[RESENHA] Eu, você e a garota que vai morrer – Jesse Andrews – Fabrica 231

sexta-feira, 26 de fevereiro de 2016

“Então há uma chance de pensarem: ‘Sensacional! Vai ser uma história sábia e perspicaz sobre amar, morrer e crescer. Provavelmente vai me fazer chorar literalmente o tempo todo. Já estou muito empolgado! ’ Se essa é uma representação fiel dos seus pensamentos, talvez vocês devessem jogar este livro na lixeira e, então sair correndo.”

Greg é um estudante comum, com um melhor amigo Earl não tão comum (com uma família imensa e de viciados), que entra no ultimo ano de escola. Seu objetivo de vida era ficar de fora dos grandes grupos escolares (esportistas, rockeiros, maconheiros, e os diversos grupos que compõe o ambiente escolar). Nunca chamou muita atenção e sempre se deu bem com todos. Objetivo quase concluído com sucesso. Quase.

Esse anonimato acaba quando sua mãe o obriga, mas obriga mesmo, a virar amigo de Rachel, uma antiga menina apaixonada por ele que descobriu estar com câncer. Meio forçando a barra da menina magoada, Greg acaba se tornando amigo de Rachel. A partir daí o anonimato acaba. Afinal, Greg agora faz parte de um grupo! O grupo de Rachel, a menina com câncer.

No momento em que as piadas idiotas e sem sal de Greg param de fazer Rachel sorrir, ele percebe que precisa mudar sua tática de animar a amiga. Então Maddison, a amiga bonita de Rachel, sugere que Greg e Earl façam um filme dedicado especialmente à menina. Afinal, os dois já produziram dezenas de filmes, e Rachel é a única que já os assistiu (e que ama as produções). Mas criar um filme para ela nunca foi tão, hmmm.... difícil.

Só que antes de morrer, Rachel pede um único favor a Greg. Será que ele vai cumprir o acordo?

Além da história Greg-Earl-Rachel, ficamos sabendo do passado do protagonista. Seus amores antigos, seus filmes fracassados, a amizade com Earl, e até histórias inusitadas que poderiam acontecer com qualquer um.



“A razão disso era que animar a Rachel era uma das coisa na qual me tornara bom, e quando você é bom em alguma coisa, quer fazer isso sempre porque faz você se sentir bem. Então se eu queria ficar com a Rachel era por razões egoístas. ” 
Sem frases fofas. Sem romance. Sem uma incrível história. Eu me decepcionei um pouco com a leitura... Durante todo livro, mas todo mesmo, o personagem principal, Greg, fala que o livro é uma porcaria, que ninguém deveria ler, que o livro isso e aquilo. E isso me encheu o saco! Sério! Deu raiva essa constante insistência de que o livro era uma m*. Tanto fez que eu realmente não gostei dele. Não, eu não odiei. Mas eu não curti. Se tirasse todo o mimimi... livro ruim... mimimi... ele ficaria bom. De verdade. Afinal, a história base não é ruim.

De todos os personagens, o melhor foi o Earl. Ele se mostrou um bom amigo em relação a Rachel, e embora ele tenha muitos problemas familiares e com drogas na história, se mostrou o cara com a cabeça mais no lugar. Era ele que alertava ao Greg as besteiras que ele fazia. E era ele que falava sério quando precisava – mas só quando precisava, pois quando não precisava de lição de moral, ele só falava porcaria.

Rachel é aquela menina frágil, que não quer lutar pela vida. Ela sabe que vai morrer e aceita isso. E ela ri de todas, todas, a piadas bestas de Greg. E Greg é um menino gordinho comum, que tenta agradar a todos com piadas. Esse é o único jeito que ele tem de conquistar os outros. E ele definitivamente não sabe desenvolver conversar decentes – suas respostas normalmente são “ham” “hum” “ok”.

O fato de Greg acabar aceitando ser amigo de Rachel, e passar a entender que é importante fazer ela feliz nos seus últimos dias de vida, foi fofo. E deveria ter sido mais explorado. Mesmo sem tem romance, a amizade dos dois poderia ter sido o tema central.

Assim, o livro não me agradou. Mas não significa que não vá agradar outras pessoas. Acho que ele pode merecer uma chance de ser lido, claro, toda leitura é válida. E para quem já leu, ou vai ler, me conta depois o que achou!  





Não Surpreende



* Esse livro foi escolhido como leitura do mês por um grupo de blogueiros daqui do Sul, meus queridos amigos, da qual faço parte. Foi nossa primeira tentativa de um clube de leitura. E nós falhamos! Haha! Infelizmente, nem todos conseguiram ler o livro a tempo do encontro mensal. Mas a próxima leitura vai dar certo! Aguardem a resenha do próximo mês!
 
Quem faz parte do grupo?


Me acompanhe nas redes sociais: facebook | instagram | skoob | twitter | Küsse leute :)

6 comentários

  1. Ganhei esse livro e estava bastante interessada em lê-lo pela sinopse, porem agora depois de ver essa resenha fiquei meio desanimada em conferi essa história.

    ResponderExcluir
  2. Nossa Ellen! Que pena não ter sido uma boa leitura.
    A princípio acreditei que seria meio parecido com A Culpa é das Estrelas por se tratar de uma menina com câncer e tals. Mas pelo visto me enganei.
    Também não gosto de mimimi nos personagens, acho totalmente desnecessário.
    Certamente não é um livro que me agrada, ainda mais sendo uma romancista incurável, mas pela sua resenha esse livro não tem nem isso. Acho que um romance mesmo que em segundo plano, dá um algo a mais na leitura. Sendo assim não é um livro que pretendo ler.
    Abraço!

    ResponderExcluir
  3. Não sabia que esse livro era nesse estilo, um personagem com cancer, uma pena que a leitura não surpreendeu, pq geralmente um tema assim costuma emocionar muito e trazer sempre uma mensagem bonita.

    ResponderExcluir
  4. Mentira que o livro não é tudo isso, eu estava pensando mil e umas maravilhas sobre ele, que pena, mas a capa é bem bonitinha vamos combinar.

    ResponderExcluir
  5. Oi!
    Já tinha visto esse livro antes e ele não tinha me interessada muito e lendo a resenha realmente não foi um livro que gostei e boa sorte com o clube do livro queria muito fazer um também !!

    ResponderExcluir
  6. Vi tanta coisa ruim dele e nem estava com vontade de ler, agora então....
    É, não sei se iria gostar também. É uma história que parece decepcionar :S

    ResponderExcluir

Deixe seu Comentário!