[RESENHA] PAIXÃO AO ENTARDECER (OS HATHAWAYS #5) - LISA KLEYPAS

domingo, 29 de novembro de 2015


Título original: Love in the Afternoon
Tradução: Ana Rodrigues
Formato: 16 x 23 cm
Número de Páginas: 272
Peso: 0.28 kg
Acabamento: brochura
ISBN: 9788580413557
EAN: 9788580413557
Preço: R$ 29.90
Leia um trecho: clique aqui
Skoob: clique aqui

“Personagens incríveis, cheios de nuances, espirituosos e com uma química incontrolável.” – Booklist 

Sinopse: Mesmo sendo uma família nada tradicional, quase todos os irmãos Hathaways se casaram, até mesmo Leo, que era o mais avesso a essa ideia. Mas para a caçula Beatrix, parece não haver mais esperança.
Dona de um espírito livre, apaixonada por animais e pela natureza, Beatrix se sente muito mais à vontade ao ar livre do que em salões de baile. E, embora já tenha frequentado as temporadas londrinas e até feito algum sucesso entre os rapazes, nunca foi seriamente cortejada, tampouco se encantou por nenhum deles.
Mas tudo isso pode mudar quando ela se oferece para ajudar uma amiga.
A superficial Prudence recebe uma carta de seu pretendente, o capitão Christopher Phelan, que está na frente de batalha. Mas parece que a guerra teve um forte efeito sobre ele, e seu espírito, antes muito vivaz, se tornou bastante denso e sombrio.
Prudence não tem a menor intenção de responder, mas Beatrix acha que ele merece uma palavra de apoio – mesmo depois de tê-la chamado de estranha e dito que a jovem é mais adequada aos estábulos do que aos salões. Então começa a escrever para ele e assina com o nome da amiga. Beatrix só não imaginava o poder que as palavras trocadas teriam sobre eles.
De volta como um aclamado herói de guerra, Phelan está determinado a se casar com a mulher que ama. Mas antes disso vai ter que descobrir quem ela é.



A resenha de hoje eu jurava que havia escrito, ou talvez tenha relutado a escrever... sei que estou sendo dramática, mas essa resenha é uma despedida dessa maravilhosa série, Os Hathaways, da divina autora Lisa Kleypas publicada pela Editora Arqueiro.

O livro Paixão ao Entardecer é o quinto e último livro da série, quem já leu sabe que a irresistível e excêntrica família Hathaway (Amelia, Winnifred, Poppy, Leo e Beatrix) irá deixar saudades... me aguente um pouco com a minha “viuvez literária”.

Mas vou deixar para falar um pouco da série no final da resenha...

Beatrix Hathaway, a protagonista de Paixão ao Entardecer, é a caçula da família, tem uma personalidade bastante peculiar... desde o primeiro livro da série destaca pela sua amabilidade principalmente pelos animais, mas não aqueles tradicionais bichos de estimação, ela gosta mais de ouriços, furões, lagartixas, burrinhos, elefantes, esse último até foi convidado de casamento, e para não fugir da normalidade, ela tem um gato, mas ele tem três patas.




Todos esses animais tem algo em comum, foram resgatados feridos ou vítima de maus tratos, já ia esquecendo ela tem uma cabra, mas voltando a situação dos animais, Bea tem a tendência de reabilitar seres feridos, e talvez seja que a motivou a enganar alguém, mas com intenção de ajudá-lo...


Christopher Phelan, capitão da Brigada de Rifles (veja mais sobre o assunto em Curiosidades no final da resenha), estava lutando da Guerra da Crimeia (veja em Curiosidades também), e as adversidades da guerra o estava modificando, e talvez sua única motivação para sobreviver é a troca de correspondência trocada com Prudence Mercer.

Prudence uma moça perfeitamente bela e completamente fútil, não estava interessada em se corresponder com um soldado amargurado, queria mesmo era volta de Phelan , que caso  sobrevivesse,  e com todas as partes do corpo, se tornaria um herói de guerra e o pretendente perfeito para os planos ambiciosos dela.

Porém essas correspondências nunca foram escritas por Prudence, e sim por Beatrix, que ficou comovida de quanto Phelan necessitava de palavras de conforto durante a guerra, e com o consentimento da amiga, começou a se corresponder com ele, e também não tinha nenhum sentimento por ele, pelo contrário achava-o arrogante.





