[RESENHA] Amos e Masmorras - Lena Valenti - @univdoslivros

segunda-feira, 21 de setembro de 2015

Amos e
Masmorras
Lena Valenti
Editora: Universo dos Livros
I.S.B.N. 9788579308901

Sinopse: Em mais uma excitante série, a renomada autora Lena Valenti aborda agora as nuances do universo BDSM. Amos e Masmorras é um dos mais recentes sucessos da autora e se tornou best-seller internacional.A agente Cleo Connelly, integrante do corpo de polícia em Nova Orleans, é uma mulher atraente e destemida, que não mede esforços – e impulsos – na resolução dos casos que assume. Certo dia, entretanto, ela é designada para investigar, junto ao FBI, uma lucrativa rede de tráfico humano.Para cumprir a missão, ela precisará se inserir em um contexto inusitado: visitar a cena BDSM do país e participar das práticas de sodomia e dominação instituídas no torneio Dragões e Masmorras DS. Agindo como agente infiltrada, Cleo terá de pesar os limites de sua própria luxúria nesta implacável caçada, considerando também a arrebatadora atração que sente por Lion Romano, seu parceiro no caso. Mas será que, no meio do caminho, ela vai gostar de ser submissa?Renda-se aos deleites desta intrigante e sensual narrativa!
Lena Valenti nasceu em Barcelona, em novembro de 1979. Leitora assídua, principalmente de romances, escreve desde que se conhece por gente. Trabalhou como assessora de imprensa da livraria Casa del Libro e, graças à sua saga Vanir, elevou-se ao posto de uma das escritoras mais reconhecidas e aclamadas do romance sobrenatural. Atualmente dedica todo seu tempo a escrever.


Simplesmente esqueça todos os romances “baunilha” que utilizaram BDSM como pano de fundo até agora!
Lena Valenti abre as masmorras dominando aos leitores com uma trama deliciosamente sensual, desafiadora e completamente irresistível.
Entre no calabouço deixando-se dominar por este divisor de águas na literatura erótica.

Quando as masmorras se abrem...os dragões saem à caça. Que comecem os jogos.

Cleo Connelly é uma excelente policial na cidade de Nova Orleans. Dona de um cabelo vermelho deslumbrante e olhos verdes de gata realmente desafiadores, esta pequena rebelde, fará de tudo para alcançar seu objetivo e integrar as fileiras de agentes especiais do FBI, assim como sua irmã mais velha Leslie.
Infelizmente a grande chance de Cleo vem com o desaparecimento de sua irmã Leslie durante uma investigação super secreta sobre tráfico de humanos e de drogas. 

Um grande torneio de BDSM o Dragões e Masmorras - DS (o D é de dominação e o S, submissão) está para começar e tudo aponta para que o mesmo sirva como pano de fundo para a verdadeira ação, o tráfico de humanos.
Mas para entrar, você deve ser versado nas artes da dominação ou da submissão. Seja um AMO ou uma Submissa, o conhecimento e a performance é a chave para entrar no torneio e desfrutar deste mundo.

E o convite e a capacitação de Cleo para esta jornada no submundo da dominação e servidão estão nas mãos do Agente do FBI Lion Romano. Este moreno lindo, com corte de cabelo militar e atitude completamente dominante, além de ser o melhor amigo de sua irmã desde sempre, ainda é a razão de seu tormento quando criança e adolescente. Poderá Cleo quebrar todas as amarras e vínculos emocionais e se entregar completamente nas mãos do Rei da Selva BDSM e garantir sua entrada definitiva para as forças especiais, resolvendo o caso e salvando Leslie?

A pior coisa da visita a Washington não tinha sido a merda monumental que fizera com o doutor Stewart.A pior coisa tinha sido deixar Lion beijá-la.Ela ia sonhar com aquele beijo todas as noites.Como era patética.

