[RESENHA] A mais pura verdade - Dan Gemeinhart - @Novo_Conceito

terça-feira, 16 de junho de 2015



“A vida é um saco. Essa é a mais pura verdade. Mais uma coisa que eu não entendo: por que todo mundo sempre tenta fingir ser o que não é?”

Mark é uma criança normal, com um lindo cachorro chamado Beau e uma melhor amiga chamada Jessie. Ele tem um sonho: escalar o monte Rainier.  Mas ele também tem outra coisa: uma doença. Mark tem câncer, e passou a vida inteira lutando contra ela. Ela vem, ele vence ela, e ela vai embora. Essa é a vida de Mark.

Mark quer realizar o sonho dele, que é uma promessa feita ao seu avo, e mostrar que ele consegue. Então, com uma mochila nas costas, uma câmera no pescoço, um pouco de dinheiro, uma caderno com caneta, e seu cachorro a tira colo, Mark foge de casa.  Uma jornada de 423km separam sua casa do seu sonho, da maior aventura da vida de Mark.

Ele já tem tudo planejado. Tem dinheiro, um companheiro e tudo o que precisa para sobreviver até chegar ao topo. “Até chegar ao topo” porque Mark quer morrer lá, ele quer dar um fim ao sofrimento das pessoas próximas dele.

O livro traz um capítulo na visão do Mark, e outro capítulo na visão de Jessie. Durante os capítulos de Mark, vemos tudo o que ele passou em busca do seu sonho: as pedras que encontrou no caminho, as pessoas doces que conheceu, as vezes que ele quase desistiu de tudo, a raiva sobre a doença que ele tem e o conflito interior que ele trava consigo mesmo. Nos capítulos da melhor amiga, vemos o lado dela, sua angustia com o desaparecimento do melhor amigo e a vida da família de Mark, com o aguardo das notícias da busca do menino e a aflição que todos estão. Essa divisão dos capítulos é muito boa, pois podemos olhar a história dos dois lados da moeda: de quem partiu e de quem ficou.

“Mesmo a muitos quilômetros de distância, um amigo ainda pode segurar sua mão e estar ao seu lado.”

A relação do Mark com o Beau é linda demais. O cachorrinho faz de tudo para salvá-lo, protege-lo e amá-lo independentemente de tudo. A amizade com a Jessie é aquela amizade pura de crianças, eles são melhores amigos e confidentes.

Torci para que o Mark chegasse à montanha. Torci para que ele sobrevivesse. Torci para o Beau voltar para casa. Torci para que os pais pudessem ter seu filho amado de volta. Torci para que Jesse revelasse um segredo. Mas acima de tudo, eu torci para que o Mark entendesse sua vida e que fosse feliz.

“Os cachorros morrem. Mas os cachorros também vivem. Até um pouco antes de morrer, eles vivem. Eles têm vidas lindas e corajosas. Eles protegem suas famílias e nos amam. E tornam nossas vidas mais iluminadas. E não perdem tempo tendo medo do amanhã.”

A história é linda, comovente e emocionante. É um livro curto de se ler, mas com uma história bela. Eu chorei – dentro do ônibus! – lendo ele, em uma parte que tocou demais meu coração, uma cena entre Mark e Beau. Durante os capítulos finais, meu coração ficou na boca, sofri de angustia e de medo pela história. E eu fiz a besteira de ler os três últimos parágrafos antes de terminar o livro (não façam isso!) por causa da minha angustia, e eu achava que já sabia o final da história, mas me enganei! Só acho que algumas situações foram forçadas... Mark tem câncer e uma saúde mais debilitada, porém ele parecia uma criança com super poderes, capaz de tudo sempre sozinho. Fora isso, é uma leitura linda!

Diagramação perfeita, tamanho de fonte ótima. A entrada de cada capítulo mostra quantos quilômetros faltam para a montanha, com uma ilustração. E os capítulos das Jessie são curtos e em itálico. E ao longo da história, a frase “essa é a mais pura verdade” aparece diversas vezes, tanto em pensamentos do protagonista, quanto das pessoas que aparecem ao longo do livro.

“[...] Quando você tira uma foto, aquele momento não passa. Você o prende. É seu. Você pode guarda-lo.”

Quem já perdeu alguém de câncer sabe como isso é difícil, tanto para quem tem a doença, quanto para as pessoas próximas. Nossa missão é proporcionar uma vida confortável com felicidade para quem está partindo, isso é uma boa prova de amor <3

“Na manhã seguinte, eu estava duro, dolorido e morrendo de fome – mas estava vivo, e mais determinado do que nunca a chegar ao fim da minha missão. Não havia chegado até aqui e sobrevivido a tudo isso só para desistir agora. Essa é a mais pura verdade.”







Esta postagem é válida para o TOP COMENTARISTA de JUNHO.

10 comentários

  1. Aiii gente! Que resenha fofa! Ainda mais com o lindao ali no fundo, haha!
    Amoooooo dogs, sério! Tenho duas que são a minha vida!
    Esse livro eu já queria ler qdo vi que na cama tinha um cachorrinho, pensei que poderia ser isso mesmo que vc escreveu, uma amizade entre humano e cachorro que me faria chorar.
    Se eu pudesse salvava todos da rua e dos maus tratos!
    Esse livro já está chegando para mim, doida pra ler e me emocionar!
    Bjus

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É uma lindinha lá no fundão, hehe! Minha amada!! <3
      Eu também salvaria todos na rua, me dá uma dor ver eles lá :(

      Nos conte depois o que achou da história!!

      Excluir
  2. Estou doida pra ler esse livro, já tenho ele aqui só estou esperando terminar de ler uma série que estou quase concluindo, amo uma história com a participação de algum animal, em especial gato ou cachorro, e essa parece ser super emocionante.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É linda a história, bem tocante!
      Venha nos contar depois o que achou da história *-*

      Excluir
  3. Oi Ellen!
    Já li muitas resenhas desse livro e acho que nenhuma foi negativa (e todas amam o Beau, rsrs), mas sabe que não sinto aquela vontade de ler o livro?
    Como assim você leu os últimos três parágrafos antes de terminar o livro?! Isso não se faz! Rsrs
    Beijos,
    alemdacontracapa.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu sei que fiz errado, mas não me aguentei!! (não faça isso, haha!)
      O Beau é muito fofo, é aquele cãozinho que todos nós queremos agarrar <3

      Excluir
  4. Que amorzinho ������
    A capa e o fundo me lembrou de "Uma página de cada vez", "Destrua este diário" e afins, mas não é bem isso pelo que percebi é mais envolvente, com uma problemática diferenciada, eu gosto das propostas assim, há mais envolvimento consigo mesmo e com o livro

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu também imaginei isso da primeira que vi na internet, que era um livro interativo. Mas me surpreendi com conteúdo dele! Lindinho demais!

      Excluir
  5. Eu gostei mt do Extraordinário! Este livro parece bem interessante e curti a diagramação. Gosto de livros "arrumadinhos"

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Extraordinário tem essa temática tbm!! Espero que tu leia esse tbm *-*

      Excluir

Deixe seu Comentário!