[CINEMA] TUDO E TODAS AS COISAS, confira a nossa crítica

terça-feira, 13 de junho de 2017


Estreia: 15/06/2017
Gênero: Drama/Romance
Distribuidora: Warner Bros.
Elenco: Amandla Stenberg, Nick Robinson, Anika Noni Rose e Ana de la Reguera
Direção: Stella Meghie

Sinopse: E se você não pudesse tocar absolutamente em nada do mundo? E se não pudesse respirar ar fresco, sentir o sol quente em seu rosto… ou beijar seu vizinho? Tudo e Todas as Coisas narra a improvável história de amor de Maddy, uma garota de 18 anos, inteligente, curiosa e cheia de imaginação, vítima de uma doença raríssima que a impede de abandonar a proteção do ambiente hermeticamente fechado no qual vive dentro de sua casa, e Olly, o vizinho da casa ao lado que não está disposto a deixar que a condição de Maddy os afaste um do outro. Maddy está desesperada para experimentar o desejado e estimulante mundo além das paredes de seu quarto – e a promessa de seu primeiro amor. Os olhares trocados apenas pelo vidro das janelas e as conversas por textos criaram um profundo laço entre Maddy e Olly, que os leva a arriscar tudo para ficarem juntos… ainda que eles possam perder absolutamente tudo.

À convite da Espaço Z, fomos prestigiar a cabine de imprensa de Tudo e Todas as Coisas nesta última sexta-feira aqui em Porto Alegre. E, quase não consegui me conter de alegria, visto que este é um dos filmes mais esperados este ano por nós leitores de carteirinha!!! 
Entrei para assistir ao filme cheia de expectativas e com certeza saí com um sorriso de orelha a orelha, visto que este foi o filme mais fofo que assisti este ano. AMEI!!!!
Maddy é uma garota de 17 anos que vive confinada em casa pois é portadora de uma rara doença. Seu único contato com outros seres humanos, se resume à mãe e a enfermeira.
Seus dias se resumem a ver a vida passar pela sua janela e pesquisar coisas e locais os quais provavelmente nunca verá, mas tudo bem, sua vida é assim....e Maddy vive mais do que conformada com ela.

Isso até Olly se mudar para a casa ao lado.

A adaptação de Tudo e Todas as Coisas foi muito feliz, visto que consegue de forma leve e sutil nos fazer mergulhar no mundo limitado de Maddy, que mesmo confinada em sua casa, é uma menina muito doce e consegue transmitir isso em cada gesto e pensamento.

Olly é o rebelde com o coração de ouro e juntos, ele e Maddy carregam o espectador para seu mundinho particular, onde uma bela amizade virtual é construída e ganha força quando a atração real entre em campo, mesmo com as limitações e proibições que os cercam.


Mas como todo o adolescente, Maddy quer viver. Não importa por quanto tempo, é preferível arriscar do que nunca ter vivido de verdade.

Junto com Olly e Maddy vamos descobrir o mundo. Conhecer o mar. Sentir o sabor do vento. Ver as cores do verão. Sentir tudo e todas as coisas. Viver.

Com uma linda fotografia e trilha sonora, este filme é muito amor em 1 hora e 37 minutos. Suspirei horrores, sorri, torci e me emocionei!!!
Como já disse anteriormente, foi o filme mais fofo do ano e não tem como sair do cinema sem um sorriso de orelha a orelha, tamanha a satisfação em assistir um filme assim tão delicioso.


Com certeza uma ótima pedida para todos aqueles com corações que precisam da leveza e romantismo do primeiro amor, com uma boa dose de otimismo e paixão em apreciar as pequenas coisas da vida.


TUDO E TODAS AS COISAS
15 DE JUNHO NOS CINEMAS

Verifique a Classificação Indicativa

0 comentários

Postar um comentário

Deixe seu Comentário!