[RESENHA + MARCADORES] O DIÁRIO DE ME. DARCY - AMANDA GRANGE

quarta-feira, 16 de dezembro de 2015


Título Original: Mr. Darcy’s Diary.
Tradução: Andrea Carvalho.
Editora: Pedrazul
Peso: 380 g
Largura: 16 cm
Altura: 23 cm
Profundidade: 1,9 cm
ISBN: 978-85-66549-19-5
Número de páginas: 220
Idioma: português

Sinopse: O único lugar em que Mr. Darcy poderia compartilhar seus sentimentos mais íntimos eram as páginas do seu diário. Dividido entre o senso de dever com o nome de sua aristocrática família e a paixão crescente pela plebeia Elizabeth Bennet, tudo o que esse jovem nobre podia fazer era lutar contra tal sentimento. Neto de conde por parte de mãe, Mr. Darcy possuía grande quantidade de terra, enorme receita com os inquilinos e uma grande riqueza herdada. O tamanho de sua propriedade e o seu status social lhe davam, inclusive, o direito de nomear o vigário da paróquia e faziam dele uma pessoa muito influente no condado de Derbyshire, na Inglaterra do início do século XIX. Disputado pelas damas da sociedade londrina, Mr. Darcy vive sua experiência sentimental singular a partir do encontro com Elizabeth em Meryton, pequena vila do condado de Hertfordshire,
no interior do país. Embora naturalmente rígido e teimoso, demonstra que, no íntimo, também é um homem dedicado e carinhoso. O Diário de Mr. Darcy, portanto, apresenta a história do improvável namoro de Elizabeth Bennet e Fitzwilliam Darcy do ponto de vista dele. Esta graciosa continuação de Orgulho e Preconceito, de Jane Austen, enfoca os conflitos de Mr. Darcy e as dificuldades do seu relutante relacionamento, da rejeição inicial à luta desesperada para conquistar o coração de Elizabeth. Orgulho e Preconceito tem inspirado um grande número de sequências nos dias de hoje, mas O Diário de Mr. Darcy é a mais bem-sucedida das que incidem sobre o rico e orgulhoso cavalheiro.


Hoje é o dia do aniversário da visionária autora Jane Austen, mas 240 anos???? Ainda tem que ficar comemorando???? Deve ser a pergunta de todo mundo, ou de algumas pessoas, pois quem realmente sabe o que Austen representa na literatura para mulheres, saberá porque a autora sempre estará na mais ovacionadas na literatura mundial.


Óbvio que Jane teve outras autoras para se espelhar, entre elas Frances Burney, Samuel Richardson, entre outros... mas talvez a autora seja a única que conseguiu unir romances açucarados, porém com toques de humor que amenizem as críticas sociais colocadas pela autora no decorrer das suas obras.

 Jane teve uma vida boa e ao mesmo tempo complicada, sendo de uma família com vários irmãos, e naquela época mulheres não tinham direito nenhum, para dizer a verdade, somente o casamento dava para elas a segurança, mas Jane pelas histórias que contam, e alguns trechos de cartas, desconfia-se que a autora acreditava no casamento por amor, e isso vemos nos decorrer dos livros da própria, não acreditava em casamento para sentir segura financeiramente, talvez seja por isso que em todos os romances ela enfatiza sobre isso, mas também ao mesmo tempo, não fica colocando a mulher no papel de vítima, pela contrário, ela muitas vezes tem uma visão do homem na sociedade que por mais dominante naquela época, mas também tinha que se submeter a certas situações devido sua posição e nome.


Dizem que devido essas situações Jane Austen não pode ficar com seu grande amor, já que na época ele era pobre, e necessitava ter um casamento com alguém financeiramente estável para sustentar a família. Esse é um dos muitos boatos que gira em torno de Jane Austen. E se quiser saber mais das histórias da autora tem um livro publicado pela Editora Pedrazul, escrito pelo sobrinho da autora, “Uma Memória de Jane Austen - James Edward Austen-Leigh”. Em uma  próxima oportunidade irei resenha-lo.
 

