[RESENHA] A FUGA - BARBARA DELINSKI

sábado, 7 de maio de 2016


Título Original: Escape
Tradutor: Carolina Simmer
Gênero: romance estrangeiro
Páginas: 336
Formato: 16 x 23 x 1,8 cm
Editora: Bertrand Brasil
Preço: R$ 39,90
EAN: 9788528619188

Sinopse: Um romance poderoso da autora best-seller do New York Times

Emily Aulenbach, 32 anos, advogada, casada, vive e trabalha em Manhattan. Idealista, sonhava em representar vítimas de abuso corporativo. Hoje, no entanto, ela gasta seus dias em um cubículo, e as suas maiores ligações na vida são com seu computador, seu BlackBerry e seu relógio. Em uma ação impulsiva, Emily um dia sai mais cedo do trabalho, vai para casa, faz as malas e vai embora. Buscando às cegas o futuro e, de forma pouco característica, seguindo mais seus instintos do que o próprio cérebro, ela parte para o norte, em direção a uma cidadezinha nas montanhas em New Hampshire, que conheceu nos tempos de faculdade. Se tivesse de marcar os pontos de virada em sua vida, esse seria o local exato onde fez a primeira curva na direção errada. Mas, por mais doloroso que seja esse retorno, Emily sabe que, se quiser botar sua vida nos eixos, precisa começar por ali.

Resenha...
Sabe aquele momento que você depara com a monotonia da tua vida??!?!? Ou melhor, que tem algo errado com ela???? Tudo que você planejou ou até idealizou saiu um pouco fora contexto, ou por necessidades ou situações que direcionaram você aceitar sua situação atual... Mas até um belo dia você questiona tudo que anda acontecendo, e ao mesmo tempo não sabe o que irá fazer para mudar... nessa encruzilhada se encontra, Emily Aulenbach, a protagonista do livro A Fuga da autora Barbara Delinsky.



A advogada Emily trabalhava em um grande escritório em Nova York, porém prejudicando o que ela idealizou a defender. No caso atual era de uma empresa de águas engarrafadas que estavam contaminadas prejudicando a saúde de várias pessoas, e Emily era advogada de defesa dessa empresa, e devido um desses telefonemas de conciliação com uma vítima, ela nota que toda a vida dela era sufocante, então decidi abandonar tudo, inclusive o marido e pegar a estrada sem rumo...


Até que ela irá parar na cidade na qual 10 anos atrás, enquanto era uma estudante, sentiu livro pela primeira vez, e também encontrou um primeiro amor, onde vivia sua melhor amiga, onde conseguiu respirar depois de algum tempo.

Na cidadezinha Bell Valley, se reconciliou com sua Vicki Bell, que depois que foi embora da cidade, nunca mais quis contato com ninguém, talvez até porque Vicki era irmã de Jude, o cara na qual Emily se apaixonou, porém foi traída, e ficou totalmente arrasada...


Apesar de ter fugido de tudo, Emily amava o marido, James. O homem na qual tinha uma casamento de 7 anos, e sempre foram felizes, mas o trabalho de ambos, já que ele também era advogado e trabalhava numa firma igualmente sufocante igual a dela. Emily sentia falta das conversas e do tempo que eles passavam juntos, porém atualmente eles estavam sempre concentrados no trabalho, pagar a hipoteca da casa, irem em jantares das suas respectivas firmas, e amigos ocasionais. 


E Emily também tinha outro desafio enfrentar a família, principalmente o pai que não entendia essa atitude dela, e também tentar convencer o marido que sua fuga para cidadezinha do interior, não era para encontrar o antigo amor, e sim reencontrar-se e também reencontrar o seu casamento, porque não somente Emily idealizada usar sua profissão para o beneficio dos outros, James na época da faculdade também tinha os mesmos ideias, mas a necessidade e a responsabilidade o fez mudar de foco.



Outro confronto do seu passado e rever Jude, que também depois de 10 anos longe de Bell Valley volta no mesmo momento em que ela chega a cidade, e as intenções dele são reatar o seu antigo relacionamento, já que ele também está passando por um processo de mudança, e gostaria de consertar os erros do passado principalmente com Emily.



E nesse meio tempo, Emily conhece Lee, a cozinheira da Pousada da sua amiga Vicki. Lee vive sendo ameaçada pela família do ex-marido que faleceu um tempo atrás, devido a divisão de um fundo fiduciário, porém o dinheiro talvez esteja sendo desviado por um dos irmãos do ex-marido, e talvez caso ela exigisse os seus direitos poderia descobrir a contravenção. 



Emily se solidariza pela situação de Lee, e resolve ajudá-la, e pede a colaboração de James, talvez esse caso, consiga direcionar a vida do casal ao seu ponto essencial, e apagar qualquer fantasma do passado que possa prejudicar a relação. Mesmo que a solução do caso pode ser perigosa para o casal.


Concluindo...
A Fuga é um daqueles livros da autora com uma narrativa bastante lenta, posso dizer que a leitura começa a ficar interessante a partir da página 60, porém com personagens com situações muito reais e cotidianas e isso realmente tornou o livro interessante.

Toda essa loucura da vida de hoje, o excesso da comunicação por meios eletrônicos, o excesso de obrigação do dia a dia, acaba colocando as relação entre pessoas e os momentos de lazer em segundo plano, e isso tudo motivou as decisões de Emily.

A Fuga é um livro que indico para fãs da autora, ou para leitores, que gostam de temáticas cotidianas, com um pouco de romance e nuances de policial investigativo, mas principalmente te faz pensar... o que estamos fazendo da nossas vidas, se talvez não devemos reorganizá-las para nos conceder alguns momentos longe do cotidiano estressante.

