[RESENHA] Dez coisas que aprendi sobre o amor – Sarah Butler – @Novo_Conceito

quarta-feira, 18 de novembro de 2015


“Às vezes é melhor deixar as coisas como estão”

Daniel é morador de rua e de abrigos, e não tem emprego. Ele tem uma filha que não conhece, fruto de um amor proibido de sua juventude nem tão jovem, a qual procura incessantemente por toda Londres. Além disso, ele “escreve” com cores e objetos, um hábito bem inusitado. Alice tem 30 anos e se encontra meio perdida na vida, ela não se sente feliz em casa, se sente deslocada desde que perdeu sua mãe ainda na infância, e por esse motivo sente-se melhor viajando para longe.  Durante uma de suas viagens, recebe uma notícia, vinda de suas duas irmãs, de que se pai está muito doente, acamado. Ela retorna à Londres, a fim de passar um tempo junto com eles e talvez descobrir o que fazer de sua vida.

Agora, o que Daniel e Alice têm em comum? Além dos dois criarem listas de 10 coisas que amam, odeiam, fizeram ou fariam (por exemplo, “10 coisas que eu diria para o pai” ou “10 lugares onde já morei”), amarem as estrelas, a liberdade e as cores, eles não tem aparentemente nada em comum. Isso, até o dia em que o pior acontece e Alice e Daniel se encontram.


"Uma vez que tenha me apaixonado, acho quase impossível me desapaixonar; aprendi isso sobre mim mesmo. Não é algo que torne a vida mais fácil"

Não, o livro não é uma história de amor de casal. Não, o livro não é de autoajuda. Não, o livro não é de lições. O livro é sobre amor de família e sobre as escolhas que temos que fazer na vida, e o que essas escolham impactam em nós e em todos ao nosso redor. Reflitam sobre suas ações do dia-a-dia e sobre as verdades da vida: esse livro nos faz fazer isso.

Os capítulos são narrados ora por Daniel, ora por Alice. Esse troca-troca de narradores não fluiu muito bem... tem-se uma dificuldade inicial grande em saber quem está narrando determinado capítulo. Por vezes, precisamos ler uma página inteira para saber quem está falando, mas depois que nos acostumamos e conhecemos mais os personagens e suas características, tudo fica mais fácil.

E, o que achei maravilhoso, a cada novo capítulo nós temos uma lista nova. E essa lista pode ser tanto de coisas boas, quanto de coisas ruins. Elas nos ajudam a ver melhor as características de Daniel e Alice, além de nos fazerem parar para pensar nas nossas próprias listas (fiz várias, inclusive!!).


Acho que, por ir com muita sede ao pote (ou melhor, ao livro!) eu gerei uma expectativa muito grande em cima da leitura e... acabei me decepcionando. Não, o livro não é ruim! A história é linda e cativante, me emocionou bastante, mas não era o que eu esperava naquele momento de uma história. A capa (lindíssima, por sinal) me fez querer muito do livro, e ele não conseguiu me oferecer esse “muito” que eu esperava, ela (a capa) me passou a sensação de que contaria uma outra história, o que acabou não acontecendo. Não me arrependo de ter lido a obra, mas eu teria aproveitado melhor a leitura se tivesse sido em algum outro momento da minha vida. Como eu disse antes, a história é linda, muito cativante, tocante e emocionante, até me deu um apertinho no peito lendo ela, e vale a pena ler sim (só não espere uma história revolucionária sobre família! Mas com certeza amor familiar tem nesse livro sim!).

Falando graficamente sobre o livro: a capa está divina! Essa ilustração Londrina com essa fonte cursiva do título trouxe um toque extremamente amoroso ao livro. O capricho da Editora Novo Conceito com esse exemplar está digno! E por dentro não poderia ser diferente: -quase- toda a diagramação está perfeita! Quase? É, quase! A parte onde tem as listas possui uma tipografia (fonte) cursiva diferente, e ela me trouxe desconforto na hora da leitura... eu li o livro durante algumas noites, com uma luz fraca e tive bastante dificuldade na hora de ler esses trechos, eu confundia algumas letras. Mas isso não prejudicou muito não, só tinha que me concentrar melhor para ler as listas! A fonte usada no texto foi perfeita para leitura.






Não vou escrever aqui minha lista de dez coisas que aprendi sobre o amor.
Mas lanço um desafio para vocês, leitores do Guardiã da Meia Noite:
postem nos comentários o que você aprendeu sobre o amor?
Pode ser apenas uma coisinha! (Fácil né?) Eu vou adorar saber!


