[RESENHA] O AMOR NOS TEMPOS DO OURO - MARINA CARVALHO

quinta-feira, 30 de junho de 2016



Páginas: 328 
Data de lançamento: 12/04/2016 
ISBN: 9788525062055 
Preço: R$ 29,90

Sinopse: Ambientado no século XVIII, o novo livro da mineira Marina Carvalho é uma história de amor ousada e tocante que se passa durante o período colonial no Brasil, resultado de meses de pesquisa por parte da autora, que se declara fã de História.

Cécile Lavigne é uma jovem que nasceu em uma família de nobres, filha de uma portuguesa de Coimbra, pertencente à Casa de Bragança, e de Antoine Lavigne, aristocrata francês de mente liberal e dono de uma riqueza imensurável. Após um acidente, a garota perde os pais e os dois irmãos e, antes de completar 20 anos, é enviada ao Brasil pelo único parente que lhe restou, o ambicioso tio Euzébio, para casar-se com um latifundiário de Minas Gerais.

Depois de desembarcar no Rio de Janeiro, Cécile sente-se angustiada pela falta da família e teme o futuro que terá ao lado de um homem que tem idade para ser seu pai e é conhecido por suas crueldades com seus escravos. Porém, o trajeto entre o Rio e Minas promete mudar o destino da garota: o explorador Fernão, contratado pelo seu futuro marido para acompanhá-la na viagem, despertará nela sentimentos de aversão e de desejo. Enquanto aguarda o temido casamento arranjado, Cécile vai descobrir os encantos e perigos que existem na nova terra e os sentimentos mais nobres que vivem dentro de si.

Se a resenha anterior era da minha autora favorita, a resenha de hoje é do meu gênero favorito, romance histórico (ou época).


Antes de começa a resenha, acho necessário explicar  a diferença entre romance de época e histórico. Geralmente romances de época tem como foco o romance do casal, e também abordar costumes e comportamentos da sociedade daquele período. Enquanto romances históricos baseiam-se em fatos históricos para desenvolver tanto a narrativa quanto o romance do casal.

Obs.: As citações ilustrativas são aleatórios, não tem nenhuma ligação com o texto tanto que as antecede.
No caso O Amor nos Tempos do Ouro é um maravilhoso e inesquecível romance histórico escrito pela autora nacional, Marina Carvalho. E por isso fico insegura para escrevê-la, pois tenho receio de não conseguir expressar o que a leitura representou para mim.


O Amor nos Tempos do Ouro retrata o Brasil colonial, a época dos ricos donos de fazenda, que utilizam do trabalho escravo de negros oriundos de um criminoso tráfico vindo da África para o Brasil.

Antes de escrever sobre os personagens, gostaria de comentar que fiquei encantada com a construção dos fatos históricos descritos pela autora, que me instigou a fazer pesquisar para aprofundar o meu conhecimento, e ao mesmo tempo, identificar a veracidade dos fatos, pois a autora em algumas considerações no inicio do livro, solicitou que seus leitores fossem benevolentes com algumas “licenças poéticas” adotadas por ela para incrementar os fatos históricos. Mas comprovei que foram poucas as interferências em relação a realidade da época.


O livro nos apresenta a triste situação da protagonista, Cécile Lavigne, que perdeu toda a família, pais e irmãos, e ficou completamente sozinha, tendo como único amigo um diário que ela descrevia todas suas emoções e tristezas do momento. Parte desse diário aparece no decorrer do livro antes de alguns capítulos. E mostra de uma maneira comovente, todo o sofrimento de Cécile.


Cécile filha de um aristocrata francês e de mãe portuguesa, teve uma excelente educação, e foi criada para ter autonomia em suas decisões, mas com a morte da família, ela terá que enfrentar o oposto da sua vida anterior. O tio Euzébio, além de fazê-la mudar da França para o Brasil, ele arranjou um casamento com o repugnante fazendeiro, Euclides de Andrade.


E para reencontrar o futuro indesejado noivo, pois o tio queria se livrar da responsabilidade de tutelar a sobrinha, além do mais através de um acordo com Euclides, ele iria receber uma parte da herança da sobrinha. E nem bem chegou ao Rio de Janeiro, teria que fazer outra e cansativa viagem para Minas Gerais, e teria a escolta para sua segurança de um enviado pelo noivo, o explorador Fernão.


