[RESENHA] Pensei que Fosse Verdade - Huntley Fitzpatrick - @EdValentina

terça-feira, 23 de agosto de 2016

Pensei que Fosse Verdade
Huntley Fitzpatrick
Editora Valentina
Nro. de Páginas: 336
I.S.B.N.: 9788558890069
Compre AQUI!!
Sinopse: “O Paraíso À Beira-Mar.” “O Segredo Mais Bem Guardado Da Nova Inglaterra.” A ilha de Seashell, onde passei minha vida inteira, é tudo isso e muito mais. No entanto, a única coisa que eu quero é ir embora daqui. Gwen Castle nunca quis tanto dizer adeus à sua ilha natal quanto agora: o verão em que o Maior Erro da Sua Vida, Cassidy Somers, aceita um emprego lá como faz-tudo. Ele é um garoto rico da cidade grande, e ela é filha de uma faxineira que trabalha para os veranistas da ilha. Gwen tem medo de que esse também venha a ser o seu destino, mas, justamente quando parece que ela nunca vai conseguir escapar do que aconteceu – ou da ilha –, o passado explode no presente, redefinindo os limites de sua vida. Emoções correm soltas e histórias secretas se desenrolam, enquanto Gwen passa um lindo e agitado verão lutando para conciliar o que pensou que fosse verdade – sobre o lugar onde vive, as pessoas que ama, e até ela mesma – com o que de fato é. Da aclamada autora de Minha Vida Mora ao Lado, um romance sobre um amor “impossível”, cheio de expectativas e arrependimentos, humor e... perguntas difíceis.

 FAVORITO DA ESTANTE!!!
Terminei de ler “Pensei que Fosse Verdade” com aquele suspiro de contentamento e um coração feliz por ter sido presenteado com uma leitura tão deliciosa!

Uma das marcas registradas de Huntley Fitzpatrick é o olhar doce e sensível para os temas da adolescência. Em seu novo livro publicado pela Editora Valentina, mais uma vez a autora de Minha Vida Mora ao Lado, nos brinda com um delicioso YA que aborda temas como sonhos, os medos sobre o futuro quando alcançamos aquele limiar entre a adolescência e os primeiros passos para a vida adulta, as escolhas levianas e impulsivas, assim como a culpa e dramas que muitas vezes nós mesmos alimentamos sem necessidade, por ainda não termos um olhar mais maduro sobre as situações em si.

Em “Pensei que Fosse Verdade”, a autora narra em 1ª pessoa através de Gwen todos os fatos de sua vida difícil como moradora nativa da ilha de Seashell, seus problemas familiares, suas decisões impensadas que em diversos momentos colidem com seus sonhos, suas conseqüências, as contradições de vontades e sentimentos em relação a suas decisões, seu corpo e seu coração.

Gwen embora seja uma menina casca grossa moldada por sua vida difícil, é uma adolescente normal, cheia de sonhos e principalmente inconformada com sua vida e tentando se lançar a um futuro melhor.


Ao mesmo tempo em que precisa “fugir” de sua ilha natal e abrir seus horizontes para que seu futuro seja diferente do de sua mãe e ela não se torne mais um clichê em sua ilhazinha pitoresca, Gwen também precisa lidar com as decisões tomadas por impulso e que as vezes parecem lhe afastar do caminho para onde sua razão aponta para ir. E as vezes o coração e a razão querem coisas diferentes e as escolhas nem sempre são claras o suficiente para que possamos escolher com sabedoria, ainda mais aos dezessete anos.

De uma maneira linda e luminosa, Huntley Fitzpatrick vai nos envolvendo na vida de Gwen, sua família e seus amigos.

Com um cenário lindo e uma narrativa completamente fascinante, aos poucos vamos fazendo parte da vida desta personagem tão controversa, mas ao mesmo tempo tão forte, meiga e leal.

Adorei fazer parte da vida de Gwen. Viver suas dificuldades e dramas familiares, entender seu coração e ver as peças se encaixando e fazendo sentindo enquanto ela mesma consegue finalmente ver as situações através de outras perspectivas.

Crescer é sempre difícil e as mudanças em nossas vidas normalmente além de nos tirar da zona de conforto, acabam por se tornar um pouco dolorosas quando por vezes continuamos a nos apegar à verdades até então absolutas ou relutamos em aceitar as mudanças ou encarar que nada é para sempre ou como tínhamos certeza que fossem.

Huntley foi muito feliz com a construção não somente de Gwen e seu par romântico Cass (um menino lindo, mas ao mesmo tempo honesto e leal), mas também da sua trabalhadora mãe, o bronco do pai, seu avô pitoresco e as demais senhoras da ilha que nos renderam momentos muito divertidos. Seu primo Nic, seu irmãozinho mais do que especial Emory, sua amiga confusa Vivien e os demais mauricinhos do outro lado da ilha. O conjunto todo de personagens cativantes valem um livro que além de lindo, acaba se tornando muito marcante após a leitura.

Suspirei, sorri, fiquei indignada com algumas agruras de Gwen, tentei sacudi-la para ver se criava juízo em diversos momentos, aproveitei os momentos belos onde sua vida não parecia tão difícil e os cenários lindos de sua infância e dia a dia que lhe traziam conforto e alegria.