15 comentários

  1. Monotonia na vida , sem saber o que fazer .....genteeee esses livros ultimamenteestão falando muito da minha vida ...quero logo a parte de ficar rica e que o Henry Cavil se apaixone por mim [ainda bem que sonhar não paga]

    Bertrand amor vamos fazer umas promoções ai nesses valores , pq a wishlist é grande e o dinheiro é pouco!

    Amei a resenha ( não conheço a autora , mas adoro temas cotidianos que me fazem pensar), bjos!

    ResponderExcluir
  2. Eu não conhecia esse livro, e gostei bastante da capa dele. Mas confesso que não tive muito interesse pelo livro. Não sou muito fã de livros com temáticas cotidianas, e não acho que eu iriam gostar desse livro :/

    Beijos!

    ResponderExcluir
  3. Achei interessante exatamente por explorar momentos de monotonia, falar do cotidiano como falou e etc. O livro é bem real por esse lado, achei interessante. Mas fiquei com medo de achar ele chato. Não sei, a ideia é boa, mas e se for pacato demais? Ainda não vou ler, acho que vou deixar ele mais pra frente e pegar em outro momento.

    ResponderExcluir
  4. Gente, eu jurava que esse livro era um thriller, principalmente por causa do título, e pelo visto eu errei feio.
    Achei o livro interessante, principalmente por explorar essa lado da nossa vida mais monótona e por abordar essa busca pela mudança. Apesar de eu ter achado o livro com uma proposta interessante, não sei se eu o leria, já que justamente por se tratar desses temas, temo que a leitura se torne um pouco cansativa pra mim. Mas de qualquer forma já adicionei na lista e talvez eu o leia mais lá pela frente. Beijo!

    ResponderExcluir
  5. Barbara Delinsky é uma autora incrível, sabe construir ótimas histórias tanto no formato banca quanto no livraria, mas meio que fui surpreendida com essa história narrada em primeira pessoa. Já li varias histórias, mas todas narradas em terceira pessoa.
    Monotonia, rotina, bem-vinda ao meu mundo, mas não acho que a melhor opção seja fugir, como dá a entender que foi o que a personagem fez, deixando marido e responsabilidades.

    ResponderExcluir
  6. Oi!
    Quando vi esse livro no lançamentos ele logo me chamou atenção e lendo a resenha acabei me surpreendendo positivamente, pois imaginava uma historia totalmente diferente, mas gostei dessa forma que a personagem usa para tentar se encontrar e principalmente por não ser um livro tão dramático e fiquei interessada nesse caso que a Emily e o James acaba participando !!

    ResponderExcluir
  7. Não conhecia a autora ou o livro,vendo a resenha os elementos abordados chamaram minha atenção,parece reflexivo e com um toque de investigação policial,gostei!

    ResponderExcluir
  8. Que livro lindo, não esperava que seria um romance, parece um livro cheio de ensinamentos de alguém procurando o sentido de viver, amei as quotes, a decisão da personagem é bem ''instigante'' mas ao longo do livro parece que entendemos seus motivos, amo livros que mostrem a realidade, não apenas de pessoas que são ricas mas de todos, de maneira sincera, uma pessoa que tenta enfrentar seu passado e esquecer seus problemas, amei a premissa do livro e desejo conhecer o trabalho da autora

    ResponderExcluir
  9. Adorei a premissa e o caminho que a autora parece ter dado para o livro. Eu às vezes me pego pensando não em fugir, mas na vida acelerada e corrida que a gente leva a maior parte do tempo. Lendo sua resenha me veio à cabeça uma música do Lenine que eu amo e meu trecho preferido é: "Enquanto o tempo acelera e pede pressa, eu me recuso faço hora vou na valsa. A vida tão rara".

    ResponderExcluir
  10. O livro é completamente diferente do que eu imaginava. Contudo, não é um diferente ruim. Gostei da premissa e gostei da mensagem que a obra parece passar. Acredito que essa fuga não seja algo ruim; talvez todos devamos fugir vez ou outra.

    ResponderExcluir
  11. Eu estava com um grande interesse nesta leitura, inclusive está na minha lista no Skoob. Confesso que pensei em uma trama totalmente policial e cheia de mistérios para o livro em questão, mas me surpreendi positivamente. A Fuga apresenta uma trama reflexiva que aparenta ser ótima, estou na dúvida devido a lenta narrativa, mas gostei da proposta ainda mais.

    ResponderExcluir
  12. Não conhecia nem a autora e nem o livro. Parece ser um livro com uma temática bem interessante e mais realista, mas esse tipo de tema não é um dos meus preferidos e também não chamou muito a minha atenção.

    ResponderExcluir
  13. Oi, Patrícia!
    Certo, a protagonista estava insatisfeita com a vida, entendo isso, mas essa atitude de fugir e deixar o marido de uma hora pra outra é algo bastante negativo pra mim, e confesso que a primeira vez que li a sinopse de A fuga pensei que se tratava de um suspense policial, mas lendo sua resenha pelo visto me enganei, e sinceramente, sabendo mais um pouco da história o pouco interesse que senti quando vi o lançamento desse livro não existi mais, acredito que esse livro não é pra mim.
    Abraços!

    ResponderExcluir
  14. Não conhecia o livro e não curti o fato de que a narrativa é lenta, pois nunca consigo terminar de ler quando a história possui essa característica.
    Porém, gostei que a história faz o leitor pensar, e ao mesmo tempo, possui uma personagem que me despertou muita curiosidade.

    ResponderExcluir
  15. OLá, Patricia!

    Gostei da premissa do livro, mesmo ele se mostrando um pouco lento no começo. Porém nunca li nada desta autora...Seria este livro um bom começo?

    beijo

    ResponderExcluir

Deixe seu Comentário!