[CINEMA] ZOOM - Estréia 31/03/2016

terça-feira, 29 de março de 2016

Direção: Pedro Morelli
Elenco: 
Gael García Bernal, Alison Pill, Mariana Ximenes, Don McKellar, Tyler Labine, Jennifer Irwin e Jason Priestley
Duração: 96 min

Sinopse: Esta é a história de três artistas: Edward (Gael García Bernal), vaidoso diretor de cinema que precisa refilmar o final de um longa contra sua vontade e de repente começa a ter problemas sexuais. Michelle (Mariana Ximenes), modelo brasileira que deixa namorado e carreira nos Estados Unidos para voltar ao seu país e escrever um livro. E Emma (Alison Pill), que, desesperada para retirar seus implantes de silicone, recorre a meios duvidosos para ganhar um dinheiro extra. 






 Zoom é uma comédia contemporânea de múltiplos enredos de ritmo acelerado, inspirada em arte pop. O filme consiste em três histórias aparentemente separadas, mas por fim ligadas, sobre uma artista de quadrinhos, uma romancista e um diretor cinematográfico. Cada um dos personagens vive em um mundo à parte, mas escreve histórias sobre as vidas uns dos outros.


Com um elenco relativamente de peso, Zoom nos tráz Gael Garcia Bernal (Diários de Motocicletas), Mariana Ximenes (atriz das novelas da Globo), Claudia Ohana (dispensa apresentações né?), Jason Priestley (Barrados no Baile e não, ele não está tão acabadasso assim, não!) e Alison Pill (vocês devem lembrar dela como a baterista da banda do Scott Pilgrin, mas ela está fazendo um trabalho fantástico no seriado The Family da Sony) dentre outros completamente não desconhecidos que também pipocam pelo filme nesta trama onde o expectador fica literalmente preso entre as histórias cruzadas de uma forma tão vanguardista.


Zoom começa super promissor, onde você até dá algumas meias risadas de algumas situações muito insólitas entre o núcleo de atores que trabalha em uma fábrica de bonecas infláveis/quase humanas....pena que isso foi muito pouco e somente no início mesmo.

Mesmo que de forma muito mais criativa, achei a fórmula meio parecida com a do filme “Mais estranho que a Ficção” com Will Ferrew e Emma Tompson, Zoom começa a mesclar uma trama passada com Emma que trabalha na fábrica de bonecas e não está satisfeita com seu corpo, pois quer ser vista como mulherão e não como a garota legal. Assim como com Michelle (Mariana Ximenes) que é modelo e sai dos EUA de volta para o Brasil para fugir do estereótipo de ser apenas um rostinho com corpão para poder escrever seu livro. Paralelo a isso, temos Ed (Gael Garcia Bernal) que foi desenhado por Emma como seu homem perfeito e na verdade vive em uma HQ escrita por ela, ao mesmo tempo que é um diretor “badass” em Hollywood e está dirigindo o filme onde se passa a vida de Michele, enquanto a mesma tenta escrever seu livro e se encontrar.


Zoom, são 3 histórias muito doidas, e embora se relacionem, passam a impressão de serem totalmente desconexas se passando uma dentro da outra e vice versa. Deixando o expectador um pouco perdido, pois nada faz muito sentido e vários fatos ficam completamente soltos ou se demonstram desnecessários.
Embora a estrutura seja completamente criativa, o elenco seja muito bom e a proposta de Zoom desafiadora e inclusive premiada, para o expectador leigo, o filme acaba não se tornando muito atrativo. 


Não há nenhum fechamento de ciclo na trama e o filme acaba exatamente como começou, visto que inicialmente achamos que cada um dos protagonistas é motivado conforme a estrutura que já citei, mas na verdade tudo vai se perdendo ao longo do filme e acabam completamente descaracterizados.

O segmento contado através dos "storyboards" que é basicamente onde Gael Garcia Bernal atua ficou muito bom, com qualidade na narrativa e nos recursos audio-visuais, mas infelizmente isso não é o suficiente para fazer o longa cair no gosto popular.

Adoro filmes complexos, com tramas desconexas onde ligar os pontos é uma tarefa demorada, mas extremamente prazerosa pelo desafio de encontrar o sentido no final (ou seja, adoro filmes malucos e conceituais). Mas, com Zoom não consegui me conectar com nada que vi na tela, a não ser com a trilha sonora, que, diga-se de passagem, está muito boa.

A produção do filme foi muito bem feita. E com uma proposta tão inovadora destas, filmar em apenas 26 dias, alternando entre locações no Canadá e no Brasil, temos que reconhecer que a equipe técnica se superou.
Tanto os efeitos, como as locações não deixaram nada a desejar, mas tendo Fernando Meirelles como produtor executivo, eu esperava um pouco mais deste filme.

Confira curiosidades sobre a trilha de Zoom:


David Bowie - Pedro Morelli enviou à equipe de David Bowie um pedido formal de cessão de direitos para a canção “Oh, You Pretty Things” para encerrar com ela o filme. Não havia resposta e o diretor achou que nada aconteceria, já que o astro era muito ocupado - e dali a dias viria a falecer. Mas pouco após sua morte, a equipe do cantor enviou um comunicado a Pedro, dizendo que Bowie assistiu ao filme, gostou muito e cedeu a canção. Para Pedro “essa foi a melhor coisa que o filme me trouxe até agora, uma emoção enorme saber que um dos meus ídolos viu meu filme - e gostou”.

 


7 comentários

  1. O Fernando meirelles tem algum envolvimento com esse filme neh ? Via Jout Jout falando dele ... achei meio bizarro até pra mim que gosto de filmes doidos ...mas sera que essa falta de empatia do publico para com os personagens não é intencional?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Karina, os personagens até que convencem, o problema é o enredo mesmo que deixa a gente mais perdido do que cego em tiroteio o tempo todo.

      Excluir
  2. Oi Scheila, sinceramente esse filme eu não vou assistir não me chamou a atenção bjs.

    ResponderExcluir
  3. Ai...sabe quando você lê a premissa de algo e fala "que legal, quero!!!!", dai lê uma resenha e fica dividida porque as pessoas não tão achando tão legal assim? rs
    É exatamente como me sinto em relação ao ZOOM. Acho que vou acabar vendo para tirar minhas próprias conclusões (e tempo com o Gael Garcia Bernal nunca é mal gasto), mas vários pontos que você trouxe são coisas que já antecipo que me irritarão rs...Vejamos!

    Show de resenha, aliás :]

    Beijos,
    Valeska

    ResponderExcluir
  4. O filme é bem curioso mais não sei se vou assisti, achei um pouco confusa essas histórias paralelas, mas não me decidi ainda.... talvez eu peça opinião de um amigo que já assistiu.

    ResponderExcluir
  5. Não sou muito fã de cinema, não tenho muita paciência pra ficar assistindo filme, mas este parece ser muito bom.

    ResponderExcluir
  6. Tempos que nao vou ao cinema, diferente do ano passado que ia toda semana e as vezes ate mais de uma vez semana(saudade) hahahahahah
    eu ainda nao vi nem Batman X Superman, Deadpool vi em casa mesmo... hahahaha
    Mas uma comédia é sempre bom né, gosto muito de comedias, tem uma que saiu com uma atriz gordinha loira que amo aquela atriz, ainda nem vi o filme tb :(
    Mas esse Zoom nem tinha ouvido falar do filme, gostei da sua resenha do filme, acho que vou ver, em casa mesmo, procurar ele na net mais pra frente ... rsrs

    ResponderExcluir

Deixe seu Comentário!