Vivenciei suas confusões, o desabrochar e o autoconhecimento do que significa amor e como é estar finalmente apaixonada.

Me encantei com suas lembranças, mas principalmente com a abertura de novos e coloridos horizontes, mesmo em meio às tempestades de verão.

E como disse antes, embora tenha amado este olhar doce da autora para tecer esta narrativa tão bonita e marcante, também guardo comigo a sensibilidade com a qual ela tocou a vida de Gwen e a realidade com a qual traçou sua narrativa me cativando com este livro lindo.


Leitura mais do quê recomendada e com certeza “Pensei que Fosse Verdade” é o mais novo queridinho da minha estante!! O brabo agora é superar a ressaca que me assola e parar de suspirar bobamente com aquele gostinho de quero mais que fiquei após virar a última página!!

11 comentários

  1. Oi, Scheila!
    Ainda não li nenhum livro da Huntley Fitzpatrick e sinceramente confesso que a trama de Pensei que Fosse Verdade não me interessou, não curto YA, ler sobre os dramas e medos dos adolescentes não faz meu estilo de leitura...
    Mas achei bacana os três trechos que você colocou na resenha e desejo sorte com sua ressaca.
    Bjo!

    ResponderExcluir
  2. Quando vejo um coração ao lado da classificação do livro já fico atenta e quando vem pra um livro que já quero ler então, fico super animada :) Amei a capa desse livro e a sinopse me fez pensar que esse livro vai ser encantador, juntando isso a personagens cativantes, acho que também vou amar esse história <3 Espero ter a oportunidade de ler esse e o livro anterior da autora, pois vejo muitos elogios a escrita dela ;)

    ResponderExcluir
  3. Oi, Scheila!!
    Linda resenha!! Bateu a vontade de ler o mais rápido possível!! Ainda não li nada da Huntley Fitzpatrick!! Mas vou tentar comprar esse livro e o outro dessa mesma autora!! Adorei as citações também!!
    Beijoss :))

    ResponderExcluir
  4. Olá, Scheila.
    Já ia dizer que não conhecia esse livro, mas lembrei que ele fez parte de uma ação da editora não? Eu nunca li nada da autora por isso não sei o que esperar. Achei que o livro deve ser muito bonito e vou anotar para ler futuramente. No momento estou preferindo ler outros gêneros.

    ResponderExcluir
  5. Achei legal o outro que li dela e esse me deu vontade de conferir. De construção de personagem a autora arrasa, a gente simpatiza rapidinho e é tão bom de ler! Acho que ela fez o mesmo com esse, além de criar aqueles dramas adolescentes que tem graça e não são o maior mimimi. Ela parece ter mostrado bem como é difícil crescer, se encontrar no mundo e etc. Gostei e espero que seja bom mesmo.

    ResponderExcluir
  6. Nossa, já estava bastante interessada em ler esse livro só pela sinopse, e agora depois de ver essa resenha fiquei ainda mais curiosa em conferi essa história que parece mesmo ser excelente.

    ResponderExcluir
  7. Eu não conhecia esse livro ainda. Tenho muita vontade de ler o outro livro da autora, e agora fiquei com bastante vontade de ler esse também! A história dele parece ser ótima! E eu acho que vou gostar muito não só da Gwen, e sim todos os personagens. O livro já entrou para a minha listinha :)

    Beijos!

    ResponderExcluir
  8. Eu ainda não li nada da autora, mas só leio elogios sobre suas obras. Embora já esteja um pouquinho cansada dessa temática adolescente, eu gostei do livro, pela forma como a autora conta a história, o modo como ela consegue emocionar os leitores, pela sua descrição eu consegui sentir um pouco da emoção que a obra passa e entender porque ele está entre os queridinhos da sua estante. Outra coisa que me cativou na obra foi o cenário, embora a protagonista queira sair da ilha, eu imagino que este lugar deve ser muito lindo. Gostei muito da dica, a resenha está linda.
    Abraço!
    A Arte de Escrever

    ResponderExcluir
  9. Eu já li Minha Vida Mora ao Lado, e ameeei o livro. Já fiquei doida por esse livro, só por ser da mesma autora hahaha
    Eu gosto bastante de ler YA de vez em quando, e esse parece ser realmente ótimo. E eu acho que também vou gostar bastante de fazer parte da vida de Gwen. E gostei muito de saber que a narrativa da autora continua fascinante. O livro já entrou para os meus desejados *u*

    Bjss ^^

    ResponderExcluir
  10. A capa e até a lombada desse livro estão lindas e tô querendo ler tanto esse como o livro anterior dessa autora. A história parece se desenvolver de forma linda nesse livro e agora fiquei na dúvida sobre qual procurar pra ler primeiro.

    ResponderExcluir
  11. A capa e até a lombada desse livro estão lindas e tô querendo ler tanto esse como o livro anterior dessa autora. A história parece se desenvolver de forma linda nesse livro e agora fiquei na dúvida sobre qual procurar pra ler primeiro.

    ResponderExcluir

Deixe seu Comentário!