás, amei a resenha ;)

    ResponderExcluir
  5. Nossa, se eu fosse apenas pela sua resenha definitivamente iria querer o livro, mas acho que ele não é para mim! Não sei, a história em si não conseguiu me conquistar, me despertar aquele desejo louco para ler e não parar... Acho que por eu não gostar muito dos ilusionismos, vigaristas e tudo mais... Enfim, deixarei para a próxima.
    Beijos

    ResponderExcluir
  6. Scheila, este não é muito o estilo de leitura que eu goste de ler... prefiro romance, chick lit, vampiros... haha mas tenho que confessar que esta capa me chamou a atenção desde quando você fez um evento da Editora Valentina e nos apresentou este lançamento ... Acho que vou dar uma chance pra este livro um dia desses...
    bjs

    ResponderExcluir
  7. gostei do livro, me interesso muito pelo tema, sempre assisto esses filmes de ilusionistas mais nunca ti ha lido um livro sobre isso, a historia me atraio muito, gosto de ler livros do incio do seculo passado, pra mim é bem interessante.

    ResponderExcluir
  8. Curto bastante heroínas fortes e marcantes...
    Bacana esse passeio nos ano 20 de Nova York! Achei interessante os dons de Ana, sua luta para controlá-los e entendê-los; a relação dela com a mãe não é fácil, não é mesmo?!... Além de uma trama muito bem escrita e de personagens bem construídos há um romance?! Com certeza vou ficar de olho nessa série!
    Bjos!

    ResponderExcluir
  9. Já estava bastante interessada em ler esse livro só pela sinopse, e agora depois de ver essa resenha fiquei ainda mais curiosa em conferi essa história que parece ser ótima.

    ResponderExcluir
  10. Oi!
    Esse e um livro que desde a primeira resenha que li quero ler adorei o livro nos trazer para uma Nova York no seculo XX com uma boemia também me encantou a força de Anna que enfrenta as dificuldades e sua mãe também gostei de temos a clarividência como tema !!!

    ResponderExcluir

Deixe seu Comentário!