[RESENHA] Driven - K. Bromberg - @univdoslivros

quarta-feira, 10 de fevereiro de 2016


Driven
K. Bomberg
Universo dos Livros

Sinopse: Rylee Thomas está acostumada a ter sempre o controle. Agora, porém, ela estará frente a frente com o único homem capaz de convencê-la a abrir mão desse privilégio... Em um mundo cheio de mulheres prontas a fazer qualquer coisa em nome do desejo, Rylee sempre foi exceção à regra. Assim, ela apareceu como um desafio na vida do belo Colton Donavan, um piloto profissional habituado a conseguir exatamente o que deseja. Colton é um bad boy impulsivo, sempre testando limites, uma bomba prestes a explodir. Rylee havia construído um mundo seguro, com disciplina e cuidado, longe de homens como ele. Colton não pode dar a segurança que Rylee precisa, e ela também se sente incapaz de satisfazer um homem tão intenso. Mas Colton balançará a vida de Rylee como uma tempestade: tirando-a do controle, testando sua vulnerabilidade e – sem qualquer intenção –atravessando a muralha que protege o coração abalado da garota. Após Rylee e Colton descobrirem que possuem em comum uma impressionante química sexual, será que os dois conseguirão superar a necessidade de controle para se entregarem a uma relação? E na colisão entre esses dois mundos tão distintos, será suficiente apenas a atração para uni-los? K. Bromberg é autora best-seller do The New York Times e do USA Today. Ela escreve romances bem atuais que misturam delicadeza com muita sensualidade. Bromberg gosta de criar heroínas fortes, além de seus heróis problemáticos – que nós amaremos odiar e odiaremos amar. Driven é o primeiro volume da série de mesmo nome. A Universo dos livros também publicará: - Fueled (volume 2) - Crashed (volume 3) - Raced (volume 4).




Pensem em um vício. Algo tão visceral que te consome até a última página.
Assim foi a minha leitura de Driven. Devorei mais de 400 páginas em apenas 2 dias.
Simplesmente não conseguia parar! E, quanto mais eu era cativada por Rylee e Colton, mais adentrava no mundo de excessos, luxúria e contradições dele, assim como na dor que ele causava nela, mais eu me irritava, brigava, xingava Colton F*cking Donavan e seus mecanismos idiotas e cruéis de auto-preservação. Mas também ao mesmo tempo não conseguia parar de ler nenhum minuto do meu tempo livre.


Eu respirava Driven, praticamente nem dormi até terminar a leitura, e quando terminei, eu estava com tanto ódio deste personagem, com tanta raiva da Rylee por se prestar a passar por tudo isso, mas pior ainda, com tanto raiva de mim por ter ficado neste estado, que parecia que eu tinha veneno nas veias de tanto ódio daquele final.
E o quê eu fiz em seguida para tentar expurgar este veneno de mim? Corri para ler Fueled (livro 2) e não parei até terminar, lendo mais de 500 páginas em menos de 24hs. Pensem em uma pessoa viciada, esta era eu em um surto de leitura por causa de K. Bromberg, que não parou até eu devorar o livro 3 e mais o POV do Colton.
 
Vou tentar não dar muitos spoilers dos próximos livros, mas já digo de antemão, é aquele 1% do contexto geral que te faz cair de amores por esta série e não a avaliação de cada livro em isolado! Então vamos ao que interessa:

Driven é o típico estereótipo do romance hot contemporâneo. Colton Donavan é o autêntico bad boy. Lindo, rico e extremamente arrogante, ele tem o mundo e as mulheres à seus pés. Num estalar de dedos ele tem quem ele quer, onde ele quer e fazendo o quê ele quiser.
Seu lema: prazer para enterrar a dor.

Claro que o nosso lindo tem mais bagagem que um boing 747 e a cada camada, temos mais dor e escuridão enterradas. Seus demônios dominam sua alma e o amor não é uma opção para este pobre menino perdido.

Então temos Rylee, a mocinha que foge do padrão das conquistas do nosso boymagia literário Colton. Morena (o padrão dele sempre foram as barbies loiras), cheia de curvas, completamente altruísta e com uma língua que não leva desaforo pra casa, ela é um grande desafio para o nosso Casa Nova das pistas.

