[RESENHA] Onde está Elizabeth? - Emma Healey - Record

quarta-feira, 31 de agosto de 2016



Maud é uma senhora de mais de 80 anos e é ela quem nos guia pelas página da intrigante obra de Emma Healey. Mas diferente de outras obras, aqui nós somos inseridos na cabeça de uma personagem com alzheimer, que se perde constante em seus devaneios e memórias.

Para tentar se manter atualizada e não esquecer mais seus afazeres, Maud escreve bilhetes. Muitos bilhetes. Mas esse sistema nem sempre funciona, afinal, ela sempre esquece datas e nunca as coloca nos post'its.

Um certo dia Maud se depara com um bilhete escrito por ela: Elizabeth está desaparecida. Preocupada com a amiga, Maud tenta convencer sua filha, sua cuidadora e a polícia de que Elizabeth está de fato desaparecida. Mas devido aos seus esquecimentos constantes, nenhuma dessas pessoas a levam a sério.
 
Só resta a Maud descobrir o que, e se, aconteceu algo à amiga.

Em paralelo a história de Elizabeth, ainda acompanhamos a história da jovem Maud, durante a Segunda Mundial. Naquela época, sua irmã mais velha ~Sukey~ também desapareceu. Pensamentos e lembranças do passado se misturam a fatos e conflitos do presente. E na cabeça de Maud, tudo está acontecendo ao mesmo tempo. Será que Elizabeth realmente desapareceu?



Emma Healey traz à narrativa da história uma proposta muito interessante: um narrador perplexo que sofre de perdas de memórias constantes. E a autora trabalha muito bem isso! Ela faz com que o leitor entre de fato na mente e na confusão. Muitas vezes esse embaralhamento de pensamentos me causou uma certa angústia ~que acredito que seja constante em quem sofre dessa doença.

Envolvi-me demais na leitura. Ficava furiosa quando Maud de embaralhava toda, indignada com sua filha Helen por ser tão impaciente, emocionada e pensativa sobre a doença e principalmente desconfiada sobre Elizabeth. Horas eu achava que ela não existia, horas achava que ela Sukey e horas eu jurava que ela estava morta. Ou seja, estava louca para ler ele inteirinho e logo!

Foi um livro que me tocou muito. Ele traz uma carga emocional muito forte, principalmente para as pessoas que já conviveram com quem teve essa doença. É difícil de lidar com pessoas que se esquecem das coisas. Isso traz um esgotamento físico e mental, tanto para quem a possui, quanto para quem lida com quem a possui. E em Onde está Elizabeth nós vemos os dois lados da doença.

É uma história extremamente bem escrita e contada, além de muito inteligente.

Esse livro requer paciência. Muitos fatos acontecem, e precisamos ficar atentos aos detalhes para sabermos se aquilo aconteceu de verdade ou não. Afinal, Maud e sua mente não confiáveis. Mas uma coisa é certa: vocês com certeza irão se desesperar para saber o que aconteceu com Sukey e Elizabeth! (se é que aconteceu alguma coisa.. hihi) Fãs de um bom mistério irão adorar!



Ótimo!







7 comentários

  1. Tinha gostado da sinopse dele, mas não achei que fosse um livro tão cheio de sentimentos e carga emocional forte. Se ele deixa a gente com essa sensação de confusão deve ser interessante, até dá um certo clima, uma coisa que faz pensar como é para a personagem conviver com essa doença. Tenho uma tia que está nos estágios iniciais e cara, é muito ruim. Ver ela lá toda confusa com coisas tão simples, lembranças...deve ser doloroso pra quem passa por isso e quem convive.

    ResponderExcluir
  2. Oi, Ellen!
    Curto livros de mistérios e achei genial que o narrador de Onde está Elizabeth? sofra de perdas de memórias constantes, fazendo o leitor se perguntar se ouve um desaparecimento ou não, e se a mente da Maud é confiável... não tenho dúvidas que esse mistério me prenderá a leitura quando eu for ler Onde está Elizabeth?, o que pretendo fazer em um futuro próximo...
    Valeu pela dica.
    Bjos!

    ResponderExcluir
  3. Olá, Ellen.
    Que horas saiu a postagem? Porque fui dormir as onze e ainda não tinha saído. Tá valendo pro top ainda?
    Não conhecia esse livro ainda é apesar de ser muito interessante eu não leria. Perdi meu pai no começo do ano para essa doença e não quero reviver todo sofrimento que passamos. Eu entendo a filha dela porque só quem passa por isso saber o quanto é difícil. Eu achei que ia ficar louca.

    ResponderExcluir
  4. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  5. Esse livro parece conter um mistério e tanto, afinal até lendo a resenha me fez ter dúvida se Elizabeth realmente existe, mas uma coisa é certa o livro parece ser muito bom e conter uma história sensível, nos apresentando a vivência e as complicações de quem tem essa doença que conheço bem pouco :/

    ResponderExcluir
  6. Olá, Ellen
    O livro parece ser muito interessante!! Uma protagonista que tem perda constante de memória nunca li nada parecido!!
    Beijoss
    :))

    ResponderExcluir
  7. Gosto muito de mistérios, e este me chamou muito a atenção por sua diferença no enredo. Falar de uma doença como alzheimer do modo como a autora trouxe, mostrando as confusões na cabeça de Elizabeth, sem saber até onde é real, até onde é passado. Gostei muito do livro e da resenha, com certeza daria uma chance.
    Abraço!
    A Arte de Escrever

    ResponderExcluir

Deixe seu Comentário!