Fernão um explorador de ouro que fez bastante riqueza e conseguiu sua independência financeira. Foi praticamente apadrinhado por Euclides, sendo educado juntamente com o filho do fazendeiro, Henrique. E devido a isso sentia obrigado a prestar favores a ele, como sempre fez também para alguns outros fazendeiros da região, mesmo que alguns desses favores não foram agradáveis.


Mas esse trabalho seria o último, e ao mesmo tempo o incomodava ter que acompanhar a francesinha que ele supostamente julgava como esnobe e fútil, porém ao conhecê-la melhor durante o longo percurso da viagem suas opiniões começaram a modificar e ao mesmo tempo surgir sentimentos por Cécile.


Cécile estava desesperada, não imaginava casando com alguém que não amasse, além disso, está enfrentando uma viagem com pessoas desconhecidas, e do taciturno Fernão. Mas Cécile com seu temperamento doce e afável, faz amizade com dois escravos que estavam indo trabalhar nas terras de Euclides.


Um dele é o gentil Hasan e o outro, o jovem, Akin. Ambos retirados estupidamente da sua terra natal para trabalhar como escravos no Brasil, Eles serão importantes e fiéis amigos de Cécile.


No decorrer da viagem tanto Cécile quanto Fernão irão se aproximar, principalmente após uma situação desagradável que aconteceu com Cécile, mas mesmo com todos os sentimentos, Fernão não aceita o pedido de ajuda para fugir de Cécile, devido seu controverso respeito por Euclides, que ele reconhece que não presta, e ela não merecia viver ao lado do fazendo.


Depois de tudo que Cécile já enfrentou, terá que conviver com o grosseiro e estúpido Euclides.  Um homem cruel e autoritário, e às vezes com comportamento doentio. Sem respeitar os outros, principalmente as mulheres que considerava seres insignificantes. E ao conhecer Cécile reconhece o temperamento forte, e tem o intuito de destruí-la para submeter-se a ele.


Atrás da aparência frágil, Cécile esconde uma personalidade forte, e ser submissa em relação ao futuro marido não faz parte do temperamento dela, e por isso gera vários conflitos ao pondo de um deles Euclides a agride fisicamente. O futuro de Cécile ao lado de Euclides será completamente destrutivo para ela.


Mas depois de presenciar as situações, além de conhecer a terrível personalidade do fazendeiro, Fernão decide planejar uma fuga com Cécile, e levar junto Hasan, Akin e Malikan, a último um dos alvos da ira do fazendeiro.

Então começa uma nova aventura, e talvez uma nova possível vida para Cécile e seus amigos, chegar à propriedade de Fernão e se livrar do domínio de Euclides. Mas para isso eles terão que tomar decisões que talvez seja complicado desfazê-las.

Na nova empreitada começa a solidificar o amor de Cécile e Fernão. O modo como a autora descreveu a evolução dos sentimentos entre eles, foi tá poética, sensível e suave. E ao mesmo tempo, existe toda uma tensão sexual. Os momentos entre eles são lindos.

Mas Euclides ainda não desistiu de captura-los e puni-los por terem o enganado, principalmente a traição de Fernão. 

Conclusão...
Infelizmente tenho que para de escrever, pois daqui a pouco eu conto todo o livro.

Espero que tenha conseguido passar todas as emoções que senti ao ler O Amor nos Tempos do Ouro. Apesar de ser impossível explicitar todas elas.


Impossível não se apaixonar com as palavras ditas por Fernão à Cécile na língua africana iorubá, ou nas lindas palavras escritas por Cécile no diário,  ou as lindas cartas de Fernão escritas platonicamente para Cécile. Ou os lindos trechos de poemas de autores, como Castro Alves, Mario Quintana, Florbela Espanca, entre outros.

Marina Carvalho nos presenteou com riquezas de detalhes históricos, personagens inesquecíveis, e um romance irresistível.


O Amor nos Tempos do Ouro deixou um caderno com várias páginas de anotações, um livro cheio de post-it, e uma vontade de carregá-lo sempre comigo.