Antes da guerra, Christopher a esnobava, igualmente toda a sociedade inglesa, por achar que Bea era diferente do padrão de comportamento das jovens imposto pela nobreza,  pois Beatrix conversava sobre quaisquer assuntos com seus pares, não somente aqueles toleravelmente permitidos as moças. Porém a beleza e a inteligência de Bea atraiam vários pretendentes, mas eram impedidos pelas famílias dos mesmos de cortejá-la e até possíveis propostas de casamentos, pois Bea tinha uma família diferenciada, já que as duas irmãs mais velhas dela eram casadas com ciganos. E aos 23 anos (naquela época já era considerada meia idade rsrsrs) estava solteira, e se dedicava exclusivamente aos bichos, como ela dizia: “(...) preferia a companhia dos animais à das pessoas. Os bichos não eram enganadores. Não davam impressões conflitantes de quem realmente era. E as pessoas jamais se sentiriam tentadas a esperar que um animal mudasse a própria natureza.”


 
Mas a troca de cartas mudou a percepção de ambos, enquanto Beatrix enxergava um homem diferente por baixo daquela arrogância, e a cada carta ia se apaixonando por Phelan. Enquanto ele erroneamente enxergava uma Prudence diferente, não tão coquete, e sim mais humana, o que iria ser um problema quando realmente a encontrasse pessoalmente, e percebesse que a remetente de suas cartas poderia ser outra pessoa...  Em contrapartida a cada dia Bea ficava mais entristecida sabendo que o amor de Phelan era pela imagem de Prudence e não por ela... Bea decide cancelar a correspondência... mas ele já estava voltando para casa.




Phelan é um homem totalmente diferente pós-guerra, mais sombrio, triste e para piorar será responsável pelos negócios da família devido à morte do irmão, mas um pouco feliz já que iria reencontrar Prudence, mas no meio do caminho estava Bea...


O primeiro encontro dos dois não poderia ser pior, mesmo modificado, porém com Beatrix não foi nenhum pouco afável, na verdade, Albert que encontrou Bea... Quem é Albert? O cachorro de Phelan, na verdade era de um soldado que morreu em combate e Phelan acabou ficando com o cão.



Depois de um pedido de desculpas e conhecer a excêntrica família Hathaway, Phelan e Bea começaram a se descobrirem, mas Phelan só enxerga Prudence.
Mas quando Phelan encontra Prudence, percebe algo está errado, pois ela continua mesma pessoa que lembrava  antes da guerra, uma garota tola e fútil que não tinha conhecimento de nada escrito nas cartas... e Phelan chega a conclusão que outra pessoa escreveu as cartas, porém a curiosidade vira ódio por achar que foi tripudiado e enganado, e promete vingar quando encontrar a verdadeira remetente das cartas... Será???



Mas antes ele sente uma forte atração por Bea, que o deixa distraído por algum tempo, mas também tenta afastá-la, pois não se sente capaz devido tudo que ele passou, e os traumas deixados pela guerra de amar alguém igual à Beatrix.
Enquanto Beatrix fica angustiada pelo dia que ele descobrir a verdade, se ele irá perdoá-la...



Concluindo...
Foi a resenha bem complicada de escrever, porque podia contar algumas coisas, e não tudo... e esse tudo por incrível que pareça é praticamente a metade do livro.



Quando li a sinopse de Paixão ao Entardecer,  achei que seria semelhante a Orgulho e Preconceito, o homem arrogante e a protagonista diferente dos padrões da época. Talvez a única semelhança seja a mudança da percepção das pessoas em relação ao outro, de certo preconceito tanto de Phelan em relação à Bea, e vice-versa, mas a narrativa em si é totalmente diferente.




Beatrix  mesmo com toda doçura tem uma personalidade forte, e sabe o que realmente quer, e não se preocupa com a opinião dos outros, gosta da liberdade, tanto que prefere Hamphshire a Londres, onde pode cuidar dos seus animais e ficar junto à família que tanto ama, e a entende perfeitamente. Em contrapartida, Christopher Phelan, que segue os padrões da sociedade, e que ele mesmo acredita correto,  mas depois de tudo que ele presenciou na guerra, se tornou superficial, e a forma nada convencional de Bea acabou conquistando.