 


28 comentários

  1. Oi, Ellen!
    A frase "Não, o livro não é uma história de amor de casal." que há na resenha já me diz que esse livro não é pra mim, sou uma leitora que sempre está em busca de uma história de amor nos livros, se não há romance não leio...
    Sem dúvida esse mudança não tão clara de narrador - ora Daniel ora Alice - é um ponto negativo em Dez coisas que aprendi sobre o amor.
    Concordo com você sobre a parte gráfica, a editora Novo conceito caprichou nessa edição, assim como você nas fotos. Amei todas!
    Quanto a sua pergunta no final da resenha... O que eu aprendi sobre o amor? Que você tem que si amar primeiro para aí então pensar em amar outra pessoa. Esse é um conceito que tento seguir sempre...
    Bjos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O romance de casal mesmo, não tem. Mas tem amor familiar (e muito!) nesse livro.
      A mudança de narradores impactou muito na minha leitura, infelizmente de forma negativa :/

      Fico feliz que tenha gostado das fotos, faço por vocês, leitores do GMN <3
      E a Novo Conceito tirou 10 no quesito capa neste exemplar!

      Muito bom o seu aprendizado sobre o amor! Espero que mais leitores possam segui-lo *-*

      Excluir
  2. Já não tinha muito interesse pelo livro e como a Any comentou, faço as palavras dela, as minhas.
    Sou adepta de ler um bom livro de romance, então quando não tem, procuro nem ler. Juntando uma coisa na outra, esse, infelizmente, é um livro que não me chamou a atenção.
    Ainda assim gostei muito da resenha, bem escrita, sem spoiler, muito boa, parabéns.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Luisa, eu também prefiro livro com romance de casal. Esse eu não li a sinopse antes de começar a ler e acabei percebendo que não era isso o que eu procurava no momento :/ mas com certezas muitos livros lindos de casal ainda virão para nos felicitar *-*

      Excluir
  3. Alguns livros confundem bastante com as trocas de narradores ou troca de tempo.
    Esse livro está na minha lista de leituras, e realmente eu pensava outra coisa sobre ele, e agora lendo a sua resenha me clareou bastante sobre do que se trata.
    Continuo com vontade de ler, mas agora o vejo com outros olhos.
    beijinhos , adoro seu blog <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que agora está mais esclarecido o conteúdo! E fico feliz que isso não tenha te impedido de continuar querendo ler o livro *-* ele é lindo, e merece isso! Gostaria muito de saber tua opinião sobre ele, depois da leitura! :)

      Excluir
  4. Ellen,quero muito ler essa história e conhecer os personagens Daniel e Alice,descobrir o que eles tem em comum,saber se Daniel encontrará sua filha .Saber o que acontece de ruim e como se da o encontro dessas duas personagens.Amo livro que fale sobre amor de família e sobre escolhas que fazemos na vida e sobre o impacto que isso causa ao nosso redor.Amei saber que os capítulos são alternados.Pena não ter o mome dos personagens quando se inicia os capítulos.Pena ela ter te decepcionado, realmente quando criamos expectativas podemos nos frustrar.Legal ter o amor familiar ,amei a capa também é linda.Mil beijinhos!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Espero que tu leia ele! É realmente um livro familiar muito lindinho! Temos vários aprendizados lendo ele :)

      Excluir
  5. Oi Ellen com essa sua resenha tenho que admitir o livro não me chamou a atenção eu não gosto de livros narrados por ora por uma pessoa ora por outra bjs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nem todos os livros acabam nos agradando! Mas isso não nos impede de continuar lendo! *-* hehe!

      Excluir
  6. Creio que é o meu primeiro contato com a autora Sarh Butler, até então desconhecida. O livro Dez Coisas que Aprendi Sobre o Amor me cativou desde o começo, por sua capa, é óbvio, haha. Mas, agora, me aprofundando mais em sua estória com essa resenha me encantei mais ainda com o livro, a relação entre o garoto mendigo e a menina me conquistou de imediato, pessoas diferentes, mas com o mesmo sentimento "perturbador". Lerei!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se não me falha a memória, este é o primeiro livro da Sarah (até então desconhecida para mim também!). Essa capa arremata o coração de todos nós, leitores <3 Fico muito feliz sabendo que tu quer ler ele! Espero que aprecie muito a leitura!

      Excluir
  7. Hum,gostei de cada capítulo possuir uma nova lista e não tenho problema com o troca troca de narradores,mas no geral não é um livro que tenho vontade de ler por enquanto.Pensava que o foco era no romance do casal.A capa não me chamou atenção como a maioria,apesar de gostar dos tons de cores,mudaria as flores e as sombras dos personagens.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Adoro quando vejo opiniões sobre a parte gráfica dos livros! (como designer, eu gosto de analisar isso, hehe). A questão das listas foi um ponto super positivo na obra! E infelizmente, o foco não é romance de casal :/

      Excluir
  8. Olá, bem eu não aprendi muita coisa sobre i amor ainda.
    Posso dizer que algo que aprendi é aprendi que ta muito difícil encontrar o amor nas pessoas hoje em dia :(
    Bem, eu já li tantas opiniões sobre este livro que acho que qdo eu for le-lo não vou gostar.
    Acho que vou parar de ler resenhas sobre ele porque acabei criando muitas expectativas e jurava que ele traria alguma lição e VC me revelou que não.
    Eu gostei di reencontro entre pai e filha mesmo que da forma que foi. Daniel desenganado... Pena que eles perderam tanto tempo. E pobre moça, aos 30 anos sem a mãe desde muito cedo TB... Esse dilema que ela enfrenta me parece super natural.
    Espero que ela encontre um caminho.
    Eu achei a capa muito linda também.
    Eu pretendo ler este livro mas vou das um tempo para tentar não lembrar muito das opiniões.
    Beijo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Realmente, hoje em dia está mais dificil de ver amor nos outros!
      Ele traz lições sobre a vida... mas não é algo que vá mudar sua vida completamente.
      Por não estar no momento certo, acabei não aproveitando a leitura da obra :/

      Só uma ressalva: não é o Daniel está para morrer, e sim o pai da Alice!

