[RESENHA] Eu te darei o sol – Jandy Nelson – @Novo_Conceito

sexta-feira, 21 de agosto de 2015


“Afinal, quem sabe? Quem sabe alguma coisa? Quem sabe quem está no controle? Ou o quê? Ou como? Quem sabe se o destino é apenas como você conta para si mesmo a história da sua vida?”

Noah e Jude são irmãos gêmeos, e são extremamente ligados um ao outro. Aos 13 anos, Jude é popular e surfista, enquanto Noah é reservado e solitário. Jude é a preferida do papai e Noah o preferido da mamãe. Ambos são artistas muito talentosos já nessa idade! Noah desenha maravilhosamente bem e Jude faz esculturas de areia lindíssimas. Assim, Noah quer entrar na CSA, mas Jude não.

Com a entrada da pré-adolescência, as diferenças dos dois começam a aumentar e eles começam a se afastar. O pico do afastamento acontece nessa época, quando uma tragédia assola sua família.

O livro é dividido e mostrado sob dois pontos de vista: Noah aos 13 anos e Jude aos 16 anos, sendo um capítulo para cada um deles, alternadamente. Essa lacuna de 3 anos na história é contada dentro dos capítulos da Jude.

Durante a história de Noah, acompanhamos os descobrimentos e crescimentos do menino, bem como o que gerou o afastamento dos irmãos, assim como a tragédia da sua vida. Vemos a amizade de Noah com Brian, o menino que passa férias na cidade, e o amor que ele tem com sua mãe e a relação pura dos gêmeos. Além de acompanharmos o conflito dele em relação a sua sexualidade.

Com a Jude, acompanhamos sua trajetória dentro da escola e como ela tenta se reaproximar do irmão, assim como sua mudança pós tragédia e mentiras da pré-adolescência. Com 16 anos, Jude vê fantasmas, mas não quaisquer fantasmas, apenas dois. E um dos fantasmas quer destruí-la. Para impedir isso, Jude pede ajuda a um escultor talentoso, Guilhermo. Guilhermo traz grandes segredos, e também traz Oscar, um garoto mais velho que Jude tenta desesperadamente não se apaixonar.

Aos 16 anos, ambos estão mudados. Ambos contam mentiras. Ambos têm vidas novas. Então, qual será a ligação do Noah de 13 anos com a Jude de 16 anos?

“Rapidamente faço um pedido.
Arrisque-se (uma, duas, três, quatro vezes).
Reconstrua o mundo.”

Confesso que: no início, primeiro capítulo do Noah, eu tive dificuldade de avançar. A leitura no começo do livro fluiu devagar, eu não conseguia me integrar na história, não tinha aquele desejo de ler. Mas depois a leitura deu um bum, e meu interesse pela obra quadruplicou. A leitura voltou a fluir e eu comecei a desejar desesperadamente descobrir o porquê das coisas e suas ligações!

Tentar descobrir o que aconteceu durante os três anos intermediários da história foi um belo quebra-cabeça. E saber como tudo se encaixa no final então, melhor ainda! Não ficaram pontas soltas.

Foi minha primeira experiência com um livro que trata sobre a temática LGBT, e esse foi um dos motivos pelo qual o início se demorou tanto para mim. Mas no final, eu acabei gostando desse tema.

Durante a leitura eu senti amor, raiva, ódio, alegria. Os capítulos que mais gostei foram os da Jude, onde ambos já estavam mais maduros.

Os capítulos do Noah contêm vários “nomes de obras” inventadas por ele, que retratam seus sentimentos do momento, como por exemplo: (Autorretrato: funeral no bosque). Nos capítulos da Jude, temos várias “passagens da bíblia da vovó”, com frases de “simpatias”, como: “se um menino dá uma laranja para uma menina, o amor dela por ele se multiplicará”. Achei essas frases geniais! Tanto do Noah, quanto da Jude. Pude dar muitas risadas com as frases da Jude (e até peguei umas dicas para mim)!


Apesar de os protagonistas serem novos, o livro não é infantil. Pelo contrário! A história é muito fofa, e a vivência dos gêmeos é linda, porém, é uma história forte, de peso. Vale a leitura!




Recebemos da Novo Conceito junto com o livro, um kit muito fofo e lindo, contendo o um livreto com o início do livro e giz de cera. Pra que giz? Para pintar o livro *-* dentro dele temos várias ilustrações lindas! Perfeito para um livro que conecta arte e literatura! Eu, como designer e leitora digo que: amei!!!











3 comentários

  1. Estou com vontade cada vez maior de ler esse livro! Ele parece ser bem denso, mas muito bom mesmo.

    P.S.: Você disse "Recebemos da Intrínseca junto com o livro (...)", mas ele é da NC, né?

    ResponderExcluir
  2. Acho lindaa demais a capa desse livro.
    Vi tantos cometários positivos sobre ele, que não teve como não ter adicionado em minha lista de leitura.
    Adorei sua resenha, e pretendo ler o livro em breve.

    ResponderExcluir
  3. Oi Ellen :)
    Já me indicaram o livro .. Mas só agora me senti tentada a ler.
    Ele parece ser do tipo que te toca sabe? Por se tratar de temas familiares (acho que posso dizer assim, pois eles são irmãos), eu acabo me emocionando muito... Gostaria de entender o que o título tem a ver com a história! Pretendo ler em breve.
    Bj:*

    Blog Passeando com os livros

    ResponderExcluir

Deixe seu Comentário!