Mas tem muitas coisas escondidas, Bea tem seus defeitos, e para quem acompanha o inicio da série sabe dos problemas que ela sofre, e Phelan também tem os seus, que o atormentam durante todo tempo.

Mas o livro não é só de tormentos, tem momentos engraçadíssimos, que só Beatrix e todo seu zoo pode proporcionar, isso sem contar com a interação familiar dos Hathaways.



Paixão ao Entardecer se tornou meu segundo livro preferido da série. O livro foi de momentos emocionantes, doces, românticos, sensuais, engraçados, ou seja, vários elementos que interagem de forma equilibrada, com certeza todo mundo que leu esse livro, ao terminar ficou nostálgico, já que o último livro da série.


Resumo da série Os Hathaways...
E por falar neles, vou colocar meu modo “viúva literária” e escrever um pouco sobre a série. Desde o primeiro livro eu realmente me apaixonei... Principalmente em relação aos personagens ciganos, Cam Rohan e Kev Merripen, respectivamente o primeiro e o segundo livro da série, a autora trabalhou bastante com a cultura cigana, e usou vários dialetos durante as leituras.

Outro ponto forte da série é o crescimento de alguns personagens, no caso Leo Hathaway, personagem em minha opinião irresistível, não decorrer dos livros tem vários momentos hilários, ao mesmo tempo certo cinismo e bastante sarcástico. No primeiro livro ninguém simpatizou muito com ele, mas depois realmente virou meu personagem favorito.

E um dos livros que gostei muito foi do terceiro, da Poppy e do Harry, ele é dono de um hotel famoso em Londres. O interessante foi que nos dois primeiros livros, o leitor tinha conhecimento dos quatro protagonistas, mas no caso de Tentação ao Pôr do Sol, Michael Rutledge era uma incógnita. Outro aspecto interessante é um segredo que será revelado somente no quarto livro, Manhã de Núpcias, que traz Leo como personagem principal.

Para finalizar, o interessante da série Hathaways é a dinâmica, a habilidade que Lisa Kleypas conduz a narrativa e a interação dos personagens, já que em todos os livros ocorre a participação de todos os eles interagindo entre sim, ou até em narrações separadas. E o equilíbrio que a autora mantém deixa a leitura tumultuada, pelo contrário o leitor se delicia em poder reencontrar os personagens dos livros anteriores, e mais sem perder suas características construídas nos seus respectivos livros. Amei os Hathaways, e uma série que tem que ser relida várias vezes... saudades da família...





Guerra da Crimeia (1853 - 1856)



 
A Guerra da Crimeia foi um conflito que se desdobrou de 1853 a 1856, na península da Crimeia (no mar Negro, ao sul da atual Ucrânia), no sul da Rússia e nos Bálcãs. Envolveu de um lado a Rússia e, de outro, uma coligação integrada pelo Reino Unido, França, Piemonte-Sardenha (na atual Itália) - formando a Aliança Anglo-Franco-Sarda - e o Império Turco-Otomano (atual Turquia). Esta coligação foi formada com o objetivo de conter a expansão russa.
A guerra teve seu início com as incursões russas comandadas pelo czar Nicolau I nos principados otomanos da Moldávia e da Valáquia (hoje Romênia). Os turcos abriram guerra à Rússia, que os derrotou facilmente em Sinope, Ucrânia. Temendo a expansão russa, a aliança foi formada. Em troca de apoio, os turcos consentiam a entrada de capital ocidental na região. Em setembro de 1854, os russos já haviam sido expulsos da região. No entanto, os ingleses acreditavam que a base naval russa em Sabastopol, na Crimeia, era uma ameaça futura. Para impedir novos conflitos, ingleses e franceses investiram contra a cidade, dominando-a em 1856.
A guerra chegou ao fim com a assinatura do tratado de Paris de 30 de março de 1856. Pelos seus termos, o novo Czar, Alexandre II da Rússia, restituía o sul da Bessarábia e a embocadura do rio Danúbio para a Turquia e a Moldávia, abdicava a qualquer pretensão sobre os Bálcãs e ficava impedido de manter bases ou forças navais no mar Negro.
Por outro lado, a Turquia representada por Aali-pachà também conhecido como Meliemet Emin era admitida na comunidade das potências europeias, tendo o sultão assumido o compromisso de tratar seus súditos cristãos de acordo com as leis europeias.
Fonte: Só História