UAU!! Realmente não conhecia a escrita de Lena Valenti e qual foi a minha grata surpresa ao me deparar com um jogo RPG no estilo Dangeons & Dragons super complexo e permeado das mais sexys e desafiadoras práticas de BDSM? 
A a instrução do Agente Romano, simplesmente domina não somente Cleo, mas qualquer leitora que esteja perdida entre suas páginas.
Era um agente do FBI, claro, mas seus gostos sexuais, nada que tivesse que justificar a ninguém, eram bem específicos. Suas preferências não eram nem melhores nem piores que as da maioria, eram simplesmente diferentes.Para ele, a dominação, o bondage, o sadomasoquismo e a submissão eram jogos para serem praticados entre casais. Um jogo de consentimento mútuo na qual eram trabalhados a disciplina, a ousadia, o atrevimento, os limites de cada um e, sobretudo, a confiança.
Não tem como não mergulhar de cabeça nestas páginas. Lena consegue com muita competência ir tecendo uma trama incrível onde mistura uma excelente investigação criminal, com os jogos BDSM em suas formas mais puras conforme os preceitos dos praticantes reais destas modalidades e um romance realmente abrasador.

As páginas de Amos e Masmorras são simplesmente incendiárias, assim como a preparação e interação entre Cleo e Lion neste primeiro volume de um caso muito sério de tráfico de drogas e mulheres.

E em um caso como este, a linha entre o dever e os desejos do coração é muito tênue. Acompanhar os embates entre Lion e seu senso de dever em relação à Cleo, com certeza nos mantém presos à cada palavra escrita por Lena Valenti e desferida por ele.
A casa e a cama da sua nova e desejada companheira o esperavam.Uma antiga amiga. Uma futura agente.E sua atual escrava.Ainda que, por enquanto, fosse apenas para prepará-la para a missão.
Amos e Masmorras é um livro forte e conciso. Nada de traumas de infância ou qualquer distúrbio de personalidade que levam seus personagens a embarcar no BDSM como uma tábua de salvação para exorcizar seus demônios internos. E, este com certeza é o diferencial de Lena.
Chega até a ser engraçada a forma como Lion cita Cinquênta Tons em diversos momentos do livro. E ele está mais do que certo.

BDSM é um estilo de vida. Seus praticantes são pessoas comuns, com vida normais, mas que em quatro paredes gostam de experimentar. Não se contentam com a rotina e a exploração do corpo e das sensações são o que lhes dão prazer na cama. 
- O que eu vou fazer, e o que você vai sentir, pode parecer doloroso; mas é uma dor para atingir um prazer sublime. O objetivo não é fazer sentir dor, é fazer você voar. Você não tem que se aterrorizar com uma sessão de BDSM ou com um castigo. Você pode pensar nisso como se fosse uma cena de um filme de suspense, na qual você não sabe o que vai acontecer. Você vai sentir um tapa, e depois, no mesmo lugar, dois beijos ou duas lambidas; apanhar, e depois sentir um carinho reconfortante. E, a soma de tudo isso, a soma dos sentimentos com esse contraste de dor e de prazer é o que faz do BDSM algo tão incrível. Sexo selvagem e doçura infinita, suavidade e dureza, o inferno e o céu.
Claro que Lena não deixou o romance de lado. Mas tudo é tão intenso nesta estória que embora Cleo e Lion soltem faíscas simplesmente por se olharem às vezes, é o conjunto todo do livro que funcionam.

Todas as cenas de sexo com ou sem BDSM foram muito bem escritas. Claro que tudo é muito detalhado, mas em nenhum momento vulgar...o erotismo está praticamente em todas as páginas de Amos e Masmorras, mas de uma maneira desafiadora, quente e completamente encaixada em uma trama muito maior que nos desafia a junto com os agentes Cleo Connelly e Lion Romano a entrar neste submundo de jogos sacanas, e encontrar e punir o que não é seguro, consensual e prazeroso como o BDSM deve realmente ser.
Nada nos dá mais medo do que ficar indefeso diante de alguém por vontade própria. Mas também não há nada mais libertador.
O livro ficou lindo!! A capa super bem feita, remete à publicação original. Cá entre nós, adorei muito mais a capa da Universo dos Livros. A tradução está ótima, assim como a revisão, onde não deixaram passar praticamente nada, enriquecendo ainda mais esta obra tão deliciosa.

