[RESENHA] Eu sou a lenda - Richard Matheson - Editora Aleph

sexta-feira, 15 de julho de 2016




Começo a resenha de hoje com a frase que ilustra a contracapa do livro Eu sou a lenda, do autor Richard Matheson. Robert Neville não está só: a população humana foi dizimada por um vírus e agora estranhas criaturas noturnas habitam a Terra. Sobrevivência, solidão, bebedeira e discos de vinil fazem parte da rotina do possível último homem vivo do planeta. Do lado de fora da sua casa, todas as noites, inúmeros vampiros cercam a propriedade e tentam convencer Neville a sair, afinal, se eles não conseguem entrar, precisam fazê-lo sair. E todas as noites Neville resiste à tentação de se entregar à nova espécie.
Durante o dia Neville sai para a cidade, arruma a casa e estuda livros e mais livros atrás de uma possível cura. Ele não é cientista, nem biólogo, nem nada nessas áreas. É só um homem desesperado tentando não ser o último. Como ele pesquisa muito, vários dos trechos da obra acabam se tornando grandes aulas de ciências, o que acaba tornando a leitura um pouco mais lenta, chata e densa (confesso que muitas das informações eu não processei direito...). Bom, o que Neville não pode fazer é estar na rua durante a noite, quando os vampiros ganham vida. E essa prisão noturna obrigatória e falta de companhia o transformam num protagonista perturbado, deprimente e que beira a loucura (o que provavelmente aconteceria se alguém ficasse privado de companhia por tanto tempo).

 
Eu sou a lenda vai contar então a rotina e vida do solitário Robert Neville. É um livro que possui pouquíssimos personagens e cenários, e que poderia ter muito mais ação. E era isso que eu esperava desse livro: ação, morte e sangue. E não foi isso que eu li. É um livro mais parado, mais voltado para a tensão do personagem, e não ao como tudo começou, ou o durante a morte da humanidade, mas que ainda sim contém uma ou duas cenas mais intensas de ação. Apesar disso, eu adorei o livro! E ele acaba tendo uma história mais dinâmica após um certo momento, e a história avança a partir dali (o que eu agradeci, pois se tivesse continuado na mesma, provavelmente eu não teria gostado).

Aqui, os vampiros não são esses que estamos acostumados (pessoas que tem vida, bebem sangue e todo o resto). O vampirismo de Richard começou a partir de, possivelmente, uma bactéria, e portanto, é uma doença, que transforma as pessoas em monstros noturnos não muito inteligentes. O único problema quanto a isso, ao meu ver, foi a vulgarização e depredação da mulher vampira, que achei desnecessário e um tanto machista.

 
Escrito na década de 50, o livro é um clássico do horror da época e já foi adaptado ao cinema três vezes (1964, 1971 e 2007), porém, em nenhuma vez fielmente. O mais conhecido foi o Eu sou a lenda de 2007, protagonizado por Will Smith e seu fiel companheiro pastor alemão. Não espere, por tanto, uma história igual ao filme. Bem pelo contrário! Aqui não temos um Will Smith (o protagonista literário é fisicamente o oposto do ator), não temos um fiel companheiro e não temos toda a ação do filme – aliás, não temos quase nada igual. É uma história diferente, sob uma mesma premissa, e ambas merecem ser apreciadas.

E eu não poderia deixar de falar da edição incrivelmente linda que a Editora Aleph lançou! Capa dura – com esse rosa lindo! – folhas grossas, espaçamento e mancha de texto perfeitos! O formato dele é um pouco menor do que a maioria dos livros, que no final deu um charme a mais à obra. E a brincadeira com a tipografia e ilustrações (meu lado designer grita loucamente com isso) me conquistou bastante.  Outro ponto positivo dessa edição é que no final vem um extra com comentários do livro, que ajudam a entender melhor da história. Esse é, com certeza, um dos livros mais lindos da minha estante, e não me arrependo em nenhum momento de tê-lo comprado – e de tê-lo lido!


Ótimo!
 




Eu sou a lenda foi o livro escolhido como leitura do mês de maio para o Vórtice Fantástico de Porto Alegre - um clube do livro de leituras fantásticas e de terror - do qual faço parte, juntamente com queridos amigos e blogueiros daqui do sul!




