GMN Movies: A importância da amizade ganha destaque em Cidades de Papel

terça-feira, 7 de julho de 2015

Elenco: Nat Wolff, Cara Delevingne, Halston Sage, Austin Abrams, Justice Smith, Jaz Sinclair
Direção: Jake Schreier
Gênero: Drama/Romance
Duração: 110 min.
Distribuidora: FOX Films
Classificação: 12 Anos

Baseado na obra homônima do escritor americano, John Green, Cidades de Papel aposta na amizade e na diversidade interior do ser humano para prender o espectador.

Em aproximadamente 110 minutos de filme, somos inseridos no universo de Quentin Jacobsen e Margo Roth Spiegelman e, junto deles, socializamos também com Radar, Lacey, Ben e Angela.

O drama adolescente gira em torno do amor platônico que Q sente por Margo desde a infância e do modo como o rapaz alimenta esse sentimento e projeta a imagem da jovem a um nível que beira a perfeição. É a partir daí que a história se volta para o fato de que todos temos as nossas próprias dificuldades, principalmente quando tentamos descobrir quem realmente somos, em que lugar da sociedade nos encaixamos, como e o que queremos ser no futuro e de que maneira faremos tudo isso sem que a nossa verdade seja alterada.

A adaptação, dirigida por Jake Schreier fez jus à trama na medida em que a intensidade das relações criadas e narradas por John Green no livro, são transmitidas através dos personagens de forma cem porcento perceptível. É possível ver que Cidades de Papel dá ainda mais voz aos jovens, mostrando que o ambiente criado por esses adolescentes pode ser muito inconstante e bem versátil. O filme salienta também, o valor da amizade, apontando-a como elemento indispensável na vida dos personagens.


Se você leu o livro e achou que ele não é o melhor já escrito pelo John, saiba que o filme consegue passar a borracha naquele ar de tédio que paira durante a leitura. E por isso, vale mencionar a atuação de Nat Wolff (Quentin), Justice Smith (Radar) e Austin Abrams (Ben), o último se revelou total, completamente hilário. Já Cara, a grande novidade do elenco, a pessoa que causou tanto rebuliço quando teve seu nome anunciado, apesar de não aparecer durante todo o longa, atuou como a verdadeira Margo atuaria.

Ao tratar das lutas travadas por adolescentes que querem desvendar o mundo e o que vive nele, Cidades de Papel reafirma algo dito pelo ator Nat Wolff durante a coletiva de imprensa do filme no Brasil: "John trata os adolescentes como pessoas complexas." É exatamente isso que o longa retrata. Por meio de Q e Margo entendemos que nem sempre somos quem pensamos ser e que as pessoas têm muito mais o que mostrar além daquilo que achamos conhecer sobre elas. 

5 comentários

  1. Hello!
    Realmente esse livro não é dos melhores escrito pelo John Green, qdo vi que ia sair o filme, até achei estranho e pensei que talvez um filme poderia mudar oq eu acho da estória. Afinal a atuação, ver um cenário e todo o resto podem deixar a estoria mais atraente.
    Ainda nao vi o filme, mas vi que a divulgação foi bem intensa, inclusive o Green veio ne?! E está participando de um monte de programas, bom que anima a galera a conhecer mais das obras dele.
    Nao senti uma sintonia dos atores, mas pode ser apenas impressão.
    Preciso ver o filme pra ver se mudo de opinião qto a estoria...
    O blog fez uma cobertura da visita do Green mto bom, acompanhei pelo facebook e foi otimo.
    Parabéns!
    Bjuuuu

    ResponderExcluir
  2. Tive a chance de ler esse livro de 'João Verde', e realmente, não é um dos melhores livros dele. Mas pelo que vi do trailer do filme, demostra ser melhor, do que imaginamos, o que muitas vezes é raro o filme ser melhor que o livro, não é mesmo?? De qualquer forma, aguardo ansiosamente por ele. Bjs

    ResponderExcluir
  3. Laira,concordo que o tema do filme aposte na diversidade interior do ser humano e na amizade para prender o espectador,o livro realmente deixa parar um ar de tédio,que observando o trailer do filme e sua playlist não encontramos,a história fala do amor platônico de Quentin por Margo que a coloca a beira da perfeição ,um dos pontos que mais me chamou atenção para conferir a obra é o destaque para o valor da amizade e estou curiosa para me divertir bastante com as cenas e falas do personagem Ben vivido por Austin Abrams,bom saber que Cara atuou muito bem como Margo,e concordo que John trate os adolescentes de suas estórias como pessoas complexas.Beijos!!!

    ResponderExcluir
  4. Olá Laira...Tudo bem? Li este livro ainda este ano, e superou minhas expectativas...Sua historia me encantou, seus persoangens e a leveza de como a historia é contada.Estou com grandes expectativas para ver o filme.

    ResponderExcluir
  5. Li só o começo do livro, mas ontem depois do evento do John Green fui ver o filme, foi bem legal, o cinema estava cheio.
    Fiquei interessada em ler o Quem e voce alaska, mas por sorte, minha amiga ganhou =) rs Achei lindo o filme principalmente por essa coisa da amizade e acho que apreciei diferentemente dos adolescentes que lá estavam. Eu gostei muito do final.

    ResponderExcluir

Deixe seu Comentário!