[RESENHA] Apenas um dia – Gayle Forman – @Novo_Conceito

sábado, 5 de março de 2016

“Mais um dia. Isso é tudo o que estou pedindo. Apenas mais um dia. Não consigo pensar além disso. Além das coisas que são complicadas. Voos atrasam. Pais enlouquecem. Apenas mais um dia. Mais um dia em que eu possa vir sem me preocupar muito, sem chatear ninguém exceto Melanie. Que compreenderá. Um dia”

Durante a viagem de formatura de uma turma de adolescentes à Europa, onde todos se divertem, Allyson parece ser a única que não está aproveitando. Ela não vai as festas, não bebe e não se sente feliz (como ela achou que se sentiria).

Sua melhor amiga, Melanie, resolveu aproveitar para mudar e se tornar alguém novo e convenceu Allyson do mesmo. Então, assim que chegaram à Europa, Allyson contou os longos cabelos, deixando-os bem curtinhos. Mas isso não fez com que ela mudasse... ela continuou a mesma menina de sempre, sossegada, que não se arriscava, não quebrava regras e principalmente: não se aventurava. Ou seja, uma vidinha bem pacata.

Até que um dia a garota quebra sua primeira regra, só no último dia de viagem: ela mente para a guia de turismo da turma e foge de assistir de Shakespeare, para poder ir com a amiga a uma peça de rua do grupo Will Guerrilheiro. Lá, ela se encanta com Willem, um dos atores. Apesar de Willem claramente paquerar a Allyson, ela resiste e volta ao hotel sem falar com ele. Afinal, ela já se aventurou muito para um dia só, né?

No dia seguinte ela e Melanie vão de trem para Londres para estender por mais alguns dias suas férias. É então que, nesse trem, Allyson encontra Willem. Ou Willem encontra Allyson. Os dois começam a conversar e Willem a chama de Lulu, e diz não querer saber o real nome dela (vish!).

Pensando na vida monótona e sem aventuras, Allyson agora Lulu, num impulso, aceita ir com Willem - o recém conhecido charmoso holândes ator de rua - para Paris, conhecer a cidade encantada dos macarons e viver um dia mágico.

Lulu parece viver um sonho. Até que Willem simplesmente desaparece. Levando consigo sua mochila e seus pertences, deixando-a sozinha em uma cidade que ela desconhece.

Junto com a partida de Willem, Lulu também desaparece e volta a ser a simples Allyson. Por um longo tempo a garota se sente culpada, sem saber o que aconteceu com Willem (será que ele morreu? Ou foi sequestrado? Ou só a abandonou mesmo?). Até que ela resolve ir atrás dele e ter as respostas que tanto pergunta. Depois de um longo ano, Allyson retorna a Paris para encontrar o holandês desaparecido.

Mas, como achar uma pessoa que ela só sabe o primeiro nome, a nacionalidade, a altura e o peso? E que aliás, ainda mexe muito com seu coração? Será que é possível?

“ – Isso apenas faz de mim uma mentirosa.
– Não, não faz. Está apenas testando identidades diferentes, como todos aqueles nas peças de Shakespeare. E as pessoas que fingimos ser já estão dentro de nós. É por isso que fingimos ser essas pessoas, para começar.”
Eu achava, na minha mente inocente, que a história se passaria em apenas um dia. Mas a história se passa em um ano inteiro. Ela gira, sim, em torno daquele um dia que Lulu passou com Willem, mas vai além disso (YAY!). Logo que Allyson retorna para casa ela já inicia o semestre na faculdade, mas isso não a ajuda a esquecer Willem. Aliás, seu primeiro semestre é desastroso. Então, a partir do segundo ela começa a se reerguer. Ela conhece Dee na aula de Shakespeare e os dois se tornam bons amigos, e é ele quem a apoia na viagem.

E falando em Shakespeare... tem muito dele no livro! A peça que ela ia assistir no último dia da viagem? As peças que Will Guerrilheiro encenavam? A aula na faculdade? Tudo Shakespeare! Muitas cenas das peças dele aparecem no livro, e isso tornou a obra bem Shakespeariana, bem fofa.

E bem, eu nunca faria o que ela fez. Ir para um país desconhecido com um desconhecido? (gato, lindo, perfeito?) Eu não conseguiria. Sentiria medo. Medo que a Allyson sentiu e conseguiu passar muito bem ao leitor.

Foi tudo muito bem explorado, os personagens bem construídos e as paisagens de tirar o fôlego. Mas confesso: eu não gostei muito da Allyson. Achei ela meio bléh. Mas mesmo assim, amei a história de busca dela! De amadurecimento, de enfrentamento e de amor.

E gente, quando cheguei no final, fiquei enlouquecida precisando ler o livro dois! Aquele final... socorro!!! Deixou muito curiosa para ler a sequência, que é contada pelo Willem!

No fim, é um livro fofo, leve e envolvente. A gente entra na busca de Allyson e precisa muito descobrir o que houve com o Willem, porq ele sumiu e quem ele é (eu criei várias alternativas loucas sobre quem ele era, inclusive cheguei a achar que ele era alguém famoso se escondendo da fama, enfim). A gente sofre com ela e a gente a reprende várias vezes. Vale a pena? Claro que vale!!!



“– Você não pode ir a Paris em busca de respostas.Tem que ir a Paris em busca de perguntas, ou no mínimo, de macarons.”
“Nascemos em um dia. Morremos em um dia. Podemos mudar em um dia. E podemos nos apaixonar em um dia. Qualquer coisa pode acontecer em apenas um dia.”
  
 
Ótimo!

Esta postagem é válida para o TOP Comentarista de Março!!!

Me acompanhe nas redes sociais: facebook | instagram | skoob | twitter | Küsse leute :)


7 comentários

  1. Estou doida pra ler esse livro, curto muito a escrita dessa autora, parece ser bem emocionante e cada resenha que leio dele me deixa ainda mais curiosa em conferi essa história.

    ResponderExcluir
  2. Ganhei esse livro essa semana <3 ...depois da resenha já vai furar fila e entrar nas próximas leituras ...fiquei ansiosa !

    ResponderExcluir
  3. Oi Ellen, lendo a sinopse o livro parece ser totalmente diferente, mas lendo a sua resenha a historia do livro me conquistou, o livro aprece ser incrivel, e eu concordo com você eu nunca faria isso que ela fez ir para outro país com um desconhecido mesmo ele sendo gato kkkkkk, já coloquei ele na minha lista de leitura obrigada pela dica bjs.

    ResponderExcluir
  4. Admirada por saber que Apenas um dia é um livro bem diferente dos que a autora escreve que em grande maioria são bem dramáticos. gostei da resenha e fiquei curiosa para saber sobre esse final.

    ResponderExcluir
  5. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  6. Infelizmente a história não me chamou a atenção, não é o tipo de livro que gosto de ler.

    ResponderExcluir
  7. Gente, fiquei muita curiosa em relação a esse livro. Também pensava que a história se passava durante um dia, mas não :o, estou meio chocada. Mas adorei a premissa e já vou anotar na listinha. Amo livro que tem relação com Shakespeare, pois de uma forma ou de outra, eu sempre me encanto, prova disso são os livros Meu Romeu e julieta, este última da Anne fortier (Aproveito e deixo a sugestão pra voc~e ler :p). Adorei a resenha, beijo *-*

    ResponderExcluir

Deixe seu Comentário!