A cada início de capítulo apareciam textos de autores variados, separei alguns que amei...





9 comentários

  1. Esse livro me chamou a atenção logo que foi publicado. Apesar da variedade de autoras nacionais que escrevem sobre o gênero romances de época, é difícil - nunca tinha lido - um que se passasse no Brasil. E a história vai mais além, fala dos problemas e tbm das riquezas do país. Ótimo livro!

    ResponderExcluir
  2. Fiquei com pena de Cécile, com a situação difícil e triste que ela está vivenciando, mas confesso que não me interessei em conhecer a história dela e de Fernão, a trama não despertou meu interesse por isso O amor nos tempo do ouro não é um livro que pretendo ler...
    Bjos!

    ResponderExcluir
  3. Oi Patricia, eu já tinha lido alguns dos livros que a Marina escreveu e gostado bastante quando vi esse lançamento de um gênero que também é o meu favorito, então fui logo conferi e a autora não decepciona, a história é linda e muito bem contada, o capricho da autora com os detalhes e as pesquisas só faz com que fiquemos mas apegados a história e orgulhosos pelo fato do livro ser nacional. Sua resenha tá linda e com partes encantadoras do livro, tenho certeza que aqueles que ainda não leram vão ficar cheios de vontade de ler.Já tô ansiosa aguardando o próximo livro. ;)

    ResponderExcluir
  4. Sabe o que me deixa nesse momento super feliz?! Saber que tenho essa pérola na minha estante, uruuuuuuuuu
    Amei tua resenha Paty, um primor como sempre. Amei as citações e situações pelo qual o casal passa. Amei e já quero ler.
    Bjs

    ResponderExcluir
  5. Romances de época costumam me fazer torcer o nariz, mas quando li ali em cima: Marina Carvalho tive que parar e dar um: "Opa, taí uma exceção para a minha regra". Bom, entendi que esse não é apenas um romance de época com enfoque apenas no romance como costumo ver e esse foi o ponto forte do livro pra me fazer quebrar minhas correntes. O fato de ser recheado de detalhes históricos e rico em detalhes do nosso próprio país me chamou a atenção no ato.
    Escrever sobre a história da sua terra natal (Minas) deve ter sido incrível para a Marina, e ter tornado o enredo do livro mais tangível para os leitores.
    Conheci as outras obras da autora e me encantei com sua escrita. Quero ver como ela se saiu nesse novo livro, com uma temática completamente diferente.
    Assim que encontrar uma promoção, ele entrará para minha lista de compras.

    ResponderExcluir
  6. Amo romances de época e também históricos, principalmente os histórias como esse, bem escritos e que exploram a maneira de viver da época, o tema tratado é bem delicado e a autora parece ter retratado ele de maneira profunda, tenho certeza que irei me emocionar com Cécile e sua maneira de relatar seus sentimentos, a resenha ficou excelente, me tocou e aumentou minhas expectativas para a obra

    ResponderExcluir
  7. Oi Patrícia!
    Fiquei mais animada ainda com esse livro depois dessa resenha. E fiquei com muita pena da Cécile por ter que passar por tudo isso. Mas ainda bem que ela é uma personagem forte e não se deixou se abater pelo Euclides. Adorei o fato da autora trazer um pouco da história do Brasil nessa trama e fiquei mega curiosa pra saber o desfecho desse livro. Com certeza uma obra que merece ser lida.
    Abraço!

    ResponderExcluir
  8. Esse livro parece ter ficado muito bonito mesmo e o que mais gostei é por ser nesse tempo antigo e no Brasil. É tão legal pra saber como eram aqueles tempos, ter uma imagem na cabeça quando você lê. Acho diferente porque, fora os clássicos, não vejo muitos assim pra ler. E essa autora é boa demais. Todos os livros que li dela adorei, a escrita vicia e o romance é super fofo. Queria ler!

    ResponderExcluir
  9. Estou doida pra ler esse livro, curto muito romance histórico, e gosto muito da escrita da Marina Carvalho, parece ser bem emocionante e essa resenha me deixou ainda mais ansiosa em conferi essa história.

    ResponderExcluir

Deixe seu Comentário!