Brigada de Rifles
Em 1816 o regimento foi rebatizado de Brigada de Rifles (The Rifle Brigade) e finalmente própria Rifle Brigade do The Prince Consort em homenagem a Alberto de Sajonia-Coburgo-Gotha, marido da rainha Victoria do Reino Unido. O número 95 ° foi utilizado pelo Regimento No. 96, e renomeada a 95 Regimento de Infantaria (Don's) até 1818 e de 1823 pelo n.º 95 do regimento de infantaria (Derbyshire).
Durante a Guerra da Criméia (1853) lutou os dois batalhões da Brigada de Rifles, levando os avanços britânicos na batalha do rio de Alma, Inkerman e no cerco de Sevastopol (1854-1855). O regimento tinha 8 Cruzes Victoria, mais do que qualquer outro regimento.

  • Cruz Vitória (em inglês: Victoria Cross (VC):  é a mais alta condecoração militar concedida por bravura "na presença do inimigo" para os membros das forças armadas de vários países da Commonwealth, e de territórios anteriores do Império Britânico.
Fonte: Wikipédia.

Sobre a nova série:

A Editora Arqueiro está publicando outra série da autora, As Quatro Estações do Amor, o primeiro livro já publicado Segredos de uma Noite de Verão. Essa série ela veio antes de Hathaways. Os personagens dessa nova série aparecem todos em Hathaways. 
 


Book Trailer (em inglês):

 
 
Confira o site da editora Confira o site da autora! Participe do Grupo!!!! Curta a fan page Lisa Kleypas Brasil Clique aqui e confira a resenha! Clique aqui e confira a resenha! Clique aqui e confira a resenha! Clique aqui e confira a resenha! Clique aqui e confira a resenha!

A série Hathaways tem um conto, Casamento Hathaway, entre o segundo e o terceiro livro, que está disponível gratuitamente em e-book pode encontrar em qualquer livraria online (capa abaixo).


28 comentários

  1. Oi, Patrícia!
    Paixão ao entardecer foi um dos livros que mais gostei dessa série, as trocas de cartas foram emocionantes - tenho um fraco por cartas rsrs.
    Acho a história de amor de Beatrix e Christopher linda, mas confesso que detestei o mocinho por causa de certas atitudes, uma delas foi essa cena do quarto quote, ele foi desejável! Beatrix é uma mocinha tão encantadora, com sua franqueza as vezes divertidas...
    Amei conhecer os Hathaways, essa com certeza é uma das minhas séries favoritas que pretendo reler assim que as histórias não estiverem tão frescas na minha memória.
    Bjos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também vou falar... Amo Leo, mas o livro que gostei foi Tentação ao Pôr do Sol

      Excluir
    2. Também vou falar... Amo Leo, mas o livro que gostei foi Tentação ao Pôr do Sol

      Excluir
  2. Olá ^^
    Amei as quotes, sou apaixonada por essa série e esse livro é o meu favorito dela.
    A Prudence é uma vaca!

    Beijão,
    http://livrosentretenimento.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Acho ótimo que você gosta dessa série. Não sou muito fã de romances, mesmo gostando de ler algumas resenhas. Aliás, a história parece ser muito boa. Se eu chegar a ler, espero gostar assim como você.

    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amo romances, quem sabe um dia você dê oportunidade para série.

      Excluir
  4. Ouço falar muito bem desse livro na maioria das resenhas que leio, não só dele como de toda a série, e apesar de recentemente ter passado a ler romances históricos, essa série não me chama muito a atenção, infelizmente.

    ResponderExcluir
  5. Oi Patricia nunca tinha ouvido falar dessa serie e nem da escritora amei a sinopse e a resenha já esta na minha lista de desejados e obrigado pela dica bjs.

