[RESENHA] Nós – David Nicholls – @intrinseca

sexta-feira, 23 de outubro de 2015



“ [...] em uma briga, você se alia às pessoas que ama. É assim que as coisas são.”
Douglas Petersen tem 54 anos. É casado, tem um filho e leva uma vida tranquila feliz. Isso até a noite em que sua mulher, Connie, lhe diz que quer o divórcio. Peraí, mas eles não eram felizes?

A partir dessa noite, Doug passa a repensar sua vida e decide, para tentar salvar o casamento, fazer um tour pela Europa com a família. As férias perfeitas de despedida do filho Albie, que está indo para faculdade. A relação de Doug com Albie não é das melhores, e talvez essa viagem possa unir os dois. Porém, a viagem não saiu como o planejado. Temos reviravoltas e acontecimentos inesperados na história. E tudo o que ele conquistou durante a vida parece ir por água abaixo. Será que Doug vai conseguir reacender o amor da esposa? Será que Doug enfim conseguirá se entender com seu filho?

Acompanhamos toda a rotina de Doug. Em capítulos intercalados nós vemos como ele conheceu Connie, como Albie nasceu, como ele passou a ser quem era. Em contrapartida, vemos o hoje, o grande tour da família Peterson.

Doug é metódico, cientista, pesquisador. Sua personalidade é mais tímida, reservada. Ele sempre planeja tudo nos mínimos detalhes, chega nos aeroportos com 2h de antecedência e sabe muita coisa sobre tudo. Exceto sobre arte. Connie é a artista. Sabe tudo sobre arte, e um pouco menos sobre outras coisas. Completamente o oposto de Doug. Extrovertida, solta e meio louca. Adora aventuras e é extremamente ligada ao filho Albie. Albie, carinhosamente chamado de Ovo pelos pais, é o filho artista rebelde. Ele herdou muitas características da mãe, e quase nenhuma do pai. E infelizmente sua relação com o Douglas não é boa. Tudo o que ele faz parece errado aos olhos de Doug. Ovo é mulherengo e solto, ama arte e experiências novas, ele passa uma sensação de não estar nem aí com a vida.

Com certeza na família Petersen temos pessoas bem distintas. Vendo as personalidades deles, eu jamais imaginaria que eles (Doug e Connie) se casariam. Mas aos poucos eu entendi o porquê de Connie gostar tanto de Doug. Foi interessante acompanhar o passo-a-passo do tour, bem detalhado. Vemos os dois lados da moeda: as partes felizes e as partes tristes.

"- P-pai! [...] O que está acontecendo?
- Fui atacado. Por águas-vivas.
Ele se sentou.
- Na água?
- Não, em terra. Elas levaram as minhas chaves e a minha carteira."
Dei umas risadas bem toscas com a leitura. Doug consegue ser desastrado em várias situações, e eu só pensava: “gente, coitado!”. Em muitas partes eu fui contra a Connie, realmente não gostei dela. Ovo foi uma surpresa para mim, pois em cada capítulo eu descobri mais sobre ele e o admirava.

Mas, infelizmente, demorei um pouco para ler ele. A narrativa é densa, afinal, nenhuma vida é 100% empolgante o tempo inteiro! E o fato de ter tido a Bienal no meio da leitura me tirou do prumo, fazendo minhas leituras atrasaram. Depois que eu participei do bate-papo com o David Nicholls (o autor) eu passei a prestar mais a atenção nos detalhes da história. Eu me dediquei melhor à leitura e aproveitei bem mais essa viagem atípica. Se eu recomendo o livro? Sim, recomendo. A história é ótima e os lugares visitados são incríveis. Através desse livro nós viajamos pela Europa, conhecemos lugares incríveis, aprendemos muito sobre arte e descobrimos as verdades sobre a vida em família. Depois da leitura, eu passei a pensar nas minhas atitudes com as outras pessoas. Parece que eu abri os olhos, sabe? E aprendi que nem tudo é perfeito sempre. 


Em cada entrada de capítulos, que são poucos, temos o país por onde eles estão passando.
Os subcapítulos são escritos de forma contínua, sem troca de páginas, e numerados.


Infelizmente meu exemplar está meio surradinho, afinal, ele andou dentro de mala no aeroporto e na minha bolsa por duas semanas, pegando chuva e sol :/

Eu conheci o David Nicholls na Bienal Internacional do Livro do RJ esse ano, e deve dizer:
o cara é muito simpático! Amei conhecer esse autor fantástico *-*

(meu autógrafo no exemplar "Nós")

(meu autógrafo no exemplar "Nós")



 



2 comentários

  1. Ellen, Nós me encanta e decepciona ao mesmo tempo. Com uma premissa incrível, David Nicholls conseguiu me conquistar com a tentativa de reunião de uma família com uma viagem à Europa, com tudo, quase, certo, acontecem as aventuras e complicações. Mas, mais uma vez me decepciono com a escrita do autor, sempre lenta.

    ResponderExcluir
  2. Gosto muito do tom monocromático que há na capa desse livro, sou bem minimalista nesses detalhes, acho as artes simples as mais interessantes. Quanto à história, creio que ela seja densa mesmo, por apresentar toda a vida da família e até mesmo detalhes corriqueiros que às vezes são um pouco monótonos. Mas acho que seria interessante acompanhar toda a construção e reconstrução dos relacionamentos e dos laços entre essa família.

    ResponderExcluir

Deixe seu Comentário!