      Espero que tu leia ele, e que aprecie a leitura! (e te convido a vir aqui comentar sobre ele)

      Excluir
  9. A capa de dez coisas que aprendi sobre o amor tá maravilhosa. A proposta do livro é muito boa e eu tenho certeza que vou ter uma experiência fantástica. É sobre esse "refletir", esse "instigamento" e essas coisas boas que sentimentos em um livro que me faz querer ler "dez coisas que aprendi sobre o amor". Tive uma impressão muito boa desse livro desde o primeiro momento em que "bati" meus olhos nele e eu quero muito conhecer a obra mais um pouco.

    Beijo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Essa capa é uma perfeição só, muito amor!
      Espero que tu aprecie muito a leitura e que venha aqui me contar o que acho do livro depois *-*

      Excluir
  10. Eu não conhecia esse livro, mas fiquei com um pouco de vontade de ler ele. A história parece ser realmente linda, e achei bem legal isso das listas. É uma pena que a narrativa alternada tenha ficado um pouco confusa.
    Mas o livro parece ser muito bom, mas já não vou com tanta expectativa também...

    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gerei expectativa demais somente por causa da capa! Mas acontece com amor a primeira capa.. ehehe

      Espero que tu aprecie muito a leitura e que venha aqui me contar o que acho do livro depois *-*

      Excluir
  11. Exatamente por não ser o meu enredo favorito, o romance entre casal, não li a história com grandes expectativas, mas gostei do que li. Fico devendo a lista pq acho dificílimo listar qualquer e ainda tenho o agravante de ser libriana, que é sinônimo pra indecisão hahahahahaha

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obaaa!!! Fico feliz que tu tenha gostado e apreciado a leitura! Cada leitor reage de uma forma diferente, e todos os gostos são diferentes :)

      Esses librianos... ai ai ai!
      hehehe

      Excluir
  12. Estou doida pra ler esse livro, parece ser bem emocionante e apesar da sua resenha ser um pouco negativa ainda continuo bastante interessada em conferi essa história, a lista de dez coisas que aprendi sobre o amor vou ficar devendo pois num sei nem por onde começa.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico muito feliz que tu tenha interesse em lê-lo, mesmo após a resenha!
      Espero que tu aprecie muito a leitura e que venha aqui me contar o que acho do livro depois *-*

      Excluir
  13. Gosto muito de livros que são narrados hora por um personagem hora por outro, mas me decepcionei na hora que você falou que teve dificuldades na hora de saber quem estava narrando. E outra coisa que me decepcionou foi que o livro não fala sobre uma história de amor entre casal.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu também gosto de livros com narrativas alternadas, mas desde que elas funcionem bem!
      Espero que tu aprecie muito a leitura e que venha aqui me contar o que acho do livro depois *-*

      Excluir
  14. Já tinha visto o livro em alguns posts, mas a premissa não havia me despertado interesse. Mas a sua resenha destacou pontos realmente legais na obra, como as listas. Bem peculiar a forma de iniciar cada capítulo com uma lista diferente, gosto muito de enumerar coisas, seja no papel ou na mente, e isso me deixou curiosa, por ter destaque no livro. O fato de não se tratar de uma trama romântica e focar no amor familiar chamou minha atenção também. Agora os capítulos com perspectivas intercaladas me deixou receosa. Não há nada que indique qual o ponto de vista está sendo focado e a sua dificuldade durante a leitura demonstra que as personalidades dos dois personagens não foram bem demarcadas pela autora.
    O que eu sei sobre o amor? Que pergunta complicada!!!!! A vida nos surpreende bastante, não é mesmo? Então, não sei muito sobre o sentimento, mas o percebo através de pequenos gestos vindos de pessoas que despertam coisas boas em mim. E através de experiências sei agora delimitar que amor não tem nada a ver com cobrança, posse e que nem sempre dá pra persistir, seja numa amizade ou num relacionamento romântico.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Para mim, um dos pontos mais positivos na obra são as listas!
      Que legal saber que mais pessoas fazem listas assim, mesmo que só na mente!

      Espero que tu aprecie muito a leitura e que venha aqui me contar o que acho do livro depois *-*

      "amor não tem nada a ver com cobrança, posse e que nem sempre dá pra persistir, seja numa amizade ou num relacionamento romântico" AMEI essa sua frase! Isso é muito importante: que todos entendam isso!

      Excluir

Deixe seu Comentário!