16 comentários

  1. Oi Ellen, eu vi Eu sou a Lenda com Will Smith e gostei muito, mas lendo sua resenha não acho que gostaria desse livro, apesar de ser um clássico, se eu já achei que deveriam existir mais personagens no filme, imagina em um livro rsr, mas pelo visto o livro e o filme são um pouco diferentes né? o que me desanima ainda mas :/ Fiquei curiosa sobre a questão da mulher vampira, não lembro de nada tão machista, nesse ponto o filme é diferente? Se não vou ter que ver o filme novamente ;)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Lili! Também gosto bastante do filme do Will (e ainda não acredito que faz tanto tempo que ele lançou, estou ficando velha!!), e o filme e o livro são diferentes sim, mas eu gostei bastante do livro, embora um pouco mais parado, me fez pensar em como seria se algo do tipo acontecesse no mundo e só eu sobrasse. Foi uma leitura muito boa e rápida, e vale a pena ter uma chance :)

      Sobre a mulher vampira: no filme é diferente. No filme, os vampiros nem se parecem com humanos, são formas humanoides distorcidas, enquanto no livro, os vampiros ainda se parecem com humanos. As mulheres do livro são provocativas e vulgares, e querem atiçar o Neville sexualmente para que ele saia de casa! (no filme não existe isso!) ;)

      Excluir
    2. Então estamos ficando experientes nada de velhas rsrs, vou ver se dou uma chance ao livro ;)

      Excluir
    3. Experientes com certeza!
      Depois me conta o que achou do livro, vou adorar saber :)

      Excluir
  2. Ellen quando eu comecei a assistir Eu sou a Lenda com o Will Smith nada no filme me prendeu e acredite só assisti meros doze minutos de filme. Não sei porque a sensação de coisa parada que não evoluía me deixou muito apática e nem imaginei que tivesse um livro a respeito. A capa é muito bonita e depois de ler sua resenha me arrependi de não ter dado uma chance ao filme e consequentemente ao livro. Não sei se a parte da depreciação da mulher no livro vá ser incômoda, pois isso acontece ainda em muitos tipos de literatura, mas quero sim ler e entender um pouco mais desse universo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nossa Adriana, sério?? Eu super adoro o filme! Inclusive eu assisti ele no cinema na época do cinema (faz tempo!). E eu também não conhecia o livro, só fui descobrir ele porq foi indicada para leitura no Vórtice Fantástico.

      Quanto a mulher vampira, não chegou a ser um incômodo grande, mas foi algo que me deixou pensativa... A capa é linda, e não só ela, mas toda edição da Aleph! Espero que tu goste da leitura! Depois me conta o que achou :)

      Excluir
  3. Adorei a resenha!! Eu adoro o filme e sei que com certeza vou adorar ainda mais o livro!! Mas, cá para nós que capa linda :333 Esse sim, seria um livro que eu compraria pela capa KKK

    Beijoss!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Capa maravilhosa né?
      Espero que tu goste da leitura Roberta! Depois me conta o que achou o/

      Excluir
  4. Eu amo o filme Eu sou a Lenda, mas o único que assisti é o do Will Smith, nem sabia que tinha outros filmes, e nem sabia que tinha o livro. Fique super interessada no livro, eu acho a história ótima, e acho que vou gostar mesmo que não tenha tanta ação. Mas o que achei mais triste é que o livro não tem o Pastor Alemão :(
    Essa capa está realmente linda, ameeei ela <3

    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Rafaela! Também adoro o filme do Will! Até tentei achei achar os outros dois para ver, pois ouvi que dizer que um deles é bem mais fiel ao livro, mas não tive sucesso na procura! :( O livro eu só soube por causa do Vórtice, e fiquei muito feliz de ler ele :)

      O pastor alemão não tem (e eu passei o livro todo esperando por ele...), mas tem outro surpresinha na história hein! Vale ler :D

      Excluir
  5. Estou doida pra ler esse livro, curto muito o filme e essa resenha me deixou ainda mais curiosa em conferi essa história bem diferente dos filmes.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Leia siiiiim! Espero que goste!
      Me conta depois o que achooou! :D

      Excluir
  6. Oiiee, tudo bom?
    Primeiramente cara eu não sabia que tinha um livro hahaha até ver essa resenha, já vi o filme e eu gosto muito, e os dois são bem diferentes né, fiquei interessada em ler, creio que irei gostar, a edição realmente esta linda.
    Beijos *-*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Camila! Tudo bem? :D
      Tô achando que tá faltando divulgação da editora! Afinal, muito gente, assim como eu, não conhecia o livro! (e olha que ele é de 2015 hein)

      Espero que tu goste da leitura *-*

      Excluir
  7. Nunca cheguei a ver o filme todo, mas sabia que tinha um livro e fiquei querendo ver como era. Só não deu pra ler =/
    Queria ver como são essas diferenças. Acho que iria curtir mais o livro. Fora essa parte das mulheres, não curto nada quando fazem esse tipo de coisa e se achar machista....aff.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quem sabe lendo o livro, tu consiga dar uma chance nova e ver o filme? Mesmo ele não sendo muito leal à obra, vale a pena assistir e comparar :D

      Excluir

Deixe seu Comentário!