Orgulho e Preconceito foi escrito em 1797, e publicado em 1813, ou seja quando a autora escreveu o livro não tinha completado 22 anos. 

O livro narra a história do casal, Fitzwilliam Darcy (Mr. Darcy) e Elizabeth Bennet (Lizzie), que no primeiro momento não se toleravam. Enquanto Mr.Darcy, um nobre rico, e aparentemente esnobe, preconceituoso e arrogante. Já Lizzie, uma moça pobre, bastante orgulhosa, agradável, divertida e não tinha receio de expor suas ideias.


Depois de muitos infortúnios, como um pedido de casamento tenebroso, tanto Lizzie quanto Mr. Darcy, ele primeiro por sinal, começaram a modificar os sentimentos de um pelo outro. Mas o interessante da narrativa, não é apenas o romance do casal, e a visualização das imperfeições humanas, dentre elas, o preconceito apenas por uma percepção inicial, de não darmos a oportunidade de conhecer sem antes pré-julgar, em contrapartida, deixar o orgulho de lado, e aproveitar a oportunidade para redimir e admitir os erros.

Muitas leitores que não tiveram oportunidade  de lerem Jane Austen, imaginam que a autora descreve homens perfeitos, mas pelo contrário, tanto os "mocinhos" quanto as "mocinhas" são cheios de imperfeições. Até o final de seus livros, os personagens erram e acertam o tempo todo. E talvez seja devido suas imperfeições de comportamentos, atitudes e personalidades, que torne a narrativa da autora perfeita.
 
Um dos "imperfeito-perfeito" personagens da autora é o ovacionado Mr. Darcy, o que aguçou minha curiosidade em ler O Diário de Mr. Darcy da autora Amanda Grange, publicado pela Editora Pedrazul, e uma ressalva, esta editora está com um catálogo de clássicos inéditos publicados no Brasil.

Muitas fãs torcem o nariz para releituras de clássicos, ou as populares fanfics,  eu me incluo nesse grupo, principalmente com Jane Austen, mas deixei meus preconceitos, e porque especificamente esse livro???? Sempre tive vontade de ver o lado de Mr. Darcy na história, e sempre quis saber como seria se tivesse uma continuidade...


O Orgulho e Preconceito o tempo todo é sobre a ótica de Lizzie, não que isso prejudicou a percepção em relação ao Mr. Darcy, pelo contrário, a autora conseguiu passar as emoções e conflitos do personagem. Então resolvi deixar meu orgulho e preconceito de lado, e confiar no talento da autora Amanda Grange, e não me decepcionei... 


O Diário de Mr. Darcy começa três meses antes do inicio do Orgulho e Preconceito original, onde nos mostra os problemas que ele teve com sua jovem irmã e o Mr. Wickham, que futuramente será o grande empecilho de Mr. Darcy no seu romance com Lizzie.


A autora conseguiu, no meu modo de ver, a essência de Mr. Darcy, infelizmente ele é arrogante e esnobe, e nem ao mesmo reconhece que o é. Como a visão do primeiro baile campestre, onde ele conhece Lizzie, e começa sua saga de "grosserias" em relação a ela, e quando se refere a ela como “aceitável” para uma dança.


Ou a intromissão dele em relação à corte de Mr. Bingley seu grande amigo e dono de uma propriedade local que se encantou por Jane, a irmã mais velha de Lizzie, mas tanto Darcy quanto Caroline (irmã de Bingley), tinham planos de uma possível união com a irmã de Darcy, Georgiana. E a sua frustração de com essa atitude afasta-lo da Lizzie.


E por falar em Caroline, se você odiava ela no livro original, nos filmes ou minisséries, irá odiá-la ainda mais depois de ler Diário, a autora nos mostrou ela completamente insuportável, e isso escrito por Amanda Grande, se fosse por Jane Austen, acho que ela seria a encarnação do "Belzebu".