E aí entramos naquele joguinho de atração avassaladora, amor instantâneo e negação. Muiiiiittttaaa negação. Enquanto Rylee é uma mocinha com sua própria carga de traumas, mesmo assim, ela é sincera, destemida e sobre tudo muito resiliente. E eu adorei ela!! Exatamente por isso é que demorei tanto para cair de amores por Colton, mesmo com todo o seu sexappeal, o cara mesmo sendo um touro na cama (e olha que ele entende do riscado e as cenas de sexo são simplesmente UAU!!!), ele é simplesmente um escroto na maior parte do tempo.

Não tem como não comparar a personalidade de Colton com o pior de Grey e Cross juntos! Claro que com a evolução da série nosso menino vai se distanciando destes outros dois personagens e é exatamente por isso que aguentamos a leitura até o final...e digo à vocês....é lá na linha de chegada que realmente tudo vai valer a pena.

K. Bomberg está de parabéns! Conseguiu criar personagens tão complexos que fica impossível não adentrarmos na trama de tal forma que chega um momento em que não conseguimos mais nos separar das emoções conturbadas que experimentamos em cada página de Driven.

Este primeiro livro é narrado em primeira pessoa apenas pelo ponto de vista de Rylee e justamente por isso as leitoras (assim como eu) acabam tomando todas as dores dela, e olha que são um catatau delas!
Terminei de ler este livro tão irritada, que juro que se Colton se materializasse na minha frente, eu iria arrancar aqueles belos olhos verdes dele a unha!!
As atitudes dele além de egoístas em muitos momentos foram humilhantes e abusivas. Nunca na minha vida aceitaria passar por 1/3 do que Rylee aturou deste traste.

Driven é um livro muito polêmico! Com uma capa linda e muitas cenas sedutoras e românticas, cativa na mesma intensidade em que oprime e revolta o leitor. Meu guilty pleasure, que me dominou, corroeu como um vício e se apoderou do meu sistema nervoso como um fogo pulsando após a ingestão do pior veneno aliado com a droga mais poderosa.
Como já disse antes: queria gritar, xingar, jogar o livro pela janela em alguns momentos de tanta raiva de tudo, das situações, mas principalmente do Colton por fazer o que ele fez com a Rylee.
E, embora o livro tenha diversas falhas, o ponto é que:  a autora consegue te capturar em uma armadilha tão poderosa, que fica impossível escapar de Driven.


Desligo minha mente e me permito apenas sentir e me deleitar com as sensações que ele evoca dentro de mim. Ele é meu fogo numa noite fria, o sol que aquece minha pele numa manhã de primavera, o vento que acaricia meu rosto numa tarde de outono. Ele representa tudo que me faz sentir viva, completa, bonita...
E desejada.

A Universo dos Livros foi muito feliz com esta bela capa. Alguns erros ainda passaram pela revisão, mas Driven com certeza é um livro marcante e irresistível. Vale a pena a leitura da série como um todo e eu não vejo a hora de ter todos os volumes em português.

Teremos 4 livros focados em Rylee e Colton, isso contando o POV dele e tomara que a UDL também publique os 3 outros volumes focados em casais diferentes mas que fazem parte da vida deles também.

COMPRE AGORA!!


http://www.amazon.com.br/Driven-K-Bromberg/dp/8579309476/ref=sr_1_1?ie=UTF8&qid=1455150822&sr=8-1&keywords=driven



Confira as capas originais:



3 comentários

  1. Uau Scheila!!!
    O que dizer dessa resenha?!
    Agora preciso ler esses livros o mais rápido possível... O que exatamente isso diz sobre mim? Devo ser masoquista só pode, rsrrs.
    Adoro livros que me fazem sentir essa gama de sentimentos.
    Bela resenha realmente. Me instigou bastante a ler a serie.
    Abraços!

    ResponderExcluir
  2. Nossa !
    Adorei a resenha e não esperava tanto do livro mas parece que ele nos trás uma mistura de sentimentos, já pela resenha estou vendo que não vou gostar do Colton, mas pela historia ser tão envolvente preciso ler ele a resenha me deixou muito curiosa !!

    ResponderExcluir
  3. Que isso hein... hahaha devorou o livro... kkkkk
    Mas sei como é, já fiquei assim com alguns livros tbm, e adoro quando isso acontece, só o ruim que acaba rápido.... hahaha
    Mas em relação a esse livro, eu não curto esses romances hot, eu tenho ate que pegar alguns pra tentar dar uma chance, mas os poucos que tenho aqui nao senti vontade de ler ...rsrs
    Mas esse Driven pelo menos a capa é diferente das capas dos livros desse gênero... hahaha

    ResponderExcluir

Deixe seu Comentário!