[Review] Priest - Sierra Simone

sexta-feira, 6 de novembro de 2015

Priest
Sierra Simone

Forgive us our sins.
Perdoai os nossos pecados.


Sinopse tradução livre: Existem muitas regras que um sacerdote não pode quebrar. Um sacerdote não pode casar. Um sacerdote não pode abandonar seu rebanho. Um sacerdote não pode abandonar seu Deus.

Eu sempre fui bom em seguir regras.
Até que ela veio. Então eu aprendi novas regras.
Meu nome é Tyler Anselm Bell. Eu tenho vinte e nove anos de idade. Seis meses atrás, eu quebrei meu voto de celibato no altar da minha própria igreja, e Deus me ajude, eu iria fazê-lo novamente.

Eu sou um padre e esta é a minha confissão.



Gente, o que foi a comoção geral da mulherada em cima do Padre Bell??
Tive que ler Priest de qualquer maneira depois da histeria coletiva que se deu após seu lançamento. Eram legiões de mulheres nos grupos literários comentando sobre as peripécias do padre gostosão e seu “cordeirinho” que não pude resistir...kkkkkkkkk

Mas, tenho a dizer que me diverti mais com a galera alucinada mandando fotos de padre gostosões pelas paróquias a fora e tecendo comentários sobre a fé poderosa de Padre Bell do quê com o livro propriamente dito! Kkkkkkk

Sierra Simone nos trouxe um livro que é claro se propôs a mexer com o imaginário erótico da mulherada. Um belo padre garotão e gostosão, se encanta por uma paroquiana de alma perdida e torturada, dando início ao conflito épico entre o amor e sua fé. E a fórmula mesmo sendo batida, não tinha como dar errada, mas infelizmente ao meu ver, deu!

Achei os personagens muito rasos. Tanto Padre Bell, quanto Poppy tinham muito potencial e acabaram se perdendo apenas na luxúria e nos extremismos sexuais praticados inclusive com diversos artigos sacros na igreja.
Eu estava esperando um livro mais denso, tipo sei lá, meio Pássaros Feridos + Hilda Furacão (tá eu sei que sou velha...kkkkkk), mas tipo que pelo menos o remorso e tormento do padre fossem mais fundamentados e soassem realmente verdadeiros e torturantes. E não foi isso que aconteceu!

Nosso “Padre Gostosão” tinha medo só de ser pego, mas arrependimento que é bom em sacrificar o cordeirinho toda a vez que podia, não vi nenhum!

Enfim, como distração, o livro até vale a pena, mas é claro que não dá pra esperar nenhum romance sensível e tocante, pois o negócio mesmo é lúxuria, pura e simples.  Eu me diverti mais com a histeria coletiva do mulheril em torno no tema do que com a trama propriamente dita! Kkkkkkkk
Minhas últimas palavras quanto a Priest: o livro é de quinta, mas a putaria foi de primeira do início ao fim...hehehehehe

Claro que Padre Bell povoou minha imaginação literário por um tempo também, mas infelizmente não tive como evitar a decepção pois meu coração de leitora realmente esperava um lindo romance épico e não somente cenas de sexo super hard do início ao fim do livro.


20 comentários

  1. Oi querida,
    Infelizmente não me chamou muita atenção porque pelo que você disse faltou historia e sobrou putaria então fica para próxima. Enfim queria te convidar a dar uma passadinha lá no blog também, pois hoje tem uma resenha especial feita pelo meu noivo de um livro nacional de fantasia. Te espero por lá.
    Beijos
    Raquel Machado
    Leitura Kriativa
    http://leiturakriativa.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Pelo que li na resenha, não faz muito o meu estilo literário por ir para o lado mais "safado" demais. Confesso que nunca tinha nem ouvido falar no livro ou autor.

    ResponderExcluir
  3. Oi!
    É mesmo muito engraçado essas comoções que acontecem mas ainda não conhecia esse livro, mas não foi uma historia que me conquistou acho que porque não é o tipo de gênero literário que gosto de ler !!

    ResponderExcluir
  4. Não conhecia o livro. O livro parece ser bom, mas eu não leria ele. Não costumo ler muitos livros desse gênero por causa da minha idade, os livros que leio desse gênero só são aqueles que me chamam muito a atenção, se não eu não leio.

    ResponderExcluir
  5. Oi, Scheila!
    Como gosto de livros com um romance sensível e tocante, que tenha um bom argumento, nada de apenas lúxuria pura e simples, Priest é um livro que não é pra mim e que com certeza não pretendo ler, livros que se concentram apenas em cenas hot do início ao fim também não contenta meu coração de leitora.
    Bjos!

    ResponderExcluir
  6. Scheila,esse tipo de premissa sempre chamou a atenção pela polêmica,conflito amor e fé luta para manter celibato.Pena que os personagens são rasos e não existe uma história sensível e tocante então com certeza não é do meu gosto literário.Mil beijinhos!!!

    ResponderExcluir
  7. Quando os personagens são rasos é bem frustrante,a história não consegue envolver.
    Não li,e pela resenha não pretendo,mas ri com sua sinceridade "o livro é de quinta, mas a putaria foi de primeira do início ao fim." rs,fiquei imaginando quais/como os artigos sacros foram parar no meio,haha.