Mas os momentos épicos desse livro, são os conflitos internos de Darcy em relação à Lizzie, sabem a cena do pedido de casamento, segundo a visão do Darcy, o que ele falou foi honesto e sincero, mas nada ofensivo. Ops!!!! Amanda Grande não poupou nem um pouco Mr. Darcy. Mas em contrapartida a autora também nos mostra outro lado de Mr. Darcy, o motivo pelo qual ele não sorri muito...
A EXPECTATIVA...


A REALIDADE...

Mais um ponto da autora, foi a qualidade dos embates de diálogos entre ele a Lizzie (são muitos no decorrer do original Orgulho e Preconceito), a autora sensivelmente conseguiu captar os sentimentos de Darcy durante esses muitos diálogos, entre eles, aquele no qual Lizzie está na casa dos Bingley's devido a doença da Jane, sobre as mulheres prendadas, ou até mesmo durante aquela dança onde Lizzie está indignada com Darcy em relação a Mr. Wickham.

Mas a autora Amanda Grange foi além... no original Orgulho e Preconceito, finaliza no casamento da Lizzie e Darcy (e isso não é spoiler, o livro tem 202 anos), mas a autora dá continuidade após o casamento, como está vida de casados e a relação com as famílias.


Desde visita da família de Lizzie, até da tia “mala” Lady Catherine que era contra o casamento, já que queria Darcy casado com sua filha Anne. E também a vida íntima do casal, mas acalmem sem cenas tórridas, apenas beijos, pois na obra original nem isso acontece devido a época que o livro foi escrito, e também a pouca experiência ou padrões morais da autora... mas descobri recentemente que a autora leu Pamela de Samuel Richardson, autor que escrevia cenas bem sensuais nos seus romances... Jane era uma safadinha... 

Muitas fãs reclamaram que alguns momentos a autora o descreveu que ele parecia um adolescente, mas na realidade nunca iremos saber que Austen  com 22 anos visualizava Mr. Darcy. Sabemos que Darcy teve um infância e uma adolescência sem tempo para ele, já que desde a morte dos seus pais, teve que assumir a responsabilidade de gerenciar os negócios da família, e de cuidar da irmã mais nova. Mesmo que Orgulho e Preconceito dá a impressão dos personagens maduros, mas tanto Darcy rico, frequentador da sociedade e um homem de negócios, podia ser tão tímido e retraído, que não conseguia dialogar ou trocar duas palavras coerentes, quando estava perto de Lizzie. E mesmo ela, com uma personalidade mais sociável e aberta, ficava constrangida em frente a Darcy quando descobriu que o amava.  São atitudes de um casal apaixonado que está descobrindo sentimentos novos. Acho que a autora dá pistas que no mundo da leitura e dos romances, a maturidade ou a idade não tem importância primordial.

Concluindo...

Amei O Diário de Mr. Darcy, utiliza uma linguagem contemporânea dentro dos limites da formalidade, já que é baseado em um livro de 200 anos atrás...

Também indico a leitura de Orgulho e Preconceito, principalmente para leitoras que amam os romances de época atuais, mesmo que a linguagem seja mais formal, é interessante conhecer umas das origens dos romances de época atuais, ou até mesmo dos contemporâneos, ou vocês vão dizer que não existe homens arrogantes na literatura atual????


Mas para quem está com medo da linguagem rebuscada dos clássicos, convido a verem os filmes, e quem quiser ler Orgulho e Preconceito na visão de Mr. Darcy com uma linguagem menos formal, leia O Diário de Mr. Darcy.

Esse livro faz parte de uma série Jane Austen Heroes, onde todos os livros da autora sobre a ótica dos personagens masculinos.


