[RESENHA] Escuridão Total Sem Estrelas - Stephen King - @Suma_BR

quarta-feira, 28 de outubro de 2015

ESCURIDÃO TOTAL SEM ESTRELAS
Stephen King
Suma de Letras
ACABAMENTO: Brochura
EDITORA: Objetiva
I.S.B.N.: 9788581052755
NÚMERO DE PÁGINAS: 392
IDIOMA: Português
CLASSIFICAÇÃO INDICATIVA: Livre para todos os públicos

Sinopse: Na ausência da luz, o mundo assume formas sombrias, distorcidas, tenebrosas. Em Escuridão total sem estrelas os crimes parecem inevitáveis; as punições, insuportáveis; as cumplicidades, misteriosas. Em 1922, o agricultor Wilfred e o filho, Hank, precisam decidir do que é mais fácil abrir mão: das terras da família ou da esposa e mãe. No conto Gigante do volante, após ser estuprada por um estranho e deixada à beira da morte, Tess, uma autora de livros de mistério, elabora uma vingança que vai deixá-la cara a cara com um lado desconhecido de si mesma. Já em Extensão justa, Dave Streeter tem um câncer terminal e faz um pacto com um estranho vendedor. Mas será que para salvar a própria vida vale a pena destruir a de outra pessoa? E, em Um bom casamento, uma caixa na garagem pode dizer mais a Darcy Anderson sobre seu marido do que os vinte anos que eles passaram juntos.Os personagens dos quatro contos de Stephen King passam por momentos de escuridão total, quando não existe nada — bom senso, piedade, justiça ou estrelas — para guiá-los. Suas histórias representam o modo como lidamos com o mundo e como o mundo lida conosco. São narrativas fortes e, cada uma a seu modo, profundamente chocantes.


O livro é dividido em quatro contos todos voltados para os limites da maldade humana. Nada sobrenatural, nada de terror, só pessoas comuns, que passam dos limites aceitáveis do comportamento saudável, deixando a escuridão dentro de cada um tomar conta.

1922, o maior dos contos, é narrado em primeira pessoa por Wilfred "Wilf" James onde ele confessa o assassinato de sua esposa, o qual convenceu o próprio filho, na época com 14 anos a participar. A confissão é feita de maneira a tentar convencer o leitor que sua esposa mereceu ser assassinada, como se ele tivesse sido obrigado a cometer tal ato, mas as consequências deste o atormentaram por toda a sua vida. É incrível como a narrativa coloquial utilizada por King desperta no leitor um lado que não nos orgulhamos. Em certos momentos a gente entende os motivos que levaram Wilf a cometer tal ato, mas em outros momentos o desprezamos, e o mesmo tormento que ele passa, acaba acometendo a nós, leitores.

Gigante ao Volante é narrado em terceira pessoa conta como Tess, uma escritora de livros de mistério deixa a vingança tomar conta de sua vida após ser estuprada. Em várias partes do conto fiquei em dúvida sobre quem era mais perturbado, a vítima ou o bandido, sejam eles quem forem. Não fica completamente claro quem realmente fez tudo acontecer, e se é que aconteceu. A mente de Tess é realmente perturbadoramente confusa e porque não, real.

Extensão Justa, o mais curto dos contos, conta como David Streeter, que tem câncer terminal e vive uma vida comum ao lado da família tentando sobreviver de todas as maneiras, não só a doença, como a vida entediante em que vive. Ao ter a oportunidade de receber a cura deve tomar uma decisão bem difícil: quem vai ficar com a doença no lugar dele? E não tem como não se sentir mal nesta situação e não julgar se você faria diferente ou não.

Um Bom casamento, que já foi adaptado ao cinema, conta como um casamento aparentemente feliz e normal de repente toma uma reviravolta quando a esposa descobre com quem ela realmente esteve casada durante todos estes anos. Um conto que, como todos os outros, nos faz olhar para dentro de si e fazer certas perguntas. Neste caso é: podemos saber quem são as pessoas que estão ao nosso lado, mesmo que durante muito tempo? Não tem como não se sentir desconfortável vendo que nada é o que parece, e que tudo pode desmoronar de uma hora para outra.

Também temos que parabenizar a Suma pela edição do livro publicado. Impossível não ressaltar como chama a atenção as páginas pretas dando um visual bem diferenciado ao livro. Duvido que alguém veja este livro em uma livraria e não tenha vontade de pelo menos segurá-lo.




Resenha por Mirela Motta: Perfil no Goodreads, Skoob também é membro da Equipe no blog http://cincogarotasexemplares.com.br e gentilmente colaborou com o GMN para esta resenha. Valeu Mi!!!!


5 comentários

  1. Oi, Mirela. Eu estou bem curioso para ler Escuridão Total Sem Estrelas, não é a toa que desejo ele no Top Comentarista. Enfim, a divisão do livro em contos e a escrita do Stephen King não voltada para o terror foram aspectos que me chamaram a atenção para o livro. Sinto que vou sofrer com a maldade humana descrita por King, mesmo assim desejo o livro. Não consigo expressar-me sobre a melhor proposta de conto, muita maldade.

    ResponderExcluir
  2. Adoro Stephen King, eu estou lendo a famosa saga A torre negra, estou no terceiro livro *-*
    Pra mim King é um dos melhores escritores que eu li, adoro o gênero que ele escreve, o terror, mesmo igual a esse livro que vc disse, não tem nada de sobrenatural, são pessoas comuns mas que te faz sentir medo principalmente pq é o ser humano né, quando é algo sobrenatural da medo, mas acho que quando é algo que o próprio ser humano pode fazer da mais medo ainda...rsrs
    Já quero demais ler esse livro
    Tipo Misery, outro livro que nao tem o sobrenatural :D

    ResponderExcluir
  3. Eu quero muito ler esse livro, tanto pela diagramação que está muito caprichada, quando pela história que parece ser um pouco diferente, mas sem dúvida muito boa.
    Sua resenha está muito boa, e pretendo ler Escuridão Total Sem Estrelas em breve, ainda não li nada do Stephen King, mas não tenho dúvidas que os livros dele são muito bons, pois só vejo comentários positivos referentes a eles.

    ResponderExcluir
  4. Oi,
    Tenho que confessar que sou completamente apaixonada pelo Stephen King, um dos meus autores preferidos. Eu vi fotos do livro e ele está perfeito. Parece muito bem feito. Não gosto muito de contos, mas por ser desse autor maravilhoso, vale a pena. Pretendo ler logo, e sei que vou amar.
    bjs

    ResponderExcluir
  5. Esse livro e seus contos, para mim, são exatamente o retrato do talento de King de construir histórias de terror baseando-se apenas em elementos sórdidos da psiquê humana. Eu sou apaixonada pela forma como o autor constrói seus personagens verídicos e indiscutivelmente humanos de forma que suas personalidade normais escondem desvios de caráter gravíssimos. A capa do livro é simples e macabra ao mesmo tempo, já dando o tom do que vamos encontrar ali dentro. Enfim, quero muito realizar a leitura!

    ResponderExcluir

Deixe seu Comentário!