[CINEMA] Crítica: Cinquenta Tons Mais Escuros

quarta-feira, 8 de fevereiro de 2017

Data de lançamento 9 de fevereiro de 2017 (1h 58min)

Direção: James Foley
Elenco: Dakota Johnson, Jamie Dornan, Bella Heathcote, Kim Basinger
Gêneros Romance, Drama, Erótico
Sinopse: Incomodada com os hábitos e atitudes de Christian Grey (Jamie Dornan), Anastasia (Dakota Johnson) decide terminar o relacionamento e focar no desenvolvimento de sua carreira. Ele, no entanto, não desiste tão fácil e fica sempre ao seu encalço, insistindo que aceita as regras dela. Tal cortejo acaba funcionando e ela reinicia o relacionamento com o jovem milionário, sendo que, aos poucos, passa a compreender melhor os jogos sexuais que ele tanto aprecia.

 

Desde o lançamento de Cinquenta Tons de Cinza nos cinemas, eu e mais a galera toda maluca por Christian Grey já estávamos contando os dias para ver na telona Cinquenta Tons Mais Escuros.

Depois de toda a polêmica e atritos entre a E.L. James e a diretora do primeiro filme que o transformou numa comédiazinha romântica, bem baunilha, mas também bem comercial e divertida, dá pra entender o nível de expectativa em que estávamos com essa sequência, visto que agora o roteiro foi feito pelo marido da autora e ela própria acompanhou com olhos de águia as filmagens para que tudo saísse o mais fiel possível.


Então a pergunta que não quer calar desde que eu saí da cabine de imprensa de Cinquenta Tons Mais Escuros esta manhã é: O QUÊ DEU ERRADO??

Gente, eu até agora estou procurando palavras para tentar exprimir o meu grau de decepção com este longa. 
O filme foi fiel ao livro? Na medida do possível, sim! Mas no conjunto, mesmo estando tudo lá, parece que nada encaixou corretamente, entendem?

Iniciamos o filme exatamente do ponto de onde o livro começa, adorei a trilha sonora, mas já nos primeiros minutos senti falta do encontro de Ana e Grey no beco na saída da galeria/exposição do José.

Mas, tudo bem, pois é uma adaptação. Pena que tudo foi se adaptando demais e nada parecia fluir ou se encaixar corretamente na trama para gerar envolvimento do expectador. Os fatos iam acontecendo rapidamente em flashs, em sequências rápidas e truncadas.
Não houve momentos de imersão na trama. Durante as duas horas em que o filme durou, a impressão foi que estivemos à deriva o tempo todo, apenas boiando nas cenas.

Embora a fotografia e a trilha sonora estejam muito boas, os conjuntos de cenas não convencem. Os diálogos são superficiais ou cretinos, dando efeito "canastrão" em diversas sequências que deveriam nos brindar com mistério, suspense ou erotismo.
E gente, o foco do livro 2 é justamente o suspense a cerca de Leila, suas motivações e principalmente suas ações tresloucadas para cima de Ana. Simplesmente não vemos nada disso no filme! Assim como ela aparece, já tudo está às claras e a mesma é colocada logo para escanteio...oi????? Boa parte do livro é só sobre a tensão quanto a esta situação, cadê isso na tela??


Outra coisa que me deixou profundamente irritada foram as atuações de Jamie, que me desculpem, tá parecendo um atorzinho de novelas mexicanas B e Kim Basinger, gente, ela é uma Diva, deveria ter dado um show como a Elena. No fim sua atuação foi obsoleta e plastificada, assim como seu visual, que eu esperava que fosse muito mais sofisticado.

Jack Hyde iniciou bem. Super carismático e é claro, muito mais apetitoso do que o Grey, mas logo as sequências dele perderam o encanto, e o mesmo acabou inclusive meio caricato.
José, Eliot, Kate e os demais coadjuvantes, mal deram as caras no filme, deixando muito a desejar.

E quanto as cenas hots que tanto aguardamos, pois então...só aguardamos mesmo. Teve muita baunilha e bem pouco BDSM. Todas as sequências memoráveis, inclusive a das esferas no baile foram muito suavizadas, não trazendo nada de novo ou erótico para as cenas, que infelizmente em alguns momentos davam tom de caricatura/pastelão novamente.

O roteiro foi mal feito, as atuações foram fracas e mal dirigidas. As cenas acabaram se tornando uma sucessão de absurdos e infelizmente saí do cinema com a impressão de ter assistido a uma novela mexicana ruim, muito ruim mesmo.


Ao contrário do último filme que pelo menos foi romântico e divertido, tornando-se um filme comercial voltado ao entretenimento, Cinquenta Tons Mais Escuros infelizmente não conseguiu atingir nem este patamar. 

0 comentários

Postar um comentário

Deixe seu Comentário!