Querem ganhar os lindos marcadores da Editora Pedrazul (imagem a baixo):


Confira as regras:
- Faça um comentário coerente na resenha;
- Morar no Brasil;
- Sorteio será através do site www.sorteador.com.br;
- Os comentários são válidos até dia 22/12/2015.
* Sorteio no dia 23/12/2015.

Outras obras da autora Jane Austen:
(opinião pessoal das melhores edições) 
(a edição acima tem dois contos, Lady Susan e também Jack e Alice)

 


Livros e Personagens:

- Persuasão: Anne Elliot & Capitão Frederick Wentworth;

- Orgulho e Preconceito: Elizabeth Bennet & Fritzwilliam Darcy (Mr. Darcy);

- A Abadia de Northanger: Catherine Morland & Henyy Tilney;

- Razão e Sensibilidade (ou Razão e Sentimento): Elionor Dashwood & Edward Ferrars; Marianne Dashwood & Coronel Brandon;

- Mansfield Park: Fanny Price & Edmund Bertram;

- Emma: Emma Woodhouse & Mr. Knightley.


Opinião pessoal: Melhores adaptações de Orgulho e Preconceito: 1940; 1995 e 2005


- Orgulho e Preconceito (1940): Greer Garson (Elizabeth Bennet) & Laurence Olivier (Mr. Darcy);

- Orgulho e Preconceito (1995): Jennifer Ehle (Elizabeth Bennet) & Colin Firth (Mr. Darcy);

- Orgulho e Preconceito (2005): Keira Knightley(Elizabeth Bennet) & Matthew Macfadyen (Mr. Darcy).

Outros título da Editora Pedrazul relacionados à autora Jane Austen.

Titulo Original: A Memoir of Jane Austen by her newphew.
Tradutores:  Stephanie Savalla e José Loureiro
Peso: 170 g
Largura: 12,5 cm
Altura: 20 cm
Profundidade: 1,7 cm
ISBN: 978-85-66549-08-9
Número de páginas: 232
Idioma: português
Acabamento: Brochura
Sinopse: Considerada a “mãe” de todas as biografias de Jane Austen, esta obra escrita pelo sobrinho da autora, retrata a intimidade da escritora mais querida de todos os tempos. James Edward conviveu com a tia na infância e a biografia traz os registros de suas reminiscências e de outros parentes. Cartas, curiosidades, sua infância e juventude em Steventon; suas primeiras composições; a mudança de Steventon para Bath; descrição de sua pessoa, personalidade e gostos. Jane Austen irmã; tia, filha, amiga e escritora. Uma biografia completa e emocionante.
Anexos: capítulo cancelado de “Persuasão”  e textos inéditos da juvenília da autora.

Título Original: Lady Susan
Tradução: Stephanie Savalla.
Peso: 150 g
Largura: 12,5 cm
Altura: 20 cm
Profundidade: 1,1 cm
ISBN: 978-85-66549-10-2
Número de páginas: 228
Idioma: português
Acabamento: Brochura
Ilustrações de Hugh Thomson

Sinopse: Lady Susan, uma obra epistolar curta, porém completa, conta a história de uma viúva sedutora e manipuladora de, aproximadamente, trinta e cinco anos de idade. Sua conduta é, aparentemente, irrepreensível, como se esperaria de uma perfeita dama. Dotada de grande beleza, com modos encantadores e supostamente sensíveis, ela consegue desarmar até mesmo aqueles que estão familiarizados com boatos sobre sua má reputação. A relação com a filha, Frederica, uma jovem tímida e submissa, parece ser destituída de qualquer afeição, pois a mãe a trata como mais uma peça em seu jogo maquiavélico, planejando casá-la contra a própria vontade. O livro é um convite ao interior da mente de uma mulher astuta e maliciosa, habituada a brincar com os sentimentos alheios sem nenhuma pitada de remorso.
“Uma obra extraordinária vinda da filha de um pároco do interior”, afirma a biógrafa Claire Tomalin em seu livro Jane Austen: A Life (2000).

Livros citados na resenha.