O trabalho gráfico está lindo e todos os capítulos iniciam com frases de preceitos BDSM que ilustram o que poderão vivenciar os personagens durante as próximas páginas.
Um amo apaixonado despe mais sua própria alma do que sua submissa.
Com cenas fortes e um final impactante, venha conhecer a indomável Cleo e o altivo Amo Lion.
Amos e Masmorras é leitura obrigatória para os fãs de uma boa história policial, mas que também sabem apreciar a beleza e o entretenimento de um excelente livro hot! 
Em alguns momentos, as masmorras de dominação passam a fazer parte de você: uma de autoconhecimento e outra de transmutação. Você entra lagarta e sai como borboleta.



10 comentários

  1. Oi, Scheila!
    Como disse antes, não curto livros que tratam do universo BDSM, li poucos livro sobre esse tema mas só porque o romance em si me deixou curiosa contudo sempre lia por alto as cenas de BDSM.
    Achei interessante o romance em Amos e Masmorras e gosto de história onde há investigação criminal, mas o tema e práticas de BDSM pesa contra, não sei se leria esse livro... Mas com certeza é uma ótima dica pra quem gosta do estilo.
    Bjos!

    ResponderExcluir
  2. O que achei legal é essa camada da história policial juntamente com o torneio,o jogo RPG no estilo Dangeons & Dragons é interessante e despertou minha curiosidade,mas uau,parece forte a parte BDSM,por isso estou com um pé atrás,não sei se é pra mim,dá para perceber nos trechos a intensidade.Para quem gosta do estilo é uma boa dica,uma história bem trabalhada.

    ResponderExcluir
  3. Scheila,não gosto muito de livros que tem como centro práticas BDSM,mas apesar disso esse livro apesar de muita concentração nessa parte ele parece ser bem construído em sua trama e lado criminal,o que achei muito interessante ,pois gosto de histórias que sejam investigativas e buscam desvendar crimes como tráfico humano e drogas,além é claro desaparecimentos.Beijos!!!!

    ResponderExcluir
  4. Confesso que não costumo ler livros com bdsm, mas tem tanta gente falando desse livro que eu já quero ler ele também.
    Os personagens parecem ser bem construídos, e amei saber que a escrita da autora é ótima!
    Já coloquei ele nos meus desejados =D
    Bjss

    ResponderExcluir
  5. Eu não tenho neuras com livros de BDSM, acho tudo super interessante mas só na teoria kkkk Eu fiquei super interessada em saber como vai rolar o romance entres esses dois personagens do FBI e isso é só uma parte só uma parte do livro porque vemos que temos uma trama baseada no mundo do trafico humano e isso por si só já chama nossa atenção. Só posso dizer que vou ler esse livro com certeza e adorei sua resenha.

    ResponderExcluir
  6. Tá, preciso confessar, foi ler o título e ver a capa, torci o nariz.. kkk mas guria, ao ler a resenha, fiquei fascinada com a originalidade da premissa, e quando você falou que parece um jogo de RPG, pronto, me ganhou.. kkk Agora fiquei super curiosa para ler a obra. Muito obrigada pela indicação. Beijos, Mi

    Blog Recanto da Mi

    ResponderExcluir
  7. Eu amei a premissa, exceto pela parte do BDSM... eu não consigo gostar do gênero, me dá aflição ler as cenas. Mas o plot é bem legal e vc resenhou o livro com tanto entusiasmo que foi impossível não ficar mega curiosa.

    ResponderExcluir
  8. Eu estou com muita vontade de ler esse livro. Ele parece ser ótimo e achei bem legal misturar tudo com RPG.
    E também já gostei de saber que os personagens não tem traumas nem nada. O livro com certeza já está na minha listinha, só espero ler ele logo :D

    Beijos!

    ResponderExcluir
  9. Alguém sabe me informar se já lançou a amos e masmorras q tem a história da Rainha e do Prince??

    ResponderExcluir
  10. Oie
    Eu ia comprar esse livro mas como nunca tinha ouvido nada sobre ele,só a capa tinha me chamado atenção,achei que seria só mais uma história de BDSM com personagens cheios de conflitos,então acabei não o levando.Acho que nunca li um livro policial com tantas cenas hots no meio,gostei muito disso.E a escritora pesquisou bastante pra escrever já que narra todas as cenas com a maior naturalidade.E vai ter uma continuação?.Com certeza vou ler.

    ResponderExcluir

Deixe seu Comentário!