    ResponderExcluir
  6. Eu não li nenhum livro da série ainda, mas estou viúvo também por gostar bastante dos comentários sobre a mesma. O que mais gosto na escrita dessa autora nesta série é a apresentação dos personagens em todos os livros, e o aprofundamento de cada um em outro livro individual. Beatrix me encantou por seu amor por animais diferentes e a sua compaixão. Confesso que não gostei da opinião de Christopher Phelan sobre Bea em suas primeiras impressões, mas como ambos compartilhavam de percepções ruins sobre o outro, ficou tudo igualitário. O desenvolver da história é muito bom. Quero esta série!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vais gostar é romântica e muito divertida

      Excluir
  7. Eu adorei este post, muito caprichado.
    Não li a série ainda e agora graças a vc já tenho em mente dos protagonista Bea e Phelan e que ótima escolha.
    Adorei a premissa, adorei como Bea é forte e generosa e ama os animais. Como ela ajuda Phelan se passando pela amiga (chata, nojenta, fútil, não gostei dela)... pensa estar ajudando.
    A forma como o romance acontece é nada tradicional e eu achei isso interessante.
    Eu quero muito ler essa série e adorei sua resenha e todo o post no geral.
    Eu gostei do que li sobre todos os livros e estou ansiosa para ler todos e decidir de qual gosto mais.
    Super beijo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A série é linda não vai se arrepender...

      Excluir
  8. Sempre vejo a autora entre as mais lidas de romance histórico e isso me despertou um pouco de curiosidade. As capas desta série são lindas e gostei bastante da premissa deste livro. Não sabia que a série "Quatro Estações do Amor" (que parece ser uma ótima leitura também) precede "Os Hathaways", então acho melhor começar por ela e depois ler a série da família Hathaway.

    ResponderExcluir
  9. Fiquei um pouco decepcionada com o livro pq, já que ele encerrava a série, esperava uma participação maior da família, todos os membros, e triste pq não teria mais Hathaways ♥
    Achei Bea um pouco infantil, inocente, talvez por tê-la conhecido ainda criança e a imagem de menina ficou na mente, e Christopher um pouco rude, mas não é que ambos combinaram bem, bem até demais?! Christopher precisava disso, de inocência pra ajudá-lo com aquele mente atormentada hahahahahaha

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Queria um atormentado desses pra mim kkķk

      Excluir
  10. Amo essa série, curto muito romance de época, a escrita da Lisa Kleypas é excelente, esse livro também é o meu segundo favorito dessa série, estou pra começar a ler essa nova série As Quatro Estações do Amor, parece ser ótima também.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Estou apaixonada por Simon Hunt, amei o empenho para conquistar Annabelle.

      Excluir
  11. Oie
    Eu estou no terceiro livro dessa série e estou com medo de me sentir orfã quanto finalizar a leitura desse último livro.A Lisa encanta com sua narrativa e personagem bem construídos.A Bea é mesmo bem excêntrica então ao mesmo tempo que não quero finalizar a série estou louca pra chegar no livro dela e conhecer mais de sua história.E que resenha mais completa,adorei todas essas informações que você adicionou pois não conhecia essa guerra.E já que você fez um review da série toda vou falar sobre meu amor pelo Cam,quero um cigano daqueles pra mim!
    beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Imagina ele sussurando monisha no ouvido... rsrsrs

      Excluir
  12. Adoro os livros da Lisa Kleypas e as capas sao belissimas.
    Uma pena que seja o ultimo livro da serie e que tenhamos que nos despedir da família Hathaway.Acredita que tb pensei em Orgulho e Preconceito, acho que tem um pouco mesmo de elementos do primeiro no livro.
    Adorei as fotos que usou no post, nossa mto lindo o seu trabalho no blog.
    Gostei mto tb da nova série da Lisa, acho que vai ser suceso tb, e as capas conseguiram ser mais lindas.
    Beijos

    ♥ Blog Livros e Sushi ♥
    https://livrosesushi.wordpress.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Estou completamente apaixonada por Simon Hunt

      Excluir
  13. Oi, Patrícia!
    Ainda não li nenhum livro da autora, mas com certeza vai para minha lista.. bjs

    ResponderExcluir
  14. Eu sou apaixonada por esse série. Gosto muito de romances de época, e essa é uma das minhas séries favoritas. Só li até o livro Tentação ao por do sol, e amei todos até agora. Já estou doida pra ler esse livro, eu gostei da Beatrix desde o primeiro livro. Também achei que pela sinopse ia ser parecido com Orgulho e Preconceito, mas gostei de saber que é diferente.
    Já estou com vontade de ler essa nova série da autora também :)

    Beijos!

    ResponderExcluir

Deixe seu Comentário!