    ResponderExcluir
  8. Curto muito literatura erótica e apesar da sua resenha negativa do livro, ainda continuo super curiosa em conferi essa história do “Padre Gostosão”

    ResponderExcluir
  9. Gargalhei com sua resenha!!!!!!! Foi bem honesta e bem humorada, mesmo tendo se decepcionado com o enredo seus comentários espirituosos me fizeram rir bastante.
    Gosto e não tenho problemas com histórias que sejam hot (apesar de ter lido poucas) , mas me incomodam bastante aquelas que só tratam o sexo na história. Principalmente personagens masculinos que parecem que só pensam com o seu órgão genital e não usam o cérebro nem um pouquinho. Agem como seres irracionais e não conseguem controlar o ímpeto sexual, são até meio desvairados rsrsrsrsrs
    Não gosto de personagens rasos, sem dimensão nenhuma e que só seguem apenas um determinado padrão. A premissa realmente dá a entender que haverá algo mais complexo, envolvendo culpa e redenção, e saber que isso não é explorado na trama, não me deixou entusiasmada e curiosa para conhecer a história.

    ResponderExcluir
  10. Oi, Sheila. Esse tipo de livro não chama minha atenção. Prefiro um livro com muita aventura, pouco romance e quase nada de hot, se possível até sem, rs. Vou deixar para uma próxima, ok? Fico contente que você tenha gostado e que o livro tenha te trazido muita gargalhada, eu não conhecia.

    Beijo

    ResponderExcluir
  11. Foi exatamente o que aconteceu comigo: me diverti muito mais com os comentários das leitoras que lendo a história. Não é só pq é uma história hot que não precisa ter profundidade, densidade. O padre só tinha medo de ser pego em flagrante, de resto tinha a consciência limpa hahahahahaha

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim!!! Nenhum remorso em traçar o corderinho toda a hora!! kkkkkkkkkkkkkkkk

      Excluir
  12. Eu estou vendo bastante falando desse livro mesmo. Já estou quase lendo ele também, mas agora já não estou mais com tanta vontade assim. É tão ruim quando os personagens são rasos, e pelo jeito o livro nem é tudo isso que eu imaginava. Que bom que nem comprei ele ainda, porque acho que nem vou ler...

    Beijos!

    ResponderExcluir
  13. Scheila, eu ainda não tinha visto ou ouvido nenhum burburinho sobre este livro. Confesso que o que chamou a minha atenção foi o esteriótipo e estética bem diferentes de Tyler, o padre. Não gostei imensamente do livro, mas curti a forma como é abordado o tema.

    ResponderExcluir
  14. Ui kkkkkkkkkk adorei a sinopse adoro livros desse tipo mas nunca li um livro que tivesse padre quando li a sinopse fiquei meu Deus tenho que ler pra ontem

    ResponderExcluir
  15. Scheila, li esse livro kkk e acho que se a intenção da autora foi chocar ou causar polêmica, ela conseguiu! Pra mim, foi a maior perda de tempo ter lido este livro até o final ...

    Se o livro fosse apenas sobre o amor que surgiu entre uma mulher e um padre e a dúvida entre manter-se fiel ao seu voto ou largar tudo pelo amor de uma mulher, mas não! Esta não é uma linda história de amor!

    Não sou católica, mas mesmo assim acredito que a autora chocou pela forma que envolveu coisas sagradas (não vou dar detalhes para não soltar spoiler)
    Enfim, nao pretendo ler mais livros que abordem este tema hahaha

    ResponderExcluir
  16. Oi Scheila :)
    O gênero romance, new adult e hot são meus favoritos, porém em todos eles, para mim, tem que haver história e não só sexo. Quando comecei a ler a resenha me interessei, pois é realmente interessante um livro com essa história porque é muito diferente, quando imaginaríamos um padre fazendo isso?! Mas, assim que cheguei no final da resenha me desanimei, a frase "o livro é de quinta, mas a putaria foi de primeira do início ao fim...hehehehehe" me desestimulou a ler. Como disse tem de haver uma história para poder "encobrir" tantas cenas hots, mas nesse livro acredito que isso não aconteça, então perdi a curiosidade sobre o livro.

    ResponderExcluir
  17. Eu não conhecia esse livro, mas ri muito com sua resenha kkkkkk E confesso que até fiquei curiosa, e se você tivesse gostado um pouco mais eu até lia. Mas acho que também não vou gostar muito dele =/
    Bjss.

    ResponderExcluir
  18. Não aconteceria nada disso se todos os padres fossem na verdade pastores. Pelo menos poderiam fazer sexo... Haha
    Eu não gostei. Sua resenha me fez não querer ler.
    Prefiro pássaros feridos. E isso não tem a ver com idade, acho. Haha
    Só putaria não rola.
    Esse, eu passo.

    ResponderExcluir
  19. HAHAHA..eu tb me divertir vendo as fotos dos padre gostosões, pessoal tava inspirado!
    A sinopse do livro é bacana, mas pela resenha e a sua nota o livro nao foi nada demais.
    Mto sexo e pouca historia..mas ainda sim quero mto ler e ver essa gostosura toda, hehe.
    Acho que nao teve descrição melhor do livro como: o livro é de quinta, mas a putaria foi de primeira do início ao fim.
    Beijos

    ♥ Blog Livros e Sushi ♥
    https://livrosesushi.wordpress.com/

    ResponderExcluir

Deixe seu Comentário!