Tradução de Gabriela Alcoforado.
Peso: 690 g
Largura: 16 cm
Altura: 23 cm
Profundidade: 2,5 cm
ISBN: 978-85-66549-06-5
Número de páginas: 388
Idioma: português
Acabamento: Brochura
Ilustrado

Sinopse: Frances Burney é uma das maiores influências de Jane Austen. Neste romance, Evelina, a personagem-título é a filha não reconhecida de um dissipado aristocrata inglês e a filha adotiva de um provinciano reverendo. As circunstâncias do nascimento dessa ingênua, doce e elegante moça são um tanto nefastas e, por seu nascimento duvidoso, ela foi obrigada a viver em reclusão rural até os seus dezoito anos. Através de uma série de eventos humorísticos que acontece em Londres e na cidade turística de Bristol-Hotwells, Evelina faz sua entrada nas complexas camadas da sociedade do século XVIII. Este romance epistolar, narrado por sua heroína de mesmo nome, muitas vezes satiriza a sociedade em que ela está inserida e é um precursor importante dos trabalhos posteriores de Jane Austen, cujos romances exploram muitas das mesmas questões.



Tradução: Rafael Tages
Peso: 650g
Largura: 16 cm
Altura: 23 cm
Profundidade: 3cm
ISBN:
Número de páginas: 416
Idioma: português
Acabamento: Brochura
Sinopse: Pamela Andrews trabalha como criada na casa de uma rica família da Inglaterra rural. Quando sua senhora morre, seu filho, Mr. B, começa a importuná-la usando mil artimanhas. Pamela, contudo, decide voltar para a casa de seus pais, mas suas cartas são interceptadas. Sozinha, desprotegida ela é implacavelmente perseguida. Embora se sinta atraída por ele, ela mantém-se contra suas exigências e ameaças de rapto, determinada a defender a sua virgindade e respeitar seus padrões morais. Uma heroína serva, ricamente cômico, um elenco diversificado, no qual, o vilão e o herói se misturam, é, no mínimo, incomum. Com o subtítulo ‘Virtude Recompensada’, este romance epistolar, evoluído para os padrões do século XVIII, é, de fato, emocionante.
"Um dos autores prediletos de Jane Austen"
 

22 comentários

  1. Sou apaixonada pelos livros dela. Fiquei enamorada quando assisti o filme orgulho e Preconceito pela tv. Isso em 208 acho. E de lá pra cá, só tenho lido histórias feitas por Jane. É viciante. Não dá pra largar. Nem sabia que ela havia escrito tantos romances assim. Estou simplesmente encantada. Você conseguiu me surpreender com seus comentários. E cada vez que leio algo a respeito da autora, fico mais fascinada ainda por ela. Uma mulher fora de seu tempo. Simplesmente divina.
    Beijos.
    elizabethmsalles@hotmail.com

    ResponderExcluir
  2. Gosto muito de Jane Austen, principalmente pelo que ela representou na literatura para todo o público feminino. Também confesso que tenho um pouco de medo de releituras, acredito que algum aspecto da escrita original sempre acaba se perdendo e isso me deixa um pouco decepcionada. Apesar disso, achei interessante a visão do mocinho dentro da história, e ainda mais interessante a ideia da editora de incentivar a leitura de clássicos a partir de seus relançamentos.

    ResponderExcluir
  3. A Jane Austen é um "símbolo" riquíssimo para a literatura, principalmente para o público feminino. Acredito que não importa quanto tempo passe, ela vai ser sempre lembrada com todo carinho e respeito que ela, claro, merece muito.

    ResponderExcluir
  4. Eu ainda não li nem um livro da Jane Austen, mas em razão dos diversos comentários positivos que sempre leio em relação aos livros dela, tenho diversos em minha lista de leituras, adorei esse post, os marcadores são lindos.

    ResponderExcluir
  5. A obra de Jane Austen é atemporal e continua encantando e conquistando fãs através dos tempos, com personagens riquíssimos e apaixonantes!

    ResponderExcluir
  6. Oi, Patrícia!
    Apesar de todos os comentários favoráveis a respeito dos livros da Jane, principalmente sobre Orgulho e Preconceito, ainda não li esse clássico, li uma versão moderna dele chamada Primeiras impressões da autora brasileira LRDO que recomendo sem dúvida nenhuma.
    Achei interessante essa versão do ponto de vista do Darcy, é sempre muito prazeroso conhecer o outro lado da história, parabéns a Amanda pela "ousadia" de criar uma releitura de um clássico tão amado pelos seus fãs.
    Gostei de conhecer um pouco sobre a Jane como autora mas também como pessoa.
    E é claro que estou participando do sorteio de marcadores!

    elidian20@hotmail.com

    Bjos!

    ResponderExcluir
  7. Adoro os livros da Jane Austen, os únicos livros que eu ainda não li dela foram Mansfield Park e Razão e Sensibilidade. já o Diário do Sr Darcy e do Capitão Wentworth eu já li e recomendo muito.

    ResponderExcluir
  8. To me sentindo um ET pq todas já leram alguma obra da autora.
    Eu tentei assistir as adaptações e não gostei. Tenho uma amiga que ama jane Austen e sempre me sugere livros ou filmes, mas não curti muito o que assisti. Eu juro, Jane tá na minha lista de futuras leituras, só preciso de mais tempo pras minhas leituras.

    ResponderExcluir
  9. Oi Patricia, eu nunca li nada dessa autora você pode me chamar ate de antiguada mas lendo a sinopse e a resenha confesso que o livro não me chamou a atenção mas como sempre você faz ótimas resenhas bjs.

    ResponderExcluir
  10. Jane Austen merece sim essa comemoração, uma mulher guerreira e expressiva. O Diário de Mr. Darcy não me chamou muito a atenção, mas não significa que eu não tenha gostado, Jane Austen consegue captar o melhores seus personagens, os mais diversos sentimentos e uma boa história neste livro, aparentemente, água com açúcar. Quero muito outras obras da autora para leitura.

    ResponderExcluir
  11. Eu sou apaixonada por Orgulho e Preconceito, mas confesso que também não sou muito fã de releituras, e iria ficar com um pé atrás com esse livro. Mas já gostei de saber que você também não gosta de releituras mas gostou desse livro, então acho que posso gostar dele hahaha
    E fiquei super interessada nessa série da autora, e espero que todos os livros dela sejam ótimos.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  12. Eu acho que o livro é um presente para os fãs, entrar na mente desse homem deve ser sensacional, e encantar qualquer pessoa. Adorei que o livro não trás uma narrativa tão rebuscada o que facilita muito a leitura. A edição que a aditora preparou é de deixar qualquer pessoa louca para ler adorei o capricho.

    Beijos Joi Cardoso
    estantediagonal.com.br

    ResponderExcluir
  13. Patrícia!
    A postagem ficou mais que completa e me apeteceu para ler o livro que parece bem profundo em seu romance e com uma linguagem no estilo que gosto. Sim, porque não estamos acostumados com esse tipo de linguagem e com toda certeza é enriquecedora.
    São tantos detalhes a ser comentados que acabo até me esquecendo.
    O mais importante é a homenagem feita... simplesmente ficou perfeita e merecida.
    “Um homem que está livre da religião tem uma oportunidade melhor de viver uma vida mais normal e completa.” (Sigmund Freud)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    Participem do nosso Top Comentarista de Dezembro, serão 6 livros e 3 ganhadores!

    ResponderExcluir
  14. Sou completamente apaixonada pela escrita da Jane Austen <3; para quem ama romances de época, assim como eu, não pode deixar de ler as aobras dessa autora maravilhosa.
    Releitura de clássicos é algo que atrai bastante, principalmente , se tratando de Orgulho e Preconceito : um livro com a visão de Mr. Darcy deve ser mesmo sensacional.

    ResponderExcluir
  15. Eu adoro os livros da Jane Austen e sou daquelas que não curte muito as obras baseadas nos livros da autora.
    mas eu achei esse livro bem interessante e confio que seja bom mesmo.
    Gostei dos quotes que vc escolheu, eu li o Mr. Darcy neles...
    Todo o post tá lindo, caprichado... dá pra ver que vc gosta da autora e que vc fez uma pesquisa aprimorada. parabéns!
    Eu fui ver a cena final e me decepcionei, dubladoooo... hahaha.
    Eu adoro o filme tb, mas gosto e to acostumada com a voz original do ator!
    parabéns pela resenha, pelo post... tudo lindo!
    Beijo

    ResponderExcluir
  16. Estou doida pra ler esse livro, curto muito Jane Austen, amo romance de época e essa resenha maravilhosa me deixou ainda mais ansiosa em conferi essa história.

    ResponderExcluir
  17. Oi, Patrícia! Li recentemente Orgulho e Preconceito e me apaixonei por Mr. Darcy. Adorei o filme também. E estou ansiosissima para ler o Diário de mr. Darcy!! Preciso deste livro urgentemente! ;) e ainda bem que a linguagem é contemporânea... porque a linguagem de Orgulho e Preconceito não é uma das minhas preferidas não!
    Bjs

    ResponderExcluir
  18. Olá!
    Começo dizendo que não sou desse mundo hehe, nunca li nada da Jane, mesmo já tendo ouvido falarem super bem dela, ainda não tive a oportunidade de ter seu livro em mãos.
    Orgulho e preconceito é o mais famoso mesmo, eu nunca tinha lido uma resenha dele ou algo sobre ele, apesar de ser apaixonada por livros do gênero. Bom, gostei do que li, é muito bom saber que os personagens tem suas falhas e que a autora deixou isso bem visível, nenhum dos dois é perfeito.
    Gosto de "mocinhos" arrogantes, tenho uma queda por eles, e sabendo que Elizabeth não deixa as coisas muito fáceis pra ele me deixou bem animada para ler.
    Espero conseguir no ano que está para chegar, já coloquei na minha lista.
    Bjs!

    ResponderExcluir
  19. Jane Austen é uma mulher versátil, à frente do seu tempo, com personagens e histórias que encantam qualquer leitor, uma trama envolvente, um romance profundo. Mr. Darcy é um dos mais queridos personagens para os românticos, e este livro baseado na escrita da autora é incrível. O Diário de Mr. Darcy é de uma singularidade incrível, mostrando-nos todos os pontos fortes do romance e de um clássico. AMO!

    ResponderExcluir
  20. Hello!
    Mr. Darcy’s Diary é um dos livros que eu acho que é obrigatório conhecer. Para quem ler Orgulho e Preconceito a sede de ter mais desse romance é grande e o diário veio em boa hora, mostrando o ponto de vista do Mr. Darcy.
    O romance criado por Jane Austen é mais do que clássico, que nunca cansamos de falar ne?! Eu particularmente amo!
    Ainda quero mto ler.
    Beijos

    ♥ Blog Livros e Sushi ♥
    https://livrosesushi.wordpress.com/

    ResponderExcluir
  21. Eu amo Orgulho e Preconceito, e eu já amo tudo relacionado ao livro! Até hoje gostei de todos os filmes, e todos os livros que fizeram baseados em Orgulho e Preconceito. Não conhecia esse livro ainda, mas já sei que vou amar ele também só por ser pelo pov do Mr. Darcy. Fiquei louca pra conhecer não só esse livro, mas toda essa coleção da autora =)
    Bjss.

    ResponderExcluir
  22. Te mete com a guria resenha mais que completa... e bem entrou para a fila de leituras :P
    beijos

    ResponderExcluir